PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem)

Quais assuntos mais te interessam no blog Fatos de Fato?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Gorjeta, pra que te quero!


Toda hora, todo dia, esbarramos em situações onde alguém quer ganhar !
Ganhar...
Acho que já faz parte do imaginário coletivo ou genealógico, ou antropofágico, ou arqueológico, sei lá, as criaturas pensantes quererem receber recompensa! ( Lembrei de Skinner e o ratinho de laboratório , que só aprendeu a pegar o queijo através da lei do condicionamento, isto é, sentindo uma fome daquelas! hahaha), o que nos leva a ter que pagar aqui e acolá, um agradinho porque te atenderam bem numa lanchonete, ou porque te deram o endereço certo, ou apenas porque sorriram(!) e disseram "No que posso te ajudar?", num ciclo vicioso que o capitalismo (selvagem, não-selvagem) permite!
Esse blá-blá-blá todo é para explicar que não suporto dar gorjeta!
"Mão-de-vaca, eu?", pergunto aos meus queridos amigos.
Não. Funcional, isso sim!
Caramba!
Por mais que se ganhe mal, todos os empregados têm salário fixo, e já são pagos para prestarem o serviço que lhes compete!
Querem ganhar mais? Vão aos sindicatos, formam uma caravana e se estatelem no Planalto Central para reclamar seus direitos ou façam como os professores: aceitam os "donativos" mensais e de vez em quando façam uma grevezinha, para fingir que conseguirão valer os seus direitos!...
Vocês já viram professor ganhando gorjeta?
E olha que prestamos um serviço de "primeira"!
Só em ter que explodir a garganta para fazer valer nossa autoridade e aplicar uma aula com o mínimo de coesão, já basta para termos que ser reconhecidos ( e somos?)!
Outra particularidade do ganhar, que me tira do sério, quando se trata de futebol!
"Romário é o "Rei Mário" mesmo! Fez tantos gols quando estava no Flamengo, por isso mereceu a grana que ganhava!"
Ah, fala sério! O cara não é atacante? Quem entende o básico de futebol sabe muito bem que atacante é o maior encarregado de fazer gols, logo, não fez mais do que a obrigação!
Quando um goleiro não deixa "vazar", também não fez mais do deveria, assim como o zagueiro, ao defender sua área, também não o fez...
Vamos parar de "jogar confete" em resultados esperados e obrigatórios das funções exercidas!
Que saco!
E no final do ano, então?
O "pede-pede " toma ares de comércio livre, onde o valor é direto ao "Quem dá mais?" e talvez o serviço que vocês tenham recebido tão bem durante o ano, seja boicotado porque se a graninha deixada na mãozinha não for boa ( e nem existir!), o funcionário que é pago para o seu ofício ( não esqueçam nunca disso!), fica " de mal" , olhando de cima a baixo como se o cliente prático se transformasse, de repente, em ogro abominável!
Algo a se pensar que chegando o fim-de-ano, essa chateação de "grana aqui, grana acolá", fica com nome específico ( só muda mesmo o nome, porque a palhaçada é a mesma!) e se translada para "caixinha".
Tudo bem, os gastos são maiores realmente para as festas comemorativas.
Porém, os pedidores de gorjeta devem ver que assim como eles têm família para presentear, comprar roupa nova para a virada do ano , os clientes também têm suas vidas, seus gastos, seus monitoramentos financeiros!
Não vou dizer que nunca dou gorjeta. Às vezes até o faço, mas com critérios: sempre é por motivo além, nunca por aquilo que era obrigatório para o ofício desempenhado!
É , essa história de gorjeta é tão séria, que nos Estados Unidos há até tabela de preço por função; alguém merece isso?
Li no livro Interchange, de Jack C. Richards ( aliás, um ótimo livro didático! É todo em inglês e mostra passagens atuais do mundo moderno!) , que o americano paga esses "extras" seguindo tradição.
Dêem uma olhadela no esquema abaixo:
Carregadores de aeroporto ou hotel: 1 dólar ou 2 para carregar cada mala
Guardadores de carro ("flanelinhas") : 1 dólar para estacionar um carro
Porteiros de hotel: 1 dólar ou 2 por conseguir um táxi
Camareiras de hotel: 1 a 5 dólares por noite
Motoristas de táxi: 15% sobre a corrida; mais, se eles te ajudarem com a bagagem
Garçons ou garçonetes: 15 a 20 % sobre a conta ( Não há gorjeta em restaurantes de fast-food)
Barbeiros ou cabeleireiros: 15% sobre a conta
Entre os americanos, existe uma regra que diz para darem gorjeta "justa", o que faz com que , se não tiver certeza das porcentagens e quantias a serem dadas, o negócio é seguir o que achar melhor e o bolso disser que "sim".
Fico às vezes com medo de escrever sobre certos assuntos porque a conotação usada pode ser mal interpretada e muitos pensarão que sou demagoga.
Não vou afirmar que se eu trabalhasse em alguns desses empregos, eu iria detestar receber algum por serviço prestado.
E nem posso alardear o fim incontestável dos agrados em dinheiro para trabalhadores por méritos, ou seja, bons serviços realizados com afinco e dedicação.
Cada um sabe o que faz e depende da opinião e objetivo que se tem a alcançar na vida.
Agora, o que eu posso afirmar com toda a força da minha alma é que JAMAIS pediria gorjeta ou "caixinha" como fazem muitos desses funcionários!
JAMAIS me perdoaria por importunar clientes.
Acho ridículo e sem propósito quem age assim, pois é sabido por muitos ou todos , que uma boa obra realizada, já é uma certeira propaganda por si só...
P.S.: Ah, pessoal, consegui consertar meu celular! Ele ficou bonzinho e já voltei a realizar todas as atividades com ele! Foi um baita de um presente do mano no meu aniversário! Ele pediu para o cara aqui do bairro consertar logo, por causa da data e assim o fez!...
Obrigada àqueles que acompanharam a minha "luta" e pela solidariedade! rsrsrs
(Imagem e pesquisa: Interchange , Jack C. Richards: Cambridge University Press, 2005.
Third Edition - Book 1)

sábado, 27 de dezembro de 2008

26 de dezembro


26 de dezembro.
Seria uma data como outra qualquer , se não fosse o meu aniversário!
O que dizer sobre um dia que vem após o Natal, um dia que nos arremete a ressacas dos que beberam demais, mau-humor daqueles que choram suas mágoas do dia anterior, algo que vem pura e simplesmente "depois" do dia mais esperado do ano?
Hoje é comemorado o Dia da Lembrança.
Deve ser porque muita gente começa a recordar, refletindo: "Poxa, bem que eu poderia ter bebido menos vinho ontem... Não estaria com essa dor de cabeça horrível hoje!"
Brincadeirinha!
O motivo é nobre.
Acredita-se que, após o Natal, que é o dia do nascimento de Jesus, envolvidos em Suas palavras de amor e fraternidade, nos sintamos mais complacentes a relembrar o que fizemos de errado, o perdão que devemos ter com os semelhantes, tudo aquilo que for da competência dos bons sentimentos em nossos corações.
Na Inglaterra comemora-se o Boxing Day, feriado nacional, cuja origem se perdeu com o tempo.
A teoria mais convincente é que começou por uma "culpa", ou seja, no dia 25 todo mundo se empanturrava de comida e trocava presentes entre parentes e amigos, e no dia seguinte , viam pessoas paupérrimas pedindo esmolas.
Então, juntavam o resto da fartura em caixas ( tudo a ver com o termo Boxing) e levavam para os sofredores.
Hoje em dia não só em caixa , não só resto da mesa farta e não só pessoas bem pobres.
Os próprios empregados, vizinhos menos favorecidos, etc. , se beneficiam com o significado de solidariedade da data.
E aqui estou eu falando de comemorações!
Apesar de ser uma data imprensada entre duas datas célebres ( Natal e Ano Novo), gosto de ter nascido nela!
É gostoso porque não fica aquela neura de ter que me comportar bem, de ser uma pessoa mais ajuizada , por ter nascido no mesmo dia que o Mestre.
26 é 26, não é 25, gente!
Meu signo é capricórnio, o que favorece o ceticismo comum aos nativos deste símbolo do tempo e da paciência, cardeal, regido pelo planeta Saturno (adoro aqueles anéis!) e do elemento terra.
Portanto, tudo para mim tem que ser bem definido, líquido e certo!
Sou meio enjoada às vezes, e a minha seriedade com certas coisas assusta um tanto a quem não esteja acostumado com a verdade nua e crua , à queima-roupa!
Adoro rir de tudo !
Um paradoxo: sou séria, mas gosto de rir muito (sem deboche) e choro muito também, pois me emociono com muita facilidade!
Gosto das artes e da vida, sou assim uma apaixonada pelo tempo e seus mistérios ( talvez seja do signo), faço de bons instantes, uma extensão de sonhos e lembranças a guardar na mente fantasiosa.
Sou romântica, e muito, mas sem pieguice!
Não sou do tipo que faço declarações de amor a todo momento, porque para as fazer, eu me exijo qualidade com Q maiúsculo, e isso pede tempo, o meu parceiro sempre presente.
Com essa história toda, devo dizer que vou pôr, durante o dia, o meu vestido vermelho que adoro, para tirar fotos minhas com ele.
Quero guardar como recordação da data e do vestido, já que ainda não tenho uma fotografia a contento com essa peça do meu vestuário.
Vou ficar em casa mesmo; tem chovido muito.
Não vou comer bolo, a não ser que alguém cisme de fazer uma graça para mim!
Apenas vou ficar curtindo junto aos meus, quietinha, tentando ser uma pessoa mais equilibrada por saber que a minha certidão de nascimento está um aninho mais "adulta" hoje...



P.S.: Balinha, tomei a liberdade de expor a figurinha zodiacal do seu post!
Mas vou colocar o link bonitinho aqui, ok, amiga?
Já notou que eu simplesmente A-D-O-R-E-I a imagem, né?

(Imagem: http://bsalgada.blogspot.com/2008/12/feliz-natal-pegue-aqui-sua-figurinha.html)

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Agradecimentos pelos selos recebidos IV

Eu sei que vai ter gente comentando: "Lá vem a Mary com post sobre selo de novo!"
Bem, mas eu vou continuar postando sempre, quantos selos eu receber , porque carinho e respeito dos amigos , é algo que não tem preço!
Desde que montei o Fatos de Fato, eu tenho sido agraciada com a presença e docilidade de tanta gente, que me faltam palavras para agradecer a todas e a tantas!
A forma mais generosa que consegui, é repassando selos de pessoas que me prestigiam e espero prestigiá-las também!

Neste post, resolvi separar por ordem de chegada os selos recebidos.
E antes de qualquer coisa, MUITO OBRIGADA , amigos!
Vocês são simplesmente incríveis!!!!

Do Fabrício Foxx, recebi esse lindinho selo abaixo, que tem poderes energéticos:
Da Drika, recebi quatro selos logo de cara!( Devo dizer que ela me paparicou demais! Não sei como o ego não explodiu! rsrsrs), que estão aqui também:









Da Berê, ganhei esse "cute- cute" de selo ( vejam como é lindinho!), que muito me alegrou:



Do Felipe, esse conseguiu o recorde de mimos: cinco selos de tacada! (Você não sabe o que é a Mary mimada. Fica tão bestinha!...), que estão na área, é claro:







Da Luka ( outra que anda me deixando mal acostumada! rsrsr), veio essa delícia de selo:

Do Giba, fui agraciada com um belo selo que também não poderia se ausentar dessa lista:

E para finalizar, veio um selo "reblogante", da eterna "reblogável", do blog "Rebloggando" , que se chama Regina , mas todos chamam de Rê ( Requeri). Claro, tão lindo e maravilhoso quanto todos os anteriores:

A seguir, vem uma lista dos amigos que gosto muito e que ainda não receberam nenhum selo oferecido por mim.
Vocês poderão levar TODOS os selos que aqui estão!!!!
Se quiserem, levem apenas alguns; vale do gosto de cada um.
Espero que recebam como prova de carinho e amizade!

André Soares (Lobo do Mar)

Será que esqueci alguém? Tomara que não... Se esqueci, peço mil desculpas!!!!!
E também há quatro amigos que adoro, mas não têm blogs!
Gostaria de oferecer a eles como um gesto simbólico de consideração e amizade! Quem sabe isso não os incentiva a ter um? rsrsrs
Por enquanto, podem salvar no PC!

Com todo o carinho do mundo:

Enos
Sissy
Romy Muller(Lua Nova)
Gilberto (Gibadoboi)

A todos, um desejo maior que o Universo ( se fosse possível!), que possamos ter paz, amor, tranqüilidade para este Natal e para o Ano Novo que já está praticamente aí!

Um abraço bem forte em cada um de vocês!

Mary.





OLHA O PAPAI NOEL AÍ, GENTE!!!!!















NATAL: ÉPOCA DE REVERMOS CONCEITOS, TERMOS MAIS FÉ, COLHERMOS MAIS AMOR FRATERNO!!!!



QUE O PAPAI NOEL QUE EXISTE DENTRO DE NÓS, LEVE ESPERANÇA AOS NOSSOS SEMELHANTES, O QUE É MUITO MAIS IMPORTANTE QUE QUALQUER PRESENTE QUE
NOSSA IMAGINAÇÃO POSSA PERMITIR IDEALIZAR!



CABE A NÓS A MUDANÇA! AFINAL...


"SOMOS NÓS QUE FAZEMOS A VIDA, COMO DER, OU PUDER, OU QUISER..."

( O que é, o que é - Gonzaguinha)




E QUE VENHA 2009!!!!!!





segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Ah, meu celular!...




Estou sem celular desde a semana retrasada.
"E daí?", alguns perguntariam.
Bem, é que sou do time que adora o mobile phone e o carrega para todo canto.
Como se fosse uma roupa; me sinto nua sem ele!
Admito que nos primeiros dias não dei muita bola pelo fato dele não estar funcionando; achava que poderia passar sem a sua utilidade.
De uns tempos para cá, porém, meu bichinho está arrebentando comigo de tanta saudade!!!!
Ele é extremamente útil:

1) Serve como despertador todas as manhãs;
2) Como perdi o costume de usar relógio de pulso, vejo a hora nele;

3) Vale como distração enquanto espero algo ser resolvido em filas ( tem uns games maneiros!);

4) Ouço rádio FM com fone de ouvido na rua ou intervalo do trabalho;

5) Como saio muito, é a melhor forma de comunicação quando alguém quer me achar;

6) Tira fotos , o que me vale em momentos de surpresa, tipo pessoas que encontro , que não vou ver tão cedo, aí, guardo as fotos como recordação;

7) Anota endereço de telefone e e-mail, o que é ótimo para criaturas feito eu, que vivem perdendo papéizinhos anotados ao léu , jogados na bolsa;

8) Tem valor sentimental : eu me presenteei ano passado, no dia certinho do meu aniversário!

Ele é quase inteiramente rosa, bem feminino e é muito bonito!!!! ( sem modéstia nenhuma, ele é mesmo! Deixem eu vibrar com meu amiguinho de todas as horas, por favor!)
Já me ajudou tanto, que nem sei dizer!!!
Não considero celular, como muita gente acha, que seja gadget descartável.
Só é ruim para quem não gosta de ser "rastreado", neste caso, entrega sem perdão!
Ainda não mandei consertar porque temo o orçamento e com essa de festividades, não há grana que páre no bolso!
Perguntei à uma moça o que poderia ser o defeito.
Como ela entende bastante, disse que é o display (expliquei-lhe que eu tinha recarregado a bateria dois dias antes e ele havia sido colocado na cabeceira de minha cama em perfeito estado; no outro dia, estava totalmente apagado!)
Vou deixar passar a época dos gastos para tê-lo de volta, em perfeito estado!
Que saudade de sua roupinha rosa , emoldurada por um sorriso metálico azulado, que me cumprimentava todas as manhãs, como que me prometendo que aquele seria um "Bom dia!", e se não fosse, estaria ali, pertinho de mim, para me dar força e me fazer companhia...


Breve histórico sobre o surgimento dos primeiros celulares:
A invenção do telefone celular ocorreu em 1947, no laboratório Bell, nos EUA.
Seu desenvolvimento se deu nos anos 80, a chamada primeira geração.
Atualmente estamos na terceira geração e meia.
No Brasil o primeiro celular foi lançado pela TELERJ, na cidade do Rio de Janeiro, em 1990, seguida por Salvador, Bahia.
Era analógico, agora, além de digital, tem alta resolução para fotos, substituindo muitas vezes a câmera digital, o que é visto com temor por muitas empresas voltadas para a negociação do aparelho fotográfico.

(Fonte de ajuda para a pesquisa: Wikipédia)












segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Trilhas sonoras inesquecíveis


Todo mundo tem aquela música para cada cena de sua vida!
Às vezes estamos parados em algum lugar e vem um pensamento meio doido:
"Que música tocaria para esse cara, que vem com uma caixa de picolé na mão, se ele fosse personagem de filme?"
Eu sou bastante intrigada com isso...
"Ah, aquela moça com cabelos vermelhos pede a música X! E o garotinho de tênis branco já tem uma cara de música Y!..."
Independentemente de sermos personagens de filme, quando tomamos alguma atitude semelhante ao personagem que nos tocou fundo na alma, o que quer que seja o som usado para a cena, a trilha nos arremete lá, dentro do mundo fictício.
Será que há alguém neste Planeta que não recorde de "My heart will go on", de Titanic, quando brinca de abrir os braços quando está no alto?
Ou que não se aflija profunda e dolorosamente ao ouvir "Jaws " (Main Theme), de Tubarão, onde quer se esteja, acreditando que vai levar uma abocanhada a qualquer momento do voraz animal?
E o que dizer de "Psycho", do clássico do terror Psicose?
Algum indivíduo pode ficar impassível, sem imaginar o banho mais famoso do mundo, com direito à faca em silhueta e um senhor pra lá de esquisito que se vestia de "mãe" dele próprio?
Trilha sonora de filme vai no fundo, "pega legal"!!!!
Claro, como tudo na vida, as músicas usadas em produções cinematográficas, são bem particulares.
E o meu gosto por sons em cinema, difere muitas vezes do meu gosto pessoal, cujo contexto favoreceu aquela batida especial.
Um bom exemplo, é Tropa de Elite, com o seu funk "Rap das Armas " de abertura, que é magistralmente trabalhado e até requintado dentro da atmosfera de violência, drogas e sexo do filme em questão.
Eu jamais ouviria aquela música dentro de qualquer lugar que não fosse na cena!
Os estrondos , os festejos se embolam com o sonoridade das armas utilizadas , e fica uma sensação de que festa e bagunça moram juntinhas, lado a lado...
Contudo, é gostoso demais termos uma trilha que serve para nossa vida, anseios, que revitalize o dom maior que é o de viver!
Trago comigo no coração , trilhas fantásticas que em quase todos os momentos do meu dia, eu me arremeto na placidez dos acordes bonitos e vou mergulhando , mergulhando, até dispersar de qualquer aflição que possa existir ao meu redor.
Eu poderia formar uma extensão de nomes e autores com seus ideais mirabolantes de "Luzes-câmera- ação" regados a " zunidos " coerentes .
Entretanto, a minha praticidade me diz que não haveria um ser pensante que agüentaria ficar lendo até o fim, um monte de opiniões musicais que talvez não seja em acordo com seu gosto.
Decidi, então, apenas expor as que me tocam a lembrança, de tal maneira, que eu seria uma "criminosa" se não as expusesse.
Vamos lá!
Não riam, mas Meu primeiro amor, com o lindinho- e- docinho ( na época!) Macaulay Culkin, sempre me arranca do tempo e espaço quando os meus ouvidos detectam "My girl", cantada pelos Los Lobos.
Ai, aquilo me dá uma paz, uma alegria que não sei explicar!
Fico relembrando a cena da contagem da menininha que contracena com Macaulay , antes de aplicar-lhe uma beijoca bem inocente!
Que mel!
O clássico "Tara's Theme", do nada menos clássico ... E o vento levou, faz um furacão dentro de mim!
Lá fico eu revivendo o antológico "Jamais sentirei fome novamente!" da ambiciosa e ao mesmo tempo adorável Scarlet O' Hara.
Esse filme, quando foi feito, eu nem sonhava em nascer, mas não tem jeito: sucumbi , porque todo mundo fala tanto e sendo assim, acabei comprando o DVD , assistindo o referido.
Não é das produções que mais gosto ( prefiro o outro clássico e igualmente velho, Ben- Hur).
Só que é inegável a mágica da trilha sonora dela em minha vida.
Eu pego fogo quando capto "Slave to love " no ar !
Viro uma "escrava do amor" como sugere o título! Derreto inteira, sinto vontade de explodir de tanto "Ui!" , logo nos primeiros acordes de Bryan Ferry.
Essa volúpia toda se deve ao acabamento luxuriante que fizeram de 9 1/2 semanas de amor um dos filmes mais tesudos que eu já assisti!
Quando Mickey Rourke e Kim Basinger "mandam ver" perto de sinos, elevador, onde a imaginação permite, espertamente sapecam o tema principal!
Engraçado que os produtores não se utilizaram da canção para embalar os momentos "gastronômicos", vamos dizer assim do casal, no apartamento!
Resolveram pôr ao fundo uma musiquinha um tanto ou quanto cômica para o meu gosto...
Não tem conversa: o que mais me marcou foram os sinos e Bryan Ferry rolando solto!
Amo " I can't dream about you", de Ruas de Fogo!
Ah, me lembro que o Michael Paré , o ator principal , andava com uma mulher que tinha a cara da Renata Sorrah, então, toda vez que ouço a música, me vem a imagem dos dois desbaratando umas criminalidades nas redondezas, principalmente quando ele tenta salvar a amada.
Maravilhoso isso!
John Travolta, no meu coração nostálgico, jamais teria um espaço tão afetuoso, se não fosse por "Stayin' Alive" , oriunda do inesquecível Embalos de Sábado à Noite!
Fui apresentada ao sr. Travolta, aos Bee Gees, ao filme dançante, por conta dos meus doces manos mais velhos ( sou caçula e temporona, ainda por cima!), que vivenciaram a áurea época das discotecas.
Adivinhem o que eles fizeram logo quando um colega arrumou o VHS com o filme?
Pediram emprestado, óbvio, e eu tive o prazer de me deliciar com as peripécias ultra sedutoras de John "Topete Volta" nas pistas de dança!
Aquele caminhar na calçada iniciando a saga de Tony Manero, entrou para a história!
Não tenho palavras para definir o meu gozo e a minha delícia de ver alguém tão objetivo nos seus passos certeiros...
Parabéns ao Embalos!
É dele também outra canção que me prende o fôlego.
"How deep is your love", tocada só por instrumentos, quando Tony e sua amiga, sentados num banco de praça, conversam sobre a ponte do Bridge, em Nova Iorque.
Tony sabia tudo, literalmente, sobre aquela ponte...
Quem sabe quais são as cores do vento?
Eu não sabia até a índia Pocahontas me contar!
É desse desenho que o meu delírio se faz, através da belíssima canção "As cores do vento", quando a índia, correndo com o seu namorado, o John Smith pelas montanhas incomparáveis de sua terra natal, se mistura a mato e luzes , entoando os seus sentimentos de amor e ternura à sua virginal terra distante.
Pocahontas, um bom desenho, trilha sonora melhor ainda!
Os meus sentimentos musicais também trazem Orfeu, com os brasileiríssimos Tony Garrido e Patrícia França.
Meu Deus! Que cena estupenda que o ator ( eu não sabia que o era) Garrido nos proporciona, ao resgatar Patrícia do fundo de um precipício!
Minhas lágrimas escorreram ao colocarem ao fundo "Sou você" , cuja composição é de Caetano Veloso.
É de esmagar o coração, é para insensíveis se tornarem pessoas melhores, gente que vale a pena se ter por perto!
Como eu já avisara, não quero me estender!
Sei que há muitas músicas e seus filmes, talvez eu faça até um "Trilhas sonoras inesquecíveis II", só que pararei aqui, pois do contrário, me torno uma mulher sem palavra.
Se me permitem, vou encerrar com a que MAIS me balança, me deixa tonta de emoção e me faz esquecer que eu tenho lado esquecível como qualquer um, isto é, posso ser uma pessoa má, às vezes.
Quando eu penso que não sou mais romântica, que não gosto mais de flores , que não creio que o mundo tenha jeito e nem acredito em príncipes encantados nos seus já manjadíssimos cavalos brancos, lá vem Em Algum Lugar do Passado, com o meu eterno ídolo artístico Christopher Reeve ( para os mais esquecidos, Chris interpretou Superman como ninguém mais conseguiu e nem conseguirá!) me fazer suspirar "no teu quarto, na cozinha, na sala de estar...", como cantaria Ana Carolina.
A trilha deste romântico e lindo filme de amor é a sacada mais original , perfeita, equilibrada, decente, coerente ( quais adjetivos além que eu posso usar?) que eu guardo na lembrança!!!!
"Somewhere in Time" , de John Barry, praticamente fala com os expectadores, ainda que toda a carga fonográfica da produção seja instrumental.
Eu fico muda diante de todo o álbum, que traz ainda Rachmaninoff, conhecido por ser compositor erudito de desenhos animados e filmes.
Não tenho nenhuma cena que eu diga que é mais marcante por causa da música ao fundo!
Porque a linguagem usada pelo diretor contém elementos sonoros, que se tornam inseparáveis do contexto .
Há uma cena em que uma caixinha de corda tocando a música tema, já transmite por si a idéia que quer transmitir!
Casamento ímpar de som x ação.
O romantismo que mora em mim, traz muitas cenas deste cult movie e como eu devo destacar uma cena em particular, fico com o encontro dos personagens Richard Collier e Elise McKenna perto de uma árvore.
O ambiente é acolhedor, a interpretação dos atores é arrebatadora, a fotografia incomparável e "Somewhere in time" , a estrela-mor do espetáculo!
A história se passa no século XIX e Richard tirando o chapéu para cumprimentar a até então boquiaberta Elise, é de arrepiar!
O que eu escrevi é apenas uma amostra do que eu curto muito nesses sons de cinema!
Estou para ver adequação mais coesa que som x ação!
Se existir, quero ser apresentada!
Enquanto isso, continuarei vendo por aí uma cena e lembrando de alguma música de filme.
"O atendente da pizzaria fez um negócio igualzinho àquele personagem. Tocava bem uma música nessa hora. Era essa aqui..."
Vou permanecer fazendo minhas comparações diárias; não vai haver jeito! ...
Pelo menos, é o que me parece!


( Imagem: http://maisdomesmo.amatilha.com.br/page/4)

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

AGRADECIMENTOS PELOS SELOS RECEBIDOS III

Olá, meus queridos amigos!
Com muito prazer e alegria imensos que venho fazer um post com lindos selos recebidos!
A amiga e querida Luka não poupou e me agraciou logo com dois selos "porretas", ó chente! (Posso brincar assim porque ela é uma pernambucana muito pernambucana e brinca assim também! rsrsr)
Minha querida amiga, muiiiito obriiiiigada!!!! Você é uma pessoa muito doce! Não tem quem não goste de você! ( Será que há algum desvairado que me desminta?!)


Eu quero compartilhar também minha alegria com uma galera que, como diria a Sandra Cantii, é "difícil de escolher ", pois são todos muito legais !!!!
Mas, escolhi do meu jeito e espero que gostem do resultado!
Primeiro as damas:
Agora os cavalheiros:
Vocês são pessoas muito queridas por mim!
Um abração do tamanho do mundo para vocês!!!!
Mary.


segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Hiperhidrose e eu - Um caso de "amor"




Não é contagiosa.
Não é perceptível com facilidade.
Não atrapalha trabalhar.
Não faz mal a quem está por perto.
E não é considerada doença.
Mas incomoda.
Incomoda socialmente.
Falo da hiperhidrose, mal que acomete 1% da população mundial.
E eu sou, infelizmente, uma dessas pessoas.
A hiperhidrose é o nome do mal de quem tem suor em excesso nas mãos, pés, axilas e/ou rosto .
Ela faz com que as pessoas que a possuam, se sintam um tanto ou quanto constrangidas em eventos sociais, quando é de praxe estarmos em meio à muita gente, tornando-se torturante, principalmente em dias de calor.
Há pessoas que apelam para roupas escuras ou estampadas para esconderem as marcas de suor que se acumulam embaixo do braço.
No meu vestuário, trago roupas de diversas cores. Não piro com a "senhorita incômodo".
Eu, para ser sincera, até que lido bem com ela, já que aprendi a driblar seus efeitos:
1) Para os pés, ando de sandálias abertas , e quando são fechados, troco as meias sempre;
2) As axilas , lavo-as bem e várias vezes por dia, e me utilizo de leite de colônia;
3) O rosto, limpo-o com algodão ou mesmo a toalhinha ( As pessoas mais íntimas já estão acostumadas a me verem com uma delas. Tenho até uma personalizada!!!!)
Agora, o suor das mãos é onde mora o tormento!
Para os afazeres comuns ao meu dia-a-dia, tudo bem mas, como eu já dissera, o aspecto social me atrapalha.
Um simples apertar de mãos é horrível pois, às vezes, estou nos dias de sudorese nas palmas, então, timidamente, entrego-as ao amigo ou amiga como se a sentença fosse vir a qualquer momento: "Oh, você está com as mãos suadas!!! Vai ser executada dentro de meia hora!"
É, para quem sofre de hiperhidrose, o maior temor , é ouvir o que ela já sabe desde criança( Pois é! Hiperhidrose nasce com a gente! Já foram vistos bebês escorrendo suor nas mãozinhas inocentes...), que elas suam a mais que a maior parte da humanidade!
E depois não é! Todo mundo acaba achando que estamos nervosos, preocupados com algum assunto complicado!
Nada!
É só um momento de suor a mais que essa chateação permite!
Às vezes, é verdade.
Ansiedade ou nervosismo aumenta a quantidade de suor produzida, mas isso não se configura em regulamento fixo.
Aliás, eu me achava uma "aberração" ( termo forte, não?) até uma jornalista que me falha agora o nome, ir ao "Programa do Jô" e dizer que se tratara da dita cuja, fazendo uma operação num dos ossos da coluna ( ou algo semelhante!) .
Foi com ela que eu descobrira que além de ter operação, tinha esse nome, que várias pessoas sofriam com ela e um livro sobre o assunto, a jornalista publicara.
Por esses dias ouvi falar de Botox nas partes afetadas .
Portanto, o valor a ser pago, não valeria a pena.
Durar apenas 3 meses?
Operar... Quem sabe um dia crio coragem????
Bem, um truquezinho que arrumei para as mãos, é lançar o rosto para a frente.
Desta forma a pessoa se satisfaz em me cumprimentar beijando apenas a face, não precisando apertar a mão, que geralmente recolho! ( Devo ter sido considerada mal-educada por muitos, por ter tido esse tipo de comportamento...)
Quando eu era criança, ficava incomodada de parar certas brincadeiras para ter que lavar as mãos e os pés ( sempre descalços, dá até nervoso de lembrar!) para tirar, na torneira do quintal, a mistura de suor e poeira, agarrados sem dó na sola e palmas.
Na escola, já havia uma brincadeira de escrever na mão, um recadinho qualquer.
Cadê que alguém conseguia? Só nos dias que eu estava livre da sudorese.
Em reuniões que se pede para apertar a mão de quem esteja próximo, eu prefiro abraçar, porque sei que mantenho sempre minhas axilas limpas, de modo que não passarei vergonha.
Dias frios ou ar-condicionado, me ajudam bastante, embora ocorra um "resfriamento" de vez em quando no corpo, parecendo um contraste térmico .
Nós, brasileiros, temos a cultura do banho, o que muito me ajuda.
Qualquer lugarzinho que você vá, logo alguém diz: "Vou tomar um banho bem 'esperto' agora..."
Eu necessito dele por sobrevivência!
Chegando de qualquer lugar ou indo, o suor me incomoda, perco a noção do que se esteja falando, se eu estiver muito suada, é claro.
Mas como no Brasil é do jeito que falei, então, ninguém acha estranho uma pessoa interromper um papo (ao telefone ou ao vivo) , pedir licença e se meter embaixo do chuveiro!
Ah, é por isso que eu adoro esse País!...
Outro fato maravilhoso que a "dona" hiperhidrose nunca me perturbou, foi para namorar.
Naturalmente que se a pessoa com esse mal vai se encontrar com alguém para fins de romance, tem que se armar de métodos bem eficazes para não estragar o clima!
No meu caso, a política do asseio é fundamental!
Banho - antes de sair;
Roupa - bem limpa e perfumada;
Para o rosto e axilas - leite de limpeza facial e algodão ( lenço também);
Para as mãos - lenço ou toalhinha, que levo sempre dentro da bolsa.
Assim o encontro se faz , se curte tudo na maior tranqüilidade e todo mundo é feliz!...
Já que se trata mais de um problema em sociedade do que qualquer outra opinião, deixo uma dica para quem não sofre de hiperhidrose, ou seja, a maioria esmagadora:
Se alguém recolher a mão, não vá tomar a pessoa como anti-social, por favor!
Ou se encontrar suor em excesso em alguém, não comente, ainda mais se for nas palmas!
Quem tem isso, não consegue controlar, então, se for um daqueles dias de suor abundante( não é todo dia, nem toda hora que a hiperhidrose nos pega) , vai ser extremamente desconfortável alguém "assinar" que o indivíduo está esvaindo em água sudorípara.
Fale com a pessoa como se nada estivesse acontecendo, fale de assuntos comuns porque , apesar de tudo, a vida é bela!
Finalmente, quero salientar aos curiosos ( a curiosidade matou o gato ou o guarda?) que não tive, em nenhum momento enquanto escrevia esse post, um suorzinho sequer para contar história...




(Imagem: http://agneto.sites.uol.com.br)

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

AGRADECIMENTOS PELOS SELOS RECEBIDOS II

Novamente estou muito feliz e agradecida por receber um selo carinhoso.


O mimo veio da minha amiga Emília (http://aprendemos-mikasmi.blogspot.com/).


Obrigada, querida! Muita luz e paz para você!!!!

Agora, repasso-os para os lindinhos:

As meninas ( primeiro as damas, não é, rapazes?)

Regina Bólico

Luciana P


Os meninos ( agora, sim, vocês!)

Renato(Happy Blue)

Ricardo

Joselito

Um abração a todos e espero tê-los sempre por perto, de alguma forma!
Mary.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Todo ser humano é sexy




Conceitos são sempre conceitos. E passam por gerações e gerações, até alguém quebrar o ciclo.
Até que alguém cansado do oba-oba do comodismo revoltante, genético, sócio, cultural, informático, internético, midiático, vá lá, e pimba! Acabou a mamata: você vai ter que se aceitar como é e está acabado!
Tantas voltas, né? Mas vou chegar lá ( não sei onde, mas vou!)
Andei percebendo que a maioria dos seres viventes desse Planeta, está formando uma rede de aproximação do " si mesmo", embora não tenha conotação pejorativa; nada de egoísmo.
Um conceito que andou rodopiando por vários e vários anos de que ser "sexy" é imitar o que a mídia nos faz engolir como estereótipo de beleza, está com seus dias contados.
A gente luta como desesperados para comprar aquela botinha da moda porque a "Fulana-de-Tal" fez estilo com ela; imita os penteados; compra a "biju" que a "Maria-das-Couves" catapultou no programa "Sei-Lá-Qual", usa o perfume "Cheirinho -de-Caro" que o "Cheio-de-Charme" disse que era bom, e assim, sucessivamente , no mundo consumista da "lindeza".
Caramba! Estamos agradando ao "Senhor ou Senhora Quem"?
Nós somos "sexies", meninas e meninos, com o que Papai do Céu nos deu!
Nós é que temos que ver o que é podemos acrescentar. Nós!...
Se não gostarmos do que somos, quem é que vai gostar????
Eu me curto p'ra valer na frente do espelho!
Tomo um banho bem gostoso e perfumado, lasco um batom realçante(ou gloss) , cuido dos meus cabelos com cremes hidratantes ou de tratamento, uso roupas que condigam com a ocasião, me armo com o meu sorriso mais bonito e vou , me sentindo a criatura mais "sexy" que esse Planeta já viu!
É assim, gente, que a vida funciona!
Ser sexy é estado de espírito.
Sou poderosa! E todo mundo é, quando quer.
Ninguém precisa diminuir ninguém.
Seja você: lindo ou linda! Isso não é ofensa!
Aquelas "caras - e-bocas" da mídia, não passam de conversinha fiada para se vender um produto X.
"Ah, a "Senhora Beldade" conseguiu conquistar o "Senhor Gostosura" que fez o filme "Que-Não - Lembro- O- Nome"?
E daí? Eu tenho ao meu lado o "Moço Maravilhoso" (ou a "Moça Maravilhosa", no caso dos homens) que me vê como sou e me aceita , me acha "tudo-de-bom" e é para ele ( ou ela) que eu devo enobrecer a minha sensualidade.
Sou metida. Eu me curto de montão!
Gosto do que vejo e me valorizo.
Não me acabo com tolices que a máquina- de -valores - deturpados me empurra.
Se eu quiser comprar um creme, vou comprá-lo, só que por mim!!!!
Aquela roupa valoriza o busto, dá um ar de "airbag" sutil? Tudo bem, posso adquiri-lo para eu me sentir melhor!
Quem vai pagar a conta do que eu fiz para chegar ao ponto do que sou? Eu!!!!
Não há um cultivo maniqueísta do EU acima de tudo.
Apenas uma valorização e gratidão pela sua existência, dizendo ao mundo, o quanto você é contente com o que tem, incluindo os atributos físicos.
Então, eu sou sexy porque eu me sinto assim. Acho gratificante!
E as pessoas acreditam nisso. Sabem que eu estou me permitindo...
Não deixo margem para dúvidas.
Ajo como se estivesse navegando num mar bem calmo das certezas e das delícias
Sinto-me "a mais sublime das criaturas"!
Vou em frente! Seguindo a multidão de outros belos e anônimos.
Todos uma cambada de formosos, sem serem soberbos com a beleza natural de sua sensualidade à toda pele.
Eu sou sexy...
... E quem quiser, que seja também!

P.S.: Não resisti e resolvi colocar um trecho da música Jeito Sexy, do Fat Family:


Oh Baby!
Dance, dance, dance
Vem mexendo assim
Não pare, pare, pare
Com seu jeitinho
Sexy, sexy, sexy
No meu ouvido
Fala, me fala
Me fala-me...





segunda-feira, 24 de novembro de 2008

É de lei pecar




Desligar do mundo, ficar deitada um pouco mais, dormir um pouco mais, adiar um pouco mais...
Soninho gostoso que surge num relaxar de quem já assumiu o seu pecado: a preguiça.
Não faço parte do time das pecadoras mórbidas, a típica apedrejada por cometer delitos graves, nem tampouco das que merecem levar uma surra de chicote com espora gaúcha.
No entanto, eu peco, peco, gente, PECO! Ah, não abro mão da preguiça! Cheguei a ficar revoltada quando descobri que era um dos pecados capitais!(agora vocês vêem uma coisa dessas!)
Há algum tempo assisti ao filme "Seven - Os sete crimes capitais", com Brad Pitt e Morgan Freeman. Considerei coisa de doido um sujeito lá matar seguindo a ordem dos pecados capitais, e eu não queria admitir que eu poderia ser morta por aquele indivíduo se ele existisse: "Não, não eu não tenho nenhum desses pecados! Imagine!"
Tá. Então Papai Noel existe mesmo! O Natal já está chegando e a imagem distorcida de milagre natalino começa a povoar as mentes de marketing! Oras, todo mundo comete seus "delitos íntimos e inconfessáveis" ! Não venham, porque não vão ter!
Adoro cumprir meus deveres, sou bem prática e responsável, curto ajudar quem precisa, não deixo ninguém na mão, sou trabalhadora,sim!
Essa preguiça pecaminosa surge quando não tenho nada para fazer. Não sou do tipo que inventa moda.
Caio no mundo da pachorra e lá fico, até o próximo dever a cumprir, até algo acontecer, me chamando como querendo quebrar o meu deleite de madorna :"Venha! Venha para o mundo da agitação, da atividade, do corre-corre!" No meu pensamento:"Logo agora? Bem que poderia ser mais tarde..."
Um que iria dançar legal nas mãos do vilão de "Seven" seria o anti-herói Macunaíma, personagem do livro de mesmo título de Mário de Andrade.
Qualquer atividade um pouquinho mais forçosa, dizia sem pestanejar: "Ai, que preguiça!" Inclusive é bom ressaltar que esse personagem é uma alegoria com o próprio povo brasileiro, que é conhecido internacionalmente como gente que não gosta de trabalhar.( Há controvérsias, mas Mário de Andrade era um homem de controvérsias, como o nosso povo, admitamos...)
Peco muitas vezes! Encosto no sofá, vejo tv e a molezinha chegando devagar, na "camufla", com telefone tocando:
"Deixa para lá! Não deve ser nada importante".
Apertam a campainha: "Algum chato querendo vender vaso de flores!"
Algum barulho esquisito na rua: "Ah, são aqueles vizinhos que adoram aparecer!..."
E a preguicite vai que vai! Estou falando a mais pura verdade: é o que me ocorre!
Essa moleza volta e meia me pega quando o dia demora a passar!
E há dias assim, nós sabemos, que a vida corre, mas nos esquece de contar que está em total disparada. Carlos Drummond , o maravilhosos poeta, um vez falou: " A vida é curta, mas os dias são longos..."
E parece que eu levei ao pé-da-letra essa sua afirmação!
Nessa história toda, vai uma desculpinha para mim ( todo defeito deve vir acompanhado de uma virtude!) .
Garanto que a minha preguiça não se compara à força de vontade de lutar por tudo o que quero.
Meu nome costuma ser esse: DETERMINAÇÃO.


Como um anexo, segue abaixo a lista dos sete pecados e suas características, conforme definira Gregório Magno, no século VI:



1- GULA - refere-se ao ato de comer compulsivamente, muito e à toda hora;



2 -AVAREZA - a ver com vontade de juntar dinheiro além do que precisa sem dividi-lo com ninguém;



3 - INVEJA - vontade de possuir o que o outro tem, não se esforçando para conseguir o seu objeto de desejo;



4 - IRA - é a junção de sentimentos de ódio, rancor, que demonstra ser incontrolável;



5 - ORGULHO - demonstração de falta de humildade, achando-se superior ao outro e auto-suficiente;



6 - LUXÚRIA - apego excessivo aos prazeres carnais;



7 - PREGUIÇA - vontade de se entregar ao ócio, aversão a esforço físico.


Como se vê, eu sou uma preguiçosa só quando posso ser, não o tempo todo...


QUE TODOS NÓS SAIBAMOS "PECAR " , DENTRO DOS LIMITES PERMITIDOS!!!!






quarta-feira, 19 de novembro de 2008

AGRADECIMENTOS PELOS SELOS RECEBIDOS

Estou tão feliz da vida por ter recebido dois lindos selos da minha amiga Sol, do Flores &Pérolas, que nem esperei mais um dia sequer para postá-los aqui!
Não consigo agradecê-la o suficiente pela amizade e carinho que revelou-se neste tão pouco tempo de amizade "diHITTiana".
Obrigada, querida, e mil beijos para você!!!!
E como você diz em seu blog:

"Eu sou a Sol!!!... Espírito imortal e único(...)



Ofereço-os aos meus queridos amigos :

Berenice
(http://ribeirobr.blogspot.com/)

Victor

(http://www.victorsgomez.com/)

Jorge

(http://www.pontoblogue.com)

Lindos, repasse-os também para outros blogs que considerem merecedores!

Ah, não esqueçam de dar o mérito ao blog que começou isso tudo, o Golfinho Alegre!(Link o endereço deste blog quando postarem os selos)

Blogs que agradeço:
(http://floreseperolas.blogspot.com)
(http://golfinhoalegre.blogspot.com/)

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Formatura, yeah!!!!




Tantos assuntos, tantas idéias , e o que me recorre? Um sonho. Deitada, ainda pensando na vida, vi-me nesta manhã sem pé-nem-cabeça.




Às vezes acontece isso, de você se achar meio sem lógica, um impasse, tipo "de onde se vem, pra onde se vai?" porque simplesmente você não tem em mente o que é o certo a se fazer.
Calma! Isso não é nenhuma crise existencial!


Confesso que passei por algumas (nada além do aceitável) durante o meu percurso de vida, e isso é louvável, pois eu sou um ser-humano.


O que me aconteceu hoje difere de outras dúvidas.


É o fato de um simples sonho ficar martelando , pedindo para existir.


Oras! Ele é um sonho; tem que saber o seu lugar. Ou agora eu começarei a delirar com montanhas em terras longínquas e as terei aos meus pés, com seus sorrisos verdejantes?


Mas esse sonho é daqueles com personalidade, insistentes em querer ser, e não querem nem saber...


Com essa, ele me jogou lá , na terra onírica, no meio de pessoas conhecidas...


E não eram montanhas verdejantes que nos cercavam!Paredes claras, cadeiras, quadro ( o único "verdejante" da história!) e uma professora que não consigo precisar a fisionomia.


Colegas meus para tudo quanto era lado, e eu lá, querendo falar, pois gosto muito da exposição verbal .


No final da que seria uma aula, eu viro para os meus colegas e os alerto, esses queridos companheiros de luta acadêmica:


"Pessoal, já pode ir buscar o DVD e as fotos! Está tudo pronto. Eu mesma já peguei!"


Essas criaturas tão amáveis limitam-se a sorrir e a continuar a sua caminhada para os seus lares. Alguns distantes, outros mais próximos, outros que nem sei...


Em vigília, após esse delírio que acredito ter sido de madrugada, sinto que há devaneios petulantes já que a razão nos informa a verdade e eles insistem.


O sorriso dos meus colegas parecia tão real!


Eles me entregaram uma fisionomia como quem nutre pena profunda.


"Gagá, esta moça! Mas ela ainda não tem idade para ficar trocando as bolas!..."


Na fase onírica, quando eu "vivenciava" a situação, eu não entendera o porquê do ar e sorriso lançados para mim de maneira real.


Acordada, olhando para as paredes igualmente claras, quais às da minha faculdade, é que eu os compreendi...


Sim, o que ocorrera havia sido o auge de qualquer delírio que eu tenha tido, porque até os "personagens" do meu sonho sabiam da loucura que se passava.




ONDE JÁ SE VIU ALGUÉM SE FORMAR ANTES DE TERMINAR UM CURSO?



Isso mesmo...


Se estavam todos ali, é porque ainda havia aula , e se havia aula...


Ah, estou com Gilberto Gil: "Melhor é deixar pra lá!"


Jogo a culpa para a realidade.


Mês passado, mais precisamente meados de outubro, fui buscar o DVD e as fotos. Tudo me impressionou muito. Alguma teoria freudiana para explicar sentimento de saudade?


Até bem pouco tempo estávamos todos ali, ALI, com frustrações, alegrias, "sumiços" de aulas (sexta-feira, principalmente, onde a mente se encontra em qualquer lugar que não seja instituição educacional!)Vendo as fotos , as imagens da formatura , onde sorríamos para tudo ou todos, não segurei essas reflexões do momento.


E o bendito sonho captou tudo isso, e fez um bolo com realidade, saudade, lembranças, festivas ou não.


"O Moço do Sonho"não veio com manual do proprietário, então tornou-se tarefa hercúlea entender "essa parada toda". Dessa história, eu tenho certeza apenas de algumas coisas:





*Sinto falta dos colegas.





*Sinto falta dos professores.





*Sinto falta da correria.





*Sinto falta de estudar para a prova às vesperas por não ter tido tempo.





*Sinto falta da minha "prisão"à noite : agora posso ver TV direto. (Que pena!)





*Sinto falta ( essa é demais; quem diria!) até dos meus estágios...




Alguém consegue compreender isso? "Estar preso por vontade?" Já acabou, eu já me formei, tudo isso é passado. Caramba! Será que eu quero me graduar e continuar me graduando???? O negócio é eu partir para a pós(ou mestrado), isso sim! É... Independentemente de qualquer argumento , só vem uma frase real dita por uma colega nos meus tempos de ensino médio, quando nos tornamos professoras do nível fundamental, o que ainda costumamos chamar de primário. Formada ou não, é gostoso gritar:





FORMATURA, YEAH!!!!










































segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Entre Letras e letras





Muitos escritores têm escrito sobre seus conflitos básicos, existenciais, e muitos deles falam da expressão através da escrita. Eu gosto de escrever, e para longe de mim se vá a pretensão de me equiparar aos grandes mestres - seria uma quase blasfêmia!- ao explicar motivações que me levam a querer também transpor para o papel meus sentimentos. Gostaria apenas de me entender! Quase como se fosse um tratado psíquico-sintomático do que me ocorre.O que me leva a querer escrever? Talvez eu consiga ser mais explícita através do poema abaixo. Quem sabe?...






Entre Letras e letras



Escrever é uma arte.
Uma arte vívida onde só os corajosos enfrentam o leão feroz da indigência.

Uma arte onde só os solitários suportam, porque é solitário não existir.
Onde a força é plena, e o descaso é animal, voraz.
Escrevo porque sou teimosa. Nasci assim. A minha natureza me chama.

Mas, verdade seja dita.

"Eu apenas existo quando escrevo". Doce Clarice Lispector já dissera isso.

Shakespeare , em Hamlet , já indagaria :"Ser ou não-ser".

Então, escrevo.

Opto em "ser", em "não-ser". Sou o que eu bem entendo!

"Dizem que sou louca/por pensar assim". Rita Lee, mutante como ela só,expôs solenemente a sua aversão pelo "normal".

Tento domar o que há de mais inenarrável em mim, o louco, O monstro inabitável, como um certo dia tentara conter Sérgio Sant'Anna. Será que conseguiu? Ou o leão faminto permanece com fome?

Então, escrevo.

Sou infinitamente eu quando fujo de mim.

Mil pessoas numa só, como faria uma única pessoa : Fernando Pessoa.

Gasto horas a fio na arte das letras ,pensando em como transformar A insustentável leveza do meu ser, em algo que se pode sustentar , exibindo para o mundo a minha rudeza, o meu peso. Milan Kundera que se faça "insuportável" para que possamos entendê-lo!

Então, escrevo.

Para falar dos outros, da verossimilhança das artes com o real e que quando nos damos conta, é a realidade que imita a arte!

Dos antigos gregos, com suas festas em homenagem ao deus Dionísio do vinho, do passado e as odisséias, do calor das Mil e uma noites, tudo é motivo para se relatar, transladar, estirar, viajar, domar...

Sou Loreley também. Teatralizo lascando a persona de palhaço, maquiando até a alma para fugir do que sou . Uma aprendizagem ou seria O livro dos prazeres, ou os dois? Oh, doce Clarice, faça-me suficiente para ser apenas o que o mundo quer que eu seja, e perdoe-me por recorrer à sua sapiência de quem foi , ou quis ser, apenas uma aprendiz!

Falo de amor, sim.

O homem feito de tórax viril, de penugem branda amenizando as suas poucas saliências do peito, os braços calorosos para me receber , e o beijo longo que suga todo o meu ser... ou não-ser.

É por isso que escrevo...

Onde mais eu poderia ter a audácia de dizer que sou feliz?

Onde mais eu poderia me redimir com a palavra, definindo delírios com a soberba dos maiorais?

Onde mais eu poderia ser pedante?

Onde mais eu poderia mergulhar no mar , me molhar, e dizer para ninguém mergulhar?

Olhar de soslaio para o mundo, dando aquele desprezo, por saber-me longe dali?

Ver as pessoas como elas são e aceitá-las ?

Ser o alvo e a solidão, e ter um coração em chamas para o bem-viver?

Sou assim.

A minha natureza me induz.Aquele instinto animal de sobrevivência, impulsiona o meu corpo para a caça infinita. E caço, e caço, e caço...

Porque a leoa que há em mim, é voraz :está sempre faminta e essa fome, é só de escrever!

Então, escrevo...













segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Remédio bom: tv

Sexta-feira,à noite, cansada, chovendo o suficiente para não
incentivar ninguém a sair de casa, ou pelo menos, muita gente.Que remédio? Assistir tv.
"A tv é um ópio!" , diriam alguns.
"Tv é como um amigo antigo: mesmo não vendo às vezes, é bom saber que está lá.", diriam outros.
"A minha tv só tem uma função: enfeitar a sala. É um móvel bem bonito...", restringiriam alguns outros.
Eu já prefiro definir de um jeito não-original, embora bem propício.
Faço alusão à obra Pesadelo ,de Arthur La Bern, quando o personagem central é internado:
"Estava ligada a panacéia do mundo, a tv." (a frase não era bem assim , mas é a idéia que cabe aqui).
Foi nesse livro que eu li, pela primeira vez, o termo "panacéia".
Corri para "O Pai dos Inteligentes". Significado:"Remédio para todos os males".
Tv , para mim, é panacéia.
Bom, gente, eu ainda não falei do que me propus de verdade.
No entanto, creio ter sido profícuo ( lembrei-me da minha professora
em língua inglesa(!) na faculdade; era ela quem muito usava esse termo) esse ensaio sobre tv, pois o assunto que quero expressar vem dela. Um dia, talvez, eu até escreva algo só sobre a importância dos meios de comunicação. Talvez...
Voltando à tal sexta-feira à noite, eu fiquei aguardando, sem muita boa vontade, o Globo Repórter (31/10/08), imaginando temática repetitiva ou corrida demais, que muito nos deixa com a sensação de que ficou faltando algo.
Não havia eu visto anunciar o tema do dia, então, a espera se fez necessária.
E digo que valeu a pena!
Como é bom assistir ser humano, gente de verdade, em algum lugar!...
Pessoas especiais, no sentido mais amplo que isso possa ter.
Falava sobre pessoas com alturas extremas ( altas ou baixas demais) e suas limitações diante do mundo.
Meu Deus, isso é para fazer qualquer um pensar mais um pouco!
Fico imaginando o sofrimento dessas pessoas, tendo que encarar uma sociedade preconceituosa, hipócrita, cheia de não me toque.
Chamou muito a minha atenção o menor casal do mundo.
Naturalmente que a altura mínima é digna de observação (ela, 0,92 cm; ele, 0,89 cm ), mas o meu enfoque todo vai para a alegria dessas pessoas, a fome de viver e o modo particular de enfrentar as situações difíceis dentro de um mundo que não feito para os "diferentes".(Vocês sabem, né?, o nosso mundo é muito "normal": joga-se crianças pela janela e mata-se ex-namoradas em seqüestros, que duram dias e dias...)
Muito interessante quando puseram uma câmera na testa de cada um deles para nos situar do quanto a locomoção e visão de mundo se faz dificultosa para esses pequenos gigantes. Adorei a parte da roleta do metrô, que parecia mais barra de academia, que roleta propriamente dito. É ótimo mostrarem isso para darmos valor ao que temos. Nunca mais reclamarei dos meus 1,59m!
Assim transcorreu a matéria, falando de outros pequeninos e do tratamento que é feito(caríssimo!) para ganhar-se alguns centímetros a mais.
O outro lado da moeda, a turma dos gigantes, me pareceu bem infeliz.Era para se sentirem poderosos, já que conseguem ver o mundo de cima, literalmente. Logo se vê, entretanto, o velho ditado:"Tamanho não é documento". Eles sofrem por vários motivos, e altura, quem poderia detectar isso?, é o principal dilema dessas pessoas.
Porque não se trata pura e simplesmente de altura disparatada. Trata-se de saúde, de aspecto financeiro, de adequação para dormir.
Uma pessoa alta demais tende a sofrer de atrofia;os ossos não conseguem sustentar um corpo tão esticado. Além disso, pessoas com gigantismo (termo que não aprecio, assim como o nanismo para os com baixa estatura) são "caras", isto é, todas as roupas, calçados, camas, banheiros e tudo mais é em tamanho maior, o que causa a urgência de mandar fazer sob medida, tudo bem singular, e singularidade custa caro.
Não tive como não me emocionar com o caso do homem mais alto do Brasil. Ele mede 2,30 m, tem 23 anos e ainda pode crescer mais. E o que é pior: seus órgãos vitais, assim como as extremidades, acompanham o mesmo ritmo de crescimento exacerbado.Ele terá que fazer uma operação no cérebro, onde o hormônio de crescimento se localiza.
Aliás, um outro homem bem alto (2,25 m) operara há uns dois anos e conseguiu se livrar do fantasma do gigantismo infindável. Agora trabalha numa biblioteca em meio-período e não se precisa usar escada com ele por perto.
Sua história é bem emocionante também. Ele fora abandonado pela mãe biológica, depois pela adotiva aos 12, e pediu encarecidamente para uma enfermeira o adotar. O mais lindo de tudo: ela aceitou o desafio. Moram juntos e aparentemente são pessoas bem felizes.
Há tantas histórias boas ... Como a da dona Maria Feliciano e seus filhos muito altos que não podem trabalhar, por motivos óbvios. Aliás, essa senhora é maravilhosa porque não fez drama com a altura (2,25m). Apesar de doente, diz que a altura a ajudou, pois pôde contribuir com os pais através da fama e dinheiro que conseguiu. Há a história da pequena professora Luzia, de 53 anos, cujos alunos acham que ela tem pouca idade por causa do tamanho . Achei engraçado quando uma aluninha de dois anos disse que a professorinha tinha a idade dela. Tão fofinha essa menina!... Ai, quantas vivências fantásticas!
Sexta-feira chuvosa, à noite, quando você não tem muita opção, pode te surpreender.
Que venham outras quais essa , onde a panacéia pode exercer a sua função maior: remediar todos os males, até aqueles que não sabíamos que existiam...
Lindos, mil beijos para vocês!

Exemplo de Gigantismo Exemplo de Nanismo





Agradecimentos pelas imagens: Gigantismo:http://maryvillano.blogspot.com/2007/06/as-mulheres-mais-altas-do-mundo.html; Nanismo:http://www.alunosonline.com.br/biologia/nanismo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...