PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

sábado, 11 de dezembro de 2010

Meu carinho por sofás!


Minha queridíssima amiga Samanta, do blog Vida Real da Sam, a quem eu coloquei espontaneamente a alcunha de 'Menina Sorriso' (alguém já viu essa moça sem um sorriso amigo para todos nós, gente?), mesmo não sendo sua intenção, fez-me um 'desafio' que resolvi 'topar'.
É que ela, de maneira brincalhona, disse que até um tema como 'sofá' seria bem escrito por mim.
Eu peguei a ideia e auto desafiei-me.
- Será - indaguei-me- que algum sofá, nesta estrada de minha vida, poderia render algum texto digno de leitura?
Bom, é o que eu descobrirei agora...
Minha lembrança mais tenra é de um sofá escangalhado...
Ele era era vinho e de braços azuis, cujas poltronas (duas) serviam para a farra de imaginações infantis...
No meu sofá de criança, não havia lugar para as insatisfações de um mundo, talvez, cruel...
Voava longe, brincava de menina-heroína, pois pulava, sem dó, de uma poltrona à outra, e ao próprio sofá, meio esgazeado, de tanto uso e aberrações de criança, achando que o pobrezinho aguentava tudo, quieto e totalmente mudo...
Adorava aquele 'bichinho'!
Quando o meu pai o transformou em cama improvisada ( pois é, a maré não estava boa pra nós naquela época ...), fiquei tão pra baixo!...
Ele era mais que um sofazinho de sala: era o meu amigo, irmão camarada!
Lembro que era de napa, com umas riscas fracas, brancas, na cor vinho meio desbotada!
E eu, sem o perdão infantil que não sabe que é maldoso deteriorar objetos, o destruía tirando uns tecidos no canto do braço, o que o deixava à mostra, com a espuma amarelada!...
'Tadinho... Deixando-o nu, não sabia eu que me desnudava junto!
Porque fazendo-o inútil e inconsertável, era caminho certo para o lixo, sem a onda que existe do 'recauchutamento' atual... ( Lembro que era 'moderno' comprar-se sofás novos ao invés de consertar os velhos!)
As suas duas poltronas, que faziam parte do jogo de móveis, serviram para me abrigar quando dei um "viva" ao mundo!
É, maré ruim quando nasci e assim ficou até meus 5 ou 6 anos...
Aqueles dois móveis gêmeos eram o meu 'berço', até quando meus progenitores puderam, finalmente, comprar-me uma cama decente!
E me perguntem se eu gostei assim da cama novinha?
Nada!
Era do sofá vinho, com braços azuis, e suas poltronas-abrigo-de-sono que me levavam ao júbilo das cantigas de ninar!
Só passei a ser fã de outros sofás (esquecendo-me parcialmente do primeiro) quando nos mudamos para a nova casa.
Parecendo sina, lá veio um outro vinho, para inaugurar moradia atual!
Esse não veio com poltronas, porém, continha um 'camarada' de dois lugares, que ficava de lado para assistirmos TV.
Era ali que vislumbrava Programa Raul Gil e seus calouros fabulosos.
Escolinha do Professor Raimundo, os folhetins das 6 e das 8, desenhos animados ( mesmo adulta continuei assistindo-os!), e os delírios em formato de filmes tanto os românticos, comédias e os impensáveis trailers inteligentes!
Era costume tirar uma soneca test-drive para o sono oficial!
Esse vício me persegue até hoje!
Sono gostoso é o que a TV fornece!
Vou cambaleando feito autômata para o banheiro, escovo os dentes e caio entorpecida pelo barulhinho de TV ligada que o sofá me forneceu!!!!
Depois disso, vieram tantos sofás!...
Nem um com permissão emocional para mencioná-lo aqui!
Se eu me esmerar muito, talvez eu ache que o último - e moderno - possa merecer alguma nota de engrandecimento.
É que ele - me dá até pena!- foi enxovalhado pelos meus queridos felinos.
Quando crianças, os 'bigodudos sapecas', o usaram para amolarem as unhas!
Na cabecinha infantil e irracional dos 'miaus', sofás têm essa função: estiramento de coluna e colocação de unhas 'em dia'!
Já está na segunda capa o sofá da sala, ele que era, originalmente azul, com flores enfeitando-o!...
Por conta do 'fanatismo' dos gatos em querer deixar as unhas 'bonitas', o infeliz sofá receberá uma nova cor: marrom, causada pela capa que receberá!
Só pra contrariar, os felinos sapecas vão fazer 1 ano, descobriram que existem árvores no quintal e não praticam atos de 'amolação' de unhas em madeiras indevidas: moram no terraço e olham "tô nem aí" para a 'vítima' em formato de móvel de sala...
Sofá, para mim, é sempre o móvel que permite o descanso, o devaneio...
É nele que geralmente me traz infância, lembrança, sentimento ingênuo...
Foi quase sempre em um sofá que tive boas ideias, que assisti algo de louvável e me lançou um esclarecimento qualquer!
Sofá me permite um trocadilho em inglês dos inenarráveis Dire Straits: "So far away from me".
Sofá, minha memória, meu jeito de me pensar como pessoa.
Sofá, um intervalo de pensamentos, ainda que ele possa persistir por dias...
Adoro sofás!
Meu sono/sonho não seria tão afável se eles não existissem...

(Imagem:
www.portaldacasa.com

Edição de imagem:
http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com )

14 comentários:

Jorge Purgly disse...

Lindo, sofás descritos de maneira poética.
Parabéns!
Um abraço,
Jorge Purgly

vidarealdasam disse...

Olááá minha Musa da Escrita !!!

Agora eu tenho certeza absoluta que minha opinião sobre você estava mais do que certa, aliás, acho que cheguei perto, mas você me surpreendeu mais uma vez !!!
Que texto lindo !!! Cheio de poesia, tão delicioso de ler, quase me levando a ver como um filme as suas peripécias e aventuras e também as dos gatinhos !
Acabei depois de ler também refletindo sobre os meus sofás da Vida, ahhh que boas lembranças e sensações, até hoje, muitos bons momentos de diversão, aconchego, ainda vivo neles....
Maravilhoso Mary, emocionante, suave, doce!
Amei muito !!
Danadinha, vou pensar aqui em mais um tema doido só pra poder ler mais uma beleza destas hehehe
Que bom que gostou !!
Um super beijo da sua fã !!:)

Maria Marçal disse...

Está aí...saiu um belo texto sobre SOFÁS!!

Agora eu reforço com todas as letras que sofá tem essa função universal: nos fazer cochilar ao olharmos televisão deitada nessa preciosidade.
rsrs
beijos, amiga
Adorei.
Maria Marçal - Porto Alegre - RS

CLAUDIA disse...

Olá querida Mary!
Quem tem talento,tem amiga!
Você como o sofá que lhe fazia e continua fazendo ninar,é uma garota muito fácil de amar.
Minha linda Mary,nossa!
Quantos sofás a princesa ainda irá sentar,sorrir,dormir e Amar!
Amar? sim!
Pois essa menina é a coisinha mais linda,que Deus colocou no caminho dos que estão dispostos a lhe amar.
Amiga levo o seu sofá junto com você,os gatinhos(eu adoro),para sempre em meu coração!
Maravilhoso,divino,mas só os anjos consegue ditar!
Boijos imensos em seu coração!
Sou sua fã!!!!

Mary Miranda disse...

Oi, Jorge!

Legal que tenha gostado!
Volte sempre, ok?

Um abraço,
Mary :)

Mary Miranda disse...

Ah, Menina Sorriso!

Seu 'desafio' me fez ativar uma criatividade quase impossível! rsrs
Sinceramente não tinha a mínima ideia se seria capaz de achar algo louvável em sofás...
E o pior: um 'desafio' que pertencia só a mim, pois você não tinha me forçado a nada! rsrs
Tomara que você não invente 'moda' e coloque tema difícil demais!
Será que aguento o próximo 'tranco'? rsrs
Obrigada, querida, pelo 'desafio' sem intenção e por ter gostado do post, algo que senti através do comentário passível de louvor por mim!

Um beijo da fã recíproca sua!

Mary :)

Mary Miranda disse...

Isso mesmo, Maria!

É quase uma função nobre, divina, dos sofás: dormirmos à toda assistindo TV! rsrs
Quem é que consegue ver televisão e não dormir, como diria o Skank? rs
Obrigada por estar aqui, querida!

Um grande beijo da Mary pra ti:)

Mary Miranda disse...

Oh, minha amiga do mais puro Cacau!

Eu simplesmente não imaginava que renderia algo de útil em sofás!
Apelando para a memória afetiva, não é que veio alguma coisa? rsrs
Os sofás trazem o sonho, tanto físico, como o espiritual; eles ninam as nossas ideias mais escondidas, não é mesmo?
Querida, obrigada pelas felicitações de alegria e plenitude com os meus sofás!
Meus gatinhos agradecem a existência deles! rsrs
Obrigada pela amizade e o carinho de sempre, minha amiga!
Te adoro, você sabe!

Beijos da Mary pra você! :)

Principe Encantado disse...

Eles fazem parte de do nosso dia a dia, são companheiros, acolhedores, e realmente depois que acostumamos, quase que insubstituivel.
Abraços forte

Valéria Braz disse...

Mary o texto é poesia pura..... texto delicioso sobre sofás... e claro acabei por resgatar as peripécias infantis dos meus sofás da infância.... e sem ir muito longe, como também tenho um rico felino em casa, o riso foi inevitável... pois o sofá é alvo de suas unhas.....heheheheheh
Beijo no coração

Mary Miranda disse...

Olá, Príncipe!

Verdade, amigo!
Os sofás parecem aqueles amigos fiéis, que estão sempre ali, nos esperando quietos...
Adoro esses móveis de sala!

Um abração da Mary pra você! :)

Mary Miranda disse...

Valéria, minha querida amiga!

Sofás rendendo tantas lembranças para as pessoas que leram meu texto, sinceramente, não esperava! rsrs
Eles ficam lá parados, na sala, tão receptivos, que parecem amigos nossos, de longa data...
Também fiquei rindo, enquanto escrevia, sobre os felinos e suas amoladas de unhas em sofá! rsrs
Eles não são fáceis...

Beijos, amiga!
Estou muiiiiiiiiiiito feliz por você ter vindo aqui!

Mary:)

Jackie Freitas disse...

Olá minha amiga e escritora querida!
Puxa...você é danada mesmo, hein? rsrs...pegou um simples tema e o transformou nesse belo e reflexivo post!
Sensacional!
Eu também tenho algumas recordações com um velho sofá de infância...e acho que se ele envelheceu foi de tantas lágrimas que derrubei nele... sentava, normalmente, para chorar e planejar uma nova vida... Ele era verde claro e no canto que eu sempre sentava, já tinha o molde do meu corpo. Hoje uso o meu aqui para celebrar! Um contraponto daquele que tanto me fez refletir e chorar, o atual só me convida para rir e celebrar a vida que nunca consegui planejar, mas que deu certo assim mesmo!
Grande beijo, minha linda e notável, admirável e querida amiga escritora!
Jackie

Mary Miranda disse...

Oi, minha amiga e querida Jackie!


Como já falei em outros comentários, não imaginava que os sofás tivessem essa força toda na vivência ou imaginário de outras pessoas além de mim...
Achei espetacular o seu comentário ao enfocar que sofá simboliza agora celebração em sua vida e não as lágrimas do passado!
Interessante que um simples móvel, parado, e como não dizer, jogado, pode representar tanto coisa pra nós!?
Querida Jackie, ler que sou todos aqueles adjetivos como escritora e amiga, vindo de você, que é simplesmente fantástica na arte da escrita e um ser humano que admiro demais, é uma honra, um delírio tal, que até páro por aqui...
Obrigadaaaaaaaaaaa!!!!

Beijos da Mary pra você! :)