PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Análise de "Pais e Filhos", com Legião Urbana



Escolhi para análise de letra, Pais e Filhos, com Legião Urbana.
Lançada no álbum As Quatro Estações, de 1989, composta por Dado Villa Lobos e Renato Russo, a canção é uma das mais conhecidas e clássicas da banda, que é lembrada até hoje com carinho por todos que apreciam uma grande letra.
Do que se trata Pais e Filhos? A tônica é o suicídio de uma garota, o que causa um questionamento do porquê isso teria acontecido. Sabe-se, pelo decorrer da música, que se relaciona a um convívio conflituoso com os pais.
Ser filho não é fácil; ser pai ou mãe, mais difícil ainda...
Vamos acompanhar os versos e sentir essa dor pai e filho mais de perto. Pelo menos, acredito eu que seja isso o que a letra quer dizer!

"Estátuas e cofres
E paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu..."

Estátuas são coisas paradas; cofres guardam segredos; paredes pintadas escondem sujeiras anteriores. Realmente não dá para saber o que aconteceu diante das não-provas no local do suicídio. Dá uma ideia também de que ninguém queria se envolver, virando estátuas para nada dizerem, nada revelarem...

"Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada é fácil de entender..."

Por mais triste seja uma vida, nunca compreendemos o que leva alguém a se matar...

"Dorme agora
É só o vento lá fora"

Acredito que esses versos queiram dizer o que os pais geralmente falam para os filhos quando se assustam com algum barulho. Pode ser também uma família que morava no primeiro ou segundo andar no prédio da moça, que disfarçava o som do impacto do corpo indo ao chão, dizendo: "É só o vento"...

"Quero colo!
Vou fugir de casa
Posso dormir aqui com vocês?
Estou com medo, 
Tive um pesadelo
Só vou voltar depois das três"

A notícia de uma garota suicida gira pela vizinhança, e todo mundo se volta para o seu próprio passado, de quando era criança e adolescente, no jogo do contrário que são essas fases: "Quero colo" na infância é o oposto de "Vou fugir de casa", assim como é "Posso dormir aqui com vocês?" é de "Só vou voltar depois das três". Numa hora os pais são de suma importância; em outra hora, são totalmente dispensáveis!...

"Meu filho vai ter nome de santo
Quero o nome mais bonito"

Num passado mais recente, as pessoas começam a recordar quando souberam que iriam ser pai ou mãe, a preocupação começando já com a escolha do nome, já que os pais sempre querem o melhor para os seus filhos.

"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã
E se você parar pra pensar 
Na verdade não há"

Aqui ocorre uma espécie de pensamento coletivo, como se, no fundo, soubéssemos que devemos amar agora, não amanhã, porque o tempo é uma convenção do homem. Se você esperar para amar os pais ou os filhos numa situação futura, pode não ser possível mais, como no caso da menina que se suicidou, que os pais não puderam lhe dizer, o quanto ela era importante em suas vidas.

"Me diz, por que que o céu é azul?
Explica a grande fúria do mundo?"

Essas perguntas fazem pais e filhos terem algo em comum para conversarem. Por não terem respostas prontas, não importa quem seja - pai ou filho -, essas são grandes questões da humanidade.


"São meus filhos que tomam conta de mim
Eu moro com a minha mãe mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua, não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar
Já morei em tanta casa que nem me lembro mais
Eu moro com os meus pais"

Esses versos soam como respostas a uma pesquisa realizada com pessoas nas redondezas onde a garota suicida residia, por um repórter, policial  ou alguém interessado no assunto, a fim de apurar o que levou a menina a um desespero tal, de tirar a própria vida.
Repare que cada verso sempre destaca a primeira pessoa, ou seja, o objetivo é ouvir a opinião de cada um, saber a vivência de cada "entrevistado", vamos dizer assim. Muitos casos são solucionados quando se ouve observações de vizinhos, de pessoas que conheciam a vítima.

"É preciso amar as pessoas..." (repete o primeiro refrão)
"Sou uma gota d'água
Sou um grão de areia
Você me diz que seus pais não te entendem
Mas você não entende seus pais"

Existe uma comoção geral entre as pessoas que souberam da morte precoce da menina. Cada uma delas começa a ser guiada pela consciência. É ela que revela que se os pais falham muitas vezes, os filhos também falham, não se colocando no lugar deles. Nesse momento cada pessoa se sente mesquinha, pequena, como uma "gota d'água" ou um "grão de areia".

"Você culpa seus pais por tudo, isso é um absurdo
São crianças como você
O que você vai ser
Quando você  crescer"

A consciência continua alertando do mal que os filhos praticam quando culpam os pais por todos os problemas existentes do mundo.
Temos conhecimento que quem é filho hoje, pode ser pai amanhã, e quando envelhecemos, voltamos a ser crianças, dependendo dos filhos para nos proteger exatamente como fazíamos, num ciclo imutável em nossas vidas.
Sendo jovem ou idoso, para sempre iremos querer correr para o aconchego do abraço do pai e o conforto de um bom colo de mãe!...


Esse é o meu entendimento da letra desta magnífica música do Legião Urbana.
Abaixo, a canção em vídeo, acompanhada por lyrics na íntegra.

Pais e Filhos - Legião Urbana 

(Dado Villa Lobos - Renato Russo)

Estátuas e cofres e paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu
Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada é fácil de entender
Dorme agora
É só o vento lá fora

Quero colo! Vou fugir de casa
Posso dormir aqui com vocês?
Estou com medo, tive um pesadelo
Só vou voltar depois das três

Meu filho vai ter nome de santo
Quero o nome mais bonito
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há

Me diz, por que que o céu é azul?
Explica a grande fúria do mundo
São meus filhos
Que tomam conta de mim
Eu moro com a minha mãe
Mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua, não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar

Já morei em tanta casa
Que nem me lembro mais
Eu moro com os meus pais
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há

Sou uma gota d'água
Sou um grão de areia
Você me diz que seus pais não te entendem
Mas você não entende seus pais
Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser
Quando você crescer



 

(Imagem:
Fonte desconhecida )

Nenhum comentário: