Rádio Mary Difatto

Rádio Mary Difatto
Clique na imagem para ouvir!

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Sou a favor do politicamente correto!



Mudamos de conceitos. Aquela "metamorfose ambulante" convidativa, que nos impulsiona  a deixar de lado os paradigmas pré impostos, são perfeitos já que preferimos trazer novos olhares, "do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo".¹
Eu tinha uma ideia diferente da definição - politicamente correto -; achava-a castradora e ultrapassada.
De uns tempos para cá, raciocinei sob outros prismas, e vi que faz sentido sermos politicamente corretos em muitos casos, sobretudo quando se trata de preconceito de qualquer ordem.
Assista ao vídeo e diga se você concorda ou não com a minha ótica sobre o assunto.

Vídeo: Sou a favor do politicamente correto!




¹ Passagem da música Metamorfose Ambulante, de Raul Seixas.

(Imagem:
Fonte desconhecida
Edição de imagem:
https://www.facebook.com/MaryDifattoOficial)

domingo, 8 de maio de 2016

Análise de "Nem Luxo, Nem Lixo", com Rita Lee



A música escolhida para análise é Nem Luxo, Nem Lixo, cantada por Rita Lee, de composição dela e Roberto de Carvalho. Do ano de 1980, do álbum Rita Lee, é uma das mais conhecidas da cantora e compositora.
A obra parece falar da dualidade humana, do jogo de contradições, que é o nosso objetivo de vida.
Uma hora queremos uma coisa; em outra hora, outra coisa. Rita Lee, como uma das maiores letristas da música popular brasileira, trabalha com as palavras como ninguém.
Comecemos já pelo título: Nem Luxo, Nem Lixo. "Luxo" algo glamouroso, chique; "lixo", algo desprezível, brega. Troca-se uma letra, de "u" para "i" e temos um oposto tão conhecido em nossa língua!
Desbravando os versos, vemos:
"Como vai você/ Assim como eu/ Uma pessoa comum/ Um filho de Deus/ Nessa canoa furada/ Remando contra a maré/ Não acredito em nada/ Até duvido da fé". Rita, nesses versos, mostra com nitidez o jogo que lhe é tão particular: fazer o oposto. "Nessa canoa furada/ Remando contra a maré", nos dá o entendimento de que a pessoa está nesta enrascada, mas que acredita que vai se safar, praticamente querendo o improvável. Demonstra ser uma pessoa de fé, que acredita no Deus do impossível, embora haja uma contradição nos versos que seguem. Analisemos: "uma pessoa comum , e "um filho de Deus", mas que "não acredita em nada", que "até duvida da fé", como pode imaginar que vai conseguir sobreviver as intempéries da vida? Que coisa mais oposta a pessoa acreditar que é "filho de Deus", e "não ter fé" ao mesmo tempo que rema com vigor contra os problemas, crendo que tudo melhorará...
Uma curiosidade é que Rita, nos últimos tempos, não sei a pedido dos fãs ou igreja - ou simplesmente uma mudança de ideia dela própria - não canta mais "Até duvido da fé", e sim, "Só não duvido da fé". Realmente a letra original era um tanto pessimista...
No refrão:
"Não quero luxo/ Nem lixo/ Meu sonho é ser imortal, meu amor/ Não quero luxo/Nem lixo/ Quero saúde pra gozar no final". Aqui esbarramos com o "luxo" e "lixo". Interessante que a personagem parece não ligar muito para a vida que leva, mas tem certo apego à ela, já que sonha em ser imortal. Só que na contradição típica do ser humano, ressalta que "quero saúde" para "gozar no final" da vida. Se a pessoa sabe que vai morrer um dia, por que então vai sonhar com imortalidade quando estiver na trajetória derradeira de sua estada terrestre? É que até mesmo as pessoas ditas "comuns" como sugere a letra, têm sonhos megalômanos, como o já citado o de ser "imortal", como que, no fundo, não quisesse ser "mais um" andando na multidão.
A personagem não se satisfaz com as condições que a vida lhe impõe, mas não reclama. Querer mudar o rumo de sua própria história é normal.
E não querer "luxo" e "lixo" é da natureza humana, é da busca incessante de se auto afirmar.
Se analisarmos com maior profundidade, "luxo" não é tão diferente de "lixo" assim. O que é "luxo" de hoje, será o "lixo" de amanhã, assim como o "lixo" de hoje é o "luxo" futuro, através da condição chamada reciclagem.
Buscas de afirmação sempre esbarram com contradições. Se em uma hora se é forte, em outra, o vigor se esvai.
Deve-se viver desse ou daquele modo, entre sonhos e incertezas. O negócio é prosseguir,  não se deixar levar e "remar contra a maré", ainda que "a canoa" esteja "furada"...

Vídeo de Nem Luxo, Nem Lixo - Rita Lee




(Imagem:
Fonte desconhecida
Edição de imagem:
https://www.facebook.com/MaryDifattoOficial)

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Mary Difatto na Escadaria Selarón



No dia 9 de abril  de 2016, Henrique e eu estivemos na famosa Escadaria Selarón mais uma vez.
Fica aqui no Rio, mais precisamente na Lapa, e é reverenciada no mundo todo.
Jorge Selarón foi um artista plástico chileno, que veio morar no Brasil, resolvendo montar um estúdio e enfeitar todos os lances de escada que dão acesso ao bairro de Santa Teresa pela rua Joaquim Silva.
Infelizmente Selarón nos deixou no dia 10 de janeiro de 2013, vítima de um suposto assassinato.
Seu legado, porém, é eterno. A Escadaria já faz parte do tombamento histórico brasileiro.
É arte. É vida!
O vídeo que fiz lá é uma pequena homenagem a essa maravilha de ponto turístico que acabou se tornando com o decorrer dos anos.
Espero, sinceramente, poder fazer uma tomada melhor do espaço, trazendo para cá logo quando possível.
Sem muita extensão, fique aí com um pouco da pomposa Escadaria Selarón!






(Imagem:
Fonte desconhecida)

terça-feira, 12 de abril de 2016

Mary Difatto na Rádio Globo - Apresentação de Jorge Luiz


Foi no dia 23 de fevereiro, deste ano de 2016, que tive uma grande alegria: ser entrevistada pelo magnífico comunicador Jorge Luiz na Rádio Globo.
Ele, juntamente com sua equipe - Flávio Delgado e Wendell - nos recebeu muito bem, mostrando o profissional irretocável e o ser humano extremamente generoso que é.
O programa ocorre nas madrugadas de segunda a sábado, a partir da meia-noite. O nome não poderia ser outro: Madrugada e Cia.
Jorge Luiz é considerado o dono de uma das vozes mais bonitas do rádio brasileiro. E é muito culto, sabendo desenvolver conversa sobre qualquer assunto.
Adorei estar lá!
Abaixo, o vídeo que sintetizou bem a entrevista.
Meus agradecimentos ao Jorge e à equipe,  à Rádio Globo e também à gravadora Som Master.
Aquele abraço!



(Imagem:
https://www.facebook.com/MaryDifattoOficial)