PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

sábado, 16 de abril de 2011

Todo mundo é... fofoqueiro!

Vamos que vamos em mais uma temática da série Todo mundo é..., que causa sempre um burburinho; alguns concordam, outros não...
Mas essa série é para trazer à tona certas 'obscuridades' travadas dentro do ser, impedindo o assumir do que se é na verdade...
Toda vez que falamos de fofoca, o congestionamento mental arrefece o significado, trazendo a ideia de desajuste social, causando tremores familiares, invenções infundadas, disse-me-disse carregado de mal-entendidos, e todos aqueles 'trâmites' de desfavorecimento:
-Xi, menina, é mesmo???? Não esperava isso deles...
Primeiramente, é bom se entender o que é fofoca.
Toda vez que expomos algo sobre alguém que não esteja presente, sendo verdade ou não, é conotado como fofoca.
A associação da mulher a essa prática milenar, mostra-se injusta pois a realidade diz que, se compararmos os gêneros, os homens são os mais fofoqueiros!
Calma, calma, não haverá aqui a guerra dos sexos!
O clube masculino tem por hábito vasculhar a vida alheia de maneira diferente do feminino, apenas isso, e jamais admite que o que ele diz é boato!
Enfoques adversos:
Enquanto mulheres adoram falar sobre outras mulheres, homens adoram falar de... mulheres!
Muito escutamos de bocas varonis:
- 'Peguei' fulana!
Uma forma de auto-afirmação, que talvez não corresponda à realidade; jamais vão admitir que falaram de alguém não presente, ou seja, fofocaram...
As mulheres, por terem fama de faladeiras, admitem que quando repararam na roupa da colega de trabalho, foi um ato de 'falar por trás'...
Cultura que vai passando de pai para filho, a mística não cai!
Até eu já fiz uso da frase:
- Cruzes! Fofoca já é feio pra mulher, o que dirá pra homem...
Muita gente pensa que fofocar é apenas coisa de 'quem não tem o que fazer'.
Ledo engano!
Se num ato comunicativo, mesmo estando em ambiente de trabalho, suando a camisa, com o cansaço característico do trabalhador explorado, alguém se referir a terceiros, haverá a ocorrência do chamado 'à boca pequena'.
Pode não ser calúnia, mas é algo escondido...
Embora os números digam que muitos por cento traduzem em maledicências, não podemos generalizá-las.
Há fofocas saudáveis, como quando alguém relata a felicidade do vizinho que conseguiu passar no Vestibular, se alguém voltou do hospital são e salvo, tendo isso se 'espalhado' de forma rápida, quando toma força o relato de uma pessoa que ajudou outra num acidente...
Há aquelas fofocas duvidosas, que não sabemos se são para o bem ou para o mal.
Você sabe que seu melhor amigo está sendo traído.
Contar ou não para ele? Algo a se refletir...
A indústria da vida alheia (teve até um seriado com esse nome) é basicamente a que sustenta o mercado jornalístico!
Perscrutação sobre celebridades ou algo semelhante a isso, vende horrores e parece uma fonte inesgotável de dinheiro para os donos dessas indústrias!
Cientes disso, há alguns artistas que plantam notícias inverossímeis (e combinadas) para o fim a se alcançar.
Namoros longos não vendem revistas, por isso é comum o ator X 'terminar' com a modelo Y e ir direto para a atriz Z, para anos mais tarde vir a público que ele nunca largou da Y!
Todo mundo é fofoqueiro porque todo mundo em algum momento já comentou algo 'por trás'.
Os mais moralistas vão gritar de imediato:
- Mas eu nunca estraguei a vida de ninguém!
Sim, já sabemos que há as 'fofocas do bem'...
Posso garantir que nunca me fiz valer de 'noticiário informal' (essa explicação ficou engraçada...) para atrapalhar nenhuma pessoa, só que já me peguei sabendo de fatos antes dos outros, o que não livra a minha cara!
'Passar adiante' uma informação ocorre quase que sem querer, numa rede de conversa que temos que ficar atentos!
Conversou alguns minutos com alguém, já era!
Escapole o que talvez não fosse devido dizer...
Antes de nos acusarmos de maledicentes, apenas nos indaguemos sobre a intenção!
Nem sempre fofocamos por gosto!...
Entretanto, se houver inveja ou ódio pelo alvo do bochicho, não tem desculpa:
A fofoca, nesse caso, é aquele bichinho ruim e voraz, primo-irmão do outro chamado mentira...


(Imagem:
http://jornalpequeno.com.br)

24 comentários:

Valéria Braz disse...

Oi minha querida amiga... que tema heim?! KKKKKKKKK
Olha, se vou ser crucificada ou não vou te dizer o que acho... o ser humano é fofoqueiro por natureza... a sua necessidade de saber da vida dos outros é quase compulsiva....por favor não me odeiem por isto, afinal como diz a Mary em seu texto, há a fofoca do bem.
Quer um exemplo de fofoca do bem? Sabe quando você encontra alguém da sua familia que não via a anos, e senta pra tomar um cafezinho?
Diz pra mim, o que rola ali???? Pura fofoca, você fala da vida pregressa, sob a ótica da sua interpretação, de todos que sua memória conseguir trazer a tona....heheheheheh.... mas esta é a fofoca boa, aquela que tem apenas a intenção de "informar" e no fim cada um segue seu caminho e o texto formado permanece só com você e seu companheiro de fofoca!
Aha!... então qual seria a fofoca ruim?! A fofoca ruim é aquela que tem a intenção de denegrir, de maldizer ou de fazer alguém se sentir o pior dos seres caso tenha cometido algum erro, que diga-se de passagem, ninguém está isento. Mas o principal detalhe dela é a total falta de conhecimento sobre os acontecimentos, ou a pior, a que "fala ao mundo" uma inverdade....
Por isso minha linda.... reproduzindo sua palavras (tive que fazer esta frase para não colocar aspas...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk)
Antes de nos acusarmos de maledicentes, apenas nos indaguemos sobre a intenção!... inclusive a de quem faz a fofoca!
Muittttttooooooooooooooo mil! Como sempre!
beijo no coração

Mary Miranda disse...

Valéria, minha flor!

Fiquei na dúvida se postava ou não esse texto (a série 'Todo mundo é...' costuma fazer 'barulho'! rsrsrs), mas resolvi trazer as várias faces da fofoca porque, assim, ninguém vai poder me acusar de parcial...
Fofoca é fogo!!!!
Basta um momento de informalidade, para botarmos uns assuntinhos alheios em voga... kkkkkkkkkkkk
Que lembrança boa a sua, de quando encontramos amigos antigos!
Alguém vai falar de plano governamental, tsunamis ou como anda a violência urbana?
Só vai dar:
-Olha, a Sandrinha casou com o Paulo, sabia não?
Ou então:
-O Cláudio agora está morando na Paraíba, se mudou faz tempo...
Tudo fofoca! rsrsrs
O bom que geralmente elas começam e terminam ali mesmo...
A única maneira de evitar totalmente a fofoquinha, é não conversar, na minha opinião.
E já que ela existe, que vertamos o enfoque para o bem, né?
Mas as mulheres admitem que soltam uma coisinha ou outra sobre a vida alheia; o problema são os homens...
Eles acham que falar para os amigos que 'pegaram' essa ou aquela não é fofoca! Agora você vê? Os homens são muito engraçados... rsrsrs

Beijos, minha amiga!

Adorei seu comentário!!!!

Mary:)

Maria Marçal disse...

Como diz a Valéria Braz é um tema polêmico...

Nessa análise dá para sentir o quanto "fofocas" tem campo de visão, não é mesmo? rsrs

No entanto quer me parecer que as fofocas vindas dos homens não tem pimenta no prato principal, o que diferencia das mulheres...

beijos, adorei.

Maria Marçal - Porto Alegre - RS

Mary Miranda disse...

Oi, Maria!

Até para fofocas, nós, mulheres, somos mais criativas... rsrs
Os homens se resumem à 'pegação' ou então quem é corno, coisas desse tipo...
E o pior: eles não acham que isso seja fofoca!!!!

Obrigada por ter vindo!

Mary:)

Valdeir Almeida disse...

Mary,

De fato, o tema é polêmico. Mas é também uma questão de terminologia. Eu não consigo enxergar a fofoca de modo positivo; é o mesmo que dizer que sentimos inveja branca de alguém (seria melhor dizer que admiramos).

A fofoca é o prenúncio do boato. Portanto, quem é vítima da fofoca pode estar correndo o risco de ter a vida defenestada.

Concordo plenamente sobre a sua explanação sobre o "gênero da fofoca". Os homens são fiéis apenas quando as vítimas pertencem ao próprio gênero; ainda assim, há gordas exceções, como quando o camarada compra o carro que o amigo sempre sonhou comprar.

Beijão, Mary, e ótimo domingo.

Vera Alvarenga ... disse...

Oi Mary!
Gostei do post, muito, embora não goste de fofoca,porque inclusive me faz lembrar de uma que prejudicou tanto uma vizinha que tive, que se mudou de cidade e depois, fiquei sabendo por "outra" ,que ela se suicidou. Foi o tipo exemplar ( para não ser seguido, claro) de fofoca que faz mal, porque fala mal, porque trata de comentar sobre escolhas sexuais, ou possíveis traições com a maldade de quem não sabe das coisas e é irresponsável com as palavras.
Acho terrível( e não tenho o hábito) ficar falando da vida das pessoas principalmente com a "intenção" de julgar ou "botar lenha na fogueira". é como você diz, vale a gente se perguntar qual a motivação, e que benefícios aquilo vai trazer.
No mais, contar sobre (notícias) e ouvír( como eu mesma ouvi sobre a antiga vizinha) não dá para evitar. Mais uma vez, importa o que nos motivará a fazer comentários a seguir, e de que tipo serão. rs......
O que postou é verdadeiro e é bom para pensarmos em não ficar em nenhum extremo( nem santos, nem demônios).
Agora, vou lhe dizer...homem é fofoqueiro sim.
Beijos
Vera.

requeri disse...

quero poetizar a fofoca, ou melhor, quero 'dramartugear/romancear/novelar' a fofoca ... que atire a primeira pedra quem não gosta de novela.
a tal é tão afortunada que tem reprise, daquelas de outros tempos, todos os dias da semana, nos horários mais variados e estapafúrdios, ou seja, é pra ninguém deixar de assistir - vale tudo, por exemplo, novela da década de 1980.
a novela é o mais verdadeiro e notável exemplo de fofoca 'a céu aberto', ou seja, a platéia é enorme e diversificada.

aaaah!!! dedico este comentário a todos e todas que atiraram a primeira pedra.

é isso.

Mary Miranda disse...

Oi, Valdeir!

Tentei não me prender a aspectos particulares, levando o tema para âmbitos diversos porque, como todo mundo percebeu, é polêmico e causa adversidades em alguns parâmetros.
Quando fala-se de fofoca, não se imagina nada de agradável; o termo tomou uma conotação pejorativa...
Mas adorei a visão da Valéria, da fofoca natural, aquela que você fala de terceiros, sem maltratar suas vidas pessoais (tipo: quem casou, quem viajou, etc.)
É comum comentarmos coisas de quem está ausente, e isso não persiste obrigatoriamente em maledicência; quantas vezes já não falamos do colega que está mais arrumado, mais cheiroso, que parece estar de amor novo?
Na minha opinião, é fofoca, e nem por isso soa como maldade!
Você está corretíssimo ao argumentar que no geral coisas que se falam 'por trás', não correspondem a algo prazeroso ao alvo do mexerico.
Existem pessoas que parecem 'especializadas' em destruir a vida alheia!
Os gêneros realmente têm dois pesos e duas medidas nesse critério.
Homens quase nunca admitem que fofocam...
Devemos admitir que, às vezes (não em forma de hábito!), expressamos nossas considerações sobre pessoas não presentes.
A análise tem que ser essa: não devo prejudicar ninguém!
Ao raciocinarmos desse modo, todo o prejuízo que poderia ser causado a outrem cai por terra, e fechamos o ciclo da maledicência deplorável...

Obrigada pelo grande comentário!

Beijos, querido!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Vera querida!

Esse é um daqueles temas que o blogueiro pensa mil vezes se deve postá-lo... rsrsrs
As controvérsias são inevitáveis!
Estatisticamente, ponho aí uns 95% das fofocas serem voltadas para o mal, dos cochichos sobre opções sexuais (boa lembrança a sua!), status social ou quem está saindo com quem...
Seu relato me trouxe uma dor porque, ainda que as fofocas sejam em sua maioria ruins, costumam ser facilmente esquecidas mas, em casos extremos, levam à fatalidade, como sua informação nos trouxe.
A indagação do eu para o eu é de VITAL importância para sabermos se o comentário às escondidas não irá prejudicar ninguém!
Como respondi ao Valdeir, ninguém sai impune de um burburinho sobre um amigo que está mais bonito, arrumado; isso é natural!
Creio até ser saudável torcermos por quem gostamos e queiramos bem, expondo essa satisfação aos outros.
A droga é quando colocamos 'mensagens subliminares' em nossos discurso, como, por exemplo: 'Fulano tem um jeitinho tão delicado...', o que lê-se nas entrelinhas que há sugestão de homossexualidade!
O bom dessas temáticas é que nos levam a voltar o pensamento para o 'dentro de nós' , e o dedo indicador, sempre direcionado acusadoramente para o semelhante, se volta para as nossas próprias faces...

Um beijo, amiga!

Adorei sua valiosa participação no post!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Rê, sábias palavras as suas!

As novelas são uma grande expressão do que sejam as fofocas 'legalizadas'!
Quem as assiste, não se sente culpado por querer saber se um personagem X, vai ficar com o Y!
'Vale Tudo' foi uma maravilhosa novela, a melhor sem sobra de dúvida das que eu assisti,daquelas que nos põem para pensar nas barbaridades sociais e governamentais de nosso País, e nem por isso perdeu o teor 'disse-me-disse'!
E se fofoca fosse algo tão hediondo, não haveriam tantas revistas voltadas para esse fim... (Vai ter gente dizendo que quando se trata de celebridade, pode! Novamente a fofoca 'legalizada'! rsrsrs)

Beijos,
Mary:)

Antonio Pereira (Apon) disse...

Olá Mary.

De fato, o gosto por falar da vida alheia parece ser nato no ser humano. Em maior ou menor grau, para o bem ou para o mal. Sempre rola uma fofoquinha (ou fofocona). Talvez René Descartes hoje dissesse: “Fofoco, logo existo”.

Um abração.

requeri disse...

se vc gostou de vale tudo, que eu estou reassistindo com o mesmo tesão, pelo canal viva, observe insensato coração, do mesmo autor. muita semelhança. insensato coração é o vale tudo do século XXI ... por sinal, a primeira cena da segunda, é a reedição da primeira cena da primeira.

adoro essas coisas.

Mary Miranda disse...

Oi, Antônio!

Não se sabe ao certo o porquê desse gosto, mas o caso é que comentar sobre os outros, parece atrair muitos de nós...
Só não se deve julgar ou atrapalhar a vida de niguém, só isso!
Boa questão que você levantou sobre Descartes! rsrsrs

Abraços,
Mary:)

Mary Miranda disse...

Amei 'Vale Tudo'!!!!

Ouvi falar que saiu um box com todos os capítulos...
Se eu comprasse, iria assistir por capítulo, igual como passou originalmente! rsrsrs
Eu reparei na semelhança, Rê!
Mas 'Insensato coração' não chega nem aos pés!...

Mary:)

Anônimo disse...

Bom dia Mary, Acho que este é assunto pra mais de metro, como diz no interior, e concordo com voce... todo mundo faz algum tipo de fofoca, NINGUEM ESCAPA, até porque como li num artigo outro dia, não estamos mais na era limitada pela comunicação precaria, do deslocamento de fatos e deslocamento até fisico de um lugar para o outro. O mundo nao é tao pequeno como no seculo 19, onde por causa desses obstaculos as pessoas nasciam e morriam dentro de suas casas. Por causa dessa mudança as vidas não sao mais tão preservadas somente à familia, nós nos expomos mais as outras pessoas.
Diz um ditado que quem nao é visto nao é lembrado... E isso nao é mais o que ocorre na nossa era, estamos sendo mais vistos também, os deslocamentos são mais faceis e tudo isso contribui para estarmos as vistas e criticas dos outros. Essa mudança de era trouxe esse virus chamado fofoca, e quanto mais as pessoas forem transformando suas vidas num livro aberto, fazendo da sua vida social uma vida socio- familiar demais... A fofoca tem condições de se proliferar e afetar o bom convivio entre as pessoas. A fofoca é uma Tragedia Moderna, uma autoproclamação aos direitos de julgar e condenar os outros atraves do comentario facil...

Mas... Existem muitas pessoas culpadas por isso, pois cuidam das suas vidas como leviandade, não se preservam, se expoem demais... dando assim o controle do seu comportamento para pessoas que já tem a compulsoa de olhar para a vida alheia com senso critico.
A fofoca existe... e as pessoas que se dão à fofoca ainda mais nessa era!
Muito bom o tema, obrigado por compartilhar
Abraço.

Mary Miranda disse...

Oi,amigo!

Seu comentário me deixou meio que sem saber como responder porque concordei com tudo!
A fofoca é uma droga, não é boa na maioria das vezes, só que ela parece perseguir as pessoas nos atos comunicativos dos mais variados!
A sua exposição sobre a modernização da fofoca e sua expansão através do meios midiáticos aperfeiçoados, foi certeira!
Na velha roça, onde os vizinhos mais próximos se encontravam a um quilômetro, e só se viam muito raramente, a fofoca praticamente não existia.
'Pautas do dia' giravam em torno de tempo propício para o plantio, os animais a serem castrados, quais galinhas estão em postura para os ovos, quantos filhotes nasceram da ninhada da pata...
Você falou de leviandade; essa é a essência que deve ser evitada em qualquer 'conversinha escondida'!
Plantar inverdades sobre os colegas, não é mais fofoca, é mau-caratismo...
Devemos peneirar mais o que dizemos sobre outrem, e ver se aquilo não está perturbando a ordem!


Um abração e obrigada a você, que acrescentou muitíssimo ao tema exposto!

Mary:)

Jackie Freitas disse...

Olá minha Alteza querida!
Adorei o texto e o tema! hahahaha... Quem nunca fez uma fofoca que corra agora ao Vaticano e peça a canonização em vida! hahahahaha
Porém, Alteza linda, como você muito bem escreveu, existe a fofoca que prejudica intencionalmente, por maldade e prazer mórbido em ver a desgraça alheia e existe apenas aqueles papos que começam numa piada e depois nem mesmo sabemos como chegamos ao ponto daquilo ter se transformado na fofoca...
Bem, para quem gosta de reality show...rsrs...acho que sou uma forte candidata a ser apontada como fofoqueira...hahahahaha...mas, em minha defesa, afirmo: Não promovo o mal! Não compactuo da inveja e tampouco de estragos causados por causa da fofoca...
Grande beijo, Alteza amada e querida!!! Adorei, como sempre! Texto leve, divertido e super descontraído!
Jackie

Mary Miranda disse...

Que bom, Jackie, minha doce Fênix do Bem, você ter levado para a leveza da coisa! rsrsrs

Fiquei um tanto pensativa sobre a publicação do post porque, como já disse em outros comentários, a série 'Todo mundo é...' traz sempre um direcionamento do dedo indicador para si próprio, cabendo a cada um saber se a carapuça serviu ou não!
O texto em si, é bem tranquilo, o problema é o tema! rsrsrs
Salve, salve, Fênix, que você é da minha turma, e admite que solta uma coisinha ou outra de vez em quando numa conversa! (Mas sem estragar a vida de ninguém, é claro!)
Adorei essa história de canonização no Vaticano!
Te garanto que quase ninguém passaria no teste do 'fofocômetro'! rsrsrs

Querida, um beijo pra você, e também como sempre, adorando seu comentário!!!!

Mary:)

(Blog forever, of course!)

Samanta disse...

Olá minha querida Musa da Escrita !!!

Adorei a postagem !! ( ai que novidade.... kkk ) como sempre, maravilhosa !!!
Eu sou bem verdadeira e afirmo que faço fofoca sim, e quem não faz está morto, porque sejamos sinceros, quem pára pra conversar com alguém e mantém o assunto em si somente ? Difícil hein, mesmo que seja pra falar do artista que foi internado ou da vizinha que fez lipo, isso acontece.
Eu já fui vítima da má fofoca, difamação, calúnia e maldade, aí a coisa já muda de figura e mostra bem o caráter da pessoa em questão, mas quem faz lá seus mexericos sem fazer mal a ninguém, pra isso é uma pessoa normal, como todas as outras, sem excessões.
Agora admito que uma fofoca malvadinha eu faço às vezes, tipo,se alguém me fez mal, eu saio espalhando pra Deus e o mundo ! No fundo, é uma tentativa de alertar a todos sobre a verdade da coisa, mas quando analiso, vejo que no fundo, é fofoca hehehe ahhh fazer o que né, não sou perfeita, sou só uma humana, e procuro sempre ao lidar com estes assuntos, manter intacta minha boa índole, na medida do possível quando o assunto em si, como a fofoca, já não é de se orgulhar, não é mesmo :)

Um super beijoooo da sua fã

Mary Miranda disse...

Menina Sorriso, minha querida amiga, tudo ok?


Fofocar e assumir que o faz, é um passo grandioso para crescermos porque, com o uso certo do bom senso, só falaremos de alguém em sentido geral, sem maledicências!
O que difere uma fofoca da outra é o teor, não tem como fugir!
Há fofocas informativas, como a da nossa vizinha, que nos contou que um outro jogava lixo na calçada, e a sujeira entupia os bueiros da rua.
Foi importante sabermos!
Passamos a não deixar o lixo pendurado e só o colocamos pra fora na hora exata da passagem do caminhão de coleta.
Creio que você falar para todos sobre uma pessoa que te faz mal, seja fofoca, sim, mas vamos e venhamos que as pessoas precisam saber da índole daquela 'criaturinha inóspita'! rsrsrs
Ninguém é perfeito, graças a Deus!!!!

Também vou te contar uma novidade: ADORO SEUS COMENTÁRIOS!!!!

Um beijo, minha doce flor!

Mary:)

Críticas e Polêmicas disse...

É verdade, ninguém pode dizer que nunca "fofocou". As vezes até sem querer fazemos um comentário e a outro pessoa diz para alguém "sabe o que o fulano falou" e está feita a fofoca.

Mary Miranda disse...

Amigo,

Fofoca é uma praga, mas sempre nos envolvemos com ela, de uma maneira ou de outra! rsrsrs
O bom é podermos canalizá-la para algo de útil; aí, sim, diríamos que tiramos proveito desses comentários ao léu...

Abração!
Obrigada pela ótima participação!

Mary:)

Marcelo2408 disse...

Olá Mary! Muito legal teu Blog! Parabéns pelo trabalho feito aqui! Que você continue nessa força sempre! Felicidades e sucesso!

Mary Miranda disse...

Oi, Marcelo!

Sua presença aqui é muito importante!
Obrigada!!!!
Que possamos manter esse contato amigável sempre!

Um abração meu pra você!

Mary:)