PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Fiado só amanhã!


(Post originalmente lançado no Blog da Comentarista, da minha amiga Denize Oliveira)

Sou uma boa observadora dos locais que frequento, um tipo de cliente que observa do chão ao teto, o jeito como os atendentes chegam, o sorriso amarelo que lançam quando não levo nada e a máxima do "Ficou perfeito em você!", uma blusinha odiosa que faz qualquer mulher se transformar na própria imagem da "jequice"...
E sou cliente enjoada, admito, faço com que o funcionário que teve a infelicidade de falar para mim o usual "Pois não? No que posso ajudá-la?" refazer a pergunta mental, se valeria mesmo a pena ganhar seu parco salário com clientes como eu...
Ele(a) terá que abrir todas as caixas de um só tipo de sandália, para no final eu descobrir que gostava mais - que vergonha de falar! - da primeira que vi!!!!
A sorte, para o desafortunado escolhido funcionário, vem em número de 2:

1) Sou muitíssimo agradável

Não destrato atendente de jeito nenhum, sorrio o tempo todo e mantenho papos agradáveis (geralmente eles colocam suas vidas nas palmas de minhas mãos);

2) Na loja que ponho funcionário para trabalhar muito, é lá que comprarei

Quando vejo que o funcionário já está muito impaciente, supondo perder a comissão pois entraram outros clientes, perdendo tempo comigo pensando que nada levarei, disparo logo:
- Pode deixar que vou comprar com você, viu? Posso demorar, mas vou acabar escolhendo alguma coisa... (cumpro sempre com minha palavra!)

Estou aqui discursando sobre lojas de grande porte, daquelas que nos perdermos entre artigos e gente e, às vezes, nem sabemos quem é o empregado do estabelecimento!
Entretanto, são as mais resignadas lojinhas de bairro, aquelas que conhecemos toda a árvore genealógica dos donos, que vimos seu cabelo despenteado para atender-nos porque cismou de dormir até mais tarde, são as que mais me tomam as reflexões...
Como adoro as plaquinhas dessas quitandas, biroscas, barracas e afins!!!! Muito de meu conhecimento veio dessas placas...
Pode soar como brincadeira minha, porém, alego em minha defesa, que todos nós já tivemos aprendizados informais, e por que não essas barracas de bairro que nos ensinaram também?
No meu comecinho de leitura complexa, quando eu já sabia os vários valores do "X" em uma palavra, portanto, já conseguia ler frases mais longas que as adequadas para a minha série, li com todo o gosto o seguinte dito popular:

NÃO TENHO TUDO QUE AMO, MAS AMO TUDO QUE TENHO!

Tinha meus oito anos mais ou menos, e não compreendi lá bem o fundamento...
Só que todo dia me entupia de balas, doces diversos - a formiga-criança não perdoa - e de tanto ler naquela barraca simplória e feliz, acabei sentindo o valor daquelas palavras.
Em outros estabelecimentos comerciais caseiros (isso escrevi para enobrecê-los...), tive uma lição das maiores:

QUEM TEM OLHO GRANDE, NÃO ENTRA NA CHINA!

Para arrematar o mesmo sentido dessa supracitada, li em outro:

NÃO ME INVEJE, TRABALHE!

E o DEUS TE ABÊNÇOE ( eles colocam o acento; não sabem que apenas "bênção" leva o circunflexo!), que tanta paz transmite aos que ali chegam?
Por sobrevivência, as humildes lojas comerciais tiveram que inventar - e fazer daquilo um padrão - a placa mais valiosa para continuarem no ramo:

FIADO SÓ AMANHÃ!

Em supermercados pomposos, ninguém compra a crédito informal ('fiado'), porque existe uma seriedade de caixas, uniformes e olhar de poucos amigos.
Então sobra para as barraquinhas o inevitável: "Põe na conta" (só que a pessoa não avisa na conta de quem); o mês que vem é tão demorado...
A utilização do informativo "Fiado só amanhã" dá um ar de teor notório, apesar de trazer alguma jocosidade em sua conotação.
Na primeira vez que vi, perguntei ao dono, um moço que eu conhecia desde que comecei a estudar, se eu poderia pegar mesmo a crédito no dia seguinte.
Ele riu às pampas e me respondeu que sim. Bobinha inocente, nas maravilhas da idade tenra, fui eu comprar na mesma barraca costumeira. Pedi-lhe que trouxesse uns doces de leite e jujuba.

- Amanhã eu pago, "tá"? - falei, toda risonha.


Com ar brincalhão, apontou a placa, e eu senti-me enrubescer dos pés à cabeça pela "Descoberta do Brasil": placas de amanhã são "amanhãs" que não chegam NUNCA...
A generosidade daquele senhor, que era conhecido de nossa família, surgiu na compreensão de que valores infantis não são os de adulto, e ao invés de fiado, ele me deu todos os doces que eu lhe pedira minutos antes... (Esse moço não está mais entre nós, e eu nunca pude lhe dizer o quanto minha infância foi um tanto melhor, pela existência dele em nossas vidas!)
Nunca gostei de deixar para pagar depois, salvo em casos em que isso se fez obrigatoriamente necessário. Com placa ou sem placa.
Para essas lojinhas familiares, aquelas do bairro, que muitos de nós não estabelecemos uma ligação de carinho, eu bato palmas e peço bis!
São esses minúsculos empresários que sustentam nosso país, pois facilitam o acesso maior ao consumo básico dos cereais, laticínios, verduras, etc.
Esses comércios são fundamentais para a resistência à mudança de moeda, inflação e todos aqueles embustes que os "oficiais" da área nos forçam a engolir.
A plaquinha VOLTE SEMPRE! é a mais perfeita expressão do que são suas pequenas lojas dentro do coração do consenso local.
OBRIGADA a todo aquele resistente dono de comércio caseiro, que faça chuva ou faça sol, está aí e sabe SERVIR BEM, PARA SERVIR SEMPRE...


Abaixo, alguns dos "ditados populares" mais conhecidos em relação a FIADO!



FIADO É IGUAL BARBA: SE NÃO CORTAR, CRESCE.

FIADO? SÓ EM DIA DE FERIADO, QUE O BAR ESTÁ FECHADO.

PROMOÇÃO: PEÇA FIADO E GANHE UM NÃO!

FIADO? SÓ NA CASA DA SOGRA!

O TIO QUE VENDIA FIADO, SAIU.

MULHER BONITA NÃO PAGA, MAS TAMBÉM NÃO LEVA.

EM TERRA DE POBRE, QUEM FEZ FIADO É REI.

FIADO, SÓ A PARTIR DE 2099.

LEVE FIADO E LEVE DE BRINDE A MINHA SOGRA.

A POLÍCIA PROCURA SUSPEITO POR TER PEDIDO FIADO, ENTÃO NÃO SEJA O PRÓXIMO!

FREGUÊS EDUCADO, NÃO COSPE NO CHÃO, NÃO DIZ PALAVRÃO E NEM PEDE FIADO.

60 NUM BAR, 70 SAIR 100 PAGAR, AÍ MANDO A POLÍCIA 20 BUSCAR.

O FIADO É MUITO PROCURADO, MAS AQUI NÃO SERÁ ENCONTRADO!

FIADO SÓ SE FAZ A UM BOM AMIGO, E O BOM AMIGO NUNCA PEDE FIADO...

EU TENHO VERGONHA DE TE DIZER NÃO, POR ISSO, NÃO PEÇA FIADO!

FIADO ERA SÓ ATÉ ONT
EM

(Imagem:
Fonte desconhecida

Edição de imagem:

http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com)

4 comentários:

Adriana Helena disse...

Mary, que texto perfeito amiga!
Eu diria, uma crônica escrita com dedos tão leves e palavras tão bem colocadas,que parece que estamos fazendo uma viagem no tempo relembrando aqueles armazéns antigos (que tinha na minha cidade, bem antigamente mesmo...rsrs)

Sabe, você tem realmente o dom da escrita e poderia pensar seriamente em escrever um livro amiga! Já pensou nisso? Em virar uma campeã de vendas?

Atualmente, quando vou fazer compras ficar observando as vendedoras e suas sagazes frases de:"nossa, ficou perfeito em você" rsrs Parece que em todos os lugares são iguais, não muda nada, apenas o endereço.

Mas o que é difícil de encontrar atualmente é a camaradagem de antigamente nas chamadas "vendas" que não existe mais!!! E principalmente: encontrar uma com a célebre frase:"FIADO SÓ AMANHÃ!" Eu diria tratar-se de uma frase curta e grossa e de extrema sabedoria!

Mary, adorei passar momentos em tão boa companhia!! Muito obrigada por nos permitir isso amiga!!

Beijos com carinho e um maravilhoso final de semana!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Mary!!!!!!!!!!! Uma pena que esses armazéns andem cada vez mais raros de serem encontrados por aí. As frases são ótimas e conhecia todas. Aliás, quem não? Também não destrato vendedor nenhum, mas se sou destratado a recíproca é verdadeira. Adorei o post! Beijão e bom fim de semana!

Mary Miranda disse...

Anjinha Adri, bom que tenha vindo!!!!

Eu escrevi essa crônica sob encomenda, para o espaço da minha amiga Denize Oliveira, o Blog da Comentarista (ela convida alguns amigos na seção de "guests posts"!)
Fiquei imaginando sobre o quê escreveria... Lembrei dos meus tempos de escola, onde tudo parece acontecer nessa época! rs Então nasceu a ideia de falar sobre as placas que ensinam...
Adorava lê-las e adoro até hoje!!!! Nova Iguaçu é uma cidade abençoada onde os nativos convivem na boa com o progresso e o "atraso", com o urbano e o rural! (Acredita que algumas dessas barracas ainda existem aqui???? Parece que virou tradição, não vão acabar nunca...)
Ah, querida!!!! Lançar um livro acredito ser sonho de todo mundo que ama escrever, agora se a mairoia consegue, já são outros "quinhentos"... hehe Obrigada pela força e pelo elogio!!!!(Quem sabe um dia?...)

Se você adorou ler meu escrito, adorei mais ainda ter compartilhado minhas lembranças com vocês!
É tão gostoso sabermos que, mesmo tão distantes, somos pessoas tão parecidas, com emoções e sentimentos guardados em algum lugar no coração!...

Beijos mil da prima que te adora!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Sérgio, meu querido amigo!!!!

De fato, essas barracas, quitandas, etc. estão desaparecendo, o que é uma pena!... Gosto muito desses estabelecimentos informais; são mais humanos!
Aquelas frases são tudo de bom, não é mesmo? Eu rolo de rir, mas aprendo muito também com a sabedoria popular! rsrs
Sobre vendedores, sou o mesmo que você: simpatia é meu segundo nome, mas viro a própria antipatia se vier com descaso para o meu lado... (Ainda mais que já fui vendedora e sei que o cliente não tem culpa alguma dos meus problemas pessoais!...)

Abração, querido!!!! VOLTE SEMPRE! (Usei um dos "ditados" das placas! rs)

Mary:)