PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem)

Quais assuntos mais te interessam no blog Fatos de Fato?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Música "Clair", de Gilbert O'Sullivan : discurso pedófilo

Não haja dúvida: temos que estar alertas a tudo que nos dizem como sendo o certo.
Tudo o que dizem que está certo, está certo, certo?
Errado!!!!
Sem embromação:
Se uma música que sobreviveu durante anos como sendo um clássico do cancioneiro romântico mundial, cujo cantor e compositor levou( e leva) uma vida razoável longe da balbúrdia típica dos figurões célebres, e se a referida canção tem um ritmo delicado e faz homenagem a alguém, claro que a mensagem dela será linda, doce, só transmitirá ideias louváveis e decentes.
Zero para você que pensa isso!
Não, há casos que temos que recorrer aos "autos" para descobrir o que não é nada "claro" , e sim, obscuro até demais!
Já ouvi algumas vezes em minha vida a música Clair, de Gilbert O'Sullivan , um cara que nascera na Irlanda, embora sendo criado na Inglaterra , tendo alcançado sucesso digno na década de 70.
Infelizmente ( ou felizmente, nem sei mais!), quando este senhor surgira e compusera a canção (1972), eu ainda não era nascida, portanto, a ouvia "por aí" quando era criança, sem atentar para a obscuridade que sua letra torpe trazia.
Isso mesmo, gente!
A música fofinha, docinho, lindinha, do tipo para embalar bebê para dormir, para dar ou receber aquele "amasso" dos nossos amores ou até para pedir perdão quando "escorregamos", é um dos MAIORES DISCURSOS MUSICAIS PEDÓFILOS DE TODOS OS TEMPOS!!!!
Podem crer!!!!
Intuição de mulher é fogo!...
Dia desses a ouvi tocando nessas rádios comunitárias , enquanto pedalava à toda a bicicleta (porque estava atrasada para chegar no trabalho, detalhe!) e o finalzinho me chamou a atenção: um risinho inocente de criança entre três e quatro anos.
Meu cérebro avisou:
"Hum! Essa criança deve ser a "Clair" do título! Será a filhinha dele?"
Quando voltei para casa, só via o Google na minha frente! ( Esse tira-dúvidas indispensável!)
Uma busca aqui, outra ali, e vejo um comentário argumentando que Clair tem letra "duvidosa".
Vejo a tradução e não gosto nada do que leio...
Mas há ainda o que se chama do benefício da dúvida.
Vai que a tradução foi mal feita, vai que tudo aquilo não passa de má interpretação e tal?...
Passo a bola para os nativos da língua inglesa, pois ninguém melhor que os falantes verdadeiros de um idioma, para entender as dualidades que as palavras possam ter.(E vamos combinar que o meu inglês ainda é bem modesto para interpretações desse porte...)
Lanço a pergunta num fórum que faço parte em inglês (mais precisamente do inglês americano) e um rapaz muito legal me passou um link de um blog onde uma americana, sem grandes rodeios, esmiuça parte por parte da letra, interpretando cada vírgula e provando, sem muito esforço, que Clair é de pedofilia explícita!
A autora do post é Lynn e o título Disturbing lyrics to Gilbert O'Sullivan's song "Clair" ( Tradução livre para Letra conturbada da música de Gilbert O'Sullivan "Clair")
Notem com os seus próprios olhos, que a referida canção, em momento algum nos arremete a um conceito de um homem que quis apenas homenagear uma garotinha ( ele a trata como mulher!) :
“Clair" - Gilbert O' Sullivan

Clair.
The moment I met you, I swear.
I felt as if something, somewhere,had happened to me, which I couldn’t see.
And then, the moment I met you, again.
I knew in my heart that we were friends.
It had to be so, it couldn’t be no.
But try as hard as I might do, I don’t know why.
You get to me in a way I can’t describe.
Words mean so little when you look up and smile.
I don’t care what people say, to me you’re more than a child.
Oh Clair. Clair …
Clair.
If ever a moment so rare was captured for all to compare.
That moment is you in all that you do.
But why in spite of our age difference do I cry.
Each time I leave you I feel I could die.
Nothing means more to me than hearing you say,“I’m going to marry you. Will you marry me, Uncle Ray?”
Oh Clair. Clair …
Clair, I’ve told you before “Don’t you dare!”
“Get back into bed.”
“Can’t you see that it’s late.”
“No you can’t have a drink.”“Oh allright then, but just wait a minute.”
While I, in an effort to babysit, catch up on my breath,what there is left of it.
You can be murder at this hour of the day.
But in the morning this hour will seem a lifetime away.
Oh Clair. Clair …
Oh Clair."

Tradução:

Clair ...
No momento em que encontrei você, eu juro
Eu senti como se alguma coisa em algum lugar
Tivesse me acontecido
Que eu não pudesse ver
E depois ... no momento em que eu a encontrei novamente
Eu senti em meu coração, que nós éramos amigos
E tinha de ser assim .
Não poderia ser diferente
Por mais que eu tente ... eu não sei por que
Você me atinge, de um modo que não posso descrever
As palavras significam tão pouco quando você olha para cima e sorri
Eu não me incomodo com o que as pessoas dizem
Para mim você é mais do que uma criança
Oh, Clair, Clair, Clair.
e Clair, se alguma vez, um momento tão raro ...
Fosse captado para que todos pudessem compará-lo
Esse momento é você
Em tudo o que você faz
Mas por quê ?
Apesar de nossa diferença de idade ... eu choro
Toda vez que eu a deixo, eu sinto como se fosse morrer
Nada significa mais para mim do que ouvi-la dizer
Eu vou me casar com você
Você quer se casar comigo, tio Ray ?
Oh, Clair, Clair, Clair ...
Eu lhe disse antes ... "Não ouse"
"Volte para a cama"
"Você não vê que é tarde?"
"Não, você não pode beber"
"Está bem, então espere só um pouquinho"
Enquanto eu, num esforço para tomar conta dela
Recobro o meu fôlego ou aquilo que ainda sobrou dele
Você pode ser terrível a esta hora
Mas de manhã o sol parecerá bem distante.
Oh, Clair, Clair"

(Quem quiser ouvir a música, basta clicar no link abaixo :



Obs.: O tio Ray citado na letra, é o próprio Gilbert O' Sullivan, cujo nome verdadeiro é Raymond Edward O'Sullivan.
Clair, a menina que inspirou O'Sullivan, é ninguém menos que a filha do seu empresário na época e que tinha três aninhos quando foi "homenageada".
O cantor costumava frequentar a casa da menina e eles eram bem amigos, como mostra a foto abaixo:
Como dá para perceber em trechos como : " apesar da diferença de idade(?)", "num esforço para tomar conta dela/posso recobrar meu fôlego ou aquilo que sobrou dele"(?), "você não pode beber/está bem, espere só um pouquinho"(?), "eu não me importo com o que as pessoas dizem/para mim, você é mais que uma criança"(?), que as intenções do cantor/ compositor não são nada inocentes.
Os termos usados seriam adequados à uma declaração de amor de um homem para uma mulher, não para uma CRIANÇA!
Por que a diferença de idade dele para ela, interferiria no carinho puro pela menina?
Por que é tão difícil "recobrar o fôlego" próximo de uma garotinha? ( nítida alusão à romance quando a pessoa que nos causa extrema atração, nos tira o fôlego)
Por que ela não pode beber, mas ele diz que está bem e que é para ela esperar um pouquinho? (Então ele foi lá buscar a bebida? Se fosse uma simples água, ele não diria que Clair não poderia beber!)
Por que ele comenta que ela é mais que uma criança? Que sentido real está por trás dessa afirmação, se não que ele a vê como mulher? E por que as pessoas diriam alguma coisa, já que há apenas uma amizade entre eles?

Plagiando a pergunta de um dos comentaristas do blog em questão:

COMO PODE UMA LETRA HEDIONDA DESSAS, TER PASSADO PELA CENSURA NA ÉPOCA????
Será que é por que a pedofilia não era ainda considerada crime ou o povo era tão alienado que não prestava atenção na letra?
Aqui no Brasil é aceitável que as pessoas gostassem da música por não entenderem a mensagem, mas os falantes da língua inglesa, não dá para engolir!
Pensar que essa música permaneceu por tempos e tempos no Top 10 americano e inglês...
Como pudemos ter sido enganados dessa maneira?!
Agora tudo o que disserem que é certo, temos que declarar:
" Confio em você... mas daria para me provar o que diz?"
E foi isso o que fiz com a música Clair...
Gente, ainda que esteja todo em inglês, gostaria que vocês visitassem o blog da Lynn, de onde retirei a matéria, porque lá tem várias fotos, posts de vídeo e dá para sentir o "clima" do assunto:


(Imagem:

http://upbury-in-the-70s.50webs.org/files/music/singles_covers/CLAIRE.JPG)

46 comentários:

PROJETO NOVO IMPULSO disse...

Misericórdia, sem comentários.
A paz

Mary Miranda disse...

Isso mesmo, Pastor!
Não dá nem p/ comentar muito diante de coisas quais essas...
Um forte abraço,
Mary.

joselito disse...

Grande Mary, não era da sua época, mas era da minha, nunca prestei atenção na letra, até gostava da melodia. Quando ao assunto pedofilia, não sei se você sabe, mas, nos Estados Unidos, inclusive existem comunidades, que trocam informações via internet, são adultos que tem e curtem desejos por menores, por crianças, entretanto ter o desejo mas não concretizar a ação não configura o crime. Não sei se é o caso da letra da musica. Entretanto, aqui no Brasil temos várias letras que "sugerem" estas paixões, inclusive de alguns grupo importantes do nosso pop.

Mary Miranda disse...

Oi, Joselito!
Às vezes acho q os americanos brincam c/ os valores e os mudam na hora q bem entendem!
Que coisa ilógica poder pensar e trocar informações sexuais sobre crianças, s/ q isso não tenha conotação criminosa!?
Não "tocou" fisicamente num menor, não é pedofilia?
E quem garante q alguns daqueles "cidadãos" não vão sair da tela do PC e levarão p/ a vida real seus anseios, tendo até apoio de alguns outros?
(Se há suicídio via internet, por que não pedofilia?)
Olha, sinceramente, considero isso uma total decadência da sociedade americana!
Obrigada por me esclarecer porque eu desconhecia essa particularidade daquele país...
Pelo jeito, a música "Clair", p/ a época q ela surgiu, não foi considerada pedofilia, o q dirá crime!...
Abração, querido!
Mais uma vez, obrigada!
Mary. :-)

Mary Miranda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Mary tenho 50 anos, conheço a música e o artista e inclusive a tradução em um curso de ingles da editora Abril há muitos anos, e acho um poucO exagerado o seu parecer a respeito. As mulheres tem uma forma de enteder as coisas de formas diferentes.Peço apenas que ouça "MENINA" de Paulino Nogueira( conhece?) e talvez você entenda melhor a letra de CLAIR.

Anônimo disse...

Cara Amiga, que exagero o seu. Nem os melhores seguidores de Sherlock Holmes conseguiriam tal façanha. Nos anos 60, algums milhões de lunáticos procuravam "mensagens secretas" e coisas do tipo nas letras das núsicas dos Beatles e o que me parece que isso ainda ecoa pelo mundo. Conheço a música, a letra e o compositor nem em santa conciência faria tal apelativo significado. Não haveria da parte dele essa exposição de sua pedofilia. Acredito sim, que levou adiante a idéia do "se" ou seja, não há certeza de sua intenção, pode ser "se" ou pode não ser "se" entende?
Caiu nessa posição, tudo passa a ser conjecturas sem provas nem sentido há naquilo que vc descreve. É uma tamanha "forçação de barra" tentar ver as coisas desse jeito.
O próprio Gilbert O'Sullivan não precisa disso. É um artista reconhecido no mundo todo. Já vendeu cerca de 100 milhões de discos em todo o mundo e sendo um compositor e músico respeitado por todas as platéias, dos 9 aos 90 anos.
Sua música e sua arte continuará ecoando em todo mundo. Suas músicas continuam sendo executadas pelas rádios e nossa "Clair" continuará fazendo parte de quarquer hit parade que tente contar a história da música pop dos anos 70. Junto com os Carpenters, Elton John, Bread, James Taylor, Cat Stevens entre outros, Gilbert O'Sullivan deixou a sua marca e seu respeito pelo público.

Mary Miranda disse...

Olá, Anônimos 1 e 2!
Só digo o seguinte a ambos:
Não sou casada e nem tenho filhos, mas se meu marido fizesse uma letra desse tipo para a nossa filhinha de três anos, eu pediria separação!
Simplesmente, vamos combinar, essa não é uma letra típica de um pai, tio, irmão, primo, alguém sem interesse sexual algum, para fazer em "homenagem" à uma menina...
E senhor Anônimo 1, a letra de Paulo Nogueira NADA tem a ver com pedofilia pois, EM MOMENTO ALGUM ele demonstrou INTERESSE SEXUAL na menina, quando ela era menina!
Ele passou a gostar dela SOMENTE quando ela estava ADULTA.
O personagem da canção achava graça, ou seja, achava ridículo, quando ela, a criança, dizia: "Quando crescer, vou casar com você".
Isso é discurso de alguém que pensa em ter contato íntimo com uma criança?
Sinceramente, acho que chega a ser de uma extrema IRRESPONSABILIDADE comparar a cançao duvidosa "Clair" (para não falar outras coisas) com a até ingênua "Menina" que em NADA arremete a conceito pedófilo!
Analisemos a letra juntos:
"Menina" - Paulinho Nogueira
Composição: Paulinho Nogueira
Menina, que um dia conheci criança
Me aparece assim de repente,linda, virou mulher.
Menina, como pude te amar agora?
Te carreguei no colo menina,
Cantei pra te dormir
Lembro a menina feia
Tão acanhada, de pé no chão
Hoje maliciosa
Guarda um segredo em seu coração.
Menina, que muitas vezes fiz chorar
Achando graça quando ela dizia:
-Quando crescer vou casar com você.
Menina, porque fui te encontrar agora.
Te carreguei no colo menina
Cantei pra te dormir
E por favor, não me venha sugerir "ataque de mulherzinha" quando analisei "Clair"!
Só usei o bom senso...
Senhor Anônimo 2,
Pouco me importo se o Sr. Sullivan vendeu esse tanto de discos. E daí?
Então por isso temos que "engolir" qualquer coisa só por que virou ahn... clássico?
Pelo amor de Deus, ainda temos cérebros e bom senso, não?
Como disse a americana Lynn, ele, Sullivan, deveria ter escolhido, no mínimo, palavras menos dúbias para homenagear uma criança, concorda?
Insisto: use a lógica e vê se essa música poderia ser cantada por um pai para uma filha, em sua tenra idade, de APENAS três aninhos?
Bem, páro por aqui!
Um abraço a ambos e obrigada pelo comentário!
Mary.

Anônimo disse...

The author is really cool. But some of the commentators are just posting stupid words.

Anônimo disse...

Essas pessoas precisam saber o verdadeiro significado de pedofilia. Quanta asneira. Tenho uma sobrinha que é a coisa mais linda. Sempre tive o sonho de ter uma filha. Infelizmente não pude por questões de saúde.Faço tudo por ela o que faria se fosse minha filha...Sou pedófilo???? Quanta asneira!!!!!

Mary Miranda disse...

Sr. Anônimo,

Amar crianças sem conotação sexual não quer dizer pedofilia.
Estamos analisando a letra da música, não um caso isolado de pedófilos de jornais!...
Talvez Mr. O'Sullivan nem seja pedófilo ou algo assim, mas a letra de sua música confere com o amor de um homem por uma mulher feita, e não de um homem por uma criança!...
O chamado eu-lírico do autor trouxe um sentimento bem ambíguo de amor, como bem disse a nativa da língua inglesa, Lynn, na qual inspirei-me para escrever o post.
Ela afirmou e eu concordo, que o compositor escolheu palavras com conotações múltiplas, como perder o fôlego (típico de desejo sexual), nossa diferença de idade (entre amigos, as pessoas não reparam nessa diferença; essa diferença só é notada quando ocorre sentido de namoro), etc.
O sr. pode ter bons sentimentos em relação à sua sobrinha, mas o personagem de Mr. Gilbert O'Sullivan, não posso dizer o mesmo...

Abraços,
Mary:)

Mary Miranda disse...

Hello!

Thanks a lot!
I wouldn't say "stupid" for others commentators; just are some different opinions, only this!
One more time, my thanks to you!

Hugs,
Mary:)

Anônimo disse...

Howdo! Thank u for a very fresh idea. I am wondering why i have never though of this as well. I will definately try to use your blog for getting some more fresh info!

Thanks!

BR, Aaron
check my site

Mary Miranda disse...

Hello!

All thanks of mine for you 'cause you are just enjoying my blog!
You've got a free spirit, this is a great one!
Some thoughts just come through the time; is this post what you've been waiting for?
Thank u very much!
Get yourself free for another visits, ok?

A hug,
Mary:)

Anônimo disse...

Hey thank you for the wonderful article it had been genuinely useful , I hope you will just publish additional about this ! This topic rocks

Anônimo disse...

Лучшее кино на ваше мнение ?


Участники сообщества marymiranda-fatosdefato.blogspot.com поделитесь

Мой - Остров проклятых

Mary Miranda disse...

Hi!

First of all, thanks for your attention!
Ok, I just hope publishing something like this, due "rising" a polemic matter that leads me thinking again...

Hugs,
Mary:)

Mary Miranda disse...

Hi, Russian Guy!

Is there anything have to do the song "Clair" with movie "Shutter Island"?
Right, I didn't see that yet...

Hugs,
Mary:)

Anônimo disse...

Thanks. I repost it on my Facebook.
Bob Peters, CA

Mary Miranda disse...

Bob,

I say "Thanks" to you, pal!
Ok, I'll try reading it there on Facebook!!!!
Thanks again!

Hugs,
Mary:)

Anônimo disse...

Good Article

Mary Miranda disse...

Ok, it's very nice reading that!

Thanx!!!!

Mary:)

Anônimo disse...

Its awesome all of the time to view how folks can compose wonderful stuff about people topics! Thank you and I ve bookmarked you

Mary Miranda disse...

Ok!

Just say to you how thankful I am!
Your words give me an encouragement!

Thanx again!

Mary:)

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

I apologise, but, in my opinion, you are not right. I can prove it. Write to me in PM, we will discuss.|

oton disse...

Há um depoimento de Clair feito nos anos noventa e que está no YouTube sobre isso. Ela diz que gilbert sempre foi um homem bom pra ela e muito honesto. Ele cuidou dela quando morou de favor na casa do seu produtor e pai da Clair. Inclusive Clair disse que a sua mãe fez as letras da musica junto com gilbert...o vídeo esta no YouTube pra todos verem...depoimentos de gilbert e da própria Clair... Acho que essa neurose de pedofilia tem que ser diagnosticada como doença...existem pedófilos sim....mas ver pedofilia em tudo é doentio. Acho que o nome do vídeo é Clair the true...

Mary Miranda disse...

Oton, tudo bem?

Aprendi a ficar cada vez mais cética a cada dia que passa, por mais que digam, por mais que tentem provar...
Quando reclamo da letra de "Clair", eu capto a má colocação de palavras que não são compatíveis, nem coerentes, de declaração de amor de um amigo adulto para uma pequena amiga!
Para você ter uma ideia, só me atentei que era uma menininha porque prestei a atenção no riso do final da canção!
Quando li a letra pela primeira vez, achava que era para uma mulher adulta ou, no máximo, no final da adolescência!!!!
E sempre insisto em dizer que estranharia muito se o pai de uma filha minha escrevesse uma letra daquelas!...
Sobre a declaração de Clair e sua mãe no YouTube, meu ceticismo ainda continua vigoroso: o dinheiro compra tudo...

Obrigada pelo lúcido comentário!
É interessante que tantas visões descortinem sobre esse tema!

Gostei demais de sua presença aqui!

Abraços,
Mary:)

Larissa Bohnenberger disse...

Oi, Mary!

Eu vou ser bem sincera com você: não conhecia a música e tão pouco o artista. Sou muito alienada?

Mas vamos ao assunto polêmico... Porque apesar de nunca ter ouvido "Clair" antes, a ouvi agora e li a letra: a primeira vez que eu li a letra, achei inocente. Quer dizer, há algumas passagens que parecem meio estranhas a uma letra que trata de uma criança, mas nada demais. Versos adicionados para tornar a letra mais musical, poética, comercial, sei lá. Mas não vi maldade. Aí depois que li a interpretação, voltei à letra e enxerguei a pedofilia explícita. A que conclusão cheguei? A de que qualquer letra de qualquer música, qualquer texto ou poesia, pode ser interpretado de formas muito diferentes dependendo da intenção de quem está lendo.

É muito difícil pra mim dar uma opinião assim, de supetão, sobre algo novo que me está sendo apresentado. E de forma alguma eu duvidaria que pudesse realmente haver uma intenção maliciosa na criação da música. Mas às vezes me pergunto se toda essa violência do mundo moderno não está nos tornando cínicos demais a ponto de esquecer da real inocência que existia em outras épocas.

Provavelmente não fui de muita ajuda para a dissolução do impasse, mas...

Bjs!

Mary Miranda disse...

Lari, uma boa noite!

Eu não sei... Liguei meu "desconfiômetro" quando ouvi a risadinha da menina no final da canção! (No vídeo não tem, mas a canção original traz a voz da garotinha.)
Já conhecia a música e sempre pensei que fosse declaração de amor de homem adulto para uma mulher, pela letra, pelo jeito de cantar do artista, e tudo o mais...
Só que, como sou justa, achei que deveria constatar a visão de uma nativa em língua inglesa, no que "bateu" certinho com a minha ideia de pedofilia!
Pode ser que O'Sullivan jamais tenha tocado na pequena Clair, pode ser que a intenção não tenha sido ruim, mas como disse várias vezes a autora do blog que me inspirou o post, a Lynn, que se não houve a intenção nas entrelinhas, ele, no mínimo, escolheu péssimas palavras para demonstrar sua afeição por uma criança!...
Bem, sempre digo o seguinte: não encaro a letra de "Clair" como algo que um pai poderia cantar para sua filha, por exemplo...
Dizem que a própria Clair não viu maldade, mas sabemos, né, que o raio do dinheiro compra tudo!...
Talvez estejamos bem cínicos hoje em dia, mas a sacanagem e a pedofilia já existem há muito tempo (uma senhora bem idosa me contou casos da terra dela que nem queira saber...)!

Adorei sua sinceridade!!!!
Acredito que grandes reflexões são feitas assim, quando não há o "politicamente correto", mas, sim, ideias reais que temos sobre determinados temas!
Você contribuiu e muito, amiga!

Enorme beijo,
Mary:)

oton disse...

Olá Mary...interessante que a sua opinião é a mesma da minha esposa. Ela disse que no mínimo as palavras que ele usou foram mal colocadas... E eu concordo com isso...depois de muito conversar com minha esposa. Mas nao concordo que houve a intenção de pedofilia.

Por favor veja esse link:
http://www.gilbertosullivan.net/in_print/clair_article.htm

Depois detiver tempo veja esse vídeo, achei maravilhoso:
http://www.youtube.com/watch?v=AfyYQcbP464&feature=youtube_gdata_player

A minha conclusão é que as palavras foram mal colocadas e escolhidas....mas de forma alguma posso dizer levianamente que é uma musica pedofilia...estaria indo de encontro a um sentimento bonito e honesto que fez muito bem a minha infância quando ouvia essa musica...e pior estaria sendo injusto e cruel com a família que viveu essa história, onde a musica nasceu. E ainda mais, alimentaria isso que eu chamo de neurose... Quando o pai da Clair disse no vídeo que a pegou na piscina e a levou ao estúdio para fazer cócegas nela e captar as rizadinhas no final da canção...achei isso tão lindo...que jamais poderia sequer imaginar que ele, sua esposa e gilbert estariam em um complo pedófilo terrivel e ediondo para imortalizar algo tão ultrajante. Pesquisei bastante e estou convicto...lembre Mary...A virtude...sempre existirá...e ela, sem nenhuma ingenuidade, será a minha primeira opção.

Mary Miranda disse...

Isso o que mais me aborrece, Oton!...

Quando se escreve uma letra, o compositor tem que averiguar, com algumas outras pessoas, se o teor soará como preconceituoso, pedófilo, vanguardista, etc.
Acho tão irresponsável que uma gravadora, produtora, etc e tal, não tenha atentado para uma letra tão dúbia como essa!
Você sabia que até mesmo pessoas nativas da língua inglesa ficaram chocadas quando souberam que a canção era para uma criança????
Muita gente deu vários "amassos" ao som de "Clair", já que a letra é genuinamente romântica, um convite ao amor entre um homem e uma mulher...
E eu reparei que pessoas que vivenciaram o clima da música de quando ela surgiu, é mais reticente a aceitar uma conotação suspeita na letra...
Até entendo!
É como se muito da pureza da época se perdesse, e interpretando a canção de maneira mais rude, nós a "emporcalhassássemos" , pois nossa mente- que já é suja por natureza- traz sempre uma conceituação espúria sobre tudo.
Gilbert O'Sullivan é, no mínimo, um compositor atípico.
Com temática totalmente diferente de "Clair", escreveu "Alone again", uma canção com letra romântica esquisita, falando de suicídio, umas coisas meio doidas...
Enfim, na minha opinião, "Clair" é uma grande incógnita do cancioneiro mundial! rsrsrs

Darei uma olhadinha nas suas dicas!

Mais uma vez o meu obrigada mais sincero pela ótima participação nesse construtivo debate!

Abraços,
Mary:)

oton disse...

Olá Mary... Adorei participar. Levei meu iPad Pra todo lugar nesses dias para acompanhar o desenrolar...realmente gilbert osulivan é atípico...e o contexto histórico de suas musicas refletem bem os anos 70 em sua atipicidade... Adoraria também que colocasse um ponto de interrogação na chamada do tread... "discurso pedófilo?" apenas um pedido meu, já que me senti incomodado com a afirmação... Desculpe.
Sabe...Tenho como diversão conversar sobre musicas. Até temos um grupo de amigos que aos sábados se encontra pra ouvir musicas beber uma cervejinha e comentar sobre os fatos, contexto, raridades etc. Sou professor, dono de escola e convivo diariamente com jovens e crianças e esse tópico me foi bastante útil. Me divirto muito falando sobre musica... E guardo a mania de me distrair com esse assunto.

Um grande abraço e obrigado por me receber aqui...

Oton

Mary Miranda disse...

Oton, boa tarde!

Bem que eu gostaria de atender a um pedido seu, mas não o farei e você me entenderá.
Usando a afirmativa "discurso pedófilo" chamo eu mais atenção para o post do que se pusesse a dúvida "discurso pedófilo?".
Sem demagogia alguma, quero que muita gente leia meu artigo e seja atraída para tal. Se um título pode ajudar nesse objetivo, continuarei usando essa possibilidade.
Também sou uma apreciadora de música, refletindo muito sobre letras, arranjos, contextualização temporal, etc.
Apesar de assumidamente amante de rock, nunca dispenso boas canções, no que elas possam proporcionar de melhor!!!!

Adorei sua presença inteligente!
Gosto de debates com respaldo, no que você foi fantástico!
Espero vê-lo outras vezes por aqui!
Se tiver um blog, me avise, para que eu possa visitá-lo de vez em quando!!!!

Um forte abraço,
Mary:)

Anônimo disse...

Prezada Mary:
Tenho uma sobrinha mais ou menos com a diferença de idade entre O'Sullivan e Clair. Toda vez que ouço essa música, Clair (que acho maravilhosa) lembro-me de meu relacionamento com essa sobrinha (que hoje é casada, mora na França, e tem mais de trinta anos de idade)e me emociono. Hoje, estava a tentar dar o nome a uma gatinha persa, branca, que minha filha comprou e estávamos a questionar qual seria o nome que daríamos a ela. Lembrei-me do nome Clair, por diversas razões, inclusive a belíssima canção em tela. Passei a consultar, pela Google, o nome Clair, para que minha esposa, Jussara, ouvisse a maravilhosa música. Foi, então, que vi este Post. CARAMBA, repeito a opinião de todos. Mas, por favor, achar que existe alguma conotação pedófila nessa música é demais. Existe na Internet um Post dessa música, maravilhoso, onde, com fundo musical "Clair", o, então jovem O'Sullivan aparece brincando, divertindo-se, abraçando a irresistível Clair. Quanta "inveja" eu senti de O´Sullivan. Como eu gostaria de ter composto uma canção, como essa, em homenagem à minha querida sobrinha. Que enorme prova de amor! Gente, essa música foi composta para a filha do empresário de Gilbet,que frequentava sua casa, e encantou-se pela filha do próprio. Como imaginar pedofilia aí? Claro, podemos imaginar o que cada frase quer dizer. O que significa "I don't care what people say" ou "to me you're more than a child"? Isso, ralmente, agita nossos neurônios. Mas, poetas, escritores, compositores musicais, têm lá suas idéias. Porém, imaginar que há qualquer sentido de pedofilia nessa música, chega a agredir a profunda paixão que tenho por essa música.
Por favor, minha cara, não interprete dessa forma essa monumental canção.

Abraços,

Paulo

Mary Miranda disse...

Paulo, uma boa noite!


Agradeço seu questionamento, ajudando num embate de tantos anos, mas que ainda há tantas controvérsias!
Vou falar a você os meus pensamentos sobre a letra da música.
Não compactuo com o uso de linguagem adulta para demonstração de amor por uma criança. Se fosse para uma filha minha, eu denunciaria o compositor; não creio que O'Sullivan seja pedófilo, apenas infeliz na colocação das palavras, no que a nativa da língua inglesa Lynn (autora do post que me inspirou)foi certeira ao referir-se a isso; há uma dubiedade nas intenções que me intrigam: "você não pode beber", "você é mais que uma criança", "diferença de idade", que Mr. O'Sullivan deveria ter maior atenção; os tempos eram outros, onde pedofilia não era crime, assim como racismo também não (conhece a canção "O seu cabelo não nega"? Pois é, Lamartine Babo, e seu descarado discurso racista passaram incólumes...); há pessoas que defendem Gilbert porque a própria Clair, já adulta, não acha que "tio Ray" fosse pervertido (A pergunta é: uma criança de 3 aninhos na época pode falar alguma coisa a esse respeito? Ela saberia lá o que é pedofilia? Sem contar a grana que Mr. Sullivan pode ter largado nas mãos de uma Clair adulta ávida por dinheiro...); Mr. Sullivan é famoso por letras esquisitas. Em "Alone again" o cara praticamente incentiva o suicídio, falando sobre um sujeito abandonado pela noiva; por fim, em nome da memória afetiva das pessoas, prefiro acreditar que o cantor/compositor irlandês se arrependeu amargamente por ter escrito uma letra tão ambígua. Se fosse hoje em dia, para homenagear a menininha, optaria em colocar uma cantiga de roda, que estaria bem mais de acordo com sua faixa etária...

Mais uma vez obrigada, e adoro pessoas lúcidas, conversando com coerência, no que sempre é muito bem-vindo aqui!

Abraços,
Mary:)

m,j,jr disse...

Mary Miranda...,que frustação. Que dor de cotovelo, só porque nunca fizeram uma música prá voce!

Mary Miranda disse...

Bom dia M.J.Jr!

hehehehe Não, não tenho esse tipo de frustração: meu pai compôs uma música pra mim quando eu era criança!
E é linda (só não posso cantar por aí porque não é registrada...), mas assim que isso for feito, vou ter o maior orgulho de exibi-la!
O melhor da festa: é uma letra ingênua de um pai para a sua filha, bem diferente dessa "Clair"...

Um abraço e obrigada pelo comentário!!!!

Mary:)

Zemar disse...

Fiquei bobo com isto. Eu estava no You Tube e de um vídeo a outro tinha uma declaração da Clair Mills, já adulta, falando sobre isso dele ser um homem adorável e etc... mas também não entendi como uma música tão forte não foi censurada pelo menos lá. E eu gosto muito desta música mas nem pensava na tradução pq a melodia é linda. Aí cliquei no Google a respeito da suspeita de pedofilia nesta música e achei este Blog e decidi postar este comentário. Não sou radical mas fica difícil ouvir esta música sem pensar na tradução. Vou até ver a tradução de "alone again" para não estar desinformado mais uma vez de outra música linda que ele cantou. Abraços.

Mary Miranda disse...

Oi, Zemar!

O mesmo ocorre comigo: não ouço mais a canção com ouvidos inocentes...
Talvez tenha sido somente um uso inadequado de palavras para se cantar para uma criança, sem má intenção do compositor, mas que soa muito esquisito, isso soa... O'Sullivan foi extremamente infeliz com essa letra!...
Sobre "Alone again, creio que você também não irá gostar. Nãoq ue seja pedófila, só que há uma certa referêcia ao suicídio; acho uma letra bem depressiva...
Por fim, deixo aqui meu agradecimento por ter comentado o post e trazido uma saudável interação!
Esteja à vontade para um futuro retorno ao blog!

Abraços,
Mary:)

MARCO disse...

>> Música linda um clássico famoso dos anos 70 - Apologia a pedofilia? Não sei... Pergunta complexa e difícil de responder. Será que realmente estamos vendo o verdadeiro "desejo sexual escondido" dele pela menininha sendo colocado na música ouuu... estamos ficando cada dia mais chatos, moralistas e com ataques de politicamente corretos e aonde tudo vemos sempre "algo ruim e maldoso"? Será que estamos ficando paranoicos, neuróticos a tudo vemos maldade ou estamos conseguindo enxergar a verdadeira intensão da música aonde outros não viram? Será que ele abusava sexualmente da menina? será que ele somente a desejava? ou ele era apaixonado por ela e colocou as palavras de maneira infeliz? E como falei no começo... será que estamos ficando excessivamente e politicamente corretos e defensores da moral bons costumes? Estamos virando os guardiões da moral? Minha opinião particular... musica linda, belo tema, talvez palavras colocadas de maneira errada dando dupla interpretação e colocando uma bela música em risco como uma apologia a pedofilia. Quanto ao verdadeiro e real desejo do músico... jamais saberemos.

MARCO disse...

>> PALAVRAS DA PRÓPRIA CLAIR SOBRE GILBERT E A MÚSICA, ELA EM NENHUM MOMENTO CRITICA ELE, AO CONTRÁRIO ADMITE QUE ESTA ANSIOSA PARA VE-LO NOVAMENTE.
http://www.gosullivan.com/clairart.html

MARCO disse...

> ENTREVISTA COM CLAIR MILSS - A MENINA DO VIDEO http://www.gosullivan.com/clairart.html

Karla disse...

Olá. Achei interessante seu artigo e resolvi dar a minha opnião.
Acho que interpretação é interpretação. Podemos dar a nossa, mas de fato nunca poderemos saber o que realmente passa pela cabeça do autor. Tenho um irmão que compõe e quando se faz uma música precisa-se algumas vezes alterar a palavra pra encaixar na melodia.
Gostaria de dar aqui alguma das minhas interpretações para os trechos duvidosos, apenas para que seja possível analisar uma segunda opnião antes de taxar a música como pedófila.

"Eu não me incomodo com o que as pessoas dizem
Para mim você é mais do que uma criança"

As pessoas poderiam falar por exemplo que ele como adulto passa muito tempo na companhia de uma criança, brincando como uma criança ao invés de se interessar por outras coisas.
Ser mais que uma simples criança é ser amiga.

"Apesar de nossa diferença de idade ... eu choro"
Eu me comporto como uma criança quando estou com você.

"Volte para a cama"
"Você não vê que é tarde?"
"Não, você não pode beber"
"Está bem, então espere só um pouquinho"
Isso retrata várias frases ditas a criança, não necessáriamente estejam ligadas como na interpretação acima.
Não, você não pode beber. Está bem...
Exite um fecha aspas no fim de uma frase e início de outra. Nos EUA é terminantemente proibido beber antes de 21 anos, porque o compositor iria declarar de cedeu bebida pra uma criança.
"Enquanto eu, num esforço para tomar conta dela
Recobro o meu fôlego ou aquilo que ainda sobrou dele
Você pode ser terrível a esta hora"

Quem nunca tomou conta de uma criança que diga que nunca perdeu o fôlego. Tem horas que precisamos ter energia extra.

Apenas mais um comentário. Quando a gente acha que tem a verdade absoluta, tentamos nos convencer e a todos de que nossa opinião é a certa, mas trabalhando como cientista aprendi que o certo é: se você não consegui encontrar nada que prove que sua teoria está errada, aí você estará certo.
Obrigada.

Mr. Car disse...

Paranóia pouca é bobagem. Se neguinho quiser, vê maldade até em uma freira se dizendo "esposa de Jesus".

Anônimo disse...

misericorida

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...