PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

sábado, 19 de março de 2011

Mens sana in corpore sano


Esse post foi inspirado num comentário que fiz em um texto visceralmente fantástico da querida e amiga Jackie Freitas, a Fênix do Bem, intitulado O tóxico que nos alimenta . É uma honra ser incentivada pela mesma Jackie a transcrevê-lo em forma de post, ela que, além de uma grandiosa escritora, é igualmente um ser humano do mais alto calão! O meu Salve! Salve! hoje vai pra você, querida Fênix, junto a todas as minhas reverências mais sinceras! Obrigada pela inspiração e incentivo!


Honrado é o fardo de levarmos na consciência, a sujeira de nossas indiferenças!
Ironia para definir o quanto de lixo ingerimos todos os dias, através de nossas bocas, palatais ou mentais, para impormos nossas iniquidades!
O alimento físico ou de alma, não pode ser digerido como coisa qualquer!
Intuitivamente, percebemos a origem de nosso idioma, o latim, que trazia na significação do verbo saber , de 'sapere', uma alusão a 'sabor' (os antigos habitantes do Lácio só achavam que alguém 'sabia' algo, se tivesse provado pelo paladar; outros idiomas creditam o saber, àquilo que já foi previamente escutado ou visto...).
O que quero dizer com minhas palavras talvez indignas?
É que o inconsciente coletivo, seja de latinos ou não, sente uma necessidade de 'saborear', 'degustar' o que a vida traz, e costumamos achar que 'sabemos' aquilo que sentimos e nos faz bem.
Se o seu alimento é veneno para outros, dane-se, porque você provou antes e era gostoso!
Inveja nunca foi boa comida, mas é uma iguaria deliciosa para aqueles que a tem em seus 'organismos' perniciosos!
Relembrando novamente o fundamento linguístico, o que é gostar? É tudo aquilo que se provou pelo gosto e era agradável!
Os mesquinhos se entopem do que não presta, porque há a necessidade crucial, necessidade básica, de sentirem seus estômagos cheios, fartos!
Fartos de quê?
De saciamento egoístico...
Para eles não há importância de alimentar quem está perto, mas saciar seus desejos pútridos, nem que esse alimento seja encontrado em lixos fedorentos!
Há sentido em ver-se semelhantes nossos esparramados em latrinas sociais, chafurdando feito porcos, indigentes, revirando latas velhas, imundas e a nossa mesa preenchida de nossos 'assassinos' alimentares?
Comida é para quem tem fome orgânica; cordialidade é para quem tem fome de respeito!
É impactante versejarmos misérias alheias, enquanto as nossas próprias estão arquitetadas em tapetes internos, não batendo para tirar o pó nunca, chorando pitangas porque não compramos aquele móvel-descarte que estava na promoção...
Removendo o alimento-momento de nosso corpo, nos vemos sós e livres!
Um menear de mãos para a despedida das sobras do nosso jantar lamentoso...
É ensurdecedor o grito da alma que pede por alimento!
Nutramos essa perisperitual clamante por justiça!
Como e bebo "do melhor", engordo sonhos de fazendeiros carnívoros em adquirir a pickup 4x4 de 0 km...
Como e bebo "do pior" e me auto-engordo, alimentando sonhos de donos de academia de ginástica para trazerem as esteiras nauseantes estilo "States" de engana-trouxa, as famosas 'ET'...
Levemos pela cara essa imundície que emporcalha valores!
Saiamos renegados pelo senso comum da imparcialidade ao se ajudar alguém, sem olhar a quem!
Fardos, arrobas de arroz estragando em dispensas; joguemos fora, é fácil e óbvio não atinarmos para as bocas desdentadas de fome...
E o alimento de espírito?
É dificultoso ter caridade, virtude dos fracos e tolos, candidatos à sublimação, caretas arcaicos, bobos que gastam seu tempo precioso para estar em algum lugar, fazendo o bem...
Alimentar o corpo de outrem, é alimentação substancial da própria alma, nascida ignorante e pura, pedinte de paz, límpida de toxidez inferior!...
A alma humana é insípida, e graças a essa característica é que ainda encontramos seres que não aceitam migalhas de alimento, e não intoxicam seus ensejos de existência!
Saber é saborear, gostar é provar pelo gosto, mas por que será que só 'sabemos' e 'gostamos' logo do que nos faz mal, do que intoxica nossas mentes e atrapalha nossos semelhantes?
O conceito de certo e errado foi inventado por quem?
É sempre uma boa pergunta essa...
Talvez se trocássemos os pratos de vez em quando, engolindo o fel alheio, entendêssemos o quanto é abominável uma alimentação inadequada!
Aprender a nos colocar no lugar dos outros, ainda é um maravilhoso caminho para SABERMOS como é a vida de verdade.
Novos sabores, novos temperos podem trazer satisfações alimentares, de alma e de corpo, que jamais pensaríamos existir, enquanto continuarmos com nossa monocultura de egoísmo...

(Imagem:
www.blogs.estadao.com.br)

16 comentários:

Mikasmi disse...

Olá Mary

Em casa dos meus pais dizia-se:não faças aos outros o que não queres que façam a ti. Infelizmente emprenha-se pelos ouvidos. Há gente que se enche e se consola do diz-se diz-se, se trincasse a língua morria envenenada. A maledicência é o prato forte de muitos. Poderiam usar esse tempo tão mal empregue, a avaliar-se a si mesmo, ou a ajudar o próximo, em vez de andarem no leva e traz.

Abs

Mary Miranda disse...

Oi, Emilia!

Um prazer imenso meu te ver aqui, minha amiga!
Ensinamentos bons, são para sempre, porque marcam por toda a vida...
Quão bom seria se esquecêssemos nosso lixo tóxico interior, deixando de falar tanto e fazer mais, como apropriadamente você explanou!...
Uma mente de fato sã, só se faz se o corpo for abastecido por alimento físico que satisfaça o organismo e alimente a alma, largando de lado a mesquinhez e o egoísmo, tão presentes em muitos de nós...
Ajudar o semelhante, seja de que maneira for, ainda pode ser a senda certa para sermos mais humanos, mais decentes com nossas propostas benignas!

Um forte abraço, com gosto de agradecimento e muita satisfação por te ver aqui!

Mary:)
Qual é a sua opinião?
Expresse sua opinião sobre essa notícia comentando aqui.

Ebrael disse...

Pois então, "a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte"...

A saúde como um todo é uma alimentação balanceada de tudo que nos faz bem, em doses homeopáticas e constantes!

Bjs!

Mary Miranda disse...

Oi, querido Ebrael!

Creio que o nosso sentido de 'saúde' só é possível se a mente, representante da alma pensante, esteja em acordo com um corpo são, que sirva de trampolim para a filantropia, a que dignifica qualquer ser...
Corpos sãos que não servem se não para exibições fúteis, irão perecer rapidamente porque a mente não aceitará por muito tempo o mau uso!
E a letra música trazida por você, traduz bem a retórica!
A vida é muito mais que uma simples satisfação através da comida e bebida...

Abração!!!!
Um comentário oportuno esse seu; muito obrigada!

Mary:)

Jackie Freitas disse...

Alteza, minha querida!
Amiga, escritora, humana, blogueira, rainha...
Você não imagina o imenso orgulho que sinto em ler esse belíssimo post! Um comentário tão maravilhoso que nasceu em um post meu... Quanta honra! E o meu orgulho não pára nisso... Ele cresce cada vez que vejo nossa compatibilidade em ser e pensar, agir e demonstrar em palavras, sentimentos que explodem diante das injustiças, da miséria e pobreza daqueles que, no intuito de serem "humanos", lançam pelo caminho apenas lixos, restos de hipocrisia, intolerância, desrespeito e egoísmo.
"Comida é para quem tem fome orgânica; cordialidade é para quem tem fome de respeito!" Bravo, querida! Bravo!
Ninguém é obrigado a usar como alimento o lixo que é despejado diariamente, intoxicando mentes, almas e corações... Respeito é bom e todos gostam! Se vier servido em pratos com gentilezas como acompanhamento, melhor ainda!
O mundo se serve com as desgraças... E brindam (tin-tin)a cada vez que podem olhar ao seu redor e verem que tudo está intacto... Será? Sob qual ponto de vista entre certo e errado?
Estou com o Japão agora como exemplo...pois os holofotes estão todos voltados para lá agora...mas, ao contrário do sensacionalismo, estou curvada em orações, mas acima de tudo, em admiração ao exemplo daqueles que fazem de suas mazelas, pequenas porções de generosidade, amontoando naquilo que parece a todos escombros, dignidade, força e grandeza humana! E olham uns para os outros com respeito a dor e oferecem suas mãos para, juntos, reconstruírem não uma casa ou duas, mas toda uma nação!
Com certeza, mesmo nas desgraças, não sobram apenas lixos e entulhos... olhemos o exemplo que está distante de nós, mas que deveria morar dentro de nós... Aprendamos que a boca pode comer e engolir tudo o que vem pela frente, mas a alma pede boa comida...pede decência, amor, carinho, gentilezas... E se a alma estiver bem alimentada, com certeza a mente e o corpo serão sempre sadios...
Lindo e visceral esse seu texto! Parabéns sem fim, com louvor e toda a minha reverência, Alteza!
Grande beijo,
Jackie

Felipe disse...

Moça Bonita
Criados simples e ignorantes nos tornamos artistas da vida. Cabe a nós escolher onde será nosso palco.
Um lindo texto.
Beijão da presidência vitalícia (sem ser ditatorial).

Mary Miranda disse...

Olá, querida Jackie, Fênix do Bem, fabulosa e honrosa, minha doce amiga!

Acho, Fênix, que qualquer hora vamos elaborar posts só de comentários que fazemos!... rsrsrs
Seu comentário é perfeito, tocante, objetivo, reflexivo, responsável, humanitário, MARAVILHOSO!!!!
O que dizer, minha amiga, depois de ler algo como: 'Aprendamos que a boca pode comer e engolir tudo o que vem pela frente, mas a alma pede boa comida...pede decência, amor, carinho, gentilezas... E se a alma estiver bem alimentada, com certeza a mente e o corpo serão sempre sadios...'?
Eu seria estupidamente tosca se quisesse acrescentar mais alguma coisa...
Essa sensação de 'transmissão de pensamento intelectual' também me pega, volta e meia, ao ler seus posts e/ou comentários!
É comum eu me perguntar:'Como ela pôde captar os meus sentimentos tão acertadamente?'
Só pode ser a nobreza de nossos corações que faz com que isso seja possível...
Você gosta de segredo, amiga?
Vou te contar um (ninguém vai saber! rsrsrs): a parte que você destacou do meu texto em seu comentário, foi a que mais me tocou! (Shiiiu! Não espalha, 'tá? rsrsrs)

Beijos em reverência a você, minha querida, que é a verdadeira Alteza!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Olá, meu Canceriano Favorito!

E é essa simplicidade, meu amigo, que faz com que possamos nos desapegar de valores somente materiais, servindo ao semelhante o que irá nos servir também, através do alimento que isso traz para a alma!

Obrigada, querido!
Te adoro!!!!
Você, com certeza, sempre será o presidente eterno!

Beijos dessa igualmente fã,
Mary:)

Mary Miranda disse...

Olá, gente!

Valéria Braz, uma amiga do diHITT, deixou um comentário no site, e eu o estou trazendo pra cá:


"Oi Mary.... sensacional seu post......
E diria apenas...... que embora uma parte da população não tenha acesso aos melhores alimentos para o corpo......"comida é pra quem tem fome orgânica", toda a população sem exceção tem acesso ao principal alimento da alma - gentileza, compreensão e cordialidade, unido a auto conhecimento! "Cordialidade é pra quem tem fome de respeito".
Beijo no coração"

Mary Miranda disse...

Minha resposta foi essa:



"Olá, Valéria! Tudo bem, amiga?

Querida, te agradeço, desde já, sua participação sempre de uma visão ampla sobre os posts!
E mais uma vez uma luz que você traz à ideia para clarear uma outra vertente!
De fato é, amiga, o alimento orgânico não está em todas as populações mundiais, nessa sociedade egoísta que só pensa em si mesma.
No entanto, o alimento de alma está à disposição de qualquer um!
Ninguém perderá a voz por ter dado uma palavra de consolo a outrem , nem alguém será julgado culpado por estar fazendo o bem, mas é aí que consiste a problemática: é fácil alimentar a alma, o difícil é convencer às pessoas de que isso é fácil!...
Ainda temos que aprender- e como!- a nos colocarmos no lugar do próximo...

Um beijo, querida amiga!
Adoro seus comentários!

Mary:)"

Valdeir Almeida disse...

Mary,

Mais um comentário seu que se transforma em post. Isso demonstra a sua destreza em tratar de qualquer tema que está diante de você.

E, coincidentemente, este seu post revela algo da linguística etimológica (como no meu mais recente post).

Há pessoas que saborem, mas parece que, apesar de saberem (saborearem) o que ingerem, não se tornam suficientemente sábias para eliminar de suas vidas o egoísmo. Por isso, elas se entorpecem de alimentos que, aos poucos, vai matando o ser humano que existe dentro delas.

Mary, é maravilhoso interagir com você.

Beijão e ótima quinta-feira.

Mary Miranda disse...

Oi, Valdeir, meu querido!

Acho que estou ficando boa nisso, hein?
E o pior: muito mal acostumada!... rsrsrs
Brincadeiras à parte, houve mesmo um 'cruzamento' de ideias entre nós, não?
Também, pudera!
Qual professor de português que não gosta de etimologia????
A questão dos prefixos, sufixos, radicais... Adoro isso!!!!
E sobre o post, essas pessoas que, mesmo sem saberem da etimologia, só 'sabem' do que lhes saciam o corpo, desconhecem totalmente o mal que fazem à alma!
Imagine alguém que passe pela vida e NUNCA ter ajudado à uma pessoa, através de uma palavra caridosa, um respeito, nada disso?
Algo, pra mim, inimaginável...
Que alimentemos o corpo, sem esquecer da mente, que é a 'casa' da alma!

Também acho o mesmo, amigo!!!!
Interação é tudo de bom!!!!
E isso temos de sobra, não é mesmo?
(Queria muito que a galera lesse seu post sobre amizade... Adorei de verdade!!!!)
Obrigada pelo comentário!!!


Beijos pra você!

De: Mary
Para: Valdeir

Samanta disse...

Olá minha amiga Musa da Escrita !!!

Maravilhosa postagem ! Tive o prazer de ler o seu comentário, como sempre relevante e finte de aprendizado !
Concordo contigo, muitos de nós não se importam se o que lhes alimenta é maléfico para os outrso, não querem saber das consequências e somente dão vazão a sua fome por puro prazer egoísta.
É tão mais fácil, não refletir sobre isso, aprender e se arrepender, não é mesmo ! Assim seguem se alimentando do que lhes convém, sem dar atenção ao estrago que fazem pelo caminho...
Alimentar nosso interior com coisas boas é complexo, dá trabalho e exige dedicação, talvez por isso exista tantas pervesidades que nem sempre são contra outros, às vezes são ainda mais devastadoras para quem vive assim.
E como você disse, nossa Alma permanece lá, suplicando por alimento, oxigênio, bons pensamentos !
Tem também o fato, que você sabiamente mencionou, de que quem preza por alimentar sua Alma e seu coração com o Bem, é taxado de trouxa, etc, o que muitas vezes pode alimentar erroneamente esta pessoa, lhe tirando de seu caminho por pura intoxicação alimentar !
E justamente quando provamos do fel alheio é que pensamos nisso, mas nem sempre é suficiente para nos encaminhar a uma atitude melhor, tamanho é o vício em que muitos se encontram na má alimentação de seu interior...
Uma vez escrevi um post de como salvar o Mundo, lá só tinha uma dica : Se colocar sempre no lugar dos outros !
Se fizéssemos isso contantemente, sem dúvidas as coisas seriam bem diferentes...
Parabéns amigaaa !! Arrasou como sempre !!
Um beijo da amiga que te gosta muito e chega atrasada kkk
smack !! Bom fim de semana !

Ademar Maggi disse...

Atrasado mas presente. Sua escrita tem me fascinado Mary. Creio que é preciso os dois o alimento fisico e o espiritual sendo este segundo obtido de diversas maneiras, como ler textos que nos instruem e edificar até ser solidário com o próximo. Cresci menbro de determinada igreja, durante o carnaval faziámos trabalhos na Febem, cheches, asilos e parques e realmente era uma experiencia fantastica e inesquecivel poder prestar aqueles trabalhos, todos concordavam que era muito melhor que os acampamentos, nós realmente cresciamos espiritualmente sentiamos a necessidade de amor e carinho daquelas pessoas e o quanto se alegravam com tão pouco que faziamos. Eram momentos de amor, sem egoismo apenas doação, coisa tão facil quando se é jovem e ainda puro, miope para a escuridão do mundo. Faço o possivel para manter acessa essa chama em mim ainda, não tão pura quanto foi um dia, mas ardente e forte e creio que resgatar um pouco nossa maneira de ser quando jovens seja um dos melhores modos de alimentar de maneira sadia nossas mentes.
GRANDE abraço,

Mary Miranda disse...

Oi, Menina Sorriso, querida amiga!

Sua presença é sempre oportuna aqui, não importa em que momento venha!
Só me enche de júbilo saber que o que comento e/ou escrevo em forma de post, traz algo de útil para alguém; é massagem de ego para qualquer um...
Mas, honestamente, amiga, passo o mérito para a Jackie, que foi fonte primordial de inspiração para escrever esse texto!
Infelizmente, querida, o que mais vemos são lixos orgânicos, que entopem as veias e a alma, que necessita crescer, cumprir a função que lhe foi dada aqui na Terra para a evolução.
Enquanto mantivermos apenas o organismo saciado, sem pensar no semelhante, estaremos a milhões de passos para o saciamento principal: a do espírito, que está sempre faminto por bons sentimentos.

Amiga, um grande comentário o seu, que não me deixou com muito a acrescentar!


Beijos, florzinha!
Também te gosto muito!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Oi, Ademar, bom que esteja por aqui!...


Obrigada desde já pelo fato de estar apreciando o que escrevo; sempre muito bem-vindos incentivos quais esse!
Acho válida a bondade colocada na prática, sem aquelas conversinhas moles, discursinhos decorados como muito vemos por aí...
Sou espírita kardecista e tento fazer o que ajuda às pessoas pelo meu próprio coração; uma das características do espiritismo é não 'catequizar', mas direcionar.
O que quero dizer é que não sou um bastião de moralidade, mas tento alimentar meu espírito com virtudes, o máximo que puder, para que meu saciamento não se limite apenas ao corpo.
A mente para ser sã, precisa de um corpo são, e devemos juntar esses dois em prol de um bem comum.
Só discordo quando você enfoca a juventude como uma espécie de símbolo de pureza de alma.
Quando eu era adolescente, era mais egoísta, só pensava nas minhas próprias dores, não ligava lá tanto assim se aparecessem pessoas que sofriam.
Hoje em dia, me sinto mais 'pura', sabe, porque me coloco mais no lugar das pessoas.
Os anos que vão passando só estão me fazendo bem!
Vou enxergando mais -e melhor- coisas que não via antes...
Posso te garantir, amigo que, não sendo nenhuma santa hoje em dia, consigo ser melhor ser humano de quando mais nova!...

Um abraço, e obrigada pela participação tão propícia no post!

Mary:)