PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

sábado, 25 de junho de 2011

Sou contra a vagabundagem!


Se há uma coisa que me embota o cérebro, e leva embora a minha conjuntura moral de jamais julgar alguém, são os procedimentos arbitrários, ordinários, tacanhos, comodistas, parasitórios de certos seres sociais, se é que assim posso chamá-los!
Desculpe, mas estou revoltada!!!!
Se eu fosse fazer uma campanha, fazer um piquete para sair pelos bairros e adjacências, para acabar de vez com algo, minha placa de luta incansável viria escrito:
SOU CONTRA A VAGABUNDAGEM!
Não aceito preconceito contra gênero, opção sexual, raça, nação, classe social, religião.
No entanto tenho ojeriza, pavor, nojo, ódio, abomino, sou totalmente contra gente que tem prazer no ócio!
Por ser uma pessoa honrada que SEMPRE trabalhou (desde os sete anos já lavava a louça da casa!), não admito por perto, pessoas cuja maior tarefa seja dormir!
Aquele pai ou mãe que expõe o filho à miséria, de ossos surgindo por baixo do peito, com a camada básica de cobertura tênue por cima feita com a pele, deveria ser preso!
Alguns torpes vão dizer que falta trabalho...
Não, parasitas, falta emprego, não TRABALHO!
Juntem uns vinténs e vão às ruas vender balas, sejam acometidos pelos martírios do dia, se gripem na chuva, torrem no sol, mas não permitam crianças suas espreitando comida na casa alheia!...
Alguns bem parasitas vão dizer que é fácil a mim falar a verdade deles, tendo eu um emprego "limpo", onde não há o sofrimento da exposição imprevista.
Não sou demagoga, minha bandeira não é hasteada para a hipocrisia, logo explicando que não preciso me "matar" de trabalhar.
Tenho ao meu favor a falta (por enquanto) de herdeiros!
Se eu os tivesse, não admitiria vê-los passando necessidade alimentar por vagabundagem minha ( faço coro à personagem Scarlet O'Hara: Jamais sentirei fome novamente!...).
Párem, vagabundos, de colocar a culpa só no Governo!
Para a bebida com a turminha, o dinheiro não sempre aparece?
Desgastem os sapatos, andem a pé, e vão à luta!
Sem hipocrisia alguma (como eu já falei, JAMAIS hastearei bandeira para ela!), afirmo que trabalhar não dignifica o homem coisa alguma!
Ter que acordar cedo, pegar transporte coletivo lotado, comer comida muitas vezes fria, levar horas para o retorno ao lar, suar em bicas esperando em filas, quase não ver os filhos durante a semana, não são dignos de lembrança sadia quando chega a aposentadoria...
A dignidade do trabalho constitui-se no que se pode conseguir com ele!
É infinitamente recompensador ver o suor do rosto escorrendo para a compra da casa própria, os filhos ou dependentes estudando despreocupados, o alimento adequado na mesa para a saciação devida da fome cotidiana, do agrado que se dá em datas comemorativas, da aprumação estável que se tem enquanto gente...
Meu desespero verbal não é à toa!
Vejo diariamente em forma de alunos, crianças atrás de pipas, crianças soltas pelas calçadas ao "Deus-dará", menores não delinquentes mas já "marginais", largadas à rudeza do mundo para a aprendizagem infeliz, maltrapilhas, mal alimentadas...
É triste perceber... mas não são órfãs: elas têm pais!
Mau exemplo vemos por todos os lados, de políticos sevandijas a sub-celebridades ocas (esses "relâmpagos", que fincam na mente dos tontos que é melhor vagabundear na mídia do que trabalhar...) e "por fora" personagens quais o Tuco, de A Grande Família, que só arrumou um emprego fixo com mais de TRINTA ANOS, tendo o "moralista" Lineu, o pai, dizendo que ele poderia escolher entre estudar ou trabalhar, como se um fosse atrapalhar o outro! (Eu paguei a minha faculdade com o meu dinheiro, ou seja, TRABALHAVA e ESTUDAVA, e sempre fui ótima aluna!!!!)
Párem, chupins, de justificar o que não conseguem, por falta de oportunidade!
Chances de se lançar no mercado não vêm fácil, admito!
Mas cavemos com as mãos o que a terra não fornece!
Não se lancem à mendicância dos corpos em luxúria para a execução do que chamam a "profissão mais antiga do mundo"!
Se alguém disser que se enveredou na prostituição por ter sido iniciado desde a infância, ou para trazer sustento para os filhos, sei que isso se figura na lista de sobrevivência de um ser, devendo ser relevado, e reconheço que se instala nas jurisdições de uma sociedade injusta, ao trazer profissionais dispensáveis ganhando 1 milhão por mês, e bombeiros tratados feito indigentes e "vândalos" ou... -me recuso a enfocar tamanha iniquidade!- "vagabundos"!
Vamos estabelecer, mentacaptos emergentes, que vagabundo é todo aquele que ergue estátua para o ostracismo, que se limita à subexistência ou ganha dinheiro "fácil"!
Alguém que, mesmo à paisana, lança o corpo num Tietê podre e salva a vida de um ser frágil se abstendo da própria vida, eu AFIRMO que JAMAIS, J-A-M-A-I-S pode ser chamado de vagabundo, e sim, de HERÓI!(Eu preciso soletrar de novo?)
A inversão do que é TRABALHO e do que é GANHAR DINHEIRO MOLE, faz com que uma geração de vadios se estabeleça em colégios abstratos ("Estudar pra quê, se o "Fulano" tem um renda de 40 milhões ao ano, e fala mal pacas?").
Inafiançável é o crime que deveria ser, do estímulo ao esmorecimento do poder que um trabalho tem...
É usual uma mocinha colocar seu legging ou microssaia em busca de estádios para o enlace com os "da onda".
Um Roma, Manchester United ou Santos mesmo, vale uma noite que não se lembre de rostos... Filhinho no "bucho; garantia para o resto da vida!
Com o aval dos amigos? NÃO!
Com o aval dos pais, os vagabundos geradores de novos vagabundos!...
Se alguém quiser ler amenidades, procure a primeira Sabrina que joguei na minha lixeira!
Em contrapartida, se quiser reter as informações de uma realidade suja, abra as manchetes dos pasquins ordinários!
Por saber do quão espúria é a convivência com degustantes de valores invertidos posso dizer, com firmeza, que não há recompensa sem luta.
Aos alardes da Gênese, não da maneira catastrófica de punição divina, e sim, da lição em metáfora, do Deus impecável, aos iniciantes Adão e Eva.
O Pai não perdoou ao dizer:
- Tirarás do próprio suor do rosto, o pão, até o retorno à terra .

E eu digo:
- Graças a Deus!...

(Imagem:

Fonte desconhecida

Edição de imagem:

http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com)

14 comentários:

Francisco Mafra disse...

Eiaaaaaa!!!!! Mary querida, sem nenhum resquício de bajulação, desde que sigo seu blog, ou melhor, desde que sigo blogs, esse foi o melhor artigo social que já li. Concordo com você em gênero,número e grau. Eu andava 5km as duas da madrugada, com 16 anos de idade pra chegar na redação dos tres maiores jornais da minha cidade, na época, e pegar minha cota e sair pras ruas a ganhar alguns trocados. Já fui ajudante de pedreiro, vendi balas, trocador de lotação, artista de circo... enfim, quando a bíblia diz: "nunca vi um justo mendigar o pão" - quem tem ouvidos ouça.
Abaixo a vagabundagem intitucionalizada. Empunho essa bandeira. Bjs.

Flora Pires disse...

Amiga!!!
Ala Puchaaaaaaaaaaaa! Como diz a gauchada!
Que texto forte e veemente. Da até para sentir a força de tuas palavras e indignação.
Mas belíssimo texto, e provoca muita empatia principalmente quando se observa alguém olhando com inveje e cobiça uma pessoa bem sucedida, aquelas que realmente trabalham não me refiro aos parasitas rsrsrs... , mas que nem imaginam fazer a metade do que tais pessoas tiveram e tem que fazer para chegar aonde chegaram.
Parabéns e mil beijos!
Flora.

Mary Miranda disse...

Francisco,

Você é o maior exemplo, pelo seu relato incontestável, de que o trabalho existe, basta que queiramos trabalhar!
Sou contra totalmente a vagabundagem, sobretudo quando, por causa dela, dependentes do "mexa-se" dos responsáveis, sofrem consequências odiosas como má alimentação e doença!
Isso mesmo!
Abaixo a essa torpeza chamada vagabundagem e, como você disse, já transformada em instituição!
Nossa bandeira é a favor do trabalho justo e honesto!

Abração, querido, sua participação foi valiosíssima!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Flora, querida!

Acho que nem pensei direito no que poderia causar aos 'parasitas', que querem tudo fácil, de mão beijada, ao escrever o post...
É de praxe certos sujeitos acharem que, como não tiveram a 'sorte' de nascerem milionários, se sentirem no direito de apelar para o ritmo 'ganhar direito mole', pouco se importando com os meios usados para atingirem fins financeiros...
Mas o tipo de vagabundagem que mais abomino, é aquele concernente ao comodismo, de ver filhos mal alimentados e doentes, e achar que 'Deus quis assim...' ou 'Esse Governo não ajuda!'
Te garanto, Flora, que se meus pais assim pensassem, hoje em dia estaríamos embaixo de pontes pedindo esmolas!
Os dois investiram pesado em alimentação, saúde e educação para os filhos, e não houve ajuda de Governo algum: enfrentaram com afinco o trabalho suado, sem opção de boas condições! ( A maré não era nada a favor quando éramos crianças...)
Não é proibido ser rico (quem não gostaria de fazer um cruzeiro para o Caribe?), desde que a riqueza não seja fruto de trapaça ou vadiagem...

Adorei sua vinda aqui!
EXCELENTE comentário, obrigada, viu?


Beijos,
Mary:)

Mary Miranda disse...

Flora, querida!

Acho que nem pensei direito no que poderia causar aos 'parasitas', que querem tudo fácil, de mão beijada, ao escrever o post...
É de praxe certos sujeitos acharem que, como não tiveram a 'sorte' de nascerem milionários, se sentirem no direito de apelar para o ritmo 'ganhar direito mole', pouco se importando com os meios usados para atingirem fins financeiros...
Mas o tipo de vagabundagem que mais abomino, é aquele concernente ao comodismo, de ver filhos mal alimentados e doentes, e achar que 'Deus quis assim...' ou 'Esse Governo não ajuda!'
Te garanto, Flora, que se meus pais assim pensassem, hoje em dia estaríamos embaixo de pontes pedindo esmolas!
Os dois investiram pesado em alimentação, saúde e educação para os filhos, e não houve ajuda de Governo algum: enfrentaram com afinco o trabalho suado, sem opção de boas condições! ( A maré não era nada a favor quando éramos crianças...)
Não é proibido ser rico (quem não gostaria de fazer um cruzeiro para o Caribe?), desde que a riqueza não seja fruto de trapaça ou vadiagem...

Adorei sua vinda aqui!
EXCELENTE comentário, obrigada, viu?


Beijos,
Mary:)

Valéria Braz disse...

Oi minha flor... não tenho muito a acrescentar nesta beleza de post... apenas realçar que a vagabundagem nãos e encontra na pobreza... se encontra em todas as classes sociais e é marcada pela preguiça de lutar por si e/ou por aqueles que lhe são de responsabilidade atribuindo esta preguiça a algo que justifique continuar sendo um peso morto!
Beijo no coração

Mary Miranda disse...

Flor Val, tudo bem?

Minha flor querida, de vez em quando eu fico meio paralisada com coisas que vejo ao vivo...
Brota em mim certas revoltas quando presencio situações que podem ser revertidas, mas as pessoas ficam dando 'desculpas' para não consertarem...
Fala a verdade, Val: falta TRABALHO no Brasil?
Conheço várias famílias sendo sustentadas pelo trabalho informal (incluindo a minha pelo meu pai, quando éramos crianças), o que é tão honroso ( ou até mais!) que os empregos de carteira assinada!
E mil aplausos meus vão para você quando diz que vagabundagem não é coisa só de pobre acomodado porque, infelizmente, há muitas pessoas que têm infinitas oportunidades, mas mesmo assim ainda arrumam um 'jeitinho' de botarem a culpa no Governo!...
Historinha rápida e real ocorrida ontem, domingo, perto da minha casa:

Um cara estava com esposa e filhos no carro, dando a ré para irem a algum lugar.
Mais rápida que relâmpago, a 'excelentíssima' esposa do sujeito abre a janela do veículo e joga pacotes vazios de biscoitos ao chão.
Não foi capaz de procurar uma lixeira! (Essa parte do nosso bairro é âmbito comercial, logo, o que não faltam são lixeiras...)
Depois uma cretina dessas ainda fala mal do Governo!...


Beijos, florzinha!
Eu ando bastante incomodada com essas 'pérolas' que tenho desprazer de ter convivência!...

Mary:)

Mary Miranda disse...

Flor Val, tudo bem?

Minha flor querida, de vez em quando eu fico meio paralisada com coisas que vejo ao vivo...
Brota em mim certas revoltas quando presencio situações que podem ser revertidas, mas as pessoas ficam dando 'desculpas' para não consertarem...
Fala a verdade, Val: falta TRABALHO no Brasil?
Conheço várias famílias sendo sustentadas pelo trabalho informal (incluindo a minha pelo meu pai, quando éramos crianças), o que é tão honroso ( ou até mais!) que os empregos de carteira assinada!
E mil aplausos meus vão para você quando diz que vagabundagem não é coisa só de pobre acomodado porque, infelizmente, há muitas pessoas que têm infinitas oportunidades, mas mesmo assim ainda arrumam um 'jeitinho' de botarem a culpa no Governo!...
Historinha rápida e real ocorrida ontem, domingo, perto da minha casa:

Um cara estava com esposa e filhos no carro, dando a ré para irem a algum lugar.
Mais rápida que relâmpago, a 'excelentíssima' esposa do sujeito abre a janela do veículo e joga pacotes vazios de biscoitos ao chão.
Não foi capaz de procurar uma lixeira! (Essa parte do nosso bairro é âmbito comercial, logo, o que não faltam são lixeiras...)
Depois uma cretina dessas ainda fala mal do Governo!...


Beijos, florzinha!
Eu ando bastante incomodada com essas 'pérolas' que tenho desprazer de ter convivência!...

Mary:)

Samanta disse...

Olááá amiga Musa da Escrita, chegueiiii !!!

Aff amiga, assino embaixo de cada palavra !!!
Sabe , tenho um conhecido bem próximo que exemplifica o que você quis dizer perfeitamente !
O dito cujo tem quase 30 anos, nunca trabalhou, mal terminou o ensino médio e hoje em dia reveza morando na casa da mãe e da namorada ( com a qual tem uma filha pequena...), toda vez que colocando ele na parede ele inventa que quer fazer um curso e lá vai a mãe iludida pagar... quando surge emprego, existe sempre uma desculpa para não ir a entrevista ou para não mandar currículo...
Eu fico revoltada !!! Como que uma pessoa se presta a este papel ??
Não quer trabalhar ? ah mas eu também nunca quis, mas temos que trabalhar !!!
Trabalho desde os 16 anos e sempre ajudei em casa quando morava com minha mãe dividindo as contas ! E isso porque não tenho filhos !
Minha mãe quando foi deixada pelo meu pai com um bebê no colo e eu, foi fazer faxina a noite e trabalhava de dia enrolando almôndegas numa fábrica !! Se virou nos 30, por isso não consigo conceber que uma pessoa seja encostada deste jeito...
Quando fiquei sem emprego eu pintava camisas pra vender, me virava !
É fácil dizer que não temos oportunidade, que o Governo isso, que os empregos aquilo, que o Universo aquele outro... Mas isso na minha opinião já mostra que belos valores, caráter e força de vontade estas pessoas tem...
Affffffff fico danada, amiga !!
Adorei seu desabafo !! Arrasou !

Um beijão e boa semana !!!

Isaias disse...

Calma! E o ócio criativa, onde fica?

Mary Miranda disse...

É, Menina Sorriso, maus exemplos são o que não faltam neste mundo de meu Deus...

Pensar que eu também conheço uns tipinhos como você citou e eu tenho que conviver com eles (pais de alunos, vizinhos, etc.)...
Graças a Deus, amiga, que os exemplos em família foram como os seus, de pais, tios, primos, extremamente trabalhadores; ninguém aqui nunca foi parasita...
Meu pai já vendeu doce na rua, minha mãe torrava amendoim para ajudá-lo, além de ter trabalhado anos como doméstica!
Assim fomos crescendo, absorvendo valores morais e sabendo a importância do trabalho já que o que conquistamos, foi com o suor da labuta incansável e muita perseverança!
Para pessoas feito você, eu, nossos familiares, não dá para assistir passivamente esses parasitas que não querem lutar pelo sustento nem dos filhos, né?

Beijos, meu doce!
(Eu, de vez em quando, 'solto os bichos'!
Não resolve, mas ao menos extravasa... rsrsrs)
Obrigada pelo comentário!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Verdade, Isaías!

Existe algo chamado 'ócio criativo', que é dele que surgem as melhores páginas artísticas! (Noel Rosa e sua caixinha de fósforo renderam vários sambas consagrados até hoje...)
Mas o ócio voltado para a arte, nem podemos chamar de vagabundagem, né?
Vamos chamar de... DESCANSO PROLONGADO!... rsrsrs

Abraços,
Mary:)

Jackie Freitas disse...

Oi minha amada Alteza!
Palmas para você! Assino embaixo, levanto e sustento essa bandeira ao seu lado...
Eu SEMPRE digo aqui, quando vejo as lamentações de desemprego, que a diferença é que MUITAS PESSOAS não querem TRABALHO, mas sim cargos que constem em cartões de visita e que alimentem egos... Esses dias, vendo o noticiário da tarde, fiquei pasma com a quantidade de vagas que estão disponíveis, esperando pessoas que estejam dispostas a trabalhar. Falta, também, qualificação! Porque estudar também exige esforços...dá trabalho. Para mim, dá prazer, mas para a maioria dá trabalho, portanto, estudar também entrou na fobia dos vagabundos! Eu comecei a trabalhar e defender meu dinheiro aos 15 anos! Trabalhava o dia todo, estudava a noite, namorava, ajudava minha mãe em casa, saía, me divertia e...ah! ainda era uma das melhores alunas da ESCOLA!!! Desculpem-me, vagabundos de plantão, mas faço questão de não ter qualquer modéstia nesse quesito! Muito pelo contrário! Tenho o maior orgulho em dizer que sempre venci através dos meus esforços, buscando no aprendizado o melhor caminho para a minha realização.
Então, minha Alteza amada, quando alguém bate na minha porta pedindo (principalmente dinheiro), pergunto se está disposta a limpar uma casa, carregar tijolos, enfim, fazer qualquer coisa que a faça merecer isso. Porque no final, neste mundo em que vivemos, o trabalho é a moeda de troca... Com o dinheiro compramos e pagamos, mas é com o trabalho que o conseguimos... é uma roda, não adianta!
Querida, só vou parar de escrever...rsrs...porque preciso conter a minha revolta...rsrs...e porque vou buscar meus filhos na escola! hahahaha... Senão esse papo iria render ainda mais!
Como sempre, palmas para essa admirável Alteza, que sabe argumentar, protestar, poetizar, alertar... enfim... Quem tem o dom, o tem e pronto! PARABÉNS!
Grande beijo, minha linda e querida!
Jackie

Mary Miranda disse...

Mais um daqueles comentários seus, minha Fênix do Bem, que eu devo pensar no que vou dizer, porque já está completo...

Querida, que ponto maravilhoso você tocou, quando se referiu à vagabundagem até mesmo para se estudar!
É sim, amiga - acho que vimos a mesma matéria!-, a falta de formação de certos cidadãos que 'catam' o diploma para terem status, mas não têm a MÍNIMA habilidade para exercer a profissão!...
Tradução disso você explicitou: VAGABUNDAGEM!
Fiz tudo isso igualmente ao seu histórico de vida; o trabalho e estudo nunca atrapalharam meus outros lados de pessoa normal (sair, namorar, escrever, viver...).
Essa gente oca e fútil faz com que filhos seus, sangue de seu sangue, fiquem à deriva, passando necessidades físicas (falta até mesmo de alimento!) e morais ( não possuem pais com exemplos de trabalho e disciplina).
Isso que você falou é outra verdade inquestionável!
Quando alguém quer dinheiro, quer o que a futilidade dele oferece porque, se tivesse mesmo com ímpeto de ser digno, aceitaria a oferta de trabalho oferecida a quem está disposto a pagar por isso! (Até hoje, querida, só vi uma pessoa aceitar capinar o nosso quintal em troca de um dinheiro mais urgente... Sinceramente, ficamos com bastante pena do moço na época porque aquele ali gostava mesmo de TRABALHAR!)

Minha doce Fênix, não sabe o quanto me regozija ter conhecimento que sua luta é (e foi) parecida com a minha, e que nos tornamos inteiras devido ao nosso histórico de vida!
A Alteza Imodesta aqui só tem a te agradecer e AGRADECER DE NOVO por você ser essa pessoa que é, um exemplo, a que adoro saber que existe em meu convívio, de alguma forma!

Beijos e beijos, querida!

Mary:)