PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem)

Quais assuntos mais te interessam no blog Fatos de Fato?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

"Verdades Secretas": Angel matou Alex por amor


Tenho visto tantos comentários - positivos e negativos -,  e até "crise de abstinência", devido ao término  da novela Verdades Secretas, que senti vontade de me mexer na cadeira e escrever minha simples opinião sobre o emblemático último capítulo da obra.
Não, não me perguntem sobre Fanny ter terminado numa boa, sem pagar pelo crime de levar adolescentes a fazer "book rosa", arrumando até mesmo um novo garotão a quem pudesse dominar através do dinheiro; Anthony e  Giovanna terem ido, dentro de um triângulo amoroso, para Paris, com a frieza e o egocentrismo típicos; sobre o próprio "book rosa", se acabou ou não; Larissa ter se libertado das drogas; sobre Visky e Lourdeca só ficarem juntos quando estão bêbados; Pia, por largar seu apego à riqueza e aceitar uma vida menos exuberante ao lado de seu "namorido" Igor; até mesmo o fato mal explicado que uma  arma de um crime fatal não tenha sido retida pela polícia e volte para a mesma casa onde ocorreu a tal fatalidade.
Nada disso. Meu papo reto vai ser sobre o amor, esse "sujeito" tão rarefeito  no perfil da maioria dos personagens desta ficção.
O amor é estranho, bem estranho, e tem um caminho muitas vezes torto para fazer valer. É o maior dos sentimentos que um ser humano pode ter, e é tão perfeito, que o axioma de nossa existência é exatamente esse: só é considerada PESSOA aquela que verdadeiramente ama alguém ou algo.
Angel era uma pessoa, no sentido real da palavra: ela amava!
Para entendermos o sentimento da moça, é necessário se fazer um pequeno retrospecto de sua trajetória como garota humilde do interior, até sua consagração como modelo. 
Carolina, a mãe de Arlete (Angel era o seu nome artístico, todo mundo lembra disso) fora traída pelo marido, que tinha uma nova esposa e filha, a pequena Yasmim.
A ainda adolescente de 16 anos, Angel, sempre quis ser modelo, e a sua oportunidade chegou, quando ela e a mãe se mudaram para a casa da avó na capital de São Paulo. Foi agenciada por Fanny e imediatamente chamou a atenção por sua beleza e carisma. 
A avó passava por problemas financeiros. Logo Angel aceitou algo que tanto recusava, que era  o famigerado "book rosa", aquele onde modelos aceitam fazer programas com clientes que pagam pequenas fortunas.
Quitou a dívida da avó. E aconteceu o imprevisto: apaixonou-se pelo seu cliente, o Alex.
O empresário Alexandre Ticiano, mais conhecido por Alex, rico, despótico, egoísta e um pedófilo, trazia em sua personalidade um gosto por modelos bem jovens, ao ponto de considerar mulheres de 26 anos, por exemplo, como "velhas".
Por algum motivo ficou obcecado pela garota interiorana e a recíproca era verdadeira!
Não demorou muito, e a avó descobriu que a neta fazia programas. Enviou a garota, imediatamente, para a casa do pai no interior do estado, sem que a filha Carolina soubesse o motivo genuíno.
Lá ela conheceu a nova mulher do pai e a sua irmãzinha Yasmim, um doce de criança que até uma flor lhe ofereceu, quando Letinha - Angel -, entrou em seu quarto.
Muitos percalços passou a adolescente. Já tinha namorado Guilherme, mas nunca sentira amor por ele (seu carinho era mais por ter sido o rapaz, o primeiro homem de sua vida). Não pôde mais exercer a profissão de modelo, condição imposta pela avó para não se envolver novamente em "romances pagos". 
Voltou para casa.
Algum tempo depois, estava nas passarelas novamente, e novamente  envolvida com Alex.
Uma acusação de estupro de uma colega de profissão, porém, a afastara do cara que tanto a atraía.
Alex armou um casamento com Carolina, só para ficar mais perto da moça.
E conseguiu. Afastada a suspeita de estupro, Angel largou-se nos braços daquele sujeito que a envolvia como ninguém conseguia, a despeito de correr um risco grande de magoar a própria mãe,  se um dia os flagrasse juntos. Esse é o caso que podemos chamar de traição dupla, tanto da moça quanto do marido, sendo que a primeira era ainda mais dolorosa.
É claro que esse dia teria que acontecer, mais cedo ou mais tarde.
Carolina, que sabia atirar muito bem, ameaçou matar Alex, ao ver o casal na cama. Angel se jogou na frente dele para que a mãe não o fizesse, alegando que o amava.
Ao descer as escadas, na cozinha, Carolina deixou uma carta-despedida para Letinha, dizendo que fosse feliz e que amava muito a filha. Matou-se após escrever a tal carta.
Angel sofreu muito; Alex, nem um pouco
Para a casa no interior que a moça retornou, foi morar com o pai, sendo procurada pelos dois homens que tanto a cortejavam: Guilherme, e depois, Alex.
Naturalmente que a presença de Alex que mais a interessava, fosse qual fosse o motivo.
E é aqui que vem a maior demonstração de amor da modelo - na minha simples opinião, ressalto outra vez - quando, num passeio de lancha, Angel descarrega seis ou sete tiros no homem que ela protegeu das balas que a sua mãe  teria desferido.
"Como assim? Não é coisa de maluco matar logo alguém que se protegeu da morte? E quem ama, não mata...", alguém pode dizer. 
"Mas ela matou Alex por arrependimento já que a sua mãe se suicidou por causa do casinho dos dois... Ela matou por amor à mãe!", outro diria em resposta.
"Angel é sociopata! Todo o tempo ela só pensava nela, nunca teve amor a ninguém e ainda mataria mais gente...", uma das referências que mais leio sobre a adolescente.
Ela amava, sim. Mas não foi por amor à  mãe, muito menos por Alex, que a garota lançou tantos tiros no amante.
A modelo, que tinha sonhos comuns, como ter dinheiro, ser famosa e casar, coisa que a maioria de nós possui, trazia no seu coração um amor tão lindo e sublime que muitos de nós, infelizmente, não sente: o amor pela sua irmã Yasmim.
Foi por amor fraternal que Angel matou Alex!
A moça não era o tipo da mana grudenta, que visitasse a garotinha, mas ela sempre amou a menina, do jeito dela. Quando a conheceu, disse-lhe que a pequenina era linda e as duas formaram um laço de imediato. Nos poucos momentos juntas, víamos uma Angel dedicada, sorridente, condescendente, oferecendo pão e leite no café-da-manhã (conferimos isso no último capítulo), na típica preocupação da irmã mais velha. 
Por mais incrível que possa parecer, Angel não amava a ninguém, nem mesmo sua mãe, avó e o próprio Alex. Apenas gostava; não era amor. 
Percebemos que não se tratava do sentimento nobre o que sentia pela mãe, devido ao quase nada de arrependimento por traí-la debaixo do mesmo teto onde viviam; não amava a avó também. Mesmo sabendo de sua doença, não permaneceu ao seu lado até a sua morte. Um pouco mais perto de amor sentia por Alex,  mas era mais atração física do que qualquer outra coisa porque, em momento algum, fizera grandes sacrifícios para tê-lo.
Quando Guilherme a pedira em casamento, Angel disse que resolveria umas coisas antes. Se o aceitasse, seria para sempre.
As tais "coisas" na ordem do dia para ela, era esperar Alex procurá-la. Se ele fosse, veria o que faria (sim, planejava vingar o suicídio da mãe, mas não seria propriamente matando o amante) ou talvez, simplesmente, ficasse com ele.
Havia um semblante de prazer terno, não perverso, no momento que ele a visitara, finalmente, na casa do pai. Ficou sorrindo labialmente, como uma menina contente que receberá algum brinquedo. Manteve essa postura encantada, enquanto o ouvia dizendo que a levaria e pagaria os seus estudos, assim sendo, dando continuidade a sua educação, como a mãe dela tanto queria. 
Sua fisionomia mudou radicalmente, ficou séria, no entanto, na menção que Alex fizera de que também cuidaria da pequena Yasmim e lhe daria a mesma educação que propusera à Angel.
Angel sabia que tipo de "educação" que o empresário lhe proporcionaria com o tempo: muitas joias, muito dinheiro, uma vida de luxo, desde que a garotinha tivesse sexo com ele.
Vejamos: Alex não gostava de "velhas". Quando Angel estivesse com seus vinte e dois ou vinte e três anos, ele a deixaria. Yasmim, nessa época, estaria com uns quatorze ou quinze, já no "ponto" que ele tanto gostava.
O autor Walcyr Carrasco, inteligentemente, não deixou a modelo chegar à idade adulta. Terminou a novela, tendo ela dezessete anos. Era ainda objeto de gosto de Alex. Mas... Até quando seria? 
Repito: por amor à irmãzinha, Angel matou Alex
Ela não queria que a menina seguisse pelo mesmo caminho. No fundo, a modelo jamais aceitou o fato do seu amante só querê-la pela pouca idade e beleza. Não era tão ingênua assim ao ponto de desconhecer que esse tipo de atitude por parte dele é crime. O modo estranho que arquitetou de evitar que isso acontecesse à garotinha, seria eliminando aquele pervertido. 
A vida de Alex até seria poupada, se ele não propusesse a "educação" para Yasmim. Foi exatamente naquele momento que a modelo decidiu o que faria com o empresário.
Numa lancha de nome bem sugestivo - Gênesis -  Angel recomeçaria a sua vida.
No casamento com Guilherme,  seu ar enigmático talvez quisesse dizer que o dinheiro não compra tudo, que o amor de verdade por algum ser é ainda o que vale a pena, coisa que Alex jamais entenderia.
Ao afirmar com a já esposa Angel que a faria feliz, Guilherme ouviu dela a seguinte resposta: "Eu já sou feliz, muito feliz!"
Naturalmente uma referência ao bilhete que a mãe deixara, que a induzia a esse estado de vida, de felicidade, algo que todo mundo almeja ter.
Ela estava  mesmo em plenitude porque tinha conseguido proteger o seu amor.
A pequena Yasmim não passaria pelo o que ela passou pois agora Angel poderia lhe dar educação de verdade, proteção, dinheiro para fazer o que quisesse e teriam laços fraternais enquanto vivessem.
Mesmo que de maneira esquisita, enviesada, Verdades Secretas foi uma história de amor.
Bem, pelo menos é a conclusão que mais vejo sentido...

(Imagem:
Fonte desconhecida)

25 comentários:

Oathkeeper disse...

Walcyr Carrasco tem criado dilemas dos mais desconcertantes desde o início da novela, cujo ponto alto culminou na comentada cena do capítulo. O dilema era: a moral e o desejo, o amor filial versus a paixão por um homem. Até então, o público acreditava que o que estava impedindo Arlete de se entregar ao padrasto era sua lealdade à mãe. Porém, no mesmo capítulo em que ela descobre que o cara não era o estuprador que ela imaginava, ela cede e se agarra com ele na cozinha, enquanto a mãe está no quarto, morta de preocupação achando que a filha está na rua. Conclusão: o que refreava o desejo de Arlete não era o amor pela mãe e sim a crença de que o seu ex-amante era um estuprador. Era a aversão por ele não ser o príncipe que ela acreditava, mas um homem violento e repulsivo. Resultado: ele não era tão mau assim, o casal fofo se entende, mas como fica Carolina, (Drica Moraes) nessa história? E como fica a relação entre mãe e filha que é muito mais importante que a de homem e mulher? Fica ofuscada pela beleza do casal.

Oathkeeper disse...

Nessa novela, não existiu vítimas, muito menos a Angel.... A vida não foi fácil para ela, assim como não é fácil para milhões de pessoas, pena que diante disso ela foi se afundando em escolhas erradas e em mentiras cada vez mais sérias. Mesmo antes do Alex se envolver com Carolina, ela já não era a Angel do primeiro capítulo, não era a Letinha que muitos achavam que era, inclusive sua mãe. Para mim, a Angel nunca assumia de frente a consequência de suas ações, sempre tentava culpar alguém ou forças externas pelos seus erros. E ao Alex se envolver com a Carolina, as coisas ficaram piores, pois justificava toda a traição a sua mãe, ao amor que dizia sentir por ela (mais uma vez tentando justificar suas más atitudes). A frase de Alex (Não se iluda, tudo tem seu preço) demonstrou o preço de suas próprias ações e do dark side que ele mesmo ''despertou'', nem diante da Angel armada, ele acreditava que ela fosse atirar, afinal ela não seria capaz de matar o homem que a amava e que ela amava também, só que diante da dor e da culpa que ela sentiu pela morte da mãe, ela simplesmente tornou-se uma pessoa, fria , calculista, vazia, a ponto matá-lo friamente, como se afundando ele no mar e limpando todo o sangue do barco, ela estivesse limpando o sangue da mãe. Acontece que ao julgar o Alex como culpado e o matando para vingar a morte de Carolina, ela acredita que assim, a culpa que cabe a ela, vá acabar, e ela poderá seguir com a vida. Pena que mesmo se ela limpasse um titanic de sangue, ela jamais se livrará da culpa que lhe cabe. Acho que no fim, ela adquiriu algum traço de psicopatia, sim, afinal, quem em condições psicológicas normais, mataria com toda aquela frieza, faria toda aquela encenação para polícia, conseguiria viver com o peso de duas mortes nas costas, sem contar na cara macabra dela ao sair da igreja, demonstrando nenhum remorso, nenhuma culpa. O mais coerente é que com esse peso na consciência, ela se matasse também, mas não, continuou a viver como se nada tivesse acontecido, vendendo a imagem da menina pura, feliz, um verdadeiro anjo, mas que por trás disso tudo, existe totalmente o oposto, ''lobo em pele de cordeiro''. Mesmo que ela tente, nunca será feliz, uma hora a vida cobrará seu preço, e por fim, na última cena, no helicóptero, ela diz ao Gui que está feliz, mas ao virar o rosto, sua expressão é totalmente sombria, sem nenhum traço da verdadeira felicidade!! A novela terminou com muitas verdades continuando bem secretas!

Oathkeeper disse...

E é exatamente aí que está uma das maiores qualidades de Verdades Secretas. Embora traga tramas que seguem a fórmula padrão, a narrativa é muito mais ágil do que as novelas usuais e seus personagens são mais complexos. Além da velocidade na resolução dos conflitos, a construção dos personagens e das histórias também é mais sofisticada. Ninguém é 100% do mau, nem 100% do bem. Em outras palavras, ninguém presta em Verdades Secretas! Todos os personagens são dúbios ou possuem conflitos internos que explicam as suas atitudes (nem sempre tão corretas). Segue abaixo alguns bons exemplos disso:
Gui - Bonito e rico, vive uma vida de luxo sustentada pelo pai fazendeiro. Diz que quer estudar medicina, mas na verdade não quer fazer nada na vida. Ao conhecer Angel no primeiro dia de aula da menina, imediatamente se interessa por ela. "Batiza" a bebida de Angel numa festa para conseguir ir para cama com ela, pratica o estupro de vulnerável. Após conseguir tirar a virgindade da garota, dá um pé na bunda dela. Quando descobriu que era garota de programa expulsa da vida. Ainda, oferece dinheiro para transar com ele. se uniu a Giovanna para estragar o romance Angel com Alex. E causador junto com Giovanna do suicídio da carolina.
Giovanna - Menina arrogante, gosta de chocar e incomodar para ser notada. É extremamente popular na escola, onde lidera um grupo de jovens ricas e preconceituosas. Tem um profundo desprezo por pessoas de classe social inferior à dela e pratica bullying contra os alunos mais pobres.A adolescente-problema. Tem um jeitão arrogante e também gosta de usar o dinheiro para chega ronde quer. Para conseguir seus objetivos, também trabalhou como prostituta de luxo. Detesta pobre e adora praticar bullying. Trama para estragar a vida amorosa do próprio pai. responsável junto com GUI pelo suicídio de carolina
Lyris - É modelo e trabalha na agência de Fanny. Diz não aceitar qualquer tipo de esquema e não está na lista das que fazem book rosa. Entretanto, fez programa com Alex para comprar um apartamento e, como está noiva, inventa para todo mundo que o milionário lhe estuprou, afetando, diretamente ou indiretamente, a vida dos outros personagens;
Pia - Chique e consumista, nasceu rica e é totalmente submissa aos filhos, Giovanna e Bruno. Namora seu personal trainer, Igor, a quem dá uma boa vida e acaba engravidando. Vive de pensão do ex-marido, Alex, e, com medo de perder a mesada "gorda" que recebe dele todo mês, preferiu abortar o próprio filho do que abrir mão do alto padrão de vida;

Oathkeeper disse...

Igor - Personal trainer GOSTOSO e namorado de Pia. Trabalha numa academia, mas leva uma boa vida proporcionada por Pia. Resolve dar o golpe do bau nela engravidando-a só para, de alguma forma, arrancar ainda mais dinheiro da namorada e se casar com ela;
Everaldo - Médico ginecologista, conhece Carolina e a contrata para trabalhar como recepcionista em seu consultório. Acaba se apaixonando por ela. Não é tão bonzinho como aparenta ser, pois realiza abortos clandestinos (foi ele quem fez o aborto de Pia);
Eziel - Sofre bullying na escola por ser mais pobre que os outros alunos e por estar acima do peso. Ao conhecer Angel, torna-se seu melhor amigo, mas acaba se apaixonando por ela. Quando descobre que a garota era prostituta, lhe oferece dinheiro em troca de fazer sexo com ele! Ela, claro, recusa e rompe a amizade com ele. A partir daí, Eziel fica jogando indiretas para o namorado de Angel sobre o passado dela e torturando a garota psicologicamente com insinuações;
Divanilda - Mãe de Larissa, com quem tem uma relação conturbada. Explora a própria filha e sempre fica com o dinheiro que ela ganha fazendo programas graças ao book rosa. É rude e desagradável, mas se faz de simpática na frente dos outros, principalmente de Fanny;
Fanny - Dona de uma agência de modelos que leva seu nome, é uma mulher experiente e ambiciosa. Usa o negócio para conseguir aquilo que realmente deseja: dinheiro e poder. Para dar a impressão de que quer ajudar os outros, mantém uma ONG que auxilia crianças. É cafetina de luxo e o próprio namorado, muitos anos mais novo, só está com ela em troca de dinheiro. Seu único ponto fraco é Anthony, ex-modelo bem mais novo que ela com quem mantém um caso. De mulher de ferro e poderosa, vira uma adolescente apaixonada de filme romântico água com açúcar nas mãos do ex-modelo, pelo qual se humilha e é submissa com medo de ficar sozinha. Tanto é que aceitou dividi-lo com a amante dele. Ao mesmo tempo, não pensou dua vezes em cafetinar o próprio namorado para Maurice, um famoso estilista que se interessou por Anthony, só para que sua agência seja responsável pelo desfile da grife internacional dele; Há quem precisar de conselhos amorosos, Fanny não hesita em dizer “pegue um homem rico e tire tudo que puder dele”. Foi assim que ela conseguiu formar a fortuna dela.
Anthony - Ex-modelo, vem de uma família tradicional que perdeu todo o dinheiro. Banca os luxos da mãe, Fábia, e se preocupa realmente com ela, fazendo de tudo para vê-la bem. Como o Modelo que não estourou, garantiu a boa vida se aliando à uma velhuda, dona da agência de modelos. Para viver com conforto, se relaciona com Fanny, que é apaixonada por ele e o sustenta, mantém por interesse o relacionamento com Fanny na cama e nos negócios; trabalha na agência e é garoto de programa. Tem relação homossexual com um estilista muito mais velho e podre de rico. Apesar de não saber bem que jogo que ele está fazendo: se está só querendo garantir o dele transando com o estilista francês -, não há como negar que, de fato, se preocupa com a mãe (Eva Wilma), que anda bebendo até perfume.
Larissa – Modelo, sempre ganhou os maiores cachês com book rosa. Virou craqueira. Pura e simplesmente? Não. Walcyr humaniza a personagem que sempre fez programa estimulada pela mãe sacoleira, que amava as notas de 100 reais chegando em envelopinhos em casa. O pai fingia não saber. No fundo, mais uma personagem solitária, como as outras citadas, que contava apenas consigo mesma e sucumbiu ao amparo do único cara que não queria só o corpo dela e que não encarou a história do book rosa com naturalidade. A questão é: ela encontrou amor no colo de um craqueiro. Modelo que se prostituiu e, viciada em crack, acabou na sarjeta. Numa das últimas cenas, cheia de realismo, foi vítima de estupro coletivo.
Visky – Personagem homossexual que é o braço direito de Fanny. Atualmente tem caso com uma mulher e vive dilema, tentando se afirmar a todo tempo como gay. aliciador do book rosa e book azul.

Oathkeeper disse...

Lourdeca - aliciadora do book rosa e azul. E cura gay do Visky.
Stephanie – Mais uma garota de programa.
Pia – Mulher rica e consumista que não consegue controlar os filhos. Dá mais atenção ao namorado personal trainer que a eles.
Bruno – Filho de Pia e Alex, é viciado em drogas pesadas. Protagonizou várias cenas em que aparece completamente drogado. Numa delas, teve overdose.
Roy – Modelo que teve problemas com drogas no passado e chegou a morar na rua. Ao conhecer Larissa, os dois se envolvem e se afundam cada vez mais no consumo de crack.
Lyris – Modelo da agência de Fanny que em um dos últimos capítulos foi morta a facadas.
Darlene - Uma educadora vendo a Arlete, a Giovanna ... a escola onde ela lecionava era o ponto de reunião das que caíram no conto do puteiro com placa de Agência. Infelizmente nossas familias e nossas crianças acreditam que nesse ramo é necessário pagar para trabalhar. Pagar para usar seu tempo em favor dos interesses dos outros. A História abriu nossos olhinhos, os da professora já estavam abertos, devia ser muito estranho ver aquelas crianças com roupas provocantes, e caras. E contrastando com os rapazes que não tinham assim tanta sorte na vida profissional. Alguma coisa tinha, ela farejou desde o início. Mas não fez nada. Por tanto, fofoqueira e intrometida.
Rogério - Pai de arlete e um intereseiro, covarde e oportunista.

Nunca se viu tanta gente que não presta reunida em uma só novela. É por essas e outras que a cada dia eu tenho mais certeza: Verdades Secretas precisava de um final trágico! E para todo mundo!

Oathkeeper disse...

Muita ABOMINAÇÃO casar com o estuprador de virgem drogadinho quem a decepcionou e a jogou para o mundo do book rosa. Quem não percebe que o Guilherme deu bebida com droga para Angel na festa da Giovanna e praticamente a estuprou? O vídeo mostra claramente que Agroboy deu uma bebida com droga a ela antes que o boyzinho descobrisse que Arlete era virgem. De manhã a dispensou e ficou com a namorada. Portanto, também. Não PRESTA!
Foi estupro sim o que Guilherme cometeu. É relevante perante a lei mesmo Angel com 16 anos (na época). Pois, uma pessoa drogada e alcoolizada se torna vulnerável e incapaz. Guilherme traz o mau caratismo de berço, essa é a real q. poucos percebem. Ele não fica a dever nada p/ o Alex- na verdade é dos piores. Se fosse bom moço, n faria o q. fez antes e no capitulo com a mãe de Angel. É um carinha q. n soma nada, só destrói...o Gui que foi um dos culpados pelo suicídio de Carolina juntamente com a Giovana não ficaram nem com peso na consciência pelo que fizeram, depois Gui vai atras de Angel e a pede em casamento quanto a Giovana conseguiu tudo o que queria, que reação ela teria já que conseguiu realizar seu objetivo, o de acabar com o casório do pai... foi curtir seu happy end.
Meio hipócrita o final de Giovanna, ela não podia aceitar o caso do pai te uma amante, mas ela acaba em uma relação a três. Divido seu amado com outro homem.
Entenda que não tinha como terminar bem essa trama, também não tinha nada de angel e alex juntos apos a tragédia. Mas que gui, alex, angel, giovanna, anthony e fanny devia ter levado chumbo quente

Oathkeeper disse...

Anthony vai gastar maior parte do salário como relações públicas sustentando o vício da mãe, e Giovanna, por suas atitudes e falta de profissionalismo, se a gente pensar um pouco sabemos que a carreira dela não vai muito longe
Angel possuia uma dupla personalidade em si. Existia uma Letinha - garota do interior, inocente e sonhadora - dentro dela, duelando com a sua outra face, sua outra metade, a metade obscura que se criou dentro dela desde que ela deixou-se deslumbrar pelo poder e a lúxuria, a metade que existe em todos nós e que muitos alimentam e que acaba tomando proporsões incrivelmente grandes, metade essa que atendia pelo nome de Angel. E essa metade ganhou o duelo assim que ela viu a mãe morrer. Corrompida por ódio e vingança ela deixou-se dominar pelos sentimentos mais obscuros que um ser-humano desiludido pode ter, o amor que ela sentia pelo Alex esfriou assim como seu coração e seu sangue, ela tornou-se por fim uma pessoa que faria de tudo pra aplacar sua culpa. Aproveitou os últimos momentos de uma paixão carregada a sexo, luxuria e que começou de forma errada e ceifou a vida do homem que julgava amar, sentindo-se vingada, tudo pela mãe.
Mas ela nunca encontrará paz, e essa sim é uma verdade secreta que ela levará consigo pro resto da vida.
Para mim, Angel se tornou uma sociopata funcional (algumas pessoas preferem pensar que ela seja psicopata, mas sociopata se encaixa melhor em seu perfil), consegue fingir amor pelo marido devoto, até ter filhos, uma carreira profissional satisfatória, ter uma vida normal, controlando seus impulssos homicidas e seus traços narcisistas, é o tipo de pessoa pela qual passamos todo dia na rua e consideramos "gente de bem".
Mas é sempre bom ter cuidado, no
tocante ao fundo, há algo de obscuro e frio em seu rosto bonito e angelical, e Camila Queiroz, a atriz soube passar muito bem isso na ultima cena da personagem.
De anjo, ela tem só o nome.

Oathkeeper disse...

Foi como se durante a novela toda ela tivesse lutado entre ser a Arlete, a menina doce, ou a angel, a modelo ambiciosa que sentia até mesmo prazer em ser tão desejada pelo Alex. No final, foi como se essas duas personalidades tivessem se fundido de vez: a Arlete, consumida pela culpa, viu no Alex a personificação da traição que cometeu e que levou ao suicídio da mãe. Como forma de se redimir e, talvez, fechar esse ciclo, decidiu matá-lo. Mas depois de viver tudo o que viveu e fazer tudo o que fez, ela se transformou em algo diferente. Toda a inocência foi perdida e, para conviver com o peso de ter contribuído diretamente para a morte da mãe, matado o homem que, ela amava e "tentar ser feliz" (como a Carolina pediu que fosse), ela teve que virar uma pessoa fria e dissimulada, que justifica suas ações com base em ideias distorcidas. Acredito que ela deve ter pensado que matando Alex estaria saldando uma dívida com a mãe e, consequentemente, diminuindo um pouco da culpa que ela mesma sentia. Mas isso nunca vai acontecer, ela nunca vai deixar de se sentir responsável. Então, ela teve que corromper a sua alma e virar uma pessoa complemente diferente, uma pessoa capaz de conviver com o sangue das pessoas que ela mais amava nas mãos (Carolina, Hilda e Alex) e, por isso, ela jamais será verdadeiramente feliz

Oathkeeper disse...

A música tema da novela não poderia ter sido mais propícia, visto que Angel parecia deslizar na igreja no momento de saída de seu casamento, uma aparência de anjo desenhada numa expressão facial quase demoníaca. O momento do beijo do crucifixo, ainda vestida de noiva, selou toda a sua dubiedade. A personagem disse ao recente marido que estava feliz, mas vale lembrar que essa felicidade está coberta de sangue, repousando na morte das pessoas que mais se preocuparam com ela (Carolina, Hilda, Alex).
A Yasmin, o Osvaldo, a Hilda, a Carolina eram as únicas pessoas que escapavam desse pensamento hedonista, nem por serem do interior, mas por uma construção moral própria (o pai da Arlete e o ex-marido da Carolina morava no mesmo lugar que ela e era completamente egoísta). Tentando ajudar a família, a Angel se deixa seduzir pelas roupas caras e pelo mundo de aparências. Angel sempre viveu em conflitos com ela mesmo, entre os princípios e ensinamentos da mãe e as tentações que a cidade grande lhe oferecia. Mais que ela se martirizasse e tivesse peso de consciência na maioria das vezes, ela era muito fraca para resisti as tentações. E a parti do momento que sua mãe morreu, Angel meio que se libertou dessa responsabilidade e abraçou a sua própria natureza. No final ela era só mais um anjo caído.

Oathkeeper disse...

A maioria não entendeu o fim da novela, porque o público, de modo geral, tem pouco ou nenhum conhecimento sobre ciência. Pesquisas já comprovaram que o ser humano, submetido a níveis elevados de violência, pode perder a capacidade de amar, de ter empatia, podendo até mesmo desenvolver algum nível de psicopatia. Foi o que ocorreu com a Angel. Ela se colocou na frente do Alex porque o amava, mas ao se deparar com a morte da mãe, nutrida por um sentimento de raiva e vingança, jogou tudo para o alto e vingou a mãe matando o amante. Não tem nada de surreal nessa cena. A psicopatia tem várias formas de se desenvolver, seja por fatores genéticos ou por grande exposição à violência. O Brasil por exemplo, tem pelo menos 3% de sua população composta de psicopatas, e uma das causas é justamente a cultura da violência que acomete o país. O círculo da violência gera mais violência, e o sujeito exposto a ela, pode sim desenvolver psicopatia Arlete virou psicopata e se sabe bem por que, foi responsável pelo suicídio da mãe..
eu preferiria um final idêntico até a morte na lancha, porém dali em diante, já que ela tinha joias e provavelmente algum dinheiro, ir tocar sua vida sozinha, sem seu pai e com um misto de dever cumprido e loucura... e grávida do Alex, a cereja do bolo. Mas o saldo geral foi maravilhoso, tirando a parte da polícia nem investigar a morte de um milionário recém viúvo, sozinho numa lancha com a ex-amante (para quem ele deixou uma considerável fortuna) cuja a mãe se matou com a presença dos dois na casa.

Oathkeeper disse...

A maioria não entendeu o fim da novela, porque o público, de modo geral, tem pouco ou nenhum conhecimento sobre ciência. Pesquisas já comprovaram que o ser humano, submetido a níveis elevados de violência, pode perder a capacidade de amar, de ter empatia, podendo até mesmo desenvolver algum nível de psicopatia. Foi o que ocorreu com a Angel. Ela se colocou na frente do Alex porque o amava, mas ao se deparar com a morte da mãe, nutrida por um sentimento de raiva e vingança, jogou tudo para o alto e vingou a mãe matando o amante. Não tem nada de surreal nessa cena. A psicopatia tem várias formas de se desenvolver, seja por fatores genéticos ou por grande exposição à violência. O Brasil por exemplo, tem pelo menos 3% de sua população composta de psicopatas, e uma das causas é justamente a cultura da violência que acomete o país. O círculo da violência gera mais violência, e o sujeito exposto a ela, pode sim desenvolver psicopatia Arlete virou psicopata e se sabe bem por que, foi responsável pelo suicídio da mãe..
Culpar o Alex foi a forma que ela encontrou p aliviar a própria culpa em relação à morte da mãe dela. Estão dizendo que ela teve um final feliz, mas pode olhar o rosto dela na cena final quando ela vira o rosto para janela. A consciência é o pior castigo que ela pode ter. A culpa irá acompanhá-la para sempre porque a única pessoa que poderia perdoá-la já estava morta. Por isso que temos que prestar atenção com o que falamos e fazemos porque as vezes o tempo passa e o momento do perdão também. O tempo cura um amor, um ódio, uma desilusão..., mas nunca retira uma culpa!! Concordo temos que pensar mil vezes antes de fazer algo, para não nos arrependermos depois.

Oathkeeper disse...

Angel é a grande algoz de toda essa história e se tem alguém que merece ter um final trágico é ela. Olha, desde a Maria de Fátima (Glória Pires) de Vale Tudo (1988) que eu não vejo uma filha tão falsiane e ingrata nas novelas quanto a Angel (que de angel não tem nada). Sim, porque a Maria de Fátima, pelo menos, não se fazia de sonsa para mãe. Angel transou com o Alex na cozinha, enquanto Carolina estava dormindo no quarto, e engana a mãe para viver um caso amoroso com o amante e ainda diz que não quer magoá-la. Imagina se quisesse!
A maior prova disso foi quando ela se juntou ao amante para convencer a mãe a dispensar os empregados da casa. A intenção era evitar um flagrante e, como bem observou o Alex, deixar o terreno livre para os amantes transarem loucamente sem serem incomodados quando Carolina sair. Mais ordinária e dissimulada impossível! É claro que devemos considerar o poder de persuasão de Alex sobre a enteada de apenas 16-17 anos, mas, apesar da pouca idade, ela não é nenhuma criança e sabe muito bem o que é certo e errado. Alex não lhe obrigou a nada. Se ela omitiu para a mãe que teve um caso com ele no passado quando o empresário começou a se aproximar de Carolina e continuou indo pra cama com Alex, mesmo depois de casado com sua mãe, foi porque quis. Em nenhum momento, Alex lhe obrigou a transar com ele a força. Se Angel topou o esquema do book rosa, foi porque quis. Fanny (Marieta Severo) não lhe obrigou a nada. Ok, ela se prostituiu para ajudar a família (uma causa nobre), mas trabalhar honestamente, fazer um bico, pegar um emprego de temporada ninguém quer, né?

Oathkeeper disse...

Novela é uma história não tem "SE" é aquilo que autor escreve e os atores gravam, este final já estava escrito desde o início o Walcir entregou o roteiro da novela com início meio e fim, e aposto que a cena da morte do Alex já tinha sido gravada á muito tempo na mesma época que gravaram as cenas em Angra quando Alex levou os filhos e amigos pra passar o final de semana lá .Angel está até usando o mesmo biquíni , todos sabiam do desfechos da novela , porque Walcir já entregou a obra terminada
ela saiu em puni diante da sociedade, porem ao ver o semblante final dela no helicóptero se percebe que ela não estava feliz, ou seja, que ia carregar uma infelicidade por toda a vida. O último semblante dela mostrou isso. Ela se casou e tudo, mas final feliz ela não teve, pois, a expressão de felicidade dela era somente enquanto estava na frente dos outros no casamento. No helicóptero ela não estava feliz
Ela foi a maior culpada pelo suicídio da mãe, e jogou a culpa em Alex, o matando para limpar a própria consciência......De anjo essa Angel só tinha a beleza e o jeitinho doce.....
Não acho que a angel teve um final, Angel de fato não merecia o final ''Feliz'' que todos falam que teve…afinal ela vai ter carregar a culpa pelo suicídio da mãe pelo resto da vida, e sem falar no amor que ela sentia de verdade pelo alex... Casou com Gui, que ela não amava de verdade e que nunca vai ser feliz de verdade!!!
Viver com quem a gente não ama de verdade, com certeza é um ótimo castigo...

Oathkeeper disse...

Verdades secretas: Um monte de incoerências, segundo site UOL
1- Cadê as reações de Pia e principalmente de Giovanna, a responsável por ter criado a situação, em relação ao suicídio de Carolina? Poderia também ter tido a reação das duas sobre a morte de Alex, embora nesse caso fosse menos necessário.
2- Quais as reações de Bruno, Pia e Alex sobre a viagem de Giovanna?
3- Larissa reencontrou a mãe?
4- Fanny sequer foi presa? Continua o book rosa? Isso de ela ficar com o Léo foi estranhíssimo. A relação de Lurdeca e Visky continua se limitando a álcool e em segredo? O que mudou?

Oathkeeper disse...

Juridicamente, o maior erro foi a morte do Alex, assassinado pela Angel. Ela o matou, jogou seu corpo no mar, limpou tudo e ficou por isso mesmo. Pergunta: o corpo dele nunca mais apareceu? E se apareceu, como explicaram as marcas dos tiros que ele levou? A não ser que ele tenha sido inteiramente devorado pelos predadores do mar, caso contrário, ele apareceria boiando em alguma praia. A polícia nunca desconfiou dela, já que estavam sozinhos os dois? Muitas coisas ficaram pendentes, mas esse furo em relação à morte do Alex foi demais.
Mas é preciso entender as razões de uma menina que, aos 16 anos, teve sua vida mudada de uma hora para outra e se viu no olho de um furacão com direito a bullying no colégio, falta de dinheiro, mentira, estupro de vulneral, decepção amorosa e prostituição para ajudar a família. Quantas meninas dessa idade não erram, ficam confusas e acabam não conseguindo voltar atrás num problema? A omissão do pai interesseiro e a cegueira da mãe e da avó contribuíram para que Angel tomasse decisões sozinhas que a levaram para a beira de um precipício.
A verdade é que Angel comeu o pão que o diabo amassou desde o começo da novela que chega a dar dó dela. Ok, nada justifica ela ir tendo um caso com o Alex. Óbvio que não dá para defender isso. Mas, para Angel, Alex não é seu padrasto: ele é o seu grande amor, o seu ex-caso, amante, cliente. Tudo, menos o marido da mãe! É claro que ela está errada.

Mary Miranda disse...

Olá!

Muito bons comentários você deixou aqui no Fatos de Fato!
Essa interação entre editor e leitor é bem relevante e prazerosa; espero contar com a sua presença aqui novamente!...
Também acho que a relação de Angel e Alex não poderia mesmo terminar bem, e o Walcyr Carrasco soube conduzir a trama como talvez outro autor não conseguisse.
Boas ficções são assim: causam um debate saudável e nos levam a refletir...

Um forte abraço!

Oathkeeper disse...

O que me deixa mais enfurecido é como ESTUPRO também é algo relativizado e romantizado nessa novela.
Angel foi estuprada por um moço o tal do Gui (Gabriel Leone) numa das primeiras cenas da novela, ele a drogou e ela inclusive era virgem e a estuprou. Esse fato foi novamente romantizado e a menina se “apaixonou” pelo moço que não correspondeu porque tinha namorada, e segundo ele essa era do mesmo nível social dele, coisa que Angel não.
Então ela sofreu aquela transformação no seu estilo, clássica mudança copiada do filme Uma Linda Mulher, ascendeu socialmente pois sua mãe casou e ele se interessou por ela!!!
Oi???
E agora eles tem uma trilha sonora que é “Céu cantando Tim Maia – Eu Amo Você” e ele é tipo o amor “jovem” que ela está tendo depois de sofrer desilusão com o quarentão que paga menores para sexo. (Affffff)
Eu não gosto de falar o obvio mas alguém que te estupra NÃO TE AMA! Isso não é amor, se começou com abuso sexual, começou com desrespeito, sem empatia, com machismo, então não ‘vira’ amor quando a menina compra roupas novas!

Oathkeeper disse...

No caso particular na novela verdades secretas a festa de Giovanna com universitários em que o álcool é consumido à larga, a justificativa está no fato de uma mulher ter bebido mais do que devia, é a senha para que qualquer boçal se aproveite dela? Pois foi isso que o Guilherme fez com a Angel. Se o cara precisa embebedar, sedar ou drogar a mulher pra fazer sexo com ela ou usar a força física ou acuação é estupro sim! Veja no link https://www.youtube.com/watch?v=loAUZhwizmE
Quem bebe demais fica com o julgamento comprometido e mais exposto a acidentes e comportamentos violentos.
E a Novela Verdades Secretas mostrou que o Brasil tolera e incentiva o estupro a ponto de podermos afirmar que o crime faz parte da nossa cultura. Agora na Mini Serie "Ligações Perigosas" na cena https://www.youtube.com/watch?v=Jlr6iDd6bFQ.
Por meio da culpabilização da vítima, estimulamos que as mulheres estupradas se escondam e acabem protegendo seus algozes. Afinal, é comum elas ouvirem de policias e da própria família que estavam embriagadas, usavam roupas curtas e apertadas, que andavam sozinhas à noite ou não deixaram claro que não desejavam o ato sexual. A vítima, portanto, sente medo e vergonha de denunciar.
A sexualização da mulher como objeto é outro fator que estimula o alto número de casos. Desde crianças aprendemos que o corpo da mulher é um objeto que pode ser consumido como qualquer outro. O menino cresce acreditando nisso e, o pior, a menina também.
O estupro tornou-se, portanto, tão banal que passou a ser aceito e tolerado.
É preciso que fique claro: nenhuma mulher merece ser estuprada. Ela é dona do seu corpo e a única que pode dele dispor. E a culpa nunca é da vítima, independentemente da sua conduta. Esses são pressupostos básicos para que o crime de estupro deixe de ser parte da nossa cultura.
E nada justifica um crime desses.. quem propõe um argumento como desse tipo tem o caráter no mínimo duvidoso...

Mary Miranda disse...

Você está certíssimo!!!!

Temos que combater essa cultura do estupro que assolou o nosso país, senão, até o mundo todo... Não vê os últimos acontecimentos envolvendo o ator José Mayer, que descaradamente assediou a figurinista e algumas colegas de profissão? Machismo grotesco e despudorado.
Mulher não é objeto, brinquedinho feito para homens disporem quando e como queiram.
A parte mais sórdida de "Verdades Secretas" acabou sendo exatamente isso, infelizmente... Talvez o autor quisesse mostrar a realidade, do que acontece no cotidiano. Mas acho que o Gui deveria pagar, sim. Quem sabe o sorriso enigmático de Angel, após o casamento, não significasse uma futura vingança dele? De repente, o nosso querido Walcyr esteja planejando escrever um "Verdades Secretas 2". Acredito que essa novela tenha pulso para uma continuação, sim...

Abraços e obrigada pelos comentários!

Mary Miranda disse...

E tem outra coisa que esqueci de mencionar:

A novela mostrou também assédio com homens!
Exemplo, a poderosa Fanny escolhia seus modelos, depois de fazer o "test drive" com eles, como ficou claro no último capítulo.
É uma forma mais difícil de encontrar mas, infelizmente, mulheres também assediam usando o seu poder aquisitivo ou fama.
Realmente "Verdades Secretas" quis mostrar todas as formas de baixeza humana, não poupando gênero, faixa etárias, classe social...

Abraços e obrigada novamente!

Oathkeeper disse...

A maioria não entendeu o fim da novela, porque o público, de modo geral, tem pouco ou nenhum conhecimento sobre ciência. Pesquisas já comprovaram que o ser humano, submetido a níveis elevados de violência, pode perder a capacidade de amar, de ter empatia, podendo até mesmo desenvolver algum nível de psicopatia. Foi o que ocorreu com a Angel. Ela se colocou na frente do Alex porque o amava, mas ao se deparar com a morte da mãe, nutrida por um sentimento de raiva e vingança, jogou tudo para o alto e vingou a mãe matando o amante. Não tem nada de surreal nessa cena. A psicopatia tem várias formas de se desenvolver, seja por fatores genéticos ou por grande exposição à violência. O Brasil por exemplo, tem pelo menos 3% de sua população composta de psicopatas, e uma das causas é justamente a cultura da violência que acomete o país. O círculo da violência gera mais violência, e o sujeito exposto a ela, pode sim desenvolver psicopatia Arlete virou sociopata e se sabe bem por que, foi responsável pelo suicídio da mãe.

Oathkeeper disse...

Walcyr Carrasco tem taras por mortes. Muita gente vai dizer que teve novela com muito mais mortes, a diferença é que todas as mortes tiveram uma razão de existir, para além de um: “vou fazer algo chocante para ser elogiado'

Ao chegar na festa com o modelito dado por Fanny Richard (que de longe não é flor que se cheire), Arlete chamou a atenção de todos com a sua beleza. O agroboy também ficou bobo com a quase modelo e não poupou suas armas para conquistá-la. Inclusive deu um “boa noite cinderela” para a gata ficar mais à vontade. A droga que Guilherme deu para Angel não foi essa que citou, mas o rapaz não hesitou em dar algum entorpecente para a menina, mesmo se ela recusou. Mas não adianta chorar em leite derramado, não é mesmo? Foi aí que Arlete aproveitou a festa como ninguém! Dançou, sensualizou e beijou muito. Resultado? Foi para na cama com o arrobo, “nuinhos”! Mas a caipira do interior de São Paulo contou para o garanhão mau caráter que era virgem. Aí o rapaz não largou o osso e disse: “Você é especial para mim. Agora, você é minha e eu sou seu”. Pelo menos ele especificou o “agora” porque está na cara que nossa Angel entrou em uma verdadeira cilada! Se está de olho no que vai acontecer e não vai deixar você fora dessa. Então, você achou que Guilherme é uma cilada para Angel? Para quem não lembra, o estudante começou a história como um riquinho mimado que colocou droga na bebida da ingênua Arlete para tê-la. O caráter do garoto era questionável e ele foi o primeiro homem da moça, usando de mentiras e artifícios baixos.

Anthony vai gastar maior parte do salário como relações públicas sustentando o vício da mãe, e Giovanna, por suas atitudes e falta de profissionalismo, se a gente pensar um pouco sabemos que a carreira dela não vai muito longe

Oathkeeper disse...

Estou feliz que seu canal de comunicação seja aberto quando é feito um convite para reflexão. Temos pontos de vistas diferentes, mas é importante usar o bom senso em temas polêmicos. Por gentileza, nada de pensar que sou a favor de angel ficar com alex após o suicídio de Carolina, sem chance. Torcia pela casal, mas conforme Walcyr ia dirigindo a obra deu para perceber que não ia terminar bem. Além disso, é audiência que a globo quer.

sugestão: Sua analise da novela é bem original, já pensou em fazer com outras obras coo Rock story, o Rebu, A Teia, fora de controle, etc?

Oathkeeper disse...

You are my angel

Come from way above

To bring me love

Her eyes

She’s on the dark side

Neutralize

Every man in sight

(Angel, Massive Attack)

Insinuante. Sexy. Misteriosa. Elegante. Sedutora. Provocante. Foi assim que Verdades Secretas entrou no horário das 23h. Escrita por Walcyr Carrasco e Maria Elisa Berredo, com colaboração de Bruno Penido, a novela já traz em sua abertura uma inquietação: qual a razão das modelos apresentadas serem colocadas em cenários borrados, bagunçados, decadentes? A resposta dessa questão vem com o tratamento dado ao mundo da moda, ao dark side dos bastidores das passarelas.

Para começar a conversa, antes de chegarmos aos comentários sobre o capítulo final, vale a pena mencionar que o texto, a direção de atores e a fotografia da novela chamaram bastante atenção ao telespectador. As cenas da abertura podem ser vistas como uma sequência de portas que se fecham e que se abrem, ocultando essas verdades que ora se mostram, ora se camuflam. A música tema “Angel”, da banda inglesa Massive Attack, integra-se perfeitamente ao enredo da narrativa, uma vez que uma das personagens protagonistas, Arlete, vivida por Camila Queiroz, adquiri esse nome quando se torna modelo. Essa música é usada como recurso para dizer nas entrelinhas um dos principais desdobramentos da narrativa: a beleza angelical, que traz amor, está num lado escuro, um lado que hipnotiza, neutraliza o olhar dos homens que a veem. Em outras palavras, a abertura já pontua a relação entre Angel e Alex (Rodrigo Lombardi). A batida inicial da música transformou-se em vinheta, sendo utilizada como um vocativo de encerramento do primeiro bloco de cenas, gerando um efeito de tensão no telespectador. O retorno dos comerciais, nesse mesmo caminho, substituiu o “voltamos a apresentar” pela entrada direta de um novo bloco de cenas, no ritmo da vinheta, continuando a novela num embalo impactante e ágil.

O capítulo final teve início na imagem (que nós não vimos) do penúltimo capítulo: o alvo do tiro. Aqui, temos a metáfora do segredo que se estilhaça, um vaso de vidro que se parte, tal como toda a fantasia do casamento entre Alex e Carolina (Drica Moraes). Confesso que esperava que a mãe de Angel matasse o esposo e se suicidasse em seguida. Mas, pensando melhor, preferi o final seguido pelo autor. Uma vez que Carolina tirou a própria vida, Angel não só terá que conviver com o remorso, como verá sempre em Alex uma rota que, ao ser seguida, contribuiu para dar um fim na felicidade da mãe. Fiquei um tanto surpreso com Angel atirando-se nos braços do padrasto quando Carolina estava com a arma apontada para os dois. Essa atitude só trouxe mais dor para as últimas horas de vida da personagem, reforçando o quão tola ela foi. Houve mais do que a admissão de um caso extraconjugal. Houve a admissão de um amor.

A música tema da novela não poderia ter sido mais propícia, visto que Angel parecia deslizar na igreja no momento de saída de seu casamento, uma aparência de anjo desenhada numa expressão facial quase demoníaca. O momento do beijo do crucifixo, ainda vestida de noiva, selou toda a sua dubiedade. A personagem disse ao recente marido que estava feliz, mas vale lembrar que essa felicidade está coberta de sangue, repousando na morte das pessoas que mais se preocuparam com ela (Carolina, Hilda, Alex).

Mary Miranda disse...



Olá, Oathkeeper!

Quando criei o Fatos de Fato, meu sonho sempre foi esse: de interagir com o leitor.
Adoro manter contato e trocar ideias com as pessoas.
Fique à vontade para participar das postagens sempre que quiser.
Sobre analisar as obras que você mencionou, estou tendo uma ideia de enfocar "A Força do Querer", mas ainda não amadureci. Essa novela traz muitos temas intrigantes e bons para um grande debate.
A qualquer momento posso resolver falar sobre o tema! É só me dar na telha! rs

Abraços e obrigada pelos ótimos comments!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...