Share

Mary Difatto no Facebook

Mary Difatto

sábado, 22 de outubro de 2011

Grandes escapadas


Havia uma chamada na Band de nome As Grandes Escapadas, onde animais indefesos conseguiam se livrar de seus predadores naturais.
Era um vídeo-documentário lindíssimo, cujo slogan era algo assim: Para você que torce pelos fracos e oprimidos.
Uma belíssima seleção de imagens onde as frágeis presas, por inteligência ou rapidez, não tinham o destino traçado por seus ferozes e famintos algozes, caçadores frustrados ao terem sua visão embaciada pela fuga por tocas e afins...
Metáfora de vida, uma reflexão para quem busca a luta.
Se os animais, instintivos de sobrevivência sabem que devem ir avante na proteção de sua existência, por que nós, os raciocinadores, teremos que sucumbir diante da "sina"?
Mais uma vez rendida, aprendo com os animais; a batalha só acaba quando termina...
Meus gatos, meus amados animais de estimação: na cadeia alimentar de vida, sou presa, felina apenas na fome de viver!..


Um vídeo, que não é da série, mas com o mesmo teor de luta e vitória que devemos ter, mostro abaixo, através de uma gazela livrando-se de um de guepardo obstinado.
É emocionante, uma lição do que é a verdadeira VIDA, espírito de SOBREVIVÊNCIA!





(Imagem:

http://www.sempickles.com)

18 comentários:

Van disse...

O Mary

cheguei até aqui através do blog da Rê Bonelli. Li os seus últimos 4 posts, gostei muito dos seus textos, claros, ricos, forma de pensar sábia.

Um bom final de semana para você!

Jackie Freitas disse...

Oi minha amada Alteza!
Eu também fico fascinada com esses documentários porque neles vemos a garra, força, determinação pela vida que os animais demonstram. Deveria ser mesmo um GRANDE exemplo para nós (humanos, pensantes e "racionais") que se entregam covardemente nos primeiros obstáculos, sucumbindo, muitas vezes, a eles e decretando o fim da própria espécie.
Esses dias vi na TV uma videocassetada...rsrs... que mostrava um ganso (acho eu), fugindo de outro animal, mas como ele não conseguia correr com a mesma velocidade do seu algoz, atirou-se ao chão e fingiu-se de morto! Com tanto realismo que o perseguidor não teve outra saída a não ser desistir da sua "diversão" e ir embora. Isso me fez pensar em algo que muitos praticam na vida, o famoso: fingir-se de morto para sobreviver... No caso do animal, fingir-se de morto é apenas uma estratégia de sobrevivência, mas que demonstra um alto grau de luta pela vida! No caso humano, infelizmente, é desistência da luta!
Por isso, amada e querida amiga, deveríamos despertar em nós esse lado animal e de instinto nato que temos e, assim como os animais, lutarmos por nós e por aqueles que amamos... com mais garra e força!
Como costumo dizer, temos exemplos por todos os lados, basta estarmos atentos e receptivos ao aprendizado.
Muito bem abordado esse tema, minha linda!
Parabéns, como sempre! É um grande prazer vir aqui e refletir com você!
Grande beijo, da sua amiga que some, mas aparece...rsrs
Jackie

Larissa Bohnenberger disse...

Olha, Mary, eu cada vez mais me convenço que nós, humanos, racionais, e supostamente superiores, temos muito o que aprender com os outros animais. A evolução nos deu a razão. Mas às vezes me pergunto se a usamos sabiamente.

Bjs!

Valdeir Almeida disse...

Olá, Mary,

De fato, vivemos numa selva de pedra e de ideologias. Devemos aprender com os animais, principalmente aqueles que têm o perfil citado por você: aparentemente frágeis, mas que conseguem esquivar-se dos predadores.

Não devemos jamais nos entregar às vicissitudes. Lutar faz parte da vida, e vencer também, aí está a demonstração da gazela no vídeo para comprovar.


Beijos, Mary, e que sua semana seja vitoriosamente produtiva.

Felipe disse...

Moça Bonita
Lendo o texto e vendo as imagens lembrei de uma história que li há tempos.
Uma mestre zen e seu discipulo apreciavam a floresta quando viram uma raposa correndo atrás de um coelho.
O mestre perguntou ao discipulo.
- Quem você acha que ira vencer essa disputa?
O discipulo respondeu
: - A raposa, sem dúvida?
- Pois eu acho que é o coelho.
- Mas a raposa é muito mais rápida. Como o coelho a vencerá?
- É simples. A raposa corre pelo alimento, o coelho corre pela vida.

Beijão minha doce amiga

Mary Miranda disse...

Tudo bom, Van?

Você provou ter bom gosto por visitar a página da minha amiga Rê Bonelli!
Seja bem-vindo aqui também!

Obrigadíssima pelas palavras elogiosas e de incentivo!!!!

Abração,

Mary:)

Mary Miranda disse...

Jackie, a inenarrável Fênix do Bem!

Ah, meu anjo, como temos exemplos por toda a parte; você está coberta de razão!
Uma visão incrível a sua, querida, ao enfocar o paradoxo de uma mesma atitude quando se trata de humanos e bichos: o "fingir-se de morto"!
O animal é todo voltado para a luta da sobrevivência da espécie, e jamais se entrega!
Seres humanos quando param seus movimentos é praticamente a morte, mesmo estando vivos...
Meu Neguxo ( o gatinho Masso)está todo machucado por causa dessas lutas de macho (o nome dele não poderia ser melhor! rsrsrs) provando que a vida e sua perpetuação devem seguir sua lei natural; há sempre uma recompensa naqueles que não desistiram.
Vídeos como o que eu postei aqui são para lembrar-nos: "Ei, nem pense em desistir, viu?"


Adoro sua presença, minha querida!
Continue sumindo, mas aparecendo sempre! rsrsrs

Beijos mil da Alteza Imodesta!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Lari, querida amiga!

Você me fez lembrar uma maravilhosa passagem do Mestre dos Magos no episódio "O traidor", da "Caverna do Dragão: AQUELE QUE TEM A RESPOSTA, MAS NÃO A RECONHECE, É IGUAL ÀQUELE QUE NUNCA TEVE A RESPOSTA!"
O mesmo se aplica ao ser humano.
Nós temos a resposta, sabemos o que é certo e o que é errado, mas não colocamos na prática nossas descobertas!
Os animais, com seus parcos recursos de "lucidez", são mais perspicazes.
Eles pegam uma tijolo e constróem uma cidade inteira...

Beijos, amiga!
Obrigada pela linda presença!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Valdeir, querido amigo meu!

Devemos apenas aparentar fragilidade e sermos leões de perseverança para a sobrevivência!
Sua analogia da vida e selva de pedra é perfeita!
Comparando bem, sentimos que há os lobos, as raposas, os predadores, seres humanos vorazes em "devorar" seus semelhantes.
E o que farão os carneiros, pessoas de bons sentimentos, que só querem dar prosseguimento ao seu existir? Lutar pela vida até o fim!
É usarmos nossos cérebros e capacidade de correr, não com pernas, mas com discernimento, paciência, boa vontade...
Aprendi, meu amigo, que aqueles que têm um pouquinho só de desejo para seguir em frente, atinge seu objetivo, ainda que as pedras estejam no começo, meio e fim do caminho!...

Beijos!!!!

O meu obrigada mais sincero pelo belíssimo comentário, de sapiência infinita!

E o mesmo desejo a você em sua semana que já começa!!!!


Mary:)

Mary Miranda disse...

Lindo pensamento, meu Canceriano Favorito!!!!

Eu diria: EMOCIONANTE!
Alimentos achamos em muitos lugares, a busca é às vezes morosa, mas ocorre.
Porém, o dom mais precioso que se chama VIDA, essa não se encontra em qualquer lugar, e devemos preservá-la a todo custo...
Na disputa entre a raposa e o coelho, nem preciso dizer para quem torço, não é mesmo?...

Beijos, meu querido amigo!

Suas sábias palavras só enobreceram o post!
Obrigada!!!!

Mary:)

Valéria Braz disse...

Oi Florzinha.... eu adoro assistir o Animal Planet, portanto sabe que sou fascinada por estes seres muito mais inteligentes que nós!
Sabe o que mais me fascina no reino animal? è que embora existam predadores e caças, eles só agem pela sobrevivência, preservando assim a cadeia da vida... o ciclo do planeta!
E nós os racionais, fazemos o que mesmo??????
Beijo no coração

Um Oficial com Espada Própria disse...

Obrigado por partilhar este post com um grande relato e exemplificado com com um vídeo de Africa Selvagem - Escapada da gazela de tompsom.avi, que já favoritei no You Tube, valeu mesmo, ok!

Mary Miranda disse...

Boa tarde, Flor Val!

Os animais são coração e nós, a razão...
Alguma coisa dentro deles "pede" para que sejam mais corajosos e vívidos em seus atos, ainda que não tenham consciência disso.
Eles trazem em cada gesto uma sabedoria que não alcançamos, como você elucidou-nos, e logo eles, que não contam com uma gama tão vasta de opções de pensar como nós, não é?
Eu também me amarro em assistir programas com os animais; eles sempre me ganham...

Beijos, doce Valzinha!
Adoro a sus presença, querida!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Charles, tudo ok?

Gosto demais desses vídeos informativos!
Quando posso, os assisto e reflito sobre os aspectos humanos, embora o grande ensinamento venh dessas criaturas que chamamos de irracionais!...

Abração, e sou quem agradece pela sua enriquecedora vinda!

Mary:)

Dú Pirollo disse...

Olá minha querida amiga Mary, boa tarde!!!
Pois é minha amiga, temos que lutar pelos oprimidos, mesmo sabendo que faz parte da cadeia alimentar, sempre torcemos para que a presa escape, a luta só termina no último segundo... Temos mesmo, muito a aprender com os animais, eles nos ditam belas lições.
Parabéns pela excelente postagem, adorei!!!
Tenha uma linda e abençoada tarde!!!
Beijos com carinho e muita paz!!!

Mary Miranda disse...

Du, meu amigo!

Gosto de assistir a essas fugas das presas pelo simbolismo da coisa.
Coloco sempre no campo humano; aqueles animais têm por instinto lutar pela vida até o fim!
Já reparou também nos insetos? São pequeninos e sábios.
Havia um besourinho bem pequeno aqui nas redondezas que dava "capoeira" no predador dele (seja um besouro maior ou qualquer outro que o perturbasse)!
Aqui em casa o apelidamos de "cambalhota" pois era sua "arma" mais funcional.
Aquela ginga, de um lado para o outro, deixava o "carrasco" tonto e, pela canseira que causava, o maior acabava desistindo.
Olha, te confesso que aquilo me tocava!
Sentíamos que havia um desespero no menorzinho, mas não desistia; era lindo demais!...
São coisas assim que nos ensinam a viver!

Abração, meu amigo querido!
Sua vinda é sempre uma honra pra mim!!!!

Mary:)

Nanda Botelho disse...

É legal ver alguém escapando... Mas se pensarmos bem se todos escapassem o que seria da família do predador, hein? rsrsr

É bom nos lembrar que podemos lutar por aquilo que acreditamos, mesmo quando a situação parece perdida!

Bjs!

Mary Miranda disse...

Nanda,

O vídeo foi para mostrar que devemos lutar até o fim, mesmo que as condições atuais nos digam que não é possível.
É para metaforizar a vida humana. Enquanto há vida, há esperança.
Mas na lei da sobrevivência entre os animais, sabemos que não há bons nem maus, apenas criaturas que, por instinto, querem se alimentar.
Mesmo sabendo disso, costumo torcer pelas escapadas das presas.
Sou torcedora inveterada dos fracos e oprimidos! rsrs

Beijos!
Obrigada pelo comentário!!!!

Mary:)