PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

sábado, 19 de novembro de 2011

Felicidade: o estado natural das coisas


Que ninguém se iluda, mas felicidade é o estado natural das coisas.
Das coisas da vida de nós todos, nessa torrente de fé e sonho, que se faça luz onde houver escuridão!...
Seja cético, e não insano, em pensar que nascemos para o desamor e a obscuridade, sofrimento dos que ficam após os que se foram!
Se me entrego à indigência dos atos, serei aquela mesquinha vã que vê maldade onde não existe, o povo e a sabedoria: "Achar chifre em cabeça de coelho!"...
O que é ficar deprimido? O que é sofrer? O que é não ver lógica na andorinha - não única- que faz verão?
Entenda que o sol de todos os minuciosos dias de esperteza do tempo - quando quer aparecer entre as nuvens que obscurecem céus - não foi feito para ser reverenciado!
"Bom dia, sol!" é coisa de "abestado" e "Boa noite, lua!" persegue o desmantelo mental do "bom dia" solar...
A falta de felicidade é que forma a infelicidade; o negativo é que é lembrado!
A rotina do dia-a-dia é felicidade porque cumpre-se o mérito da questão: um fio solto da roupa é que será motivo de comentários, e não a costura que entrou no entalhe libertado pela agulha costureira!...
Sejamos mais coesos e permissivos com o cumprimento das "profecias" da vida, e não nos escondamos naquele sofisma que inventamos na correria do quão duro é viver!
A rotina do ar em pulmões ninguém fala; se o gás carbônico abarrota o organismo é que seguimos ao médico para "desembuste" do trem fora do trilho!
Saúde é algo, na sabedoria da "massa" - Droga, coisa que encharca o ser de conhecimento! - que só nos apercebemos se a perdermos!
A corrida pelo prejuízo: "Conheço um remédio caseiro que é tiro e queda!". Se é "tiro" ou "queda" quase nunca sabemos, embora tenha sido ele o "milagroso" de urgência que refez nossa paz alardeante de "Saúde é o que interessa!"
Meus braços e pernas, sem ferimentos, não me recordam amarguras, até abuso, abusada que sou, de comida gordurosa ou chocolate engordante.
Um trisco de dor surpreendeu o polegar quando cortava couve... E o mundo acaba, a vida não presta, e Deus... Será que existe mesmo?
Sarei a ferida que me importunava, olho a couve e até gracejo: "Couve, o que é que houve?", e novos cortes, mais ou menos profundos, figuram nas mãos, que esquecem de imediato qualquer alusão a infortúnio!...
Felicidade é acerto, e tem caminho único, qual o "dois mais dois".
Qualquer coisa que não seja o resultado esperado, é erro, por isso nos decepcionamos com tanta facilidade!
Conte dois objetos e depois conte mais dois. O resultado tem que ser quatro!
O que diferir disso - cinco, três, mil, um milhão- cairá em erro, e seremos o "marginal", aquele que não sabe contar!...
Felicidade é detalhista, e não tolera desvio!
Esteja você são, de mente e corpo, e vá um simples resfriado quebrar sua rotina?...
-Você está bem?
- Estou, MAS peguei um resfriado!...

O que sai da normalidade é produtor de conectivos adversativos!
Tenho em meu poder lindos copos em formato de taça, gênero rubro-negro identificando o time da Gávea - "Uma vez Flamengo, sempre Flamengo..." - que conta-se oito, se o indicador apontar para o que ainda tem extrato. "Sólidos e certos", se não fosse um deles aflorar uma quebrada invisível para olhos desatentos, numa das bordas.
Já me esquivo em servir visitas com esse, esse mesmo que causa transtornos...
Seria inadmissível ouvir que sou descuidada com meus utensílios de cozinha por um único, parco, simples e humilhante pedaço ínfimo de vidro que se desligou, sem deixar rastro!
A felicidade não emociona, ela é normal demais, cumprimento de tarefas que se absorve mecanicamente intransponível!...
O que emociona são os extremos - sofrimento demais ou alegria demais - porque teimosia me arruina, repetindo e repetindo que felicidade é o estado natural das coisas, num ciclo, círculo interminável, já que saúde será sempre saúde, vitória sempre vitória e amor, sempre, inexoravelmente amor...
Talvez, num desespero por "emoções", estragamos o que já está correto, ou seja, o que é naturalmente feliz, para consertar o mal feito depois, e assim voltarmos ao ciclo da felicidade "normal demais", para estragarmos tudo de novo!
Por que tanta gente corre quando é correspondida amorosamente?
Aquela paquera de anos, que retribuiu seu intento, em suas mãos mitológicas oníricas, e você joga fora; felicidade é assustadoramente boa e simples!...
Caia fora da neura de que viemos para sofrer!
O que ocorre é que tendemos a destruir o que nos mostra satisfatório...
Você tem um corpo igual ao dos outros : "Saco! Eu sou igual a todo mundo!..."
Todos nós temos uma imagem distorcida do destaque, e é nisso que mora nossa infelicidade-mor!
Vista-se de vermelho-bombeiro e saia às ruas para que alguém te perceba, elaborando cartazes de "Viva fulano!"
Ter uma vida na caminhada prevista por qualquer um, é motivo de agonia; os espelhos devem ser quebrados...
Muitos se perdem nas drogas, outros na rebeldia, e a maioria na infelicidade: é emocionante dizer a si mesmo: "Sou infeliz e devo procurar O Pássaro Azul!"
A nuvem carregada de chuva alavanca um céu tenebroso de dúvidas objetivas: "NÃO sairei hoje!"
O sol brilhante das manhãs comuns arrasta um mar de dúvidas indecorosas: "Que calor! ACHO que não sairei hoje..."
Estar de acordo com a previsão não satisfaz.
Se é alto, joga-se basquete.
Se é baixo, não se joga basquete... nem vôlei!
O estado tão seguido limita, e consagra os ilimitados!
Vá ter opções, viva a vida com a faca e o queijo nas mãos!
Forneça a sua história, aquele limão atento em virar limonada...
Se a felicidade é um estado normal, seja "anormal" por um tempo mínimo, o suficiente para sentir o quanto você era feliz...
... E não sabia!...


(Obs.: Leia a "Prece da Felicidade", da imagem, onde o incentivo é o agradecimento às coisas simples da vida, mas que tanta alegria nos retorna. É tocante!...)


(Imagem:

http://www.pilarmartins.com)

18 comentários:

Ana Lucia Nicolau disse...

muito bom seu texto, realmente precisamos refletir sobre o sentido da felicidade...abs

Mary Miranda disse...

Obrigada, Ana Lucia!

Se todos nós pararmos para pensar o quanto somos felizes com as simpels coisas, muitas de nossas agruras sumiriam...

Abraços,
Mary:)

Valdeir Almeida disse...

Minha amiga Mary,

Felicidade, de fato, é um estado puro, límpido, não se confundindo, por isso, com uma sensação. Mas a felicidade segue uma linha reta, repentinamente, porém, a curva fica ascendente, como está ocorrendo agora a minha felicidade: lágrimas me surpreendem ao ler este seu texto. Sempre tenho medo de parecer bajulador (ou adulador) quando exponho a admiração que tenho por você. Por isso, perguntei-lhe se já havia publicado um livro.

Seus escritos estão na categoria dos livros de cabeceira, daqueles que são lidos prazerosamente, sendo permitidos até a reprise da leitura. Isso é felicidade contínua. Seus textos são criativos, profundos, reflexivos.Quando lemos o que você escreve, estamos acordando a felicidade, e a deixando insone.

Infelizmente, Mary, como você mesmo falou, o senso-comum considera a felicidade aqueles eventos que saem da rotina. E, ao meso tempo, levam em conta sempre o lado negativo da vida. Observam, por exemplo, o fio solto da roupa, mas tratam com indiferença a costura que entrou no entalhe libertado pela agulha costureira”.

Sem mais a dizer, senão irei me alongar a ponto e desviar o tema completamente (risos). Mas, sem antes, novamente, agradecer-lhe por não deixar apenas para você o talento de transformar em palavras as questões mais profundas da alma humana. Você está compartilhando o dom que Deus lhe deu.

Beijos, Mary, e ótimo domingo.

P.S.: Coincidentemente, meu próximo texto fala sobre felicidade, mas com outra abordagem, baseada numa música de Lulu Santos. Postarei amanhã ou segunda-feira.

Mary Miranda disse...

Valdeir, querido amigo!

Eu fico meio que sem saber o que dizer após um comentário na proporção do seu!...
Meu anjo, eu "nasço" quando alguém elogia com sinceridade os meus escritos; é sempre como a primeira vez, e me emociona, de verdade!!!!
Cada coisa que lanço por palavras é diferente, é como se nunca tivesse escrito nada antes, o que causa aquela expectativa: "Será que agradarei? Será que não "errei a mão" e escrevi bobagens?"
Por isso que é primordial essa interação de vocês, meus amigos, pessoas inteligentes, sinceras e objetivas, que me convidam a tentar melhorar, que me dão permissão para dar continuidade aos meus intentos literários!
Se suas lágrimas te invadiram os olhos, as minhas me inundaram a alma; OBRIGADA!!!!
Sobre o post em si, AMEI quando você disse que felicidade não é sensação, mas estado puro.
E como tenho como paradigma doutrinário o acreditar que toda alma nasce pura e ignorante (no sentido de ainda não saber algo, não de "burra"), a felicidade acompanha a limpidez da alma: natural e reta, sem deturpações.
Tudo o que sai do controle nos causa infelicidade, a falta de controle é a exceção, não a regra. Imagino uma fábrica que lança no mercado milhares de brinquedos perfeitos, mas que tem dentre eles, uns poucos que chegaram para os clientes, quebrados.
O alarde será em torno dos defeitos desses brinquedos, não sobre os perfeitos. Por que será? Porque felicidade é o estado natural das coisas, é comum e se encontra na maioria, não na minoria das situações. (Perdoe-me, meu doce, sei que estou escrevendo outro post! rsrsrs É que seu comentário foi intensamente inspirador!!!!)

Beijos, e aquele restinho de fim-de-semana fabuloso para você!
E o meu OBRIGADA novamente!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Ahammmm, alguém aí falou de felicidade e Lulu Santos juntos num post?

Você que se atreva a passar de amanhã para lançar seu artigo, para ver o que te acontece! kkkkkkkkkkkk

Vou esperar com ansiedade, viu?

Beijos, querido!!!!

Mary:)

Nanda Botelho disse...

Também acredito que nosso estado natural é de saúde e felicidade, mas de vez em quando desafinamos, saímos deste estado, então precisamos aprender técnicas de voltar e não acreditar na doença.

O problema é que existem personalidades que são naturalmente mais derrotistas e não conseguem enxergar este estado solar, mesmo quando tentam.

Para elas nossa oração. ; )

Bjs!

Felipe disse...

Moça Bonita
Desnecessário dizer que se trata de mais um texto brilhante – e não digam que sou suspeito para dizer isso –.
Sem dúvida, é simples ser feliz, mas nós resolvemos complicar tudo (começando com o dia nublado e terminando com “Deus esqueceu de mim”).
Reclama-se da beleza e da riqueza dos outros, esquecendo-se que as mesmas são provas dadas por Deus a determinadas pessoas a fim de que as mesmas possam evoluir espiritualmente, não são prêmios para alguns eleitos.
O corte no dedo é bem mais fácil de ser suportado do que uma doença crônica que acompanha alguém do berço ao túmulo.
O fio solto na roupa deveria ser agradecido porque mostra que temos roupa.
O ponto de vista divergente do amigo não quer dizer que fomos traídos, mas que temos alguém que se importas conosco e tentou mostrar um escorregão que demos.
Tiremos o MAS de nossas frases, pois, muitas vezes, demonstra desconfiança, negação - Fulano e bom, mas...
Deixemos que a felicidade seja coisa comum, corriqueira em nossas vidas e não um presente dos céus concedido pelos deuses somente a alguns.
Busquemos na vida o meio termo. Nunca 8, nem 888.
Beijão do presidente "ad eternum" do fã clube. Isso é que felicidade.

Mary Miranda disse...

Isso mesmo, Nanda!

Sair da felicidade é desafinação porque tudo que destoa da normalidade não é o ideal, por isso devemos combater os maus pensamentos, a tendência que temos de nos preocuparmos com os defeitos, não com os acertos.
Realmente, amiga, pessoas derrotistas, só orando! (Isso se não forem derrotistas demais porque algumas, nem reza braba adianta! rsrsrs)

Beijos,
Mary:)

ronan- paz com deus ! disse...

ola amigo vizitando seu cantinho vizite o meu tbm e por favor me segue lah abç e conto com vc

clica para entra no site

Mary Miranda disse...

Meu querido e doce Canceriano Favorito!

Que beleza de comentário o seu, da mais profunda reflexão!
Amigo, a felicidade está o tempo todo do nosso lado, ela joga ao nosso favor, mas não nos lembramos dela, só a percebemos quando a perdemos, na máxima do "Eu era feliz e não sabia!..."
Sem palavras, querido, a sua passagem onde toca no ponto das pessoas que sofrem desde que nascem até o sepultamento, e talvez não lamentem tanto quanto aquelas que apenas quebraram uma unha, ou se feriram cortando uma batata!...
E outra parte que te reverencio, CONCORDANDO PLENAMENTE, é sobre a questão da "eleição" de Deus para alguns apenas serem felizes!
Oras, se Deus é soberamente justo e bom, TODOS têm direito de sentir felicidade!
Se em dadas situações - que só cabe a Ele julgar - alguma pessoa sofrer, não foi porque ela é uma "filha desprezada"! Há uma causa e uma consequência que une todos os fios soltos que, novamente argumento, cabe ao Pai julgar; não brinquemos de "divindade" e ditemos o que Deus deve ou não deve fazer!
Sim, meu amigo, vamos parar com o "mas" das situações!
Vamos dar mais valor às coisas, até para pararmos tanto de reclamar, sermos mais gratos e menos egoístas!...

Beijos da presidenta para você!
Mútua e vitalícia com louvor! rs

Mary:)

Mary Miranda disse...

Ah, e pode levar para o Facebook, querido!

Para mim será uma honra!

Obrigaaaaaaaaaada!!!!

Beijos,
Mary:)

Mary Miranda disse...

Ronan,

Vou dar um pulinho para uma visita!
Só não garanto quando!...


Um abraço,
Mary:)

Valéria Braz disse...

OI Florzinha... que texto hem?!
Eu digo pra todos que felicidade pra mim é viver, é errar, é acertar, é perder a esperança é recuperar a esperança, é cair é levantar....
A felicidade pra mim é a simplicidade de abrir os olhos todos os dias e se deparar com uma infinidade de sentimentos para viver e vivendo ir descobrindo que ser feliz é simplesmente existir...
Beijo enorme em seu coração

Mary Miranda disse...

Val, querida Flor!

Somos duas, amiga, porque penso assim também!
A felicidade é a normalidade nas situações, não é nada além do óbvio e suficiente em nossas vidas!
Quando estamos tristes, é um estado de espírito não-bom, e quando estamos alegres, também é um estado de espírito, só que é bom.
O que é felicidade, então? O que você falou, Valzinha: é cumprir as simplicidades da vida, apenas agradecendo pelo fato de existir, sempre realizando a parte que nos cabe!

Um grande beijo!
AMEI seu comentário, como sempre!!!!

Mary:)

Luma Rosa disse...

Felicidade tem a ver com ponto de vista e saúde mental. Quem está bem, enxerga o mundo com lentes azuis e traz para si um arco-íris de acontecimentos bons e possibilidades. Como disse Pablo Picasso: "Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol".
Bom fim de semana! Beijus,

Mary Miranda disse...

Luma, oque você falou, é uma verdade!

A felicidade é o estado natural das coisas, mas se uma pessoa estiver triste, não verá alegria em nada, e tudo lhe parecerá medonho e sem vida...
Que belíssimo pensamento de Picasso,no qual concordo plenamente!!!!

Um beijo e igualmente bom fim-de-semana!!!!

Mary:)

Samanta Sammy disse...

Olá minha querida amiga e Musa da Escrita !!

Que lindo seu texto !! Muito emocionante e verdadeira a sua reflexão !
Nós, seres humanos temos esta mania de muitas vezes complicar o descomplicado, achar que a felicidade só existe nos momentos em neón e assim parece que chafurdamos na lama do sofrimento, querendo que o renascimento seja megalomaníaco, pois assim veremos a Felicidade mais claramente...
Isso é um engano pois ela está aqui, neste momento , agora, onde estou com saúde, visitando uma amiga, refletindo e conversando com ela sobre a vida... a chuva que cai lá fora me atrapalhou a sair, mas agora pouco vi como é bela e como amenizou o tempo... Mas costumamos nos focar somente no lado negativo, sempre menosprezando o positivo...
Eu poderia agora xingar a mudança de tempo, pois preciso sair... e então meu dia começaria a ficar cinza e meu humor afetado... e assim um círculo se inicia, trataria mal os que me cercam e ficaria de bico até passar a chuva, depois continuaria de bico, pois meus afazeres estão atrasados... e por aí vai !
Se nos policiarmos e estivermos dispostos a enxergar o lado bom das coisas, seremos mais felizes e menos insatisfeitos, pois há alegria ao nosso redor sempre, mesmo quando teimamos em olhar apenas para as sombras :)

Lindo demais ! amei !
Um beijãooo e bom restinho de domingo !

Mary Miranda disse...

Menina Sorriso, adorei que tenha vindo!!!!

Querida amiga, a felicidade é tão genuína, que não nos damos conta de que esteja perto...
Ela é matéria bruta, no sentido de ser a causa primeira do sentimento do espírito.
O que vem depois é que é o diferente, não a felicidade!
Mas a droga é que confundimos felicidade, o estado natural das coisas, com momento atípico, "especial", quando na verdade ela é simples, tranquila, sem "emoções" fortes.
Felicidade não tem que causar sensações de delírio ou de que você está tirando os pés do chão - a isso damos o nome de alegria - felicidade é simplesmente cumprir o curso natural da vida...
A diferença que vejo entre felicidade e alegria é exatamente essa: a primeira é o estado normal e favorável das situações, e a segunda, o momento atípico favorável das situações. Alegria é momento, e felicidade é estado normal.
Lindinha, muito difícil não lamentarmos nossos infortúnios (quem já não reclamou da chuva? kkkkkkkkkk), mas como sobriamente você nos elucidou, se repararmos bem, veremos que a chuva, se atrapalha de um lado, também ajuda de outro, porque refresca, faz as plantações brotarem, sem contar nesse fator maravilhoso citado por você, de que se começamos a lamentar uma coisa, vira uma espécie de "bola de neve", pois acabamos não cumprindo outras tarefas, pois perdemos tempo em só reclamando de uma simples chuva!...

Beijos, querida, obrigadíssima pelo fabuloso comment!

O mesmo desejo a você!!!!

Mary:)