PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

quinta-feira, 31 de março de 2011

Esquece e vem...


Ando muito nostálgica por esses dias, mas não propriamente amargurada; interessante!...
Um ponto de mim indo a partes esquecidas, resgatando invariavelmente a emoção.
" O passado nunca sabe o seu lugar: está sempre presente" (Mário Quintana; saudades, poeta!...)
Um momento que me traz, escorando uma suavidade que as lembranças doces costumam tomar de nós.
A malícia das memórias é fazer com que não sejamos bons nem maus; só saudosos, ante ao retorno de imagens e sons!
Captura-me o senso emotivo e traga a motivação do presente.
São assim, elos que se formam eternos...
Talvez eu seja a única que lembre, talvez as recordações sejam só minhas; nem sempre saber significa compartilhar...
E "esquecendo", me "veio" Nico Rezende!
Lembro com riqueza de detalhes, a tão somente permitida pela memória afetiva, como se fosse presente (mas é passado...) de meus arroubos de adolescente, quando tocava a longínqua canção-título dessa prosa sendo poética.
A afetividade da recordação me traz também o conhecimento do show aqui, pertinho da minha casa, tão perto, que quase escutava a respiração do artista...
Obediência e timidez azucrinaram toda a minha adolescência, e eu não me permitiria fugir para assistir à apresentação de Nico! (Tinha medo da represália dos mais velhos: pai, mãe e irmãos...)
Dor mesmo foi na segunda-feira, quando meus colegas (TODOS... ou quase), após aquele sábado de luz, disseram com galhardia ofensiva dos que tudo podem e conseguem ("Minha mãe não manda em mim!"), contando aos quatro ventos que o evento havia sido maravilhoso, envolvente e até dançante...
Se há tortura chinesa, há também a tortura teen, que é muito pior...
Pra sempre recordarei de quando tão facilmente sentiria a música ao vivo e não a "ouvi", chorosa "vendo-a" pela TV...
Esquece e vem, a exemplo de algumas poucas canções românticas, é daquelas cuja letra "adulta" não se perde no "Não vivo sem você", e não tem o tom choroso, com alto teor de sacarose!
Seu estilo tem uma lentidão ocasionada pelo arranjo sutil, quase um poema cantado, e o saxofone sugere uma sensualidade tão criativa, que naquela época não surgiu outra igual!
Nico era uma promessa de renovação em nosso cancioneiro e, sabe-se lá por que caminhos trilhou, o moço só faz parte agora dessas memórias que não nos deixam mentir...
Ele é mais conhecido por ser compositor e arranjador (foi ele quem escreveu, junto a Paulinho Lima, a famosíssima Perigo, cantada por Zizi Possi) e me custa trazer à baila a sua última aparição em TV (talvez... 2001?).
"Esquecer e ir" é difícil, mas "lembrar e voltar", é sempre bem tranquilo para esse meu coração sonhador!
As amarguras que se percam em seus confusos estremecimentos no caos (essas "olvidáveis"!); assombro meu sentido interno de pacificação com minhas memórias Peter Pan...
Se eu te digo "esquece", é para engavetar o dissabor, a incompreensão, e se eu uso "vem", me esparramo inteira, diante da vida que me espera, sugando todo o amor que houver...
A inesquecível Esquece e vem, aqui agora, peço, cuja letra sempre me toca, mesmo quando sua melodia não está "tocando"...


Esquece e vem - Nico Rezende

(Composição: Nico Rezende/Paulinho Lima)

Dói mais teu silêncio que tua agressão
Tentar crescer, saber dizer não
Ter seu espaço, sua opção, tudo em vão

A gente se esquece do que promete
Tenta não ver que enlouquece
Na barra pesada, isso nunca mais, te encontrei

Uhh...

Nada adianta e não tem disfarce
Pra que enganar? Diz a verdade
Tanta solidão, a quem convém?
Esquece e vem...

A gente quase tudo tem

Nada adianta e não tem disfarce, não
Pra que enganar?
Diz a verdade

Tanta solidão, a quem convém?
Esquece e vem
A gente quase tudo tem





(Imagem:

http://voarnopensamento.blogspot.com


Edição de imagem:

http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com)

8 comentários:

Valéria Braz disse...

Oi minha flor... eu adorava (ainda adoro pelas letras e composições) do Nico Rezende, e esta música acompanhou uma parte da minha juventude... aquela parte já indo para a maturidade.... lembranças@
Viu, não e só você que as tem... mas as acendeu em meu coração!
Também não me lembro de quando foi sua última aparaição em público....nossa quanto tempo!
Beijo no coração

Mary Miranda disse...

Olá, Valéria, queridíssima amiga, uma flor de pessoa!

Gostava de Nico Rezende pela sobriedade de suas apresentações e das letras 'adultas' que compunha (embora eu só tivesse uns 12 anos na época, não gostava de letra romântica bocó!)
E o fato que mais me marcou é saber da apresentação dele aqui, praticamente no quintal da minha casa, e não poder ir assistir...(Qual adolescente que conseguiu passar ileso, sem escutar um 'não' dos mais velhos? rsrsrs)
Amiga, sabe o que ocorre muito?
Quando falo dessas músicas mais antigas, tem gente que diz assim: 'Você ainda se lembra disso?' com um desdém que só vendo pra acreditar...
Essas pessoas parecem que não tiveram vida, né?
Eu tenho muitas recordações das muitas fases pelas quais passei...
Estou aqui tentando lembrar também de quando vi Nico, por esses tempos, em algum lugar na mídia...
Grande artista, um músico fenomenal!

Beijos, minha querida!
Adorei ter trazido boas lembranças pra você também!

Mary:)

Jackie Freitas disse...

Olá Alteza!!!
Ai...que delícia escutar essa música!!! Adooooooro!!!!
Poxa...(suspiros)... Lembrei-me agora de uma fase maravilhosa da minha vida. As lembranças correram soltas aqui, sem que eu queira esquecer...só pedindo para vir... e elas estão todas aqui!
Amiga, como tem músicas que marcam nossa vida, com letras que dizem exatamente tudo o que queríamos dizer e por preguiça ou medo, vergonha...sei lá, acabamos não dizendo e o tempo passa e percebemos que tínhamos todos os ingredientes, cenários e músicas que poderiam ter nos auxiliado...
Mas, já foi! Bons tempos, alteza! Agora é só ficar no "Esquece e vem..." mesmo!
Uauuu...viajei demais agora!
Obrigada, minha linda! Fez-me muito bem à alma!
Grande beijo,
Jackie

Mary Miranda disse...

Olá, minha doce Fênix do Bem!

Essas histórias com música sempre rendem emoções impensáveis em cada um de nós...
A minha lembrança mais evidente é essa, de quando eu era só uma adolescentezinha, cheia de sonhos e ideais, e não podendo assistir ao show, que ocorrera tão perto de minha casa...
Creio que isso tenha simbolizado algo intrinseco em mim: estar tão perto da felicidade, mas vê-la escapar por entre os dedos... ('Essa coisa clandestina que é a felicidade...')
'Esqueço' aqui, nesse momento, todas as amarguras, tristezas, incompreensões...
E 'venha', amor, com suas imperfeições e virtudes, humanas questões: errou-se, acertou-se, fez-se em luz!
A sapiência dos nossos sonhos, vivenciados em algum anseio, mas que seja amor, tudo o que o ser, levemente, permita que sejamos!...

Desculpe aí, Jackie, acho que delirei um pouco!
Mas é que músicas como essa nos desnudam, e mostram tudo o que há de melhor em nós!...

Beijos, minha querida amiga!

Mary:)

Samanta disse...

Olá minha queridíssima Musa da Escrita !!!

Huuum que delícia sentir esta nostalgia mansa que chega e nos envolve, pois eu adorava esta música !!!
Foi trilha sonora de tantos pensamentos meus, inspiração para atitudes, embalo para abraços, lenço para lágrimas, eita tempo bom !!!
Adorei relembrar, a quanto tempo ela estava esquecida no meu arquivo pessoal e você a trouxe me fazendo recordar partes da vida, aquele passado de Quintana que no fundo está sempre presente !!
Um super beijo e que sua semana seja maravilhosaaa !!!

Mary Miranda disse...

Olá, minha doce Menina Sorriso!

Começo falando do Quintana, que eu citei no post e você mencionou em seu comentário.
Sabe, amiga, que ele estava coberto de razão?
Volta e meia eu me pego com turbilhões emocionais direto do túnel do tempo, o que me envolve e me aconchega diante das amarguras que uma realidade possa estar trazendo...
Frase antiga, mas certeira, que diz que RECORDAR É VIVER!...
Essa música ESQUECE E VEM, do Nico, ela é sempre atual, moderna porque traz sensações de vivências de antes, e que traduzem as emoções de agora!...
Haja coragem para esquecer e vir com o futuro incerto, embora tão instigante!!!!

Beijos, amiga minha!

Venha sempre que possível por aqui, porque sua presença faz falta!

Mary:)

Robstolle disse...

Ontem acordei com essa musica na mente. Naum sei pq...fiz uma pesquisa no google e cair na tua pagina. Acabei tendo dois momentos de extase. Um ao relembrar a letra da musica,e outro ao ler o teu post. Vc deu um banho de beleza em minha alma. Nossa...vc so pode ser de outro planeta. Forte abraço!

Mary Miranda disse...

Oi, Robstolle!

Músicas são reflexos da alma, de alguma forma.
Talvez seu inconsciente estivesse trazendo a mensagem da letra e harmonia, havendo essa necessidade de 'ouvir' a canção.
Gosto muito dessa música, independentemente de época ou situação.
Minha satisfação por você ter gostado do post!


Abraços,
Mary:)