PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

O que eu aprendi com os meus professores

Sim, mês de outubro é o "cara".
Como tenho motivos de comemoração neste querido mês dos Animais, das Crianças, do Fatos de Fato, dos Médicos e dos Professores!
Professores...
Isso me lembra alguma coisa!...
Oh, sou professora, minha gente! E com muita honra!!!!
Mas eu não a seria, se não fosse os meus agora colegas de profissão, que honram nossa classe, que fazem dela um mundo bem melhor de se viver!
E não nos esqueçamos nunca, que todas as profissões do mundo dependem de um professor, desde os mais singelos docentes (aqueles do Jardim) aos dos mais altos níveis acadêmicos!
Não é à toa que a etimologia de "profissão" nos transfere de imediato à associação ao radical "profe" de "professor"...
Bem, não vou aqui me deter e perder o precioso tempo de todos nós falando daqueles que não são professores de verdade, uns tipos que passam a mão no diploma, e alardeiam seu despotismo imbecil e arcaico a la música do Pink Floyd (Another brick in the wall).
Quero falar sobre mestres-humanos, do estilo 'Gente que faz' , aqueles da categoria INSUBSTITUÍVEIS!
Graças a Deus tive maravilhosos docentes; só alguns poucos deploráveis.
O que eu aprendi com os meus professores, esses INSUBSTITUÍVEIS, vai além dos livros e letras, uma aquiescência em seus olhares e a sabedoria latente explodindo na aula aplicada, a despeito do sono, cansaço, desinteresse dos alunos e aborrecimentos concernentes a esse "Universo Paralelo" chamado Magistério.
Um deles uma vez explanou que o maior aprendizado que existe, não é mostrado em provas, e sim, é aquele dos momentos do "pós-libertação" da sala, onde alguém diz, mesmo passados muitos anos:
- Poxa, meu professor da 5.a série me ensinou isso!...
É sobre essa aprendizagem que fica por toda a vida, que quero relembrar, algo que nunca mais esqueci.

O que eu aprendi:

* Diferença entre substantivo abstrato e concreto

Abstrato é sentimento, é qualidade, não dá para visualizar com os olhos fechados; concreto, é o contrário (Amor é abstrato porque não visualizamos o tamanho, a cor, a dimensão, mas Papai Noel nos permite imaginação, porque mesmo não existindo, sabemos que sua roupa é vermelha, usa barba branca, etc.) - Professora Ada Helena - Língua Portuguesa (Ensino Médio);

* Dividir por dois algarismos

Problema sério entrar na minha cabeça que eu deveria entender a classe das unidades, dezenas, centenas para dividir com exatidão! Depois que eu "pesquei", aprendi até a dividir de duas maneiras diferentes! - Professora Marli - ( 3.a série -Ensino Fundamental);

* O que é silogismo

Tem a ver com o uso que certas pessoas fazem para "convencer" outras, embuste usado por muitos políticos, o que podemos chamar de "falácia". O tema é longo e não vai dar espaço aqui para eu explicar melhor. Professora Anete - Língua Portuguesa ( Faculdade);


* A conhecer e entender mais a Literatura Brasileira

Pois é, temos que apreciar o que é "nosso", embora muitos de nós passemos longe desse ditado popular.
A partir de conhecimentos "de perto" literários, aprendendo a ler nas entrelinhas, e saber que uma obra literária não é só um monte de letras para entretenimento, e sim, que pertence a um histórico merecedor de pesquisa, é que passei a apreciar a Literatura Brasileira.
Hoje em dia posso dizer que amo Clarice Lispector , Machado de Assis, José de Alencar, Aloísio de Azevedo e tantos outros. Clarice era a única que já amava desde criança... Professor José Jorge - Literatura Brasileira (Faculdade)

* Platão e a Teoria das Reminiscências

Descobri que ninguém aprende "de primeira", é necessário ter visto a prática algumas vezes antes . A lembrança do que ocorreu anteriormente, faz-nos determos nossa sabedoria com mais afinco. Virei fã de filosofia por isso! - Professor Ronaldo - Filosofia ( Faculdade);

* A gostar de Literatura Portuguesa

Eu lembro que achava a Literatura Portuguesa alguma coisa "menor", com a cabeça entulhada com aquelas piadinhas de mau-gosto que os brasileiros ignorantemente sempre fazem.
Nesse quesito tenho que dar os louros a dois mestres, que me abriram os olhos para o "além-mar" e fizeram que a minha leitura pessoal contivesse Fernando Pessoa (um dos meus ídolos literários), Eça de Queiroz, Camilo Castelo Branco e Luís de Camões. Professora Selene -Literatura ( Ensino Médio) e Professor Iran - Literatura Portuguesa ( Faculdade). Obs.: Prof.a Selene é portuguesa de nascença e foi a primeira a me dar apoio nos meus escritos!;

* A usar o raciocínio lógico para resolver questões matemáticas

Até hoje não sou grande coisa em matemática, mas tenho o orgulho de dizer que, ao menos, uso a lógica. Vou martelando uma questão até achar o "cerne" dela, no que às vezes leva-se horas. Se não fosse por isso, iria continuar me "arrastando" nos números até hoje! Professor Jonier - Matemática (Ensino Médio);

* Reconhecer quando uma palavra contém dígrafo

Foi através da prática, da professora dando exemplos do dia-a-dia, que aprendi a diferença, por exemplo, de 'sc' dígrafo e 'sc' não-dígrafo. ('Descida' é dígrafo porque não pronunciamos o 's' e 'escola' não é, porque pronunciamos o 's' e o 'c'). Professora Rosângela - Língua Portuguesa (5.a série - Ensino Fundamental)

* Que todo aluno de Faculdade tem que ser pesquisador

A mania que temos, quando saímos do Ensino Médio, é de acharmos que Faculdade tem que ser 'maternal'.
Meu professor explicou que deveríamos pesquisar mais, ler mais, no que resultou num vocabulário mais apurado e provas bem mais condizentes com o grau de uma faculdade! Além de tudo, ele foi um dos melhores professores de Português, do tipo que falava ao nível Evanildo Bechara, o grande gramático! - Professor Hercules - Língua Portuguesa ( Faculdade);


* Saber que no Brasil não houve miscigenação, e sim, "estupro legalizado"

É bonito dizermos que o Brasil é formado pela miscigenação entre as raças branca, negra e índia.
A verdade, porém, é que no princípio de nosso povoamento, as pobres negras escravas e índias eram violentadas por algozes senhores de engenho e seus asseclas, tendo os seus filhos criados feito bastardos. O que hoje chamamos de "miscigenação", não passa de "estupro legalizado"... Professor Antônio Jorge - História do Brasil ( Ensino Médio)
* Diferença entre o artigo um para o numeral um

Parece bobagem mas só um professor soube explicar isso de maneira fácil e objetiva!
Um, quando não há outros números numa frase, é sempre classificado como artigo.
Se houver outros, é classificado como numeral. Esse professor, juntamente com o anteriormente mencionado Hercules, forma o time dos melhores em Português que já vi! Professor Waldemar - Língua Portuguesa ( Faculdade);

* O que são "Phrasal verbs"

"Phrasal verbs" é a ligação de um verbo (ou não) com uma outra palavra, que juntas formam outro sentido. Exemplo : get= conseguir; up= para cima; get up= levantar-se. Foi com minha professora que consegui memorizar vários deles, e me fazer valer em minhas aulas. Professora Luzia - Língua Inglesa ( Faculdade);

* A entender a frase "Penso, logo existo"

Com aquele "jogo-de-cintura" típico dos bons professores, consegui absorver esse pensamento de Descartes. Em poucas palavras, isso quer dizer que, você só sabe que existe, porque pensa... Sem extensão, por favor! Professor Geovane - Filosofia ( Faculdade)

* O que são figuras da linguagem

Nunca as compreendi direito, nem me lembrava delas, somente as coordenei na mente quando precisei aplicar aula sobre isso. Ironia, metonímia, aliteração, metáfora, são recursos que podemos usar ao escrever ou falar. Eu, por exemplo, me amarro na ironia, quase sempre as escrevo em algum lugar... Professor Orlando (Professor regente no Estágio) - Língua Portuguesa ( Estágio da Faculdade)

* Que não é preciso saber português direito para falar bem o inglês

Essa foi interessante porque achava que uma coisa tinha a ver com a outra. Mas, não é.
Aprendemos um idioma pelo interesse ou necessidade.
Se há pessoas que falam mal o Português é porque não tem um interesse real nele, enquanto vemos gente que saca bem inglês porque acha mais necessário. Professor Edson - Linguística Aplicada ( Faculdade);

* Vocabulário de livro de inglês é diferente do vocabulário prático

Se nos resumirmos tão-somente a livros, nosso inglês fica estagnado.
É necessário um contato com os falantes nativos, ouvi-los na prática.
Por isso nosso professor começou a escrever palavras consideradas popularescas, gírias e até palavrões para nos situarmos com o inglês "real". Professor Paulo César - Língua Inglesa ( Faculdade);

* Os arquétipos de Carl Gustav Jung

Nunca nem tinha ouvido falar desse psicólogo, presa estava apenas a Sigmund Freud.
Em época de monografia, doida varrida por Clarice Lispector como sou, escolhi um dos livros dela para trabalhá-lo, "esbarrando" , assim, com Jung, pois a obra da escritora era baseada nos tais arquétipos.
Dos cinco mais conhecidos, adoro o da "máscara", onde comprova que cada um de nós se "esconde" de alguma forma. Mais uma aprendizagem inesquecível pra mim! Professor Synval - Teoria da Literatura ( Faculdade).

Para fechar, essa é , com certeza, INSUBSTITUÍVEL:

* A ler e a escrever

Todo mundo tentava me ensinar a ler e a escrever na minha família, mas nenhuma letra "entrava".
Só aos sete anos, quando o meu pai já achava até que eu fosse um pouco "burrinha", uma professora do meu bairro, com seus apenas 17 anos, conseguiu me alfabetizar, de maneira completa!
Eu conseguia fazer a escrita correta, escrevendo o 'z' na "nobreza" e 's' na "casa", sem problema algum.
Isso no tempo recorde de um mês e meio!
Detalhe: essa professora não era formada; era apenas uma estudante.
Provou que era professora de alma, o que é melhor! Professora Alessandra (apelido Dininha) - (Classe de Alfabetização).

Que aproveitemos esse dia 15 de outubro, Dia dos Professores, para uma reflexão maior .
Quem sabe, de tanto martelarmos nessa tecla, ainda não conseguiremos mais respeito e mérito, a nós, professores de luta e fé?


Estava aqui pensando qual música eu poderia usar para marcar essa data tão marcante para nós, docentes.
Aí me veio Nos bailes da vida, do Milton Nascimento e Fernando Blant, cantada lindamente pela cantora Joanna, que retrata a vida do artista na estrada, da garra, da luta, que todo artista tem que ter.
Não somos artistas do palco, mas somos da sala de aula, então cabe aqui essa ode dos poetas Milton e Fernando, à esperança e força que todos nós devemos trazer em nossos corações, para a nossa sobrevivência, enquanto seres vivos!
FELIZ DIA DOS MESTRES!!!!!!!




(Imagem:
http://designfurb.blogspot.com/2010/09/espaco-formatura.html

Edição de imagem:
http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com)

8 comentários:

Jackie Freitas disse...

Olá minha linda Mary!
Você acredita que enquanto eu lia esse seu post estava tocando Pink Floyd? Bem, eu tive, graças a Deus grandes mestres! Mais que professores exercendo o seu ofício, grandes amigos e mestres que carrego por toda a vida. Recentemente promovemos (a minha turma da época) um encontro com nossos professores do primário e ginásio. Foi demais!!! Minha primeira professora se chama Helena e até hoje a chamo de Tia Helena...rsrs...
Acho que é muito importante as pessoas valorizarem o estudo e enriquecimento de conhecimentos. Tem a vida que ensina naturalmente, mas algumas passagens precisamos dos livros, da escola e dos mestres, sem dúvida!
Parabéns pelo seu dia, minha querida teacher!
Adorei passar aqui pelo Egito e ver as pirâmides...hummmm
Grande beijo!
Jackie

Mary Miranda disse...

Olá, querida Jackie!

Acho ótimo pessoas legais terem a honra de terem tido professores legais porque nos incentiva a sermos melhores ainda!
Professores dignos nos impulsionam a querer sermos como eles, são exemplos a serem seguidos na vida e/ou na profissão.
Que legal você ter reencontrado essas pessoas tão importantes!
Quase não vejo meus mestres, nem colegas, uma pena!...
Tenho tentado achá-los, embora alguns eu possa vê-los indo à Faculdade, mas os mais sumidos são aqueles mais antigos...
Obrigada por ter vindo aqui, minha amiga!
Agora dá gosto de ficar mais um pouco no Fatos de Fato, né? rsrs
Reforminha boa essa que Rê fez!!!!
Beijos da Mary pra você! :)

Valdeir Almeida disse...

Mary,

Que linda homenagem que você fez aos seus professores. Hoje, sei porque você se tornou uma.

Ai. Permita-me copiar e usar esse texto na sala de aula e também na sala de professores. Sinceramente, é um homenagem motivadora.

Mary, aproveito para lhe desejar também um Feliz Dia das Professoras.

Beijão.

Mary Miranda disse...

Olá, Valdeir!

Pode, sim, querido amigo, levar o post para onde achar interessante!
Para mim, é uma honra!!!!
Eu quis homenagear meus professores porque eles merecem!
Nossa profissão já é tão sofrida, imagine se não tiver ninguém para dar-nos o valor?
E se eu não te "ver" mais hoje, um 'Feliz Dia dos Professores' para você também!
Amanhã é dia de festa! rs
Beijos da Mary pra você! :)

requeri-assadeira disse...

tb sou professora!!!!
parabéns pra todos nós. beijo.

requeri-quersaber disse...

pronto!!! agora li tudo e fiquei plena. vc é danada!!! não é à toa que eu cismei que vc merecia um blogg de responsa ... beijo.

Mary Miranda disse...

Essa me pegou, Rê!

Não sabia que você era professora!!!!
Se soubesse, teria incluído nas suas "multi-faces" de habilidades! rs
Parabéns para todos nós!
Merecemos essas honrarias! rsrs
Beijos,
Mary :)

Mary Miranda disse...

Já vi que gostou do post!rs

Coloquei minha alma de total contentamento por ter tido mestres tão dignos na minha passagem estudantil!
Sabia que depois que você andou "rebloggando" por aqui, as pessoas ficam mais tempo no Fatos de Fato?
Elas têm o maior prazer de ver as pirâmides, a Esfinge, os deuses, etc.
Repetirei sempre que der: realmente foi um trabalho muito bonito o que você fez!!!!
Deu uma "cara" de profissionalismo ao blog, no que fico muito contente pois eu queria valorizar mais os posts, que as pessoas tivessem satisfação em vir me "visitar".
Valeu mesmo, Rê!
Um grande beijo,
Mary:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...