PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Still loving you e o "baby boom"


É isso mesmo, nem vou disfarçar porque seria muita cara-de-pau minha: o artigo tem Scorpions na jogada! Mas não é sobre a banda propriamente dita, e sim, o poder que uma música consegue ter para um povo, situação, comportamento, que minha visão se prende hoje.
Só há bem pouco tempo fiquei sabendo de um fato curiosíssimo que, como pesquisadora detalhista, apurei com mais afinco.
Bem, claro que todo mundo já ouviu Still loving you , da infectível e mencionadíssima banda alemã aqui por mim revisitada à exaustão, e quem não a escutou, vou "zoar" até o fim dos tempos, chamando este ser de ET bizarro e dos mais desligados!
Resolvida essa etapa, vamos ao que me predispus enfocar, o argumentado poder de uma música.
Lançada em 1985, Still loving you atingiu praticamente todos os topos imaginados, comentada, cantarolada, observada e amada nos quatro cantos da Terra. Indo mais longe, causando "barulhos" mais íntimos em lugares que só os amantes conhecem...
Num "time, it needs time" e outro, casais trocaram juras de amor, e num "try, baby, try" mais sugestivo, formaram os muitos bebês europeus!
Pasmado está quem esteja lendo, e nem preciso de sobrenaturais poderes para adivinhar isso. O fato é que a romântica, lindíssima, histórica e marcante canção, embalou os apaixonados de tal modo, a levá-los ao perdão das mágoas amorosas, reconciliação, beijos calorosos e o amor feito para os casamentos duradouros! Num clima tão propício ao romance, era natural que a ligação dos casais formados, resultasse em filhos.
Klaus Meine cantando Still loving you no Rock In Rio 1985
Por toda a Europa, sobretudo na França, o aumento da natalidade foi considerável! Um apresentador de TV, ao entrevistar a banda, havia comentado, em tom de brincadeira, sobre a responsabilidade dos componentes por terem causado os baby boomers franceses. Eles riram muito e não acreditaram... O Governo francês, no entanto, com dados estatísticos nas mãos, tempos depois, confirmou aquilo que os músicos alemães não deram crédito. Risonho, Rudolf Schenker, guitarrista, respondeu: "Eu sei, mas é difícil de acreditar assim mesmo..."
A coisa poderia parar por aqui pois, por si só, já é algo fascinantemente incrível, mas não posso parar porque tem mais, adoravelmente mais...
Muitos baby boomers europeus e oitentistas que nasciam meninas, foram registrados com o nome de Sly (significa "dengosa" em português), palavra interessante por ter sido formada pelas iniciais de Still Loving You, como homenagem àquela que salvou muitos amores perdidos e fez conhecer tantos outros!...
Quando a banda já estava para lançar o último álbum Sting in the tail, um casal contou a Matthias Jabs, também guitarrista, uma das muitas histórias envolvendo a canção, afirmando que deram o nome Sly à filha. Como fora provado em certidão de nascimento e o ano de 85, Matthias falou aos colegas sobre essa passagem. Os inspirados de Still..., Schenker & Meine, compuseram a canção com o nome da menina, uma homenagem à homenagem...
Nunca imaginei que Still loving you e o baby boom pudessem ter alguma ligação, em qualquer lugar que fosse!
Muita gente argumenta que foi a letra forte, embora doce da música, que ocasionou essa explosão de natalidade. Outros evidam no arranjo bem construído, a vitalidade para junções amorosas.
Por meu turno, creio que tenha sido o todo da música, com destaque percentual maior para Klaus Meine, o vocalista, que joga tudo ali: a emoção, o vigor da voz, a dramatização e o melhor: ele acredita na música!
A despeito de tantos anos a entoando nos milhares de palcos pelo mundo, Klaus ainda fecha os olhos para cantar Still... Ele sente cada acorde e se concentra inteiro. Sempre me parece que se transforma na própria melodia, num transe que o faz viajar a milhas de distância, para um lugar entre as estrelas, a infinitude de um amor que ainda está por vir!...
Devo revelar que foi essa interpretação incontestavelmente magnífica de Klaus, que fez o começo da minha alucinação pela banda Scorpions, e só não pude fazer parte da estatística das pessoas que tiveram bebês nessa época, porque eu mesma era um bebê...


Obs.: O filho de Klaus, Christian, também nasceu em 1985...

Christian Meine


Para aqueles que já conhecem a balada poderosa, os 99,9% da população mundial, e para os "ET's bizarros e desligados" restantes, dois vídeos: o de Still loving you e da homenagem que a canção recebeu, Sly.


STILL LOVING YOU




SLY






(Imagem:
http://ourdreambox.blogspot.com

Edição de imagem:
http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com)

10 comentários:

Adriana Helena disse...

Mary, minha querida...
Amei demais o seu artigo! Ainda bem que não sou uma alienígena, pois simplesmente amo essa canção do Scorpions- Podemos escutá-la em sequência inúmeras vezes e mesmo assim jamais enjoa: É LINDA DEMAIS!!
A interpretação do vocalista, sem dúvida nenhuma ,contribuiu para o fenômeno dos bebezinhos, seja franceses ou de qualquer nacionalidade!!
Se eu te dissesse que essa música tem um poder fatal de "apaixonite" aguda, você acredita não é? rsrs
Eu não sei se você conhece, mas uns 5 anos atrás eu vi na internet um vídeo de um passarinho "desafinando" esta música e quase rachei de tanto rir.. no final ele leva uma sapatada na cabeça.. muito legal mesmo pois comprova o poder da música: TODOS CONHECEM- Já ouviram ou ainda aqueles que nem nasceram: também vão ouvir e se apaixonar!!
Amei amiga, adorei, venerei o seu texto: viajei no tempo!!
Beijo e um (quase) maravilhoso final de semana!!!

marcela disse...

De fato é mto linda a música, letra e melodia.
Estimula fazer bebês...rs

Mary Miranda disse...

Anjinha Adri, pode chegar! rs

Meu doce de amiga, obrigada pelas palavras sobre o post; fiquei extasiada!!!!
A música é uma ode ao amor, não por acaso eleita uma das 100 melhores músicas românticas de todos os tempos!
Sou suspeita, obviamente, mas vou tentar ser imparcial. Quando ouço "Still loving you" há sempre algum elemento novo que me ativa uma emoção desconhecida... Acho que é a interpretação de Klaus, que é sincera, não deixa "vácuos" na voz! Ele encarna o personagem da letra e mergulha fundo na alma de alguém que sofre por ter perdido um grande amor, mas que tem esperança de uma reconciliação!
TEnho pra mim que esse lado da música, o da esperança, também ajudou muito a embalar os grandes romances. Não houve só lágrimas, havia a alegria do futuro retorno...Todos nós precisamos sonhar que teremos quem amamos de volta!...
Eu até brinquei com uma amiga do Face que, quando eu quiser ter um filho, já sei que música vou escutar! (Acho que vai ser gestação na certa, não? kkkkkkkkkk)
Ouvi, sim, Adri, esse pássaro, é bem engraçado!... rsrs (Mas uns fãs mais alucinados que eu por Scorpions, acharam horrível e queriam que "zoassem" outras canções de outros artistas, não "Still...", porque essa é "sagrada" para os Scorpionsmaníacos! rsrsrs).

Beijos, amiga minha!
O mesmo para você eu desejo, para esse começo de fim-de-semana!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Marcela, tudo ok?

Uma das melhores músicas românticas de todos os tempos, e com razão, não é mesmo?
Ah, com certeza! rsrsrs É por causa dela e outras mais que a população mundial está alta desse jeito! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Abração,
Mary:)

Sérgio Santos disse...

Mary, gostaria de te pedir uma ajuda. Houve um erro no meu blog e a barra lateral com os meus gadgets foram parar no final da página e sumiram da lateral direita onde sempre ficaram. E isso ocorreu do nada. Não mexi. Sabe o que houve e como posso resolver o problema? bjs e desculpe o abuso!

joselito bortolotto disse...

Grande Mary, estes tipos de musica deveriam ser rotuladas daquele slogam: "O Ministério da Saúde adverte, que essa musica deve ser ouvida com moderação, pois poderá trazer consequencias imprevisiveis ....ou não" kkkkk

Mary Miranda disse...

Boa tarde, Sérgio!

Pode ter sido algum gadget recente, de origem duvidosa, que você colocou por esses dias e nem lembra!
Aconteceu uma vez comigo, de eu pôr um widget e ele ter bagunçado o blog, mudando os acessórios de lugar.
Tente lembrar o que você andou fazendo de diferente por esss dias (ou semanas) porque um desses "brinquedinhos de blog", às vezes, levam um tempo para perturbar...

Um abração, querido! Espero ter te ajudado!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

hehehehe Joselito, amigo meu, você pode estar certo...

... Ou não! rs
O caso é que músicas tão envolventes quanto "Still...", mexem com o imaginário de cada um, e se você está passando por uma situação semelhante à letra, é bem capaz de se deixar levar, assim formando esses tantos bebês imprevistos, mas bem-vindos! (Ainda bem que são frutos do amor, né? rsrs)

Abração da Mary pra ti! :)

Djair Souza disse...

Amei, sem palavras...

A força da música...

Poucos conseguem fazer tanto com o sentimento...

Parabéns pelo texto informativo e apaixonante a um só tempo!

Mary Miranda disse...

Obrigada, Djair!

Esse post escrevi com o coração! Fiquei bastante surpresa e emocionada por descobrir na prática, o quão poderosa uma música é em tantos momentos de nossas vidas...
A boa música ainda é uma das melhores maneiras de nos sentirmos mais humanos.

GRande abraço amigo!
Eu AMEI enormemente a sua vinda aqui!!!!

Mary:)