PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Sal da Terra


Em momentos de reflexão de vida, me encanta ressurgir mentalmente a conceituação de multiplicação de valores, e não diminuição...
Pega de surpresa por mim mesma, pergunto ao meu mano mais velho, se ele sabe explicar o porquê de "1 mais 1 é sempre mais que 2", do genial e um tanto esquecido Beto Guedes, em sua canção O Sal da Terra.
Meu mano reflete um pouco, e responde:
-Deve ser porque dois é sempre mais que um...
A explicação dele me tomou de jeito, e me emocionou, com lágrimas tentando escapar mas, teimosa que sou, as guardei na alma.
Se analisarmos com a vontade de sermos uma unicidade, essa multiplicidade que é a humana criatura, meu mano querido está coberto de razão.
Números não explicam quando se trata de gente...
Uma só criatura que se perca e estamos nós, desafortunados, aturdidos, porque não é UM que se estoporou nas pedras do caminho: é a espécie humana, o TODO, que se corrompeu em caos...
Quando há um acidente catastrófico envolvendo um ônibus cheio de tantas pessoas, e das quase cinquenta acidentadas, "apenas" uma morre, caímos, derrotados, falidos em comiseração.
As estatísticas nos alertam sobre o sucesso da operação onde resgatou-se quase todos com vida; infelizes nós que confiamos: "quase todos" nunca foi sinônimo de "todos"...
E aquela única criatura cuja existência, ceifada prematuramente deixara seus familiares entristecidos, seus Natais comprometidos, seu legado de futuro exposto em jornais apelativos?
"Dois é sempre mais que um..."
Sei, por experiência, que o ativamente integrante do Clube da Esquina Beto Guedes quis dizer que cada um que chega é mais alguém que soma, e no final, são tantos uns, que já ultrapassaram o limite do número par, dobro daquela unicidade inicial...
Nosso Planeta Terra precisa dessa confusão, desse dois que é um, desse um que é dois!...
Quando um dia (sem prognóstico fatalista!) desencantarmos, com o nosso Rei Sol decaindo sem sua majestade, estaremos nos encontrando em uma ligação imposta, conquanto sábia.
A dor de UM será de TODOS, e teremos prazer por não sabermos contar...
Guedes traz-nos uma utopia, de pessoas preocupadas com o "mais lindo dos planetas", porém, é bom sonhar!
Dias de união ainda podem surgir, de pessoas que não estejam "maltratando a Terra por dinheiro" ; sempre há uma luta inacabada nos corações daqueles que têm ESPERANÇA!
Por fim, quando eu disse ao mano que a letra se tratava dessa união de TODOS, dos muitos uns que podem surgir num mesmo objetivo, meu mano me embarga a voz (ele não tinha lembrado de qual canção eu estava falando) :
- Essa música do Beto... Puxa, me comove muito!...
Por todo o dia nós, que éramos dois, nos tornamos um, tão visceralmente ligados pela emoção que admitimos simultaneamente sentir, sempre quando ouvimos O Sal da Terra...
É sempre grandioso nos reconhecermos humanos pelo olhar que nos reflete: nessas horas que percebemos o quanto precisamos uns dos outros, uma contagem infinita, que nunca se perde nos percalços de vida!...




Vídeo e letra da reflexiva canção desse irretocável cantor e compositor mineiro, autor de tantas outras músicas inesquecíveis!
Aprecie!



O SAL DA TERRA - Beto Guedes

(Composição: Beto Guedes/Ronaldo Bastos)

Anda!
Quero te dizer nenhum segredo
Falo nesse chão, da nossa casa
Vem que tá na hora de arrumar...

Tempo!
Quero viver mais duzentos anos
Quero não ferir meu semelhante
Nem por isso quero me ferir

Vamos precisar de todo mundo
Prá banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
Vamos precisar de muito amor
A felicidade mora ao lado
E quem não é tolo pode ver...

A paz na Terra, amor
O pé na terra
A paz na Terra, amor
O sal da...

Terra!
És o mais bonito dos planetas
Tão te maltratando por dinheiro
Tu que és a nave nossa irmã

Canta!
Leva tua vida em harmonia
E nos alimenta com seus frutos
Tu que és do homem, a maçã...

Vamos precisar de todo mundo
Um mais um é sempre mais que dois
Prá melhor juntar as nossas forças
É só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora
Para merecer quem vem depois...

Deixa nascer, o amor
Deixa fluir, o amor
Deixa crescer, o amor
Deixa viver, o amor
O sal da terra







(Imagem:
http://www.pt.dreamstime.com

Edição de imagem:
http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com)

14 comentários:

Pithan Pilchas disse...

Olá Mary,

acho bem legais as composições do Beto Guedes, esta é mais uma de suas obras.

Bju

Paulo

Felipe disse...

Certa feita, com essa historia do “quanto é 1 + 1?” recebi uma resposta interessante:
“É qualquer número compreendido entre 1,9 e 2,1”.
A resposta tem lá sua lógica, pois UNS valem menos que 1 e OUTROS mais. Entretanto, sabemos que cada um tem seu valor e muitas vezes os que valem menos que 1 acabam fazendo mais falta do que aqueles que valem mais dependendo de N circunstâncias.
Mas, o que me veio a mente ao ler o seu post foi o egoísmo e pouco caso do homem para com seus iguais. Por quê?
Quando nos deparamos com um acidente de grandes proporções, onde vidas foram ceifadas e há feridos, logo uma grande mobilização é feita para que se socorram os feridos com doações de roupas e mantimentos, mas passada a “catástrofe da semana” voltamos à mesma vidinha de sempre esperando a próxima para nos mobilizarmos.
Não estou dizendo que essas doações não têm valor, muito pelo contrário, valem e bastante. O que incomoda é que pessoas continuam sofrendo por outras “catástrofes”, fome, miséria e outras tantas sem que mexamos uma palha.
Não falo só de doações, mas dos protestos que temos condições de fazer, na urna, através de nossos blogs e de tantas outras formas e nos quedamos.
Sem contar que, quando auxiliamos, nos preocupamos com a fome da África e de outro lugar do mundo, esquecendo que os famintos cruzam conosco todo dia nas ruas pelas quais passamos.
Soa falso auxiliar longe quando tão perto também há necessitados.
É lógico que devemos nos preocupar em auxiliar através do exemplo e não só pelo alimento que mata a fome por 1 ou 2 dias, mas infelizmente nos omitimos.
Outra coisa que me incomoda são os “shows” de desespero quando se perde um ídolo da música, do esporte e até da política (muito embora saibamos que a grande maioria destes últimos vale -0,5).
Quando morre o Zé (deixando mulher e sete filhos e estava entre aqueles que valem 2,1 ), os mesmos que choraram a morte do ídolo sem conhecê-lo, não dão a mínima, embora conhecessem o Zé e sabiam de sua luta para viver.
E assim caminha a humanidade...
Beijão minha querida presidenta e desculpe o desabafo.
Felipe

Valéria Braz disse...

Mary que delícia... quanto tempo não ouvia esta música! E olha que adoro MPB...
Eu vejo nas últimas estrofes a essência de toda a letra da música...
"Deixa nascer, o amor
Deixa fluir, o amor
Deixa crescer, o amor
Deixa viver, o amor
O sal da terra"....
Ainda falta muito pra nascermos, fluirmos, vivermos o amor, este amor que vai muito além da nossa capacidade de viver "o sal da terra".
Adorei...beijo no coração

Cigano disse...

Dou minha mão à palmatória em outro assunto... Pode ter um milhão de defeitos este diHITT... Pode ser primário e cheio de vícios, mas é inquestionável a qualidade que eles conseguiram reunir, por muita sorte, em um só espaço!

Que magnífico texto, Mari!

Sem rasgação de seda nem demagogia, mas você se superou. Agora você pegou pesado, Menina...

Conversas sobre amenidades como o post dos embusteiros celestiais, vá lá, mas aqui, todo cuidado é pouco para que não me torne um blasfemo, pois falar sobre DEUS Beto e sobre o TEMPLO Clube da Esquina é muita responsabilidade.

Aqui entra mais uma vez, meu conceito sobre gênios como Beto Guedes... Papai Freud me ensinou isso, faz muito tempo... Uma hora comento sobre isso.

Você tolheu todo e qualquer comentário que eu pudesse vir a fazer, visto a complexidade e exatidão de suas colocações. O que lá não colocou é porque não nos pertence... Ficou guardado nos cofres do tempo, para que futuramente os filósofos tenham com o que se ocupar...

As respostas, Betinho tem. Ou não tem. Talvez queira se divertir às nossas custas, assim como um tal Djavan, Lô Borges, Paulo Coelho... Só insanos!

Apenas sendo redundante, já que tudo foi dito, quando temos ciência de que "...quero não ferir meu semelhante
Nem por isso quero me ferir...", mostra que a importância do indivíduo é sempre a mesma, seja ele quem for. E se você pode doar tal humanidade é porque se vê vinculado aos seus iguais, o que impossibilita a ideia de sermos apenas um corpo e uma alma.

Se nossa capacidade de doação é tanta ou maior do que nosso egoísmo, descobre-se aí sua alma plasmada nas almas dos seus irmãos; a sinergia necessária para que possamos dizer: Um por todos, todos por um!

Olhando dessa forma, podemos dizer sim: "Um mais um é sempre mais que dois!", com exclamação, pois não há dúvidas.

Sensacional post, meu Anjo!

Beijos com muito admiração! De novo...

Mary Miranda disse...

Paulo, amigo!

Beto Guedes é um poeta!!!!
Pouco reconhecido, numa dessas injustiças artísticas que só o nosso Brasil - varonil pode cometer...

Abração,
Mary:)

Mary Miranda disse...

Meu Canceriano Favorito, o meu boa tarde mais contente!

Seu comentário é um post, o que massageia meu ego por eu o ter incentivado, através do tema trazido, a escrever essa luminosidade de ideias! OBRIGADA!!!!
A inversão de valores, cota majoritária da moeda de troca!...
Querido, UM é sempre TODOS, mas a dor de uns não tocam outros...
Penso nisso também daquele quase anônimo na multidão, que perdeu a vida, mas que possui a força da vida que um dia habitou seu peito; esses são números, celebridades são dignas de notas largas em mídias?
TODOS SOMOS IRMÃOS, é fato e é certo, embora nos atentemos mais com a "unicidade" que o egoísmo recorre, jogando por terra o verdadeiro amor fraternal.
Sobre as doações para lugares longínquos, você foi tão integramente certo, que nem me estenderei...
E a resposta que você obteve de estarmos entre 1,9 e 2,1, me deixou estática até agora; olha aí aquele "dois que é um" ou o "um que é dois"! Quando se trata de raça humana, os números perdem o valor...
Você não deve pedir desculpas pelo desabafo: teria que pedir se não nos fornecesse tamanha gradiosidade de reflexão a todos nós!!!!

Beijos dessa fã, presidenta mútua e vitalícia!
(Nessas horas que tenho mais do que certeza por que não deixo a presidência de jeito nenhum...)

Mary:)

Mary Miranda disse...

Valzinha, meu doce!

São tantas músicas fabulosas, não? A MPB é rica delas!!!!
Escolhi refletir sobre "O Sal da Terra" porque me causou uma emoção, pela conversa que tive com meu irmão sobre a letra.
Algo um tanto antigo e ainda nos causa comoção; foi lindo demais nosso pequeno grande enfoque!
Essa parte é mesmo marcante...
O amor é o verdadeiro "Sal da Terra", mais do que a raça humana, que assim foi chamada numa das mais lindas passagens bíblicas.
Só o amor tempera, só o amor dá o sabor e o tom, o amor como arma para desmistificar as mais absurdas mentiras da vida!

Beijos, minha Flor linda!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Meu OBRIGADA, antes de qualquer coisa, querido Cigano!

O que se escreve é mesmo surpreendente porque, se para você falar de religião é bem tranquilo, para outros causa temor e/ou torpor. Adorei enfocar aquela temática, no mesmo porte de como estou adorando bater esse papo com você sobre música e vida!
Mais uma vez, OBRIGADA pela conjuntura de elucidações que aqui trouxe e no outro artigo também!
E sigo em frente, dizendo o quanto é renovador falarmos sobre criaturas mortais como Beto Guedes, mas que ficam eternizadas em suas obras celestiais!!!!
O Clube da Esquina é apaixonante!!!!
Ouvi falar deles através da música "Clube da Esquina II", cantada pelo 14 BIS.
Aquilo ali é um "templo" de gênios sensíveis, gente para ser reverenciada: salve Nascimento, salve Borges, salve Venturini, salve Brant e salve GUEDES!!!!
Quase o assisti no Conjunto Cultural da Caixa aqui no Rio... Por uns poucos dias, eu me distanciei da grandeza de sua presença!... ( E há gente que comenta comigo que o mais marcante do show foi Beto reclamando do sapato apertado: o cara escreve O SAL DA TERRA para certas pessoas lembrarem de sapato reclamado; isso deve deprimir qualquer mortal, mesmo que genial como ele...)
Voltando ao SAL, nós que falamos de TERRA, também gosto da passagem que você mencionou pois, se não quero ferir meu semelhante, não quero me ferir para me manter inteira, não dar chance da mágoa ser tanta, que eu comece a duvidar da bondade do próximo. É um ato de caridade não querer se magoar para não ficar ferino e cruel com os outros!
E você nota que Guedes ressalta bem o sentimento mais pleno que um ser humano pode ter: o amor!
Só ele é capaz de transformar os UNS em infinitos e incontáveis DOIS!

Um abração daqueles pra você, meu amigo!
Só consegui responder ao seu comentário porque sou teimosa!
Você me tocou de tal maneira, que nem tem como explicar...

Mary:)

Dú Pirollo disse...

Olá minha querida amiga Mary, boa noite!!!
Minha amiga, bela canção de Beto Guedes, nos leva a refletir muito sobre uma possível nova vida onde imperará o amor e a paz. Em se tratando de esperança, o um mais um sempre será mais que dois e o mesmo acontece em se tratando de amor, pois esse último quando somado se multiplica e um mais um acaba virando muitos. Minha amiga, somos o sal da terra e sem a nossa colaboração, esperança e luta ela se tornará insipida e fadada às trevas. Vamos todos nos unir em uns mais uns para tornar este mundo mais humano e justo!
Valeu minha amiga, belo texto e bela música, adorei!
Tenha uma noite maravilhosa e abençoada, recheada de muitas alegrias!
Abraços com carinho e muita paz!!!

Adriana Helena disse...

Mary, querida amiga...
Eu sempre amei esta música de paixão... é simplesmente maravilhosa, irretocável!
Beto Guedes é único e a voz dele me leva de volta à infância, à adolescência onde eu gravava nas antigas fitas cassetes as músicas do meu compositor favorito...uma voz doce e suave.. uma composição de letra que eu nunca vi igual!!
Lindo Mary, só você para trazer estas lembranças...obrigada amiga!!
Muitos beijos!!!

Aurelio disse...

Mary meu anjo, adorei seu raciocinio, transformado em texto e com uma lógica exepcional. Parabéns pelo seu relato, e quanto ao Beto Guedes e o "Sal da Terra", é um hino, e uma carícia em nossos ouvido e alma.
Grande beijo querida amiga!!!

Mary Miranda disse...

Boa noite, Du!

Que maravilhoso você escreveu sobre a Terra, que ela ficará fadada às trevas se não nos unirmos!...
Parece apenas uma utopia de Beto, mas essa união ainda é possível, conforme a humandiade for avançando, deixando certos ranços pra trás e egocentrismo tolo!
Como diz o compositor : "A felicidade mora ao lado", e é nela que devemos envidar nossa força e acima de tudo, ESPERANÇA!
"Talvez todo aquele que sonha seja louco, mas ninguém é tão normal que nunca tenha sonhado... "(Essa é minha! rsrs)

Abração, meu querido!

O mesmo que me desejou, desejo a você!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Adri, meu anjo!

É, sim, uma das melhores letras e melodias já compostas em território nacional!
Como pode, né, amiga, alguém ter essa sensibilidade e inteligência para compor algo assim?
As fitas cassete... Lembro delas!
Às vezes passava a tarde inteira esperando tocar uma música tal, para poder gravar! (Não espalha muito porque isso é jurássico! rs)
Adoro recordar canções como essa, que são atemporais, uma dádiva ter ouvidos e poder ouvi-llas!!!!

Beijos, querida!

Obrigada pela doce presença, que sempre tão bem me faz!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Aurélio, tudo ok?

Também acho uma carícia para os ouvidos e alma essa canção de Beto Guedes!
Aliás, o cara é um crânio: só escreve música boa!!!!

Muito obrigada pelo comentário tão incentivador!
Esse post escrevi por causa de uma emoção muito grande que senti ao comentar com meu irmão sobre a letra!

Abração da Mary pra você! :)