PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

sábado, 20 de outubro de 2012

Criptococose: doença que vem dos pombos


Já diria o grande poeta Vinícius de Moraes: "De tudo ao meu amor serei atento...".  Em nome desse amor, que para o qual estou sempre atenta, alerto a todos sobre uma doença chamada criptococose.
Quem navega pelos mares do Fatos de Fato, percebeu de imediato,  que um dos meus amores maiores na vida, são os gatos. Ocorrendo qualquer coisa com algum deles, eis aqui uma "mãe" bem preocupada...
Não um, mas dois, três, quatro, cinco, seis - isso, seis!- gatos meus adquiriram esse algo até então inominável para mim, uma doença de pombos que, se não fosse eu uma cuidadosa, amorosa "mãe" dos felinos, já teriam todos morrido... Perdi já um para esse mal no que, aliás, tem virado uma constante a mim. Perder meus bichinhos virou uma dolorosa rotina!...
Até Masso, meu Neguxão que contraíra esporotricose ano passado,  também está nesse rol de sofrimento! (Para quem não sabe, Masso ficou totalmente curado da mencionada doença,  encontra-se bonito e gordo, embora, eu já saiba, possa emagrecer muito. Saído mal e mal do outro tratamento, já participa desse novo...).
A criptococose não é tão horripilante quanto a esporotricose, de deixar o bichinho em farrapo de pele e osso, sem o tratamento adequado. Só que ela é menos controlável que essa última. Analise: quem consegue segurar um gatinho dentro de casa,  24 horas por dia, de modo que nunca, em sua existência, terá contato com outros animais, sobretudo pombos?
Pois é. São aquelas aves voadoras, que mesmo sendo silvestres, fazem morada em chusma em meio urbano, seres arrulhadores e bonitos, conquanto, infelizmente desprezíveis, que proliferam problemas entre humanos e outros mamíferos.
A transmissão se faz pela  aspiração dos dejetos do emplumado que habita perto de nossas casas (às vezes no ato da caça, com o objetivo de cumprir com o instinto que lhe dera a natureza, os felinos farejam tudo o que veem,  para arrematar os tais pombos). A  marca principal sintomática da criptococose em gatos,  é o que podemos popularmente chamar de "nariz de palhaço". O bichinho fica com o nariz inchado avermelhado,  respiração difícil e  espirra muitas vezes por dia. Como não bastasse,  em alguns animais, surgem ferimentos no corpo. Pela dificuldade respiratória, muitos emagrecem visceralmente,  já que alimentar-se,  vira um transtorno.
Lembremo-nos, no entanto, que a doença não é contagiosa. Não passa de gato para gato, ou de gato para humano e vice-versa. Somente se pega a dita, em contato direto com o elemento transmissor, isto é, as fezes dos arrulhadores.
Para uma certeza fidedigna de que se trata desse mal, apenas fazendo exame de sangue que, aqui no Rio de Janeiro, costuma ocorrer gratuitamente pela Fundação Oswaldo Cruz.
É mais raro desenvolver em seres humanos,  embora em pessoas com imunidade baixa (geralmente soro positivo são as vítimas principais), possa ser de difícil tratamento, até levando à fatalidade em alguns casos.
Parece mentira, porém, afirmo: em quase 1 ano que venho lutando com meus gatos, tive que virar uma "veterinária ocasional". É tanta doença que descobri e aprendi à força a tratar que, se não fosse ele, o amor, já teria "chutado o balde". Faria como muitos indigentes  - Perdoem-me: mas seres que desprezam os animais, para mim, não têm nome! -, arremessando esses pequeninos seres amigos em lixeiras urbanas, expostos a toda sorte de maltrato, chuvas, falta de comida, infortúnios que a realidade causa aos humanos jogados e animais menosprezados.
Eu os vejo com olhos de ternura: se me causam certa tristeza agora, lembro-me dos momentos preenchidos de pura alegria! E mesmo estando doentes, uns mais, outros menos, é para mim que seus focinhos amáveis se viram à simples menção de seus nomes. A mansidão no olhar e o infinito amor  que trazem nas patinhas que me afagam, é o preço mais que bem pago que qualquer dinheiro deixado em farmácias para a compra dos remédios... Melhor: o que recebo deles,  cura qualquer dor  que eu possa sentir em meus próprios momentos lamentosos!...

Em tempo: estou cuidando de  meus gatuchos com o mesmo Itraconazol que salvou Massito da esporotricose. A resposta ao remédio mostrou-se eficaz porque é o mesmo princípio para combater bactérias do estilo da mencionada doença.
Aqui algumas fotos de gatos infectados. Causam dor aos nossos corações, mas achei importante postar, até mesmo para quem desconhece a doença, poder reconhecê-la!...
Resolvi postar um vídeo também, mostrando as diferenças entre esporotricose e criptococose.
Clique no link para direcionar para o vídeo:
 https://www.youtube.com/watch?v=Wu2DMIZ2L_4

Você pode conhecer também o canal Ronrons e Gatices, que fala sobre gatos. Informações, curiosidades, dicas e muito mais você encontra neste espaço. É só clicar aqui.




Doença causada pelas fezes dos pombos

(Edição das imagens:
http://www.facebook.com/MARYMIRANDABLOG)

16 comentários:

joselito bortolotto disse...

Mary, verdade verdadeira, é um caso de saúde pública, principalmente aqui onde moro, existe uma infestação de pombos, e ninguém faz nada, ou seja, deixaram a população de pombos crescer de forma assustadora .... está terrivel.

Sérgio Santos disse...

Que imagens fortes, Mary! Realmente pombos são pragas urbanas e transmitem muitas doenças. Uma vez um cachorro da minha tia lambeu as fezes de um pombo e ficou vários dias com diarréia. Pelo menos não foi nada mais grave. Beijos

Mary Miranda disse...

Oi, Joselito!

Fico revoltada com isso!... O Governo não toma providência e depois quem paga o pato é a população...
Estou bastante triste porque ando perdendo meus bichanos pouco a pouco por conta dessas doenças urbanas que pdoeriam ser totalmente dizimadas, se houvesse mais consciência.
Praga os pombos viraram, infelizmente...

Abração da Mary:)

Mary Miranda disse...

Boa tarde, Sérgio!

Amigo, passei a detestar os pombos depois que meus bichanos caíram doentes... Coitados! São irracionais também... Só que não dá pra conviver com eles e o Governo deve tomar providências, antes que vire calamidade pública (se é que já não virou....
A criptococose pega em humanos também, mas só os com baixa imunidade porque, os com a taxa normal de anticorpos, não causa problema algum. Quanto aos cães, é mais isso que você falou, diarréia, vômitos, etc. Perfeitamente tratável...
O caso é que em gatos, como o sistema respiratório felino é muito frágil, a doença pega com força.
Que num futuro bem próximo possamos não conviver mais com essa que, sabiamente você chamou de praga urbana!...

Abraços, querido!

Mary:)

maripivello disse...

Mari..... boa tarde!!!!! Encontrei uma gatinha na rua assim com o " nariz de palhaço" como é o tratamento????


Obrigada, Mariana Pivello

maripivello disse...

Mari.... boa tarde!!!! Encontrei uma gatinha de rua com essa doença.... gostaria de saber como é o tratamento?????

Obrigada, MariPivello

Mary Miranda disse...

Olá, Mariana!

O tratamento para gatos com criptococose, é um pouco mais longo que o da esporotricose mas menos perigoso ao ser humano, já que não é transmitido de gato para humano, nem de gato para gato. Só o pombo, de fato, é que transmite.
Bem, a princípio, eles reagem muito bem ao Itraconazol. Compre em farmácias comuns, o de 15 blisters e de 100mg (sai mais em conta).
A cápsula dá para dois dias já que você dará 50mg por dia. O tratamento vai variar entre três e seis meses. Quando sumirem todos os sintomas literalmente, você poderá dar "alta" à bichana. O problema é a reincidência, isto é, ela ter contato com os pombos de novo. Se pegar, terá que fazer tudo novamente...
O ideal é deixá-la o mais tempo possível dentro de casa e botar para correr todo pombo que avistar! rs (Não precisa matar, nem apedrejar. Pombos desistem de locais onde não há favorecimento de comida).

Espero ter ajudado!
Depois você me fala como ela ficou!!!!

Abração!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Como eu falei no comentário anterior!

Abraços e boa sorte!!!!

Mary:)

Anônimo disse...

As fotos em questão parecem ser de ESPOROTRICOSE.
Qto aos pombos, tenho vários e nunca tive problemas de saúde, pois comemos suas fezes...
Segue meu site q fala sobre a zoonose esporotricose: www.sosfelinos.org.br
Rosely Bastos

Mary Miranda disse...

Oi, Rosely!

Algumas dessas fotos são mais de esporotricose, mas como nos sites que as encontrei diziam que era criptococose, resolvi publicar. De qualquer forma, sendo uma ou outra é doença horrível...
Aproveito a oportunidade para agradecê-la pela prestimosa ajuda quando precisei!
Talvez você não lembre, mas fui eu quem te enviou um e-mail quando Masso apareceu doente. Você me deu muita força. OBRIGADA DE CORAÇÃO!

Um forte abraço e que continuemos lutando pelos animais!

Mary :)

Anônimo disse...

Oi, minha gata esta em tratamento faz duas semanas, mas nao estou vendo diferenca nas feridas. Demora para comecar a melhorar? Gustavo

Mary Miranda disse...

Olá, Gustavo!

É de gato para gato...
Uns reagem mais rapidamente, outros levam mais tempo.
De qualquer maneira, pelo o que eu sei, a melhora começa exatamente no tempo que você mencionou: duas semanas.
Se perceber que está levando mais tempo que isso, sem melhorar a aparência da gatinha de modo algum, procure um veterinário.

Boa sorte no tratamento!

Forte abraço,
Mary :)

Miriã Aguiar disse...

Poxa, minha gatinha também está com essa doença, descobri isso hoje pesquisando na internet. Vamos trazer um veterinário para certificarmos que realmente é isso, mas tudo indica que é isso sim. Aqui perto de casa deu pra ter esses bichos nojentos, ratos voadores, transmissores de doenças! É horrível, espero que consigamos fazer o tratamento com a Belinha porque estamos com pouca grana pra remédio, tomara não seja tão caro! Ela tem 4 filhotes que também estão com a gente aqui em casa, tem certeza de que essa doença não passa de gato para gato ou de gato para pessoas???? Fico preocupada com a gente e também com os filhinhos dela. Obrigada!!!

Mary Miranda disse...

Olá, Miriã!

Desculpe a grande demora para te responder, mas é que o meu tempo anda muito escasso ultimamente.
Espero que tenha ocorrido tudo bem... Até onde sei, a criptococose não passa de gato para gato, nem de gato para ser humano mas, em via das dúvidas, o mais certo é separar os filhotes da mamãe deles por enquanto, e dar leite através de seringa.

Um abraço e novamente peço desculpas pela demora.

Mary

Anônimo disse...

Olá Mary!
Estou preocupada,pois estou com umacachorrinha de 2 meses, soltei ela no quintal e peguei ela comendo fezes de pombo varias vezes. Será que necessariamente ela foi contaminada?
Obrigada

MARIANI CAPPRINNI disse...

ola, tambem tenho um gato (nicolau otavio) que teve esporotricose a uns 6 anos atras, ficou 1 ano em tratamento na Fiocruz e hoje Graças a Deus esta curado. tratou-se com itraconazol 100mg. remedio caro, mas foi doado pela instituição todo o tratamento, nao passou para os outros e nem para ninguem aqui em casa.isolei e tratei.