PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Olha só a cara de quem joga lixo no chão!

("Olha só a cara de quem joga lixo no chão!", imagem conhecida de quem vive ou anda em cidade grande.)



Jogam a culpa no pobre porco a sujeira que se faz, ele que representa a imundície da civilização por milênios. Só que eu vou mais fundo, e arremeto na lixeira social, aqueles que emporcalham nossa cidade com suas mazelas de uso!
Fiquei estarrecida com deplorável constatação de que apenas 1/3 da sociedade urbana (estatística minha!) acaba de abrir um pacote e caça, com firmeza de caráter, uma lixeira para os "restos mortais" de seu produto momentaneamente utilizado!...
Embalagens de picolé, biscoito, garrafas pet e latinhas de refrigerante, latinhas de cerveja, garrafas plásticas de água mineral, bala, chiclete, são os campeões da "perversão" dos imundos! (Esse povo pensa que aqueles reservatórios de cores diversas, com tampa, presos a postes ou em estabelecimentos comerciais, com papéis em grande número e amassados jogados dentro deles, servem SOMENTE para enfeitar a cidade...)
Claro - mais do que claro - que quase ninguém admite que já jogou lixo no chão! A manha nossa de cada dia, é dizer : "Não fui eu!", resposta acomodada que nos impede a confissão consciente! (E a cidade entopetada de sujeira de todas as naturezas, formada por embalagens escarrapachadas no chão exatamente por aqueles "não eu" omissos...)
Pois eu, JÁ, e muitas vezes!!!!
Defesa? Eu tenho duas para aquele meu procedimento incorreto - eu bem que gostaria de não ter alibi algum e aceitar esse meu passado tenebroso de porcaria em via pública!- só que com a faculdade dela nas mãos, faço o uso aqui, acreditando que alguém vai concordar...
Meu primeiro motivo para jogar lixo nas ruas, sobretudo papeis de bala, era por aquela mentalidade de quem paga impostos: "A limpeza da cidade compete ao órgão público cuidar, logo, os garis são contratados e pagos para isso!", e meu segundo, era a ignorância, quase que igual ao primeiro, por não me ater ao fato que papeis em bueiros colaboram com números trágicos em casos de enchentes...
Levei um certo tempo para seguir o exemplo dos meus pais (bem que dizem que a educação começa em casa!), que sempre nos ensinaram, nós, os filhos, que se a pessoa está dentro de um ônibus, que aguarde saltar para procurar uma lixeira, dentro do cinema, encoste o lixo no canto dos assentos (ao ir embora, é só jogá-lo no local direcionado para isso), no carro, o mesmo que no ônibus, etc.
Tenho até pena de mim, pelo estado de inocência total, por achar que garis eram pagos para realizarem a limpeza... A realidade prova que o que eles ganham, não chega a cobrir nem a salubridade, direito do trabalhador desse porte! ( O acúmulo de doença que eles arrumam ao menos uma vez por mês, por falta de uniforme completo e adequado, é tanto, que era para NUNCA MAIS na vida imaginarmos que esses profissionais sequer recebem um salário mínimo!...)
Prosseguindo no questionamento, por mais que um profissional da limpeza seja competente, não é possível retirar todos os lixos que se metem em vãos diversos... Uns entranham nos bueiros, outros em vasos sanitários, alguns em postes quebrados... A sujeira é, ainda, uma das coisas mais intrujonas que existem, fazendo junto com as "colegas", aquela noção de "quantidade", nascendo e crescendo aos borbotões... Como se come, como se bebe; olha aí, o ser humano contado em números!...
Há em vários lugares o sistema de coleta seletiva, que é separado por cores, do conhecimento da maioria (a reciclagem é uma das maneiras mais coerentes de se manter a limpeza e evitar-se o desperdício). Seguindo essa informação, não há como transformarmos nossa vivência social num enorme "lixão", como tantas vezes esbarramos em apenas alguns minutos ao encararmos as ruas...
Quem quer mesmo ser limpo, pensar no seu semelhante, tentando assim ser o mais aceitável com sua boa conduta, deve pensar o seguinte: "Se eu não gosto de casa cheia de lixo, também não vou gostar de andar em ruas com sujeira!..."
Uma imagem compartilhada de alguém pela minha amiga Larissa Bohnenberger no Facebook por esses tempos, é prova vital de como podemos ter espírito de limpeza social.
É olhar - essa vai para quem ainda insiste em abarrotar as vias públicas de imundície - , e se envergonhar!...

(Imagens:
Fontes diversas)

14 comentários:

Valéria Braz disse...

Ameiiiiiiiiiii a foto! Eu ainda não tinha visto!
Deveriam montar vários painéis pela cidade com esta imagem....ia surtir um efeito e tanto....hehehe
Belo post amiga, eu já joguei lixo na rua quando era criança e quando meu pai me viu fazendo me fez pegar o meu e todos os outros que eu encontrei pelo caminho! Depois disso nunca mais joguei lixo na rua...hehehehe
E adoro quando meu fillho sai comigo e me dá os papéis de bala e diz - Mãe coloca na sua bolsa, depois eu jogo no lixo! Me orgulho de nunca ter dito nada sobre não jogar lixo na rua... ele aprendeu observando e claro na escola com ações voltadas ao meio ambiente.
Beijo no coração

♥ Vanda ♥ disse...

Verdade pura... Adorei a gif do pombinho, rs

Djair Souza disse...

Por isso que eu xingo, xingo mesmo: Porco, Porca! É absurdo o mal hábito, gente que se diz esclarecida, que viaja e acha tudo lindo, limpo, ai chega aqui e dana-se a jogar seus lixos nas ruas.
Vizinhos meus tem o péssimo hábito de no dia de coleta seletiva colocar lixo orgânico, e vice-versa. Porcos, inúteis, fico puto da vida, me irrito mesmo. Reciclo meu lixo separando por tipo, plásticos, papéis, alúminio (latinhas) e demais metais. Faço compostagem com o lixo orgânico, nos dias de coleta, fico pasmo, em casa um saquinho de supermercado (por conta dos jornais que servem de banheiro a cachorra) e na vizinhança, dúzias de sacos. Ah, chega, quanto mais falo mais me revolto...

Voz do povo disse...

Essas pessoas mau educadas quando chegam em shopping center não jogam lixo, na rua o comportamento é diferente, a foto do porco combina e diz tudo.

Cecilia sfalsin disse...

Ei meninda dos cabelos de rapunzel...


Tadinho do alegre porquinho, mesmo levando a culpa de tamanha negligência humana continua sorrindo, e olha que ele gosta é de lama e lavagem, e não de sujeira do tipo, papéis, palito, restos de alimentos, descartáveis, caixas e por ai vai.Amiga já cometi este erro várias vezes e confesso que hoje se não tem uma lixeirinha por perto minha bolsa é a mais próxima que encontro até que eu possa esvaziá la. Em minha casa aprendemos a separar o lixo, pois os recolhedores não tem esta obrigação . Mas infelizmente muitos ainda não aprenderam, e concordo com a valéria, deveriam sim espalhar este retratinho pela cidade quem sabe a identificação despertariam alguns não é mesmo? rsrs

Beijos em seu coração e uenhas uma preciosa noite

Mary Miranda disse...

Oi, Valzinha!

Aquela imagem é fantástica mesmo! Aliás, as duas, tanto a do porco, quanto a do pássaro... (Também acho que deveraim fazer um painel e colocar por todas as cidades!... rs)
Sinceramente, até quando adulta eu ainda jogava certos lixos nas ruas (papeis de bala principalmente), mas depois fui vendo que isso é incoerente e atitude de gente sem noção...
Estou sempre conversando com meus alunos sobre isso, para não jogarem lixo nas ruas, e só de sacanagem, na volta do meu trabalho hoje mesmo, três trabalhos escolares, daqueles de cartolina e enormes, foram arremessados perto da escola onde os alunos porcalhões estudavam! (Se é perto de alguma escola onde trabalho e é meu aluno, iria chamar para uma "real"! É até péssima imagem para a escola!...)
Seu filhinho é muito educado! AS crianças estão vindo com outras mentalidades, o que muito me emociona! Se isso acontece a mim, o que dirá a você, Val, que é a mãe dele? Motivo de orgulho, não? Mande um beijo meu para ele e diga-lhe que está de parabéns!!!!

Um beijo para você, minha amiga, pelo ótimo comment!!!!
Obrigada!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Oi, Vanda!

Obrigada pelo comment aqui no blog! (Aquele pássaro é show mesmo! hehehe)

Abraços,
Mary:)

Maria de Lourdes disse...

Coitadinho do porco! Que leva a fama de porco! Não sei quem inventou esse nome para o coitado do animal, mas pelo menos uma coisa é certa: que eu saiba ele só suja ele mesmo e o seu espaço. Agora tem gente que não é porco e suja a calçada dos outros, ou a rua, ou a cidade e vá chama-las de porco pra ver! adorei a postagem!

Mary Miranda disse...

É o que muito acontece, Djair!

O Brasil parece o reinado da hipocrisia, gente que fala uma coisa e faz outra...
Quando chegamos na casa de certas pessoas, elas só faltam nos matar se deixamos um farelo que seja no chão, mas na rua, são as primeiras a espalhar a imundície de sua falta de consciência social!
Também xingo e muito!!!! Por isso que marco em cima dos meus alunos, para tentar jogar um pouco de luz nesses futuros adultos que, com muito esforço nosso, poderão se tornar cidadãos mais dignos!...
E o desperdício de água também? É outro quesito absurdo, de gente que "varre" a calçada com água e aidna esquce a torneira aberta, jogando o líquido horas e horas... (Amigo, se eu for enumerar as sacanagens do nosso mundo urbano, vou ficar o dia inteiro só falando disso!)

Abração, meu querido!!!!
Ótimo comment, como sempre; obrigada!!!!

Mary:)

Sérgio Santos disse...

Gostei, Mary! É isso mesmo! E me dá um ódio quando estou dirigindo e vem o infeliz do carro da frente, abre a janela e joga aquele copo ou garrafa de plástico pra fora na maior cara de pau! Esse papo de 'dar emprego pra gari' é ridículo. Então por que não morre pra dar emprego pro coveiro? Beijos, Mary!

Mary Miranda disse...

É mesmo, Cacá!

Essa gente adora viver de pose... Se estão num shopping, tem que mostrar que são chiques, mas andando ans ruas, ficam mais porcas que o próprio animal que chamamos injustamente de porco...
Com certeza aquela imagem reflete bem a atitude dessas pessoas!!!!

Abração!!!!
E o meu "obrigada" pelo comment!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Cecizinha, a linda e doce do Alencar!

Peninha dele também, amiga! Leva uma fama desproposital, de que ele é porco... rs Como você disse muitíssimo bem, as sujeiras que vemos pelas ruas - latas, papeis de bala, etc.- o animalzinho não come isso!
E vamos combinar que o bichinho só faz sujeira, se viver em ambiente infecto! (Já se soube de porcos que, criados desde pequenos dentro de casa, eram cheirosos e comiam comida saudável!)
Creio que muitos de nós já tivemos nossos momentos "porcos" também, mas o legal é abrirmos os olhos enquanto é tempo...
Minha bolsa também vive cheia dessas embalagens! ( Há um "lixeirão" aqui na cozinha que volta e meia recebe esses "lixos externos"! rs)
Reciclar é muito bom, fazemos isso também... Garrafas pet doamos aos andarilhos que passam por aqui e que vêm de muito longe, para que eles possam vender no ferrro-velho.
Tendo consciência social, tudo dá certo, não é mesmo?

Beijos, meu doce!
Obrigada pelo elucidativo comment!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Boa noite, Maria de Lourdes!

Não compreendo também... O porco, o animalzinho, não merece esse título de jeito algum!
Você falou certo sobre a sujeira do bichinho limitar-se a ele próprio e o ao ambiente onde vive, isso se for criado no meio da lama porque, se crescer em ambiente limpo, ele não fica com maus hábitos!...

Um abraço e gsotei muito de seu edificante comentário!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Bom que veio, Sérgio!

É de adar ódio mesmo, esses babacas metidos a chiques, e emporcalhando nossa cidade (o que eu mais vejo é isso, de gente que abre a porta do carro ou a janela , para espalhar suas sujeiras pelas ruas...).
Falta consciência e respeito pelo semelhante por parte dessa gente; esperemos que haja um rigor maior para aqueles que são vistos jogando lixo em vias públicas!...
E o término de seu comment é simplesmente PERFEITO! Discurso amsi furado esse, de jogar lixo por aí para dar emprego pros garis (uma ex-colega minha vinha com essa papagaida, só porque o namorado era um!).
Como você mencionou magistralmente bem, por que esse povo não morre, né? Se eles pensam tanto assim nos garis, deveriam pensar nos coveiros também...

Um abração, querido! Obrigada!
Só acrescentou ao post o seu comentário esplendoroso!!!!

Mary:)