PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Culto do ridículo

(Quer aparecer? Ponha a melancia na cabeça para ficar bem ridículo!)

Não sei o que anda acontecendo na mídia em geral.
Porém, há uma maré de sandices e atentados ao nosso senso racional de pensamento inteligente, que não sei quando começou e nem sei quando irá parar!
Vamor rir? Vamos!
Vamos pilheriar? Vamos!
Mas vamos avacalhar? NÃÃÃÃÃÃÃÃÃO!
Às vezes acho que estou em outra época, igual ao personagem central de O Planeta dos Macacos e que, quando voltar a mim, descobrirei que andei patinando no mesmo lugar...
Acho inconcebível que o culto do ridículo esteja sendo a tônica de comerciais, surgimento de celebridades, foco de novelas, manchetes de jornais e revistas, quadro fixo de programa de TV e - meu Deus!- eleição de políticos!
A minha chateação é viável, lamentavelmente me asseguro.
No programa da indescritivelmente talentosa Leda Nagle, ótima jornalista, âncora do programa Sem Censura da TVE Brasil (20/09/2011), falou-se do auto-deboche, no que discordei plenamente.
Não vejo como benéfico algo que deteriore nem a si mesmo, nem a ninguém!
Quando aparecemos mais por nossas falhas do que por nossos méritos, assinamos que não temos know-how para apresentarmos nada apreciável; alimentar o que há de pior em nós, é desespero de causa!
O ridículo só é aceito no ato ao vivo da ridicularização, isto é, estamos levando um tombo e, para não darmos uma de derrotados, rimos para disfarçar.
Passado o momento, é não lembrarmos nunca mais do ocorrido e torcermos para que ninguém mais lembre...
Havia um humorista no dia, o Fábio... - sempre esqueço nome dele - que alegou que devemos rir mais de nós mesmos e ele, que é perito em stand-up comedy, diz que suas piadas são basicamente formadas pela auto-ridicularização.
Sem problemas quando se trata de um artista do humor; com todos os problemas, porém, quando a arte da celebridade X, nada contenha de gracejo!
Não entra em minha mente concisa que falar mal de sua própria música, por exemplo, é um deboche admissível!
Caramba! Você pode rir momentaneamente se desafinou num show, mas seu esforço deverá ser o de nunca mais errar naquele sentido!
Se assim fosse, para que existiria talento?
As crianças desde seus 2, 3 anos de idade vão para a escola para o desenvolvimento de suas pirraças e "emburrecerem" a logicidade?
Até onde sei, os pais querem que seus filhos estejam em colégios para aprimorarem o conhecimento!
No entanto o que vemos atualmente é um culto do ridículo execrável, que incentiva às pessoas ao repúdio da cultura e fortalecimento de caráter.
Ando bastante empertigada com o que vejo, num clima interno nada saudável ao meu bom senso.
Os comerciais mais recentes, como o do Bradesco Seguros, cujo post sobre o assunto rendeu-me comentários solidários (clique aqui para ler), da cerveja Skol inferiorizando Beto Barbosa num churrasco, da Ford com o Ricardo Macchi ( o eterno cigano Ígor) destacando o quão ruim é a sua atuação, do desodorante Rexona que sugere "mofo" a música Mandy, cantada por Barry Manilow, e dos tão falados Pôneis Malditos que por um golpe honroso do destino, não tive o desprazer de assistir, "consagram" a minha estupefação.
Então, agora é assim? Você fala meia dúzia de bobagens deteriorantes contra si ou outrem, e se garante um mídia de "celebração"?
Oras, devo estar num pesadelo muito grande, daqueles que o precipício da montanha "inventada" pelo sono, eu não consigo nem cair; o chão é infinitamente longínquo!...
E dá-lhe vestidinho curto em faculdade para fazer-se uns "quinze minutos de fama" um tanto longos para uma Geyse Arruda esquecível!
Tome Gretchen mais comentada por trocar de maridos do que por sua fama de Rainha do Bumbum! (Que não é grande coisa mas, pelo menos, vale pelo pioneirismo...)
Leia as últimas ofensas de Alexandre Frota, que adora "cuspir" e diminuir colegas de trabalho!
Você sabe quem joga bem futebol? Pois eu também não!
No entanto, sabemos todos das "escapadas" e "puladas" de David Beckham, Ronaldinhos Gaúcho e Fenômeno, Neymar, Pato...
Tem Lindsay Lohan bêbada, drogada e idolatrada; que filme será que lançou?
É vídeo de YouTube de sexo armado, e levemos na cara uma Paris Hilton que vendeu perfume bem cheiroso, em contraponto com sua postura mais do que imunda!
Aliás, é no YouTube onde se encontram as maiores aberrações da ridicularidade, uma tolice, uma palavra errada, e uma chuva de milhões de visualizações prolifera...
É moda algumas famosas "esquecerem" a calcinha em casa e - oh, que coisa, hein? - um paparazzi sempre sabe, e clica as partes "escondidas"!...
Uma Sandy põe palavras numa revista, que foram descontextualizadas a propósito, e reverenciamos sua "fantasia anal" que não ocorreu. E a mesma se torna "devassa", numa "confissão" que novamente não houve! Trazemos na boca o sabor de sermos ridicularizados na grande mentira desse grand monde!
Atropelo de Hino Nacional era motivo de piada; agora, é triplicação de shows para a cantora Vanusa! (Estamos em suas Manhãs de setembro; não deveríamos "murchar" as flores desse jeito...)
Vamos alfinetar pessoas pelo Twitter, como o fazem as muitas -ahn- celebridades que por lá gastam seu tempo, ao invés de lançarem trabalhos edificantes!
E sirva-se com molho rosè de um cardápio da culinária Viva la France! de baixaria, bastando alguns poucos minutos.
Assistindo a programas "de família" ou de artistas, no mínimo uns 5 minutos de palavrões, com aquele hipócrita "pi", ter-se-á; para sobremesa, tem-se uns dedos indicadores em rostos avisados!...
Pegue um programa humorístico e "ria" dos massacrados de nossa sociedade! Ridicularize as pessoas, mostre-lhe os defeitos físicos ou comportamentais!... Repita os bordões preconceituosos e dê destaque a esses humoristas que ganham dinheiro sobre a desgraça alheia!...
Alguém porventura sabe quais políticos foram eleitos por nós mesmos?
Saia um desses se estapeando com o outro, e descubramos nomes! ( Você não sabia? Jornais foram criados para trazer em primeira mão quem bateu em quem...)
Para que serve um deputado?
Se você desconhece, não é o Tiririca quem vai saber, ele que foi eleito para "investigar" do que se trataria. Haja palhaçada ( ou estômago) para suportar tamanho abuso com meu cérebro...

Creio que estamos vivenciando um processo apocalíptico, onde é natural haver o esvaziamento do ser, com questionamentos reverberando os "sinais dos tempos" - De onde se vem? Pra onde se vai? - e o menosprezo com tudo que tenha valor, tome guarida no ridículo, no escárnio, na inferioridade...
Quando as sociedades de diversas partes do globo começam a querer iluminar o que é nitidamente breu, está ocorrendo uma marca de descaso existencial na constituição humana explicada, talvez, pela conformidade genética, no próprio processo natural de evolução.
Como primeiro temos que sujar a roupa para sabermos que devemos lavá-la, é assim para separar-se o joio do trigo.
Na etapa transitória, vemos como benéfico cultivar o que não nos agrega valores para, mais tarde, percebermos que o que tanto achamos "caretas", ainda é a melhor forma de conduta.
Nessa visão mundial, está valendo aquele "jargão" do aparecimento a qualquer custo do "pôr uma melancia na cabeça", causando risadas imediatas e ofensivas.
Não podemos ressaltar como excelso o que não nos indexe importância daqui a 10 anos.
Uma professora de Literatura nos explicou, magnificamente, qual era a diferença de um livro clássico para um livro não-clássico.
Sua resposta foi firme e poderosa: "Um livro clássico você lê várias vezes e sempre encontra elementos não vistos e entendidos. Um livro não-clássico é "descartável" pois, uma vez lido, você o compreende e nunca mais vai querer saber dele..."
Por isso é que não engulo essa onda do engrandecimento de notícias inferiores e de enfoque galhofante contra si ou contra outros.
Culto do ridículo: estou fora!
O meu cultivo interior continua sendo o do caráter e da inteligência!...

(Imagem:

http://ziunanet.blogspot.com)

12 comentários:

Principe Encantado disse...

Amiga estamos já vivendo a era apocalíptica, tudo se perdeu os valores já não se fazem mais necessários incrivelmente o miundo esta de ponta cabeça. O pior é que no final a exploração entra pelos lares distruindo todos os alicerceres.
Abraços forte

Mary Miranda disse...

Príncipe, meu amigo! Há quanto tempo!!!!

Às vezes é o que acho da humanidade: "desalicerçada"!
Dá a impressão que as pessoas não sabem bem o que fazer, qual o melhor caminho a tomar e optam pelo mais fácil, que é o do riso tolo, da ridicularização de si e de seus semelhantes.
Não me conformo com essa história de que o ridículo pode ser importante!
Tudo que é ridícilo lê-se como erro, que deve ser consertado.
Falar mais de um momento infeliz de uma pessoa do que de suas qualidades, não entra na minah cabeça, sinceramente...

Abração, amigo!
Espero que não percamos mais o contato!!!!

Mary:)

Samanta Sammy disse...

Olá minha querida amiga e Musa da Escrita !!!

Nossa, amei o texto ! eu estava com este desabafo entalado na garganta e você o fez por mim maravilhosamente bem !! Assino embaixo quantas vezes puder ! Arrasou !

Sabe amiga, sempre que vou pesquisar para postar dou uma olhadela (de teimosa que sou) nos sites de notícias tipo Globo, Uol, etc, já tive boas idéias lá, mas ultimamente saio correndo !! Estes dias mesmo, eu procurava algo sobre a greve dos bancos, e cadê que achei ? até achei bem lá no fim e pequenininha, porque a página está sempre infestada de : Fulana tem celulite, fulano foi pra reabilitação, fulana se separou entre outras coisas totalmente irrelevantes como as que mencionou, aliás eu fiquei chocada com a repercussão do caso Sandy ! me diz, o que que tem alguém dizer que gosta de anal ? aff que coisa idiota ! e daí ? No que isso contribui para o meu dia ?
Humor ainda tem mais utilidade, pois quando estou estressada, vou lá, vejo uma piadinha, dou umas risadas e pronto, serviu pra alguma coisa ! mas isso ?
Concordo contigo sobre o humor menosprezando e evidenciando nosso defeitos, pra mim não serve, eu não acho nada legal ficar me depreciando ou achar bonito ser ridícula, não tenho este desprendimento e não acho legal quem tem não... uma piadinha de vez em quando, sobre isso, até vai, agora fazer disso estilo de vida, é dose né !
E o que mais me deixa boquiaberta, é ver que muuuuita gente adora este tipo de coisa ! adoram saber desta futilidades...
Será que estamos menos exigentes ? que esquecemos o que quer dizer Qualidade ? acho que sim... até mesmo na Arte, hoje em dia é dureza achar uma música da moda que preste, cadê os Chicos Buarques da vida ? cadê a Arte significativa ? Hoje é arte ficar pelada, pintar com o pinto ! etc... é triste...
As pessoas não procuram mais qualidade em nada, e se a qualidade se manifesta diante delas, parece que tem preguiça de pensar, de ler um bom livro, mas que tem 400 páginas, de ver um bom filme, porque não entendem, querem tudo de fácil digestão, querem alimentar a superficialidade, creio que numa fuga do mundo que nós mesmo criamos e que estamos levando pro buraco com esta conduta...
Quanto mais ovacionamos as porcarias, mais elas surgem e mais pessoas acabam por sucumbir... não sei onde vamos parar com isso ?
seremos todos bobocas da Corte, achando bonito votar de sacanagem em alguém incapaz, achando bonito ler uma fofoca ao invés de um texto que nos acrescente interiormente...
Amiga, socorrooooooo ! a coisa tá feia viu... até no Google está difícil achar algo que procuramos, de qualidade, parece que tudo que presta está sumindo e ficando com aquela cara de Na minha época...
Sei que tudo é uma questão de gosto, mas esta leva de informação que está por aí não contribui em nada para melhoramos em aspecto algum... espero não me tornar tão vazia por falta de opção oferecida...
Acho que fugirei para as colinas kkkk

Adorei, desculpa aí o comentarião,empolguel hehehe
Um beijooooooooooo

Adriana Helena disse...

Excelente texto Mary!
Você analisou com desenvoltura discernimento a atual situação que impera de ridicularizar-se a si próprio e aos outros,numa clara ofensa e desrespeito às pessoas.. e o que é pior: as pessoas acham isso normal e engraçado.. isso não pode continuar, é muito feio!!
Um super abraço Mary!

Mary Miranda disse...

Estou na área, querida Menina Sorriso!

Nunca fique constrangida em fazer longos comentários porque eu ADORO, me sinto prestigiada!!!!
Eu andava muito p... da vida não era de hoje, com esse acinte a minha inteligência, que virou a mídia geral!
Assim, se querem tanto cultuar a ridicularidade, abram um momento pra isso, mas não em horário nobre, né?
Raciocina comigo, minha amiga: você está sentada na sala, jantando, querendo ver algo de qualidade ou palhaçada mesmo, sem problema, e esbarra os olhos em coisas desse tipo: uma pessoa de tal foi barrada na faculdade por causa de vestido curto (?!).
Isso seria matéria de meio segundo em jornal vespertino!!!!
Mas, não, o destaque chegou a todos os jornais, televisivos, radiofônicos, de papel, de grande e pequena circulação...
A Sandy, se "liberou" o derrière dela, o problema é de quem, não é mesmo?
E essa do pintor de telas à base de pinto atômico (porque deve ser bem "explosivo" um pinto desses...) chegou com uma tal força à mídia, que torço veementemente que dure o tempo de uma ejaculação: após o "gozo", ele volte para o seu lugar, e fique bem guardado!... kkkkkkkk
Penso que defeitos, erros, problemas devem ser consertados e não sublimados!
Já reparou esses humorísticos?
Uma exaltação ao que há de ruim, gente com um português péssimo, sem contar que sacaneiam as pessoas com alguma deficiência física...
Ah, já esbarrei com a problemática de procurar por notícias importantes!
No topo da página do Yahoo!, por exemplo, só vem fofoca, e se você quiser ler algo melhor, tem que caçar nos rodapés... Alguém merece????
Depois o Chico pára de produzir suas bênçãos musicais, e ninguém sabe por que isso!...
Pois eu sei!
Deve ser revoltante o cara se matar para realizar trabalhos honrosos, para no final ter seu espaço tomado pelo o aviltamento que fazem a nossa capacidade de raciocínio!!!!


Beijos mil, amiga!
Ainda há pessoas como nós que curtem brincadeiras, mas que não perdem o senso do bem gosto, não caindo no ridículo!

Obrigaaaaaaaaaaaada!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Muito feio mesmo, Adriana!

É incrível que as pessoas se acostumam tanto com a ridicularização de si e dos outros, que nem saibam mais o limite entre uma coisa e outra...
Temos que incentivar a qualidade, e não os defeitos!

Abração, querida!!!!

Obrigada por ter vindo!!!!

Mary:)

Jackie Freitas disse...

Olá minha querida e amada Alteza!
Excelente (pra variar) o seu texto! Temos conversado muito aqui em casa sobre esses programas que ganham audiência ridicularizando os outros. E nos indignamos!!!
Infelizmente as pessoas confundem essa deliciosa arte do riso e a transformam em verdadeiras catástrofes humanas... Pena, muita pena mesmo! Eu, pessoalmente, acho que é bom sabermos rir de nós mesmos, porque isso nos permite suportar os erros e as falhas. Mas, como tudo, é necessário que haja um equilíbrio e saibamos retomar a postura e aprender com os erros.
Normalmente as pessoas sem assunto e conteúdo costumam debochar das outras, até porque não apresentam nada mais interessante em suas próprias vidas e aí utilizam a vida alheia para terem assunto...
No caso da mídia, tenho observado que a criatividade anda muito baixa mesmo! Os comerciais estão uns piores do que os outros e os programas de TV... seguem tranquilos nesse mar de água podre... E quem naufraga são todos que compartilham seus momentos com essas bobeiras.
Eu também preservo o meu bom senso e agradeço quando os meus olhos e mentes são despertados para algo interessante e que me ofereça aprendizado.
Nessas horas, amiga, a solidão faz bem, pois impedimos que o lixo externo nos intoxique.
Grande beijo, amada e querida! Como sempre, Alteza!!! Adorei o seu desabafo e faço (se me permite) das suas palavras, as minhas!
Jackie

Mary Miranda disse...

Fênix do Bem, boa tarde, meu anjo!

Jackie, a coisa anda tão ridícula que se descuidar, você não acha uma matéria que preste, seja em qual mídia for! rsrsrs
E o pior é que quando uma porcaria de apelo midiático dá certo, as outras seguem o mesmo caminho; criatividade zero para esses marketeiros!
A vida dos artistas virou a fonte principal para o aparecimento deles mesmos, e fazem "farofa" com suas imundícies ou irrelevâncias...
Adoro rir de mim mesma, acho natural e saudável.
Mas não posso fazer de falhas minhas, o meu ganha-pão, o meu sustento enquanto pessoa!
Cultuar o ridículo é o mesmo que se dizer: "Não tenho inteligência suficiente para aprender mais nada na vida!...".
Vamos combinar que nós temos um cérebro que merece assistir coisas bem melhores que isso que nos empurram, não é, amiga? rsrsrs

Beijos, querida!
Obrigada por sua vinda e carinho e, naturalmente, por seu comentário pra lá de lúcido, como sempre!!!!!!!!


Mary:)

Momo disse...

Olá Mary!

Parabéns pelo texto concordo com você hoje em dia o popular é ridicularizar os outros e até a si mesmo em nome do humor, parecer engraçado esta acima de ter talento, é extremamente normal ver pessoas fazendo coisas absurdas para se auto promover, e a meu ver isso é culpa da internet, sim da internet nossa de cada dia.
Antigamente existia um culto a celebridade, eles eram tratados como deuses inalcançáveis hoje é diferente qualquer um pode gravar um programa e criar o seu próprio publico “nós fazemos isso com os nossos blogs” e com essa liberdade de dizer o que quer faz com que protegidos atrás de nossos computadores mostremos todos os nossos preconceitos, ai é normal o cara criar um Twitter fake para xingar o estilo musical que não gosta, ou determinada classe social e a mídia convencional que ainda não se adaptou a essas mudanças pega aquilo que é famoso na internet e tenta reproduzir na TV e essa ridicularização pode não fazer sucesso na tv, mas faz muito sucesso na internet, afinal o Beto Barbosa voltou com força total na Internet, sendo motivo de piada ou não.

Parabéns pelo Post

Abraços.

Mary Miranda disse...

Muito bom o seu ponto-de-vista, amigo!

A "proliferação" de celebridades instantâneas faz com que artistas já consagrados não tenham muito o que dizer, a não ser se auto-rebaixarem, para ver se aparecem mais...
Nunca vi uma filosofia, vamos dizer assim, tão perfeita quanto a de Andy Warhol, ele que dissera que todos nós teremos nossos quinze minutos de fama.
Aí a internet que não o deixa mentir!
É degradante vermos artistas sendo tratados como "coisas", usando seus defeitos , e não as qualidades, no intuito de um espacinho na mídia...
Não sei onde isso vai parar, mas do jeito que está, vai muito mal...

OBRIGADA pelo seu tão reflexivo e inteligente comentário!
Uma visão bem interessante você forneceu a nós, no que muito agradeço!

Forte abraço,
Mary:)

Valéria Braz disse...

Oi minha flor... acredito qeu seu desabafo seja o desabafo de muitos brasileiros cansados do besterol que se propaga a um tempinho...
A mídia descobriu que rídiculo e desgraça dá ibope, o povo descobriu que ter alguém sendo rídiculo o transforma em alguém que não é rédiculo, afinal ele ri do rídiculo do outro e esquece do rídiculoa que se expõe.
No entanto o mais triste pra mim é perceber que a massa de nossa sociedade perdeu tantos valores que hoje seja bonito ridicularizar. Não tenho nada contra em fazer humor com nossos erros, mas o humor inteligente aquele que mostra caminhos ou as entrelinahs destes erros, o humor que nos faz pensar em consequentemente a agir para mudar...
Hoje não é este humor que temos... mas hoje também já a muito não faz sucesso as músicas que sendo críticas conseguem manter a sonoridade da luta, já não se vê filmes que cultuem mensagens de vida e aprendizado (a maioria trata de violência e decadência), já não se vê programas que te questionem o suporto inquaitinável... e a internet, bom esta veio pra fazer de nossos jovens os cegos da democracia, aqueles que creem que poder editar qualquer coisa (QUALQUER COISA) lhes dá o direito de baseados na quantidade de acessos ferir, coebir, restringir e redicularizar a si e ao mundo!
Se é o fim dos tempos, acredito que não... acredito seja o inicio de um tempo chamdado cegueira de si mesmo!
Beijo no coração

Mary Miranda disse...

Val, minha flor!

Eu creio que a nossa sociedade anda muito esvaziada ultimamente e você mostrou um lado bem interessante que gostei muito: pessoas ridicularizam as outras e esquecem do próprio ridículo a que se expõem!
Quando nos atentamos para a grande palhaçada que é nossas vidas, talvez seja isso que leva as pessoas a pensarem: "Que vazio é a minha vida! Vou baixar o nível!"
Claro que estamos falando num grau de interioridade profunda; não é consciente.
Você falou e eu assino, que o humor é válido mas com um requinte de inteligência, não o riso gratuito de escárnio fácil!
Sobre a internet, aqui parece "terra de ninguém"!
A criançada não sabe bem o que fazer com a liberdade, e nem há alguém para mostrar-lhe o caminho certo porque, como tudo anda muito ligeiro, quando pensamos em corrigir, já foi...
É estranho que o declínio social seja um fenômeno mundial, e não só brasileiro que, por um lado, até que não é todo ruim...
TEmos que parar de achar que tudo que não presta só ocorre no Brasil!!!!

Beijos, anjo!
Adorei sua vinda, como sempre!!!!
Que comentário comepleto!!!!

Obrigada!!!!

Mary:)