PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

sábado, 27 de outubro de 2012

Primeira rua, à direita

Peça uma informação, esteja perdido e siga sem rumo.
Há algo naquele "Primeira rua, à direita"; por que todos os caminhos são retóricos? Alguém decorou o texto e agora fica difícil trocar as palavras...
Só para diversificar, viro à esquerda. Já encontrei praças secretas assim. Já vi animais raros assim. Já vi pessoas que não conhecia assim...
À esquerda dos meus sonhos não traslada atalhos sofismáveis. Sou gente, sou abelhuda, vasculhadora de peças trocáveis. E lá vou dar ideia para palhaços enganadores? Se querem me desviar do caminho, pode deixar comigo: sei tudo sobre não cumprir com o que eu me predispus a fazer inicialmente...
Mania de povo, enredo em regime semi-aberto para a patuscada. Alguém pede "pra sair", e o que faz o informante? Pede pra seguir!
Será que tudo que queremos na vida é "à direita"? Será que "à esquerda" também não dá um desconto para as nossas compras de felicidade?
Informação de "um paspalho, oco,  safado enganador"*1, como diria meu tio infelizmente ido, sobre gente que não quer que o outro chegue. Competição? Vá para as Olimpíadas e descubra que ganhar medalha de ouro  que reverbera ao Sol, não ilumina caminho obscuro de quando se está "derretido em si"*2...
Vá na onda proeminente e saiba o que é ralar para sair da escuridão... Ninguém nunca paga para ver o preço de quem nos passa a perna... O membro que anda se é hoje quebrado, amanhã será logo colado. Quem o fez partir-se, não mais terá a alma pura. Lava-se o dinheiro, decorre-se em Mensalão, porém, alma, essa, só numa outra oportunidade!...
Coisa mais cabulosa é alguém dizer que sabe. "Eu tenho certeza de que você vai voltar." Pois é ali, naquele momento, que eu tenho a certeza de que não voltarei! Arranhe o ego, só não afirme, afirme nada;  falará em nome da verdade... Mas, que VERDADE?
Sou uma espécie de sanguessuga de pensamento. Não me prometa porque vou cobrar, não diga que está acima, porque ficarei superior! Há uma conta alta em tudo aquilo que se diz.
Rabisco no tempo, ele poderia ter sido direto na informação. Embromar o semelhante é o mesmo que comprar passagem para o Inferno!... Assine em todas as laudas que, se você enrolar alguém, mais cedo ou tarde será enrolado!...
Meu endereço é comum, nunca peço mais do que mereço, o caminho eu faço para meu servir de porvir... Uma fuga pra quê? Queria que a humanidade pensasse mais na questão do tempo, seus rancores desanimadores, um segundo além, e desandou a coisa toda... (Não quero rima pra "zorra"!...)
Queria sempre chegar!... Adoro estar lá, em algum lugar, sem atrasos, nem trânsito turbulento; quem inventou a Radial Oeste, aquela sineta de alerta nos auto-falantes radiofônicos, aquele vai-não-vai dos diabos, droga de engarrafamento que não termina nunca?...
Desvio no olhar, passa-se o número da casa; entrega importante, urgente "pra ontem" e a rua infinita embora curta. Carro branco, pickup... Placa; o que é? Dizer que o número é adiante se faz  tormento para quem espera... Uma hora e meia... Atrasada e meia!...
Poder caminhar em porto seguro é papo furado; não há segurança em quem busca.
No meu aguardo simbólico, posso ser terna, não de roceiras, na Diva de Alencar. Só me permito enveredar nos Crimes do Padre Amaro: as ruas que me tragam ao amanhecer...
Permita, pessoa, que eu não acerte sempre, só  não me desvie, não me desvie da trilha que devo pescar! Se é sonora, estreita, sinuosa, perigosa ou abjeta, é na estrada ou na pista que quero estar, sabedora das atribuições que compete a todo aquele que vai.
Não tenho muito, mas me deixe pensar que posso! Faça acreditar que depois daquela "Primeira rua, à direita" terei a chance de mudar o rumo dessa prosa, posso divagar, devagar, sobre as faces lunares ou o solstício de signos cardeais.
Num banho ou outro de Lua, o brilho que lumia meu caminho  é direcionado por um coração que ainda acredita em futuros não lineares, embora prodigiosos em embalar sonhos acordados!...

*1  Desabafo inflamado do meu falecido tio de nome pomposo, José Ephraim Vieira de Miranda, sobre o ex-presidente Fernando Collor, em época de campanha eleitoral presidencial.

*2 Constatação gentil ( não fez no propósito de  ser poético) do meu mano Washington Miranda, de que Seu José, o dono do periquito Chico Mineiro do programa "Bom Dia & Cia", é muito tímido, portanto, fechado demais.

(Imagem:
http://www.duasbarras.com

2 comentários:

Anônimo disse...

oi Mary

Adoro suas postagens onde você coloca a gente pra pensar. Adimiro muito esse seu modo de escrever. Estou afastado do dihitt mas quando posso dou minha passada por aqui. Lá eu apaguei meu perfil e até meu blog não tenho mais porque estou dando um tempo.

Quero dizer que esse texto me fez pensar numa coisa que eu não dou sorte com gente que me dá informação na rua. rsrssssss Sempre alguém me manda para o lado errado.

Beijos e ótimo findi.

Antonio (Tony)

Mary Miranda disse...

OLá, Tony!

Desculpe mas, sinceramente, não lembro de você no diHITT!... De qualquer maneira, agradeço a sua vinda!!!!
Os caminhos na vida são assim mesmo... Alguém nos manda para o lado errado, só que insistimos em acertar porque, afinal, estamos nesse mundo para aprender, não é mesmo? rs Vamos seguindo em frente; não temos opção!...

Forte abraço e espero receber outras visitas suas!!!! Obrigada novamente!!!!

Mary:)