PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem)

Quais assuntos mais te interessam no blog Fatos de Fato?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Algemas do disfarce

Resolvi, neste início de ano, postar um poema que me deu muito orgulho de tê-lo escrito, quando eu ainda estava no Ensino Médio.
Ele foi devidamente registrado na época, após o apoio de familiares e colegas mais chegados( galera do Normal, vocês me paparicavam ao máximo, que saudade!) dizendo que era merecedor de apreciação.
Ficou engavetado até ano passado, quando cismei de inscrevê-lo num concurso interno da minha ex-faculdade, na Semana de Educação e Letras.
Tirei em segundo lugar, o que me permitiu uma volta no túnel do tempo, quando a minha turma normalista me dizia que esse poema ainda me traria júbilo e aplausos!
Agora ele está aqui, para todo mundo ver!
Não sei se gostarão, mas eu, como "mãe" dele, posso dizer que ele é um "filho" bem amado, querido e que me sinto honrada por tê-lo "gerado" no meu "ventre" literário...
Ah, antes que alguém me pergunte após o ler, eu não estava zangada com nada, não tinha brigado com ninguém, estava amando muito e bem feliz da vida!
Algemas do disfarce




Hoje não quero lamentar
Passados vãos;
Amores? Estes vão e vęm
Sem "essa" de “recordar”.
Não quero apegos à pátria, família;
Quero retirar desse chão
Alguma coisa que eu possa
Dizer que possuo...


Não quero viagens coloridas
De retornos duvidosos;
Quero ao menos ter,
Bem legalizada,
De minha propriedade absoluta
Uma dor 0 km de fama internacional...

Não quero saber de praguejar o tempo;
De desejar sorte no jogo;
De imitar sons qual um papagaio;
Quero a coragem de não perguntar
Se a minha vizinha vai bem, obrigada!...


Quero o prazer de cuspir para o alto
E não cair na testa;
De esmurrar mesas com revolta,
Sem que alguém me condene;
De não ter que ouvir bêbados trôpegos e infames
Gritando: “Pelo o amor de Deus!”
Enquanto batem em velhinhas indefesas...


Quero não precisar sorrir para o próximo,
Se este faz questão de estar a milhas de distância;
Quero o direito de não entender o porquê do Cometa Halley não ter vindo,
E quero que se danem os meus passados anos, por continuarem tão pueris...


Eu quero é isso:
Não saber dar respostas ou formular perguntas;
A impulsividade que reine finalmente...


Pois, hoje, sou Medusa;
Quebrei espelhos e não penteei cabelos:
Terríveis são as cobras que devoram minha mente narcisista.
E não quero a dosagem certa para nada,
Detesto tudo ligado à circunspeção;
Quero o desprendimento de comer com os pés
E andar com as mãos,
Que quase sempre estão atadas
A um lema de vida que ainda,
Socialmente,
Chamam de “liberdade”.



16 comentários:

juquinha disse...

Mary,

Lindo menina.
Neste inicio de ano quero lhe desejar felicidades "0 km de fama internacional..."
Beijão
Felipe

Regina Bolico disse...

Lindo poema, Mary. Lembrei da minha adolescência, vontade de mudar o mundo sair e daquela rotina todo santo dia sempre igual.
Parabéns.
Um abraço.

Guizo Vermelho disse...

O pessoal não quis apenas te agradar, Mary.

O poema é excelente.

Mary Miranda disse...

Felipe,
Obrigada!
Espero ter muitas alegrias neste ano, não só p/ mim, mas p/ todo mundo!
Valeu mesmo!
Abração,
Mary.

Regina,
Interessante é q eu era tranqüilona, fiquei rebelde de uns tempos p/ cá ! rsrsrs
Eu escrevi num momento de felicidade de minha vida, apaixonadíssima por um rapaz, tirando notas legais no colégio, tudo bem!
O poema surgiu quando eu estava escrevendo sem direção e veio do nada a idéia mais "rebelde"!
Obrigada pelos elogios!
Abração,
Mary.

Alceu,
Muito obrigada, amigo!
Fico satisfeita por ler isso, sobretudo vindo de vc, q escreveu aquela maravilha de texto sobre o diHITT!
Valeu!
Abraços,
Mary.

Mikasmi disse...

Muito bonito o seu poema.
Transmitir desta forma os seus desejos e sentimentos, é uma graça.
Parabéns.
Abraços

Mary Miranda disse...

Oi, querida Emília!
Sinto-me lisonjeada por ler tão doces palavras em relação ao meu poema!
Muito bom saber disso, o q serve p/ me incentivar a escrever mais e mais!
Abração,
Mary.

Ana Paula Pereira disse...

Olá Mary, conheci seu blog através do diHITT, e resolvi passar por cá para lhe desejar um bom fim de semana e convidar para me visitar e deixar a sua opinião sobre o Decoração & Artes e o Truques & Dicas.

Paula

Mary Miranda disse...

Oi, Paula!
Quando eu puder, darei uma passada por lá!
Obrigada por vir me visitar no meu blog!
Um abração da Mary.

A. ANDRADE disse...

Parabéns pelo blog. Bem escrito e de fácil leitura!
att

A. Andrade

Mary Miranda disse...

Muito obrigada, Andrade!
Eu faço o que posso e só escrevo o q me agrada.
Espero contar c/ a sua presença sempre aqui no Fatos de Fato .
Será bem-vindo!!!
Um abraço,
Mary.

R149 3o75s disse...

Aumenta,que içaí é Rock'n'Roll... E,que o resto do mundo abra bem os olhos pra quem está,ou é apaixonado.O fogo da criatividade vem direto do espírito e da alma,Mary;parabéns por ter registrado tão bem esse seu momento de calor racional...Seja e esteja sempre assim,Rock'n'Roll.

Anônimo disse...

Adorei a sua descrição do poema, Radi!
Eu o considero bem rock'n' roll mesmo, aquela rebeldia típica!rsrsrs
Inclusive a parte que diz:"Enquanto batem em velhinhas inocentes", foi inspirada naquele episódio patético do Axl Rose, arremessando cadeiras pela janela no que acabou atingindo uma pobre senhora na rua.(Não suporto aquele sujeito! Até é bom artista, mas a pessoa em si...)
E quer ver que foi bem rebelde estilo rock mesmo o poema?
Eu o escrevi quando estava feliz da vida, amando e sendo amada; não tinha problema algum! rsrsrs
Obrigada por mais um comentário "na veia"!
Abração,
Mary :)

R149 3o75s disse...

Engraçado,eu tbm nunca fui com os "córnos" do Axl e, do Guns,só curto umas 4 ou 5;aquela Sweet Child o'Mine,é minha preferida deles,só por causa da levada de contra-baixo que é
simplesmente demais da conta,nooosssa!
Agora,eçça sensação que tu expôs no teu poema é maravilhosa.Long Live for those who ROCK their hearts,and ROLL everyday on such feeling!

Mary Miranda disse...

Ufa, Radi, ainda bem que apareceu outra pessoa que não tolera aquele cara! (Todo mundo que eu conheço o idolatra!...)
Também gosto muito de "Sweet child o' mine", mas prefiro "Patience".
E sobre "levadas" que curto, prefiro as de Rudolph Schenker e sua Flying V! (Por motivos óbvios, é claro! Onde já se viu quem curte Scorpions, não amar Klaus e Rudolph?)
Life is too short,but ROCK is forever!
E uma frase que me amarro, escrita na minha camiseta:
"ROCK ROYALTY:
It's too loud, you're too old!"
Boa, não? rsrsrs
Mary :)

R149 3o75s disse...

...Frase perfeita e muito veraz!
Ainda bem que nós,os doydos lúcidos,
somos eternos jovens...

E agora,um segredo:Foram os solos de guitarra do Scorpions que primeiro trincaram o muro de Berlin; depois disso,ficou bem mais fácil derrubá-lo.

Mary Miranda disse...

rsrsrs Com certeza!
E para comemorar, escreveram "Wind of change"!...
Tchauzinho!
Mary:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...