PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Ser ou ter, eis a questão!


Ou isto ou aquilo?, dúvida lançada por Cecília Meireles.
Ser ou não ser?, dúvida de Hamlet, personagem de Shakespeare.
Ser ou ter?, dúvida de quem ainda está procurando uma 'agulha no palheiro'...
A maioria de nós quebrando as cucas para ser isso ou aquilo, e sendo o que não podemos ser...
Verbo ser, é aquele verbo pirado, que transita para estar, para ter, para não-ser...
Descartes disse que Penso, logo existo, portanto logo sou, e a loucura continua com Parmênides, que disse que Ser é igual a não-ser porque só os que são têm a opção de não-serem...
Oh, vida! Oh, Céus! Que raios é ser, então?
Talvez ser goste de brincar de pique-esconde...
Ou cisme de ser o próprio Deus, com a sua capacidade invejável da ubiquidade!...
Agora digo que sou professora; verbo sincero pra quem?
Pra quem viu meu diploma e observou-me em sala de aula.
E se eu, numa dessas filas imensas, estressantes, diga para o meu imediato da frente que sou médica esteticista?
Começo a dar dicas de melhor plástica e distribuo até panfletos de qualquer amiga minha que é, verdadeiramente, aquilo que eu 'afirmo' exercer?
- Oh, ela sabe tudo de medicina, logo ela é médica...
Verbo ser é um verbo bem volúvel, frágil porque sou há um segundo o que no próximo posso desistir de dar prosseguimento!
Uma colega minha era pobre e morava num dos bairros adjacentes.
Agora ela é melhor de vida e se mandou daqui; será que ainda mete o malho nos políticos?
Verbo tão desvairado, que o melhor seria a pessoa dizer: Estou!
Nesse ponto concordo com a língua inglesa, que comete seus desfalques com a riqueza que deveria ter gramaticalmente falando, mas que contribui de maneira não confusa com a inconstância do verbo ser ou estar: para ambos recorre-se ao famigerado To be.
I'm a teacher= Eu sou ou estou professora...
Se o fatídico verbo ser, ele que está em 99% do que se é escrito no mundo, se resumisse a apenas a essa palhaçadinha de pular para estar de vez em quando, até que eu poderia 'engoli-lo'.
Só que sabemos, por prática maledicente e cruel, que o verbo ser é mais ardiloso do que se pode imaginar...
Verbo ser é o mesmo que o verbo ter!
Mais um - Oh!- vigoroso lanço no ar...
É, gente, não basta ser remédio, tem que curar.
Não basta ser, tem que ter...
Uma pessoa diz:
- Sou a moradora daquela casa ali!
- Qual casa? - a outra pergunta.
- Aquela amarela, de esquina...
Entretanto, a 'casa amarela, de esquina', é velha, com a tinta descascando, não tem sinal de fausto, muito menos de dinheiro investido...
E se a casa é, mas não tem, logo você também é, e não tem, causando sua eliminação de ser por não ter!
Quando alguém esbarra comigo na rua, depois de anos sem me ver, após aqueles cumprimentos e trocas de rapapés quase sempre falsos, a primeira pergunta é:
- Está trabalhando onde agora?
Respondo que é num colégio, ambiente de labuta minha de toda a vida...
-Ainda???? - me responde, com ar de indignação o meu interlocutor.
Ser ou estar num colégio subentende-se aquele sofrimento tradicional do magistério, da falta de grana típica, 'que já vem malhada antes de eu nascer'. Falta de dinheiro significa não-ter, e não ter é não-ser...
Se alguma colega minha se casa, sempre (S-E-M-P-R-E!!!!) alguém quer saber se o escolhido para o casório é bem colocado (tradução para os avoados: se tem grana!).
Raramente (R-A-R-A-M-E-N-T-E!!!!) alguém indaga se o cara é bom caráter, se é uma pessoa justa, se é um sujeito trabalhador...
E se alguma criatura, com um insight, defende o lado valoroso do eleito, alguém rebate:
- Ele é legal, sim,vai ser um ótimo marido! Pena que não tem dinheiro...
O injustiçado Hamlet, aquele texto teatral, o clássico dos clássicos de William Shakespeare, que levou a fama de obra intrínseca, de difícil entendimento, é mais compreensível do que a política do ser-ter.
Jovem e ingênuo, o príncipe Hamlet só queria entender o que é ser!
Na mesma proporção que o príncipe se auto martirizava com o crânio de seu empregado em uma de suas mãos, o antigo bobo da corte que antes o preenchia de júbilo e risadas fáceis, aquele mesmo bobo da corte, lhe enchia naquele momento os olhos e o coração de lágrimas fartas, porque é duro, forte demais saber que a mesma criatura que traz o calor dos dias de glória, é a mesma que traz o frio da eternidade cinzenta...
Sendo ou estando, seja, não se importe tanto em ter!
Porque ter não explica quem você é ou está.
Ter toma partido da frivolidade do ser, um casamento feito 'por interesse', às pressas, por aqueles que querem ser o que não podem ser...
Seja, esteja, mas não tenha!
Quando o verbo ser não acompanha o verbo ter, repare que há mais valorização do ser.
É satisfatório conversar com uma pessoa durante horas e não saber o que ela tem!
Fabuloso pra mim saber que alguém é bem educado(a), que é meu(a) amigo(a), que é tão GENTE que não se importa com o que eu tenha...
Por isso que certas amizades não funcionam!
Descobrimos que a pessoa tem e não é, preocupada que está em vender o produto chamado Eu mesmo(a)...
Droga! Se ela, ele, o(a ) Eu mesmo(a) soubesse que a qualificação do verbo ser-ter pouco importa quando não-somos mais, a pessoa em questão (Eis a questão!), sendo ou não sendo, iria gostar de continuar com a brincadeira inicial.
Verbo ser pode ser generoso quando o encaramos como transitividade divertida.
Ser? Estar?
Tranquilo pra mim!
Uma dubiedade aceitável entendendo que tudo muda , tudo passa, "Nada se cria, tudo se transforma".
Ser ou estar é bom presságio, dá noção de um futuro mais grandioso.
Porque ninguém deve querer sair de um estado de coisa para se tornar inferior.
Seja, esteja, repito a você!
Desde que esse ser, estar, traduza automaticamente em Ser...
... humano!


(Imagem:

Fonte desconhecida

Edição de imagem:

http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com)

10 comentários:

Jackie Freitas disse...

Olá minha querida amiga e Alteza!
Eu acho esse texto formidável! hahahaa...e me pareceu muito familiar! Uma preciosidade mesmo! Ainda bem que o publicou, minha linda!
A dúvida entre o ser ou ter domina na cabeça daqueles que julgam as aparências, mas que são incapazes de cultivarem e alimentarem a riqueza interna do conhecimento que transmite mais sobre valores humanos do que da matéria.
Fico muito aborrecida com pessoas que gostam de ostentações... Pessoas que em seu íntimo são vazias e medíocres... Que, apesar de terem capacidade de desenvolver o espírito, desprezam os que assim agem, para cultivarem o que apenas podem aparentar...
Quem sabe o dia em que puderem tomar consciência do seu verdadeiro ser, elas possam TER mais a oferecer, não é?
Lindíssima...como sempre, adorei, adorei! Você é fenomenal!
Mais uma reverência aqui , Alteza!
Grande beijo,
Jackie

Mary Miranda disse...

Oi, fabulosa Fênix Jackie, minha doce amiga!

Familiar, é? Não sei por quê... rsrsrs
(Para ninguém ficar no vácuo, devo explicar que esse seria o post para o blog da querida Fênix, mas acabou sendo o outro, do qual tive o mesmíssimo prazer de escrever!)
Sim, amiga, a confusão do verbo ser com o ter é incondicionalmente errado porque afasta as pessoas.
Ser é apenas um arremedo de construção de personalidade para esse mundo capitalista...
Ter é bem mais aproveitável por essa gente que considero pequena!
Infelizmente, querida, a maioria que faz essa confusão dos verbos, só descobre que não vale a pena apenas termos, no lugar de sermos, quando já não se é mais nada, já se está perto da morte...
Aí, do que valeu tanto esse TER, né?
Descobre-se que o ditado popular DAQUI, NADA SE LEVA fica lógico e tristemente profético!
SER ou ESTAR é o que eu procuro o tempo todo; é a minha verdade, é como me entendo como pessoa!

Um beijo, minha flor!
Mais uma vez você me fez levar maior tempo pensando no que escrever no comentário!
Isso é um elogio, tá?
(Você acha que posso responder qualquer coisa para alguém de sua inteligência e capacidade? rsrsrs)
A Alteza (?) agradece o maravilhoso comentário e a indicação!!!!

Mary:)

Valéria Braz disse...

Mary querida.... como sempre consegue dar um ritmo leve a um texto complexo.... adoro seu estilo!
Ser ou ter... ter e ser... ser e não ter.... eita, é uma composição muito grande de palavras que se encontram e se grudam como imã....
A cada um cabe magnetizar seu imã interior e atrair a jun ção de palavras que mais se encaixe ao seu modo de vida....
E entre ter, ser... vamos descobrindo que estes verbos são apenas conjugações criadas pelo homem.....
Beijo enorme em seu coração.....

Mary Miranda disse...

Oi, Valéria, minha querida amiga!

Começo dizendo o meu OBRIGADA por você mais uma vez abrilhantar meus posts com comentários fabulosos!!!!
E você jogou uma luz aí nas ideias muito interessante: que os verbos são convenções nossas, que cabe como os entendemos em nossas vidas!
Outra coisa magistral, é o que você disse tsobre só termos o que somos...
Concordo totalmente!
Há pessoas que têm muito, muito mesmo, a conotação de dinheiro acima de qualquer coisa, mas quando ela estiver no final da linha, o que restará dela?
O que ela conseguiu de fato ser!
Não será o que ela andou tendo que pesará na balança, mas o que ela tem sido, então, esse tal ter sumirá, dando lugar ao ser real...
Tudo é válido, minha amiga (esquecendo as convenções que somos obrigados a seguir) quando há sentimento nobre, de querer o bem ao semelhante, quando somos o que de fato trazemos na essência, e não aquilo que nos fazem engolir como verdades irrefutáveis!

Um enorme beijo, e meu muitíssimo OBRIGADA mais uma vez!

Mary:)

Samanta disse...

Olá queridíssima Musa da Escrita !!!

Óia eu atrasilda hehehe Sorry !!
Mas vamos lá, começando pelo começo, com uma Parabéns beeem grande pelo maravilhoso texto !
Minha amiga, conforme fui lendo seus exemplos, fui me identificando mais e mais, eu sempre fui "fora da casinha" nunca fui ambiciosa e isso intriga (irrita) as pessoas... Sempre estive tão mergulhada nas minhas dúvidas e vontades de Ser que o Ter nunca me chamou a mínima atenção... E vira e mexe tenho que ouvir perguntas como estas que você citou...
Até que é divertido respondê-las, junto com belíssimos argumentos da preciosidade do Ser !!
Também prefiro o Ser Estar, afinal somos mutáveis, estamos num caminho de aprendizado, amadurecimento e crescimento então a cada dia somos um pouco diferentes, uns para melhor, outros para pior, mas é o curso natural das coisas... Que bom !
Eu não rotulo ninguém de não Ser só por não Ter, justamente porque estou nesta situação.
Larguei um emprego onde ganhava bem porque não aguentava mais só Ter e nunca Ser, estava exaurida, morta em vida, sem brilho e sem alegria... Mas as pessoas não entendem muito bem isso, infelizmente...
Contudo, afirmo que não Estou nem aí para elas hehehe Eu é que sei o que ilumina minha Vida, o que me é valoroso, e sei que o tempo passa rápido demais para eu Ter dúvidas sobre o que quero Ser ;)
Aiii amei este texto !!!
Um super beijo da sua fã !!

Felipe disse...

Moça Bonita,

O "ser ter" ou "ter ser" não trariam tanta confusão e falsidade se caminhassem lado-a-lado com um verbo simples, mas tremendamente difícil de ser verdadeiramente em praticado, o amar.
Se sou e amo também tenho e amo.
Se amo SOU mais gente e TENHO mais a dar a todos que seguem comigo na jornada evolutiva da vida, compreendendo, amparando e amando Os que SÃO e não TÊM ou os que TÊM, mas não SÃO.
Beijão da presidência

Mary Miranda disse...

Fala aí, querida Menina Sorriso!

Comentários completos qual o seu nos eximem de encompridar a retórica (mas sou teimosa, vou tentar! rsrsrs)!
Ser é sempre melhor do que Ter!
Infelizmente assuntos como casamento e emprego são vitrines desprezíveis de exibição do Ter...
A parte onde você comenta sobre a troca de emprego onde você TINHA mais grana mas não ERA feliz, é o tom precioso de seu argumento que fez dele perfeito!!!!
Sim, minha amiga, o TER em detrimento de SER em esferas importantes e decisivas de nossas vidas, que tanto nos entristecem e inferiorizam!...
Adoro SER, e o TER me irrita, como sobriamente você verbalizou!
Adoro os papos do SER no final de trabalho, as risadas gostosas, das piadas, do lazer de apenas SER...
Pintou assunto de TENHO isso ou TENHO aquilo, já me enoja e caio fora!
Pra você ver, como o TER é repugnantemente endeusado em nossa sociedade.
Um ex - namorado meu TINHA um carro, mas teve que vender por motivos financeiros. (Aliás, um belo carro, automóvel moderníssimo!)
Os "amigos" que o chamavam para todos os bailes (ninguém tinha um carrão como o dele!) sumiram com uma rapidez impressionante após a venda, quando ele passou a apenas SER!
Mas eu continuei ao lado dele, pegando ônibus ou metrô para os nossos passeios.
No início, ele achava que eu iria abandoná-lo, mas logo percebeu que não era esse tipo de mulher interesseira!
Nosso namoro até que durou bastante, e só terminou mesmo quando o amor acabou, apenas isso...
Continuemos assim, minha amiga, SENDO ou ESTANDO porque o TENHO é passageiro...
Pessoas como nós, que valorizam o SER, são muito mais felizes, te garanto!!!!

Beijos mil, dessa sua fã recíproca!
Mary:)

Mary Miranda disse...

Oi, Canceriano Favorito!


Entende agora por que sou sua admiradora incondicional e presidenta do fã-clube?
O que dizer após um comentário desses????
Lindo demais isso, meu amigo!...
De fato, fato verdadeiríssimo, se pegássemos os verbos Ser/Ter e os aglutinássemos ao Amar...
Pronto!
Teríamos uma união válida, justa e importante para a evolução humana!
Isso mesmo...
Se TENHO mais que meu semelhante que apenas É, por que não ajudá-lo a TER mais e dessa maneira eu SERIA mais também?
Fantástica, meu querido, sua logicidade...
Tanto mais ajudamos alguém a TER, mais SOMOS na cadeia evolutiva!
E só, tão-somente o verbo AMAR, faz com que enxerguemos isso, com essa abrangência, dessa visão tão ampliada!
Estou me sentindo tão agraciada com seu comentário que é melhor dar uma parada...

Beijos, amigo!
Da presidenta vitalícia,
Mary:)

R149 3o75s disse...

Mary,minha mina,minha mina Mary... estaria eu, sendo redundante, redondo e quadrado, cuneiforme, cilíndrico, sei lá... além de cínico até, se dissesse eu, pra tu, agora e aqui, "na tua frente", por representações de vazilhames sentidos, plenos eles, de abstratas letras, trazidas por sua voz, um algo sobre o seu texto... valiosa é a tua alma, e grandioso, é o teu ser. Repito, independente de qualquer coisa:

Valiosa é a tua alma,grande Mary, e grandioso é o teu Ser... Feliz o cara que souber "ler-te."

Adorei o seu texto.
É muito bom,
é Divino. I mean it!

Mary Miranda disse...

Olá, meu sempre querido, adorável e bem-vindo Radi!

Adorei a pequena, conquanto não inferior, aula de geometria que você me passou logo no início de sua retórica!
Se eu pudesse escolher uma figura geométrica, ficaria com o redondo; quadrado lembro logo de "careta"! rsrsrs
Passando longe de qualquer brincadeira, te expresso uma verdade de minha alma: valioso é você, que me traz sempre um jeito novo de olhar mais para as minhas próprias palavras, redirecionando-as para outro plano indizível, mostrando um outro foco ainda não visto e enriquecendo qualquer contexto!!!!
"Ler-te" ou ler-te, literal e figurativamente, é sempre uma grande aprendizagem pra mim!
MUITO OBRIGADA!!!! ( I mean it, too!)
Saiba que adoro seus vôos por aqui!

Beijos, meu lindo!
Mary:)