Share

Mary Difatto no Facebook

Mary Difatto

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Cláudia Jimenez: homossexualidade devido ao sobrepeso


Surpresa grande me causou a atriz Cláudia Jimenez nos últimos dias!
Apesar já ter ocorrido há alguns meses a notícia, só recentemente fiquei sabendo que a artista revelou, ao jornal Folha de São Paulo, que sua homossexualidade era devido ao sobrepeso!

“Não tinha sensualidade, era muito mais gorda do que sou hoje. Não tinha forma nem vaidade. Achava que não tinha cacife para seduzir um homem. Como tinha de ser amada, me joguei nas mulheres”., explicou a atriz que, atualmente, trabalha na novela Aquele Beijo.

E disse também que queria vender para os homens, a imagem da mulher que "Nem te ligo!", quando se sentiu desprezada por eles . Dando a noção de que era lésbica, ela queria passar a mensagem de que "Só não tenho vocês porque não quero!"

Cláudia teve um romance longo com uma mulher (10 anos), com a qual chegou a morar na mesma casa.
Em contrapartida, porém, seus papéis na TV, em via de regra, sempre foram cômicos e voltados para o sex-appeal da gordinha voraz, conquistadora de rapazes jovens e bonitos.
Seu grande namoro com um homem foi com o igualmente ator Rodrigo Phavanello, bem mais novo e que, sem confirmação da veracidade, afirma ter sido o primeiro homem de sua vida, na época quando ela tinha 49 anos.
Quem me conhece, sabe que eu NUNCA puxaria um assunto para fins de chacota ou trazer a parcialidade dos fatos! (Para filtro de inveracidades, deixo para os pasquins ordinários nível imprensa marrom...)
Esse artigo em particular me chamou a atenção pelo aspecto psicológico do ser humano Cláudia que, antes de mais nada, merece nosso respeito e consideração.
Nunca imaginei que o transtorno da auto-imagem num espelho, pudesse acarretar mudanças comportamentais, no tocante até mesmo da opção sexual.
Li em muitos lugares, xingamentos horríveis à pessoa de Cláudia, chamando-a de "traidora da causa gay", dizendo que a atriz tem vergonha de sua condição homossexual, e agora quer voltar atrás...
Por outro lado, li também as mulheres acima do peso apedrejando-a por ela não ter aceito sua fisionomia, mascarando sua personalidade por trás de uma falsa homossexualidade, optando em não lutar por acabar com o preconceito contra as mulheres que têm peso a mais que o normal.
Há pessosa que afirmam que a atriz só quis aparecer através de uma revelação tão polêmica.
Trouxe o assunto para um debate aqui "em casa" (o Fatos de Fato está sempre com as portas abertas àqueles que amam a reflexão) e quem quiser divagar sobre a temática, esteja à vontade; só peço que preze a educação e o bom-senso, por favor!...
Lembre-se sempre: seja qual for o tema, nunca existe um lado só da moeda...

(Imagem:
www.amoleblon.com.br)

18 comentários:

Samanta Sammy disse...

Olá minha querida amiga Musa da Escrita !!

Eu já tinha uma impressão da Cláudia que apenas se confirmou, a de uma pessoa sincera e corajosa, que não tem medo de assumir suas fraquezas, seus erros, seus anseios e medos.
Fiquei horrorizada foi com o fato das pessoas a julgarem desta maneira e se manifestarem com animosidade, ainda mais classes que vivem reclamando de preconceito, etc.
As gordinhas vivem dizendo que são discriminadas e agora fazem o mesmo, mas que hipocrisia deste povo.
Toda gordinha sabe como é difícil viver fora dos padrões ditados pela mídia, etc, sabe como é ter dificuldade de arrumar uma companhia neste mundo machista ! pelo menos ela assumiu que esta condição física lhe abalou de tal forma que acabou fazendo um escolha.
Se errou ou acertou, não podemos julgar, ela é um ser humano (acho que os gays e gordinhas esquecerem disso), com direito a fazer suas escolhas livremente e deveria ter o direito de dizê-las em público sem ser agredida e sim servir de exemplo para quem passa pelos mesmos problemas.
A condição física afeta a todos, a uns mais outros menos, sei disso, pois e 2010 tive que parar de me exercitar por causa de um problema na coluna e engordei 10kg, eu era bem magra e não fiquei gorda, mas perdi as roupas, a auto estima e o apetite sexual, se eu que nem sou gorda fui afetada assim e precisei de forças para me recompor e me resolver internamente, acredito que muitos que estão bem acima do peso também devem ter muitos problemas e questões interiores que os afetam fortemente, então porque ela não seria afetada ?
Os gays deveriam ser menos preconceituosos e como disse acima, lembrar que ela é um ser humano com direito a escolhas, erros e acertos, ela tem que fazer o que lhe faz feliz e não basear suas decisões na causa gay.
Enfim, estou chocada com a mesquinhez humana diante de uma pessoa corajosa que assumiu coisas que muitos com certeza não tem peito para expor e admitir nem para si mesmos.
Cada um sabe a dor e as neuroses que carrega consigo e devemos respeitar as vivências de cada um.
Por problemas de auto estima, alguns até cometem suicídio ou assassinato, mas quando alguém vem desabafar, olha como lhe recebemos ?
Enfim, amiga, temos muito que melhorar como ser humano ainda... exigimos respeito, mas não damos nenhum, como eu postei a um tempo atrás, no dos outros é refresco, quando é conosco, queremos perdão e aceitação, mas quando é com outra pessoa, mostramos nosso lado mais imperfeito :(

Adorei a reflexão ! arrasou como sempre !
Um super beijoooooooo e bom fim de semana !!

(mais tarde passo lá pro Dht, agora estou enroladinha rsrs )

Valéria Braz disse...

Oi minha Flor!
A Claudia Jimenez é uma atriz e comediante muito boa, e um ser humano bem polêmico!
Já não é a primeira vez que suas declarações causam frisom por aí!
Não acredito que devemos sair por aí dizendo que ela nunca se aceitou (enquanto homossexual), ou que se arrependeu e agora quer voltar atrás...etc!
Vejo a questão desta forma: Cada ser carrega suas insatisfações e suas histórias, sejam de alegria, de tristeza, de rejeição, etc... e cada um vai dar a estes fatos uma dimensão pessoal. Talvez, ela por não aceitação acreditou que não podia ser amada por homens, e neste momento de profunda carência afetiva, possa ter encontrada em uma mulher a satisfação desta carência, daí pra frente fica fácil de entender!
Tem uma música qeu eu adoro que diz assim:
-"Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é1"...
Beijo grande no coração...mais um assunto daqueles bem polêmicos heim?!

Mary Miranda disse...

Menina Sorriso, aquele "Boa tarde!", amiga!

Penso exatamente o mesmo que você: como pessoas que angariam a igualdade, magoam e alteram tanto a opinião de um ser humano?
Se Claúdia se sentia menosprezada pelos homens e nos braços de uma mulher encontrou o amor que precisava, quem somos nós para julgá-la, chamá-la de "traidora dos gays" ou "desestimuladora das gordinhas", por que agora se sente fortalecida em sua auto-estima ao ponto de ter o amor do sexo que sempre a atraiu, ou seja, o masculino?
Sem brincadeira: cheguei a ler que a artista causou, com sua declaração, um "desserviço homofóbico", como se tivesse dito que odiava os gays só porque agora namora pessoas do sexo oposto! (Até onde vai a nossa intolerância????)
Querida, nos sentimos tão "down" com coisas mínimas, como, por exemplo, uma unha que quebra antes de irmos a uma festa, o que dirá não ter a admiração do sexo oposto? É HORRÍVEL!!!!
Não adianta correr: todo ser humano quer ser amado!
Ninguém veio ao mundo para arrefecer-se na tristeza eterna e amaldiçoar sua própria existência!
Eu me coloquei no lugar de Cláudia e percebi que ela só queria o amor que não encontrou dos homens que desejava, e é natural procurar o amor onde ele esteja!... Viver sozinho e mal-amado é castigo para qualquer um e, no caso da atriz, chegava a ser pior porque ninguém deveria colocá-la pra cima, deviam chamá-la de gorda, desinteressante, etc. Como essa criatura deve ter sofrido com a maldade social!!!!
Fiquei bastante sensibilizada com sua exposição sobre a coragem da artista. Eu também já a admirava, agora mais do que nunca, por assumir-se, antes de qualquer coisa, como um ser humano comum, com medos, decepções, tristezas, problemas. Sam, acabamos de descobrir que Cláudia é gente como a gente, que encara a vida e não está nem aí! O que importa é ser feliz!!!!
É, sim, querida, queremos tudo de bom para nós e os outros que se danem!
A cada vez que vemos alguém como Cláudia que admite que não levanta bandeiras ideológicas, mas que busca ser ela mesma, penso: "Ainda há chance da hipocrisia um dia acabar..."

Beijos, Samzíssima!!!!
ADorei cada vírgula que escreveu aqui! (Onde posso assinar que concordo? Nesse seu comment, assino até de olhos fechados... rsrs)

Mary:)

Mary Miranda disse...

Valzinha, querida Flor!

Quando soube desse artigo da Cláudia logo veio isso na mente: "Quer ver como as pessoas vão julgá-la?" e, pesquisando mais aprofundamente, li foi coisa sobre a artista, confirmando a minha previsão da maldade humana!...
Todos têm o direito de dar suas opiniões, mas fiquei revoltada com a maneira despótica como conduziram o fato, esquecendo-se do ser humano Cláudia, e alardeando apenas a celebridade Cláudia Jimenez.
Pois é, querida, também penso como você, que trazemos nossas insatisfações, e atriz não seria diferente!!!!
Se já nos entristecemos com um simples troco que nos dão errado nos estabelecimentos, o que dirá sofrendo o preconceito da sociedade, que sabemos ser do mais espúrio calão, tão pernicioso se faz?!
Vivemos num mundo doente, onde pessoas são tachadas por coisinhas, onde uma pulseira que seja um pouco diferente já é vista como brega, inferior, ridícula! Pessoas são tratadas feito produtos e talvez a atriz, sentindo-se menosprezada pelo meio social, tenha se refugiado numa falsa homossexualidade.
Você disse e eu assino - também é uma música que adoro! - que "Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é", o velho ditado traduzido em "Só eu sei onde meu calo dói...".

Adoro debater com você: sempre lúcida, educada e coerente!

Beijos, Flor minha!!!!

Mary:)

P.S.: Val, adoro essas polêmicas, porque nos motivam a refletir mais sobre a vida, as pessoas! Você sabe que de um bom debate, não corro nunca!!!! rs

Cecilia sfalsin disse...

Minha doce amiga,

Mais um precioso e agradável tema, embora polêmico.Sou uma grande admiradora de Claudia Jimenez, é uma talentosa atriz , ja me arrancou largas risada,e as vezes quando estou assistindo uma cena dela, vejo a própria Cláudia em suas apresentações, o que me faz admira la ainda mais.Confesso que também fiquei surpresa por esta revelação, e não duvidei que seja verdade, pois mesmo sendo uma grande comediante a vejo muito transparente, algo tão pessoal mas que a fez tomar uma grande decisão na vida, situação difícil ,mas que cabe somente a ela mesma se conhecer.O que não concordo é com outros tentarem decidir e argumentar a vida de alguém . sem ao menos conhecerem sua alma, o preconceito esta no coração de muitos, acham que defendem suas causas, mas se condenam pela forma como julgam outros.A baixa estima é muito sério , que consegue furtar a alegria de uma pessoa, fazendo com que tome decisões perigosas ou incertas.Ela não se aceitava gordinha era um direito dela e uma fase ruim, o que não cabe a ninguém usar o método da achologia para analisar seus sentimentos, e quanto aos homossexuais a chamarem de traidora não sei por qual motivo a julgam pela nova escolha ja que defendem a causa da liberdade de ser, não é mesmo? ser ou não homossexual .O respeito ele se instala onde ha pessoas que sabem seu real significado.

Minha bela amiga, beijos em seu coração e tenha um delicioso final de semana.

Frank Castle disse...

Oi querida Mary tudo bem?
É difícil fazer uma critica dessa menina linda que é a Cláudia Jimenez..
A critica não devia ter sido feita a ela porque sabemos do seu caráter e sua honestidade, porém, também não acredito muito que ela proceda, porque a mídia inventa coisas. Nossa amiga gordinha é a coisa mais simpática desse mundo, falar mal dela e de sua honestidade seria muito cruel e insensato, essa critica não deve refletir a opinião do GLS como diz a midia, pois sabemos que as pessoas tem todo o direito de não revelar essa condição pra uma mídia que só inventa coisas em cima de coisas. O que ela fez foi de um ato de coragem e honestidade e não deve ser interpretado de outra forma.
Não devemos confundir os papéis que os atores interpretam com o ator.Sabemos do preconceito que tem as pessoas com os gordinhos, alias quem não vive um pouco acima do peso hoje me dia? rsrsrsrs..

Abraços Mary

yet disse...

Infeliz declaração.Justificar uma postura (sexual) pelo aspecto(físico) é falar primeiro para deposi pensar no que disse.

Mary Miranda disse...

Ceci, a doce querida amiga que tanto prezo!

Você falou sobre vários pontos importantes: a transparência de Cláudia mesmo em papéis cômicos, o pré-julgamento que as pessoas fazem, o preconceito dos próprios que a apontam como preconceituosa e a liberdade de opção sexual que todos têm!
Amiga, é incrível que os homossexuais, aqueles que tanto pedem e lutam pelo direito de serem livres para amar quem quiserem, são os que mais massacraram Cláudia em sua declaração!
Estamos mesmo num mundo louco onde músicas boçais fazem sucesso estrondoso e pessoas idôneas, gente que é franca, se vê espezinhada por sua postura sincera!...
Confesso que me surpreendi, sim, e muito, quando soube que a atriz tinha feito essa declaração (jamais imaginei que alguém optasse em ser homossexual por ter um peso a mais que se julga normal), mas uma vez passada a surpresa, fiquei aqui aplaudindo a atriz, sorrindo por ter a noção de que ainda há pessoas que falam o que sentem nesse mundo tão falso!
Não deve ter sido nada fácil para a artista ter que admitir que se auto-menosprezava por sua aparência; agora ter que ler e escutar certos absurdos de uns desaforados "idealistas" que querem que ela "abrace causas", aí já é demais!

Beijos, Cecizinha, querida do Alencar!

Comentário seu triunfal, como sempre, amiga!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Que enfoque primoroso você nos permitiu, Frank!

Olha o outro lado da moeda que devemos observar...
É provável mesmo, amigo, que a mídia tenha disseminado um ódio do grupo GLS (e das mulheres acima do peso)que nunca tenha existido!
Cláudia Jimenez fez uma declaração a um jornal de respeito, e para talvez deteriorar a imagem da atriz ou atrapalhar a venda daquela edição, a concorrência possa ter inventado algo como sendo dos citados grupos.
O grande caso é que achei de muita coragem o ato da atriz, o que me torna uma admiradora maior ainda que era antes!
Concordo plenamente com você: ela é corajosa e devemos vê-la apenas dessa forma e não como "traidora de ideologias", como alguns parecem querer enxergá-la...
E mais uma verdade sua: hoje em dia a coisa mais difícil é estar com o peso ideal! rsrs

Abração!!!!
Nem preciso dizer que seu comentário muito aacrescentou ao post!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Yet, boa noite!

Talvez ela tenha pensado até demais e chegado à conclusão de que não poderia mais omitir esse fato de sua vida.
A declaração dela pode não ser do agrado de todos, mas foi objetiva e sincera.

Um abraço!
Grata pelo comentário!!!!

Mary:)

Jackie Freitas disse...

Olá amada Alteza!
De vez em quando o tempo me concede esses prazeres... e aí venho aqui me deliciar com a sua escrita elegante e sincera, com suas reflexões pertinentes e com esse bom senso que a torna uma pessoa maravilhosa!
Esses dias estava dizendo aqui em casa que não julgo as pessoas! Posso lamentar, discordar e até me enfurecer, mas não me dou o direito de julgá-las. Como você bem escreveu no final (e é uma máxima pra mim) a moeda sempre terá os seus dois lados!
Infelizmente as pessoas, de um modo geral, acham que seus pensamentos e condutas devem ser modelos a serem seguidos e, muitas vezes, acabam apenas confirmando toda a hipocrisia existente no ser que apedreja e julga... Esquecem de seus telhados de vidro! Todos nós, amiga, acredito eu, busca suas defesas. Se são certas ou não, o tempo mostrará através de experiências que nos farão refletir através de suas consequências.
De qualquer forma, o fato da Cláudia assumir suas fraquezas, não a torna indigna de pertencer a um mundo comum, de pessoas igualmente fracas e repletas de conflitos. Ao contrário, a coloca um passo adiante porque confronta, enfrenta e assume a si mesma!
Sem julgamentos! O importante é cada um encontrar a sua felicidade em seu tempo e modo...
Grande beijo, minha linda e querida!
De sua sempre amiga,
Jackie

Mary Miranda disse...

Querida Fênix do Bem, quanta falta sinto de você!


Amiga, penso assim: as pessoas devem viver a vida sob seu ponto-de-vista e não sob paradigmas!
Isso mesmo, concordo,querida! Julgamento? Por favor, deixemos com o Pai, pois só Ele sabe a verdade de nossas intenções...
Admito, querida, que muito me estarreceu essa coisa da "Cláudia traíra" que alguns alardearam!
Quem estava lá, em seu pensamentos, em sua vivência, sentindo a sua dor, sofrendo as mesmas pressões, em época diferente, num mundo onde o machismo conseguia ser ainda maior?
Os homens, em seu geral, valorizam mais as mulheres fisicamente favorecidas, e isso inclui os corpos "sereia" que as praias vendem na TV!
Quem de nós já não se sentiu humilhada ao ver que não nos encaixávamos nos padrões impostos?
Cláudia é uma pessoa como outra qualquer e deve ter sofrido horrores ao se vir "destituída" de atenção pelo clube masculino, desprezando a mulher maravilhosa que poderiam ter em seu convívio, como namorada, esposa, mãe de seus filhos!...
Todo tema tem mais de um lado, e é uma moeda múltipla, que merece maior aprofundamento!
Mais que pedras que arremessemos, o ser humano Cláudia Jimenez merece nossa atenção e apoio, e não esse requinte de maldade que parece ter virado a mídia brasileira sobre sua declaração sincera!...

Fênix, querida!
É quase um crime o que faz conosco, não ter mais aquele tempo para conversarmos como antes!
Sei- você me explicou- que há motivos para tal, para sua ausência tão alongada...
Mas é que precisamos de você sempre; não sabemos mais viver sem seus primordiais pontos-de-vista, suas reflexões!
Promete que, logo tendo um tempinho maior, vai ficar mais conosco? (É sua "Alteza" ordenando! Não aceito "Não" como resposta! rsrsrs)

Beijos, doce e amada!!!!

Dessa amiga e fã insofismável,

Mary:)

Bia Hain disse...

Oi, Mary! Adoro visitar seu espaço justamente por trazer temas polêmicos e por capacidade de deixar-nos tão à vontade, como se estivéssemos em uma roda de amigos, conversando. Não somos ninguém para julgar as atitudes da Cláudia. A baixa estima pode trazer consequências sérias, talvez na homossexualidade ela se sentiu amada e acolhida. Quanto a conhecer o amor de um homem com 49 anos, acho que nunca se é tarde para mudar os conceitos. Um grande abraço pra ti!

Mary Miranda disse...

Minha querida amiga Bia!

Como é bom ler isso!!!!
Toda vez que trago um debate, quero exatamente deixar o preconceito e a hipocrisia de lado porque estes, de nada nos valem!
Adoro amigos quais você que, entendendo minha postura, se atém à temática em si, e não a ideias pré-formadas, que de nada nos valem quando queremos chegar à alguma conclusão.
Também pensei nisso, na baixa auto-estima quando passamos por situações desconfortáveis.
A obesidade nunca foi motivo de orgulho pra ninguém, por mais que as mulheres de sobrepeso queiram falsamente nos fazer acreditar!
A sociedade ainda é machista! São as mulheres "padrão" de beleza (magras e esculturais) que habitam o imaginário masculino!
É natural, conquanto triste, que alguma mulher que não "obedeça" aos critérios da "gostosa" , se sinta desprestigiada... (Qual mulher, em alguma fase da vida, não tenha se sentido "baranga" para o sexo oposto? Eu admito: já me senti bem sem graça!)
Cláudia foi apenas franca em sua revelação e passei a admirá-la ainda mais por sua coragem e dignidade!

Um abração, querida e doce amiga!!!!

Seu comentário foi de suma importância!!!!

Mary:)

edilene disse...

ola
Mary!
Fui pega de
surpresa!
:o
Sem palavrassssssssssssss
bjks
amiga!

Mary Miranda disse...

Edilene, querida!

Acho que todos nós ficamos surpresos com essa revelação de Cláudia...

Beijos!!!!

Obrigada, Lene!!!!

Mary:)

Larissa Bohnenberger disse...

Oi, Mary, querida!

O assunto é realmente polêmico. Eu acho que todo mundo tem o direito de expressar o que pensa e o que sente sem ser apedrejado. As pessoas julgam demais umas as outras e isso é revoltante.

Sobre a declaração da Cláudia (da qual só vim saber agora, acho que não vivo neste planeta), eu me reservo o direito de duvidar da honestidade da atriz. Porque desde a adolescência eu convivo com a homossexualidade à minha volta. Eu vivi junto com amigos e pessoas da família a dificuldade e a agonia de se olhar no espelho e finalmente se reconhecer como se é, se aceitar, e eu te digo, não é uma opção. É um sofrimento grande demais para alguém optar por ele. A única escolha que a pessoa faz é entre se esconder atrás de uma máscara e ser infeliz pro resto da vida, ou encarar de frente seus desejos. Desejos esses que não estão condicionados à facilidade de acesso. Não consigo acreditar.

De qualquer forma, o respeito à liberdade de expressão alheia é fundamental. Afinal de contas, essa declaração não foi feita com o intuito de ferir nem expor ninguém. A única exposição que houve foi dela mesma, e não há motivos para tanta hostilidade.

Bjs, Lari.

Mary Miranda disse...

Lari, minha amiga!

O assunto é polêmico mesmo, e o evidenciei aqui exatamente por isso: por não ter resposta pronta!
Li e refleti bem sobre suas palavras que, antes que eu prossiga, devo dizer que a aplaudo pela coerência, educação e respeito com que tratou do assunto, ainda que duvide da sinceridade de Cláudia (inclusive, o que me aborreceu nos muitos lugares que li o artigo, não foi discordarem da atriz, mas a maneira desrespeitosa, usando até termos de baixo calão, para opinarem sobre a revelação da artista).
Amiga, acho que Cláudia foi sincera quando disse tais palavras!
Tentei mergulhar fundo na psiquê de uma mulher de baixa auto-estima, não provida de muita beleza física e, ainda por cima, sendo desprezada pelo sexo que a atrai!
Fico imaginando se fosse comigo, eu não sendo desejada por homens...
No meu caso, é pior não ser olhada por homens, do que enfrentar a pressão da sociedade sobre a homossexualidade!
Ai, seria praticamente o FIM, pra mim!
ADORO HOMENS!!!!
Adoro cheiro de homem, colo de homem, carinho de homem, suor de homem, sorriso, pernas, boca de homem... Não ser desejada por essas criaturas que tanto me enlouquecem, é como se estivesse morta!...
Talvez o que tenha ocorrido com a atriz fosse o seguinte: "Ou eu morro para o mundo, e fico vagando sem amor, ou me "vingo" dos homens, mostrando para eles que não gosto deles, por isso, eles podem me desprezar à vontade!"
O que ajuda também muito em eu acreditar em Cláudia, é que hoje em dia virou "fashion" se assumir homossexual! (Algumas meninas que praticavam futebol no colégio que eu trabalhava, se beijavam na boca, com ar de vitória...), então, o momento está propício para se revelar homossexualidade, não o inverso, que foi o caminho que a artista tomou!...
Na época que a atriz era adolescente, talvez ninguém a incentivasse, a colocasse pra cima, talvez até os próprios parentes a achassem com poucos atrativos para conquistar um rapaz bacana e talz... Num caso como esse, bastaria apenas alguém que a ouvisse, se colocasse no lugar dela, em minha humilde opinião!...

Querida, AMEI sinceramente sua posição sobre o assunto!
Toda vez que fechamos algo, alguém estará saindo perdendo e nós, como pessoas inteligentes, apenas debatemos com logicidade, sem "fechar" ideia alguma...
OBRIGADA pelo fabuloso debate que nos proporcionou!!!!

Mary:)