PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Retroviroses - A Aids felina


Infelizmente uma das coisas que mais perturbam quem cria gato são as doenças. São muitas, descobri com tristeza, por todos esses anos de convívio com eles.
A que eu trouxe hoje para o Fatos de Fato já ouvi falar há muito tempo, embora não tivesse pesquisado nada a respeito.
Nenhum dos meus gatos teve, só que me preocupo assim mesmo. Quero o bem deles, naturalmente, por isso estou sempre atenta.
Em alguns sites que fui, tive uma noção do que se tratava algumas dessas doenças. Por exemplo, existem as retroviroses, que são consideradas a Aids felina, já que o princípio é o mesmo: a doença faz o bichano morrer pelas doenças oportunistas, sendo o mesmo gênero do HIV. E com sintomas parecidos com seres humanos quando estão infectados pelo HIV: perda de peso, perda de apetite e apatia, são alguns deles.
As retroviroses são:  Imunodeficiência Felina e Leucemia Viral Felina.
Ambas são fatais sem o trato, pois o bichano fica com a defesa do organismo bem debilitada, logo, problemas como anemia, alterações neurológicas, otites, etc., invadem já que o caminho está livre para eles.
A doença é transmitida por animais contaminados, através de mordidas, salivas ou lambeduras.
Os gatos machos são mais propensos a contraí-las,  pois costumam andar em ruas com mais frequência e brigar com outros gatos na época do cio.
Não é transmitida para nenhum animal de outra espécie - nem seres humanos- apenas passa outros felídeos.
Uma dica para o gato não contrair as retroviroses, é não deixá-lo ir para a rua, já que poderia entrar em contato com animais infectados.
Assim como a Aids, não tem cura, mas tem tratamento, que ameniza muito os sintomas.
O tratamento é realizado a partir do diagnóstico do veterinário, que pode incluir: antifúngicos, antimicrobianos, fluidoterapia, transfusões sanguíneas e dietas hipercalóricas.
Importante estarmos sempre de olho em qualquer sintoma em nossos bichanos. Apresentando alguma alteração, levá-lo ao vet é a melhor opção.
E, claro, tentando preveni-lo das doenças, com boa alimentação, higiene, evitando o acesso deles à rua.
Cuidar dos pets é a nossa maior prova que os amamos!


(Imagem:
Fonte desconhecida)
Fontes da pesquisa:
http://resumaodeveterinaria-apbetioli.rhcloud.com/
http://www.cachorrogato.com.br/)

Nenhum comentário: