PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

A verdade chinesa


Teses não satisfazem quando queremos apurar conceitos do campo humano...
Olha eu aqui, tomada por um impulso de questionamento do que seria a verdade!
Ouvidos são para ouvir , sendo eu pega dessa vez pelos acordes de Verdade chinesa (cantada de tal maneira estupenda por Emílio Santiago, que a pergunta é: a música seria tão linda se ele não emprestasse o seu gorjeio límpido para a citada canção?), fazendo eu coro junto aos duvidosos, tentando descobrir o que a verdade - e chinesa- seria, afinal.
Verdade é tudo aquilo que seja oposto de mentira, que seja realmente de acordo com o fato.
Se eu derrubo um copo e ele se quebra (aconteceu comigo ontem!) a verdade é só essa: o copo quebrou-se!
Se eu entro embaixo do chuveiro e a água cai sobre o meu corpo, obviamente que irei me molhar! É fato, é verdade!
Mas a verdade é ampla e não se restringe aos limites físicos...
Há uma conceituação do povo chinês antigo que diz que a verdade é tudo aquilo que você entende como resposta para pergunta que resulte em bem-viver.
A verdade para um faminto, por exemplo, só é uma: alimentar o seu corpo.
Ele não quer saber de estatísticas que dizem que o seu país está progredindo, que enviou satélites intergalácticos , que o índice de analfabetismo caiu para 1%, que o povo tem mais sortimento alimentício...
O faminto só tem fome, sendo que a resposta para sua pergunta tem que ser satisfatória, e comida no seu organismo é a única satisfação, a única verdade...
Alguém que perdeu o emprego não quer escutar 'verdades' que o maltratam, tipo: "Você passou dos 50 anos, vai ser difícil agora arrumar outro...", "É, cara, lamento informar , só que as suas contas estão vencendo, e você sem emprego..."
Verdades que levam ao desespero, desânimo, são mentiras!...
'Mente pra mim, me ajuda a viver', diz uma canção do José Augusto.
'Mentiras sinceras me interessam', diz uma outra do Cazuza.
Já foi constatado que as mentiras geralmente são inventadas para proteger alguém ou por insegurança do inventor delas.
Há momentos em que SOMENTE as mentiras podem ajudar!
Não digam nunca para alguém que quer perder peso que todo o seu esforço não valeu a pena e que essa pessoa nem sequer moveu os ponteiros da balança...
Dizer que o seu corpo está esquálido, já é mentir demais, mas dizer que ela está melhor que antes, não vai fazer mal a ninguém...
Mentir para alguém para ajudá-lo, não é mentira, quando você quer mesmo colaborar com o bem-estar alheio!
E as tais 'mentiras sinceras' seriam aquelas em que você quer tanto que o sonho do(a) amigo(a) se realize, que até você mesmo(a) acaba acreditando nas palavras proferidas!
O mundo é feito, então, por mentiras?
O mundo é feito de verdades que favoreçam, tornem as pessoas mais reconfortadas, ajustadas, de alguma forma dentro de um contexto!
Para delirarmos mais com essas verdades, miremos no padrão de cores que o mundo dispõe aos nossos olhos.
O meu azul, é o mesmo azul que a outra pessoa vê? Do mesmo jeito, com a mesma tonalidade?
Cientista nenhum no mundo chegou à uma conclusão sobre como aquele olho que vê, enxerga no corpo que o detém...
As nuvens que vejo às vezes formam pássaros.
Aponto para a mesma direção no céu e meus alunos, falam: "Parecem cabritos!..."
A verdade chinesa seria, na verdade (sem trocadilho!), aquela que é conceitual, subjetiva, particular, filosófica...
A minha verdade nunca é a mesma que a do meu semelhante.
Uma das maiores escritoras do Brasil - senão do mundo - Clarice Lispector, começou sua obra Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres com uma vírgula (,) e finalizou-a com dois pontos(:).
E quem vai dizer que ela não usou a sua verdade de escritora competente, contrariando a gramática, embora fazendo de seu trabalho um dos maiores de seu repertório literário?
Ainda citando os mesmos chineses filósofos, esse povo não se preocupa com passagem de ano.
Enquanto explodimos nossos fogos de artifício, abrimos champanhe (ou sidra), felicitando um novo ano cheio de promessas quase nunca cumpridas, eles, os sinos, mantém sua paz interior sabendo que o planeta Terra só deu a sua voltinha costumeira de 365 dias e 6 horas...
Resumindo todo discurso, 'calando nossas bocas mentirosas', impedindo qualquer contradição,
digo que só há duas verdades que ninguém contesta, ninguém foge, ninguém pode negar que são dignas de todo o crédito:
ESTAMOS AQUI PARA SERMOS FELIZES E DEIXARMOS NOSSOS SEMELHANTES SEREM FELIZES TAMBÉM!
Essas são as mais belas e melhores verdades que possam existir!...


Degustem agora a voz singular de Emílio Santiago, com sua Verdade chinesa.
É nessas horas que eu me jogo de joelhos e agradeço a Deus por ter ouvidos e poder escutar a bênção de voz que é Emílio! Eta camarada para ter voz bonita!!!!!!!!! (Outra verdade indiscutível...)

Verdade Chinesa - Emílio Santiago

(Composição: Carlos Colla/Gilson)

Era só isso
Que eu queria da vida
Uma cerveja
Uma ilusão atrevida
Que me dissesse
Uma verdade chinesa
Com uma intenção
De um beijo doce na boca...

A tarde cai
Noite levanta a magia
Quem sabe a gente
Vai se ver outro dia
Quem sabe o sonho
Vai ficar na conversa
Quem sabe até a vida
Pague essa promessa...

Muita coisa a gente faz
Seguindo o caminho
Que o mundo traçou
Seguindo a cartilha
Que alguém ensinou
Seguindo a receita
Da vida normal...

Mas o que é
Vida afinal?
Será que é fazer
O que o mestre mandou?
É comer o pão
Que o diabo amassou?
Perdendo da vida
O que tem de melhor...

Senta, se acomoda
À vontade, tá em casa
Toma um copo, dá um tempo
Que a tristeza vai passar
Deixa, prá amanhã
Tem muito tempo
O que vale
É o sentimento
E o amor que a gente
Tem no coração...

(Repetir a letra)

(Final):
Senta, se acomoda
À vontade, tá em casa
Toma um copo, dá um tempo
Que a tristeza vai passar...
Deixa, prá amanhã
Tem muito te
O que vale
É o sentimento
E o amor que a gente
Tem no coração...(2x)



(Imagem:
http://sanatoriodanoticia.blogspot.com
Edição de imagem:
http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com

16 comentários:

CLAUDIA disse...

Olá querida e maravilhosa amiga!
Mary menina,que tem um grande dom e sei que tem. Tem o dom de olhar a alma ,e não só olhar vai mais além.
Sabe eu faço e faria qualquer coisa para defender um pessoa(principalmente um amigo),e jamais entregaria esse amigo para ser devorado.
Com certeza você irá compreender o que falo,prefiro que fique guardado a sete chaves comigo uma verdade,que chutar uma pessoa que na escola dividiu sua merenda ,quando eu não tinha para comer,que me defendia das pessoas preconceituosas por ser pobre e que dividia seus brinquedos comigo,mesmo que tenha errado,prefiro que o silêncio dos inocentes grite,temos certeza de tantas coisas,mas o que nos falta em muitos tempos é ter olhos de ver.
Mas a verdade sempre será uma,apesar de tudo,sei que minha alma esta em paz,sei que não perdi um amigo,mas ganhei muito mais que isso,visão,uma visão mais ampliada.
E isso me faz ser mais humana e feliz.
Tenho certeza que você entendeu!
Parabéns pelo texto esta digno de um grande livro,essa música é o máximo,maravilhosa.
Adoro você,você é uma alma abençoada.
Bjos em seu coração com cheirinho de Jasmin.

Jackie Freitas disse...

Olá belíssima e admirável escritora!
Amiga, seu texto está muito bem escrito, desenvolvido com primor e você consegue passar a sua mensagem nele!
Para mim, a verdade é uma só, como você coloca no início de seu texto. Não há meias verdades, não há como camuflar ou atenuar a verdade verdadeira. Há, sim, verdades subjetivas e que dependem do ponto de vista de cada um...mas por isso não podemos chamá-las de verdades absolutas.
Vejo muitas pessoas dizerem sobre omissão X mentira... e isso também é subjetivo...mas a mentira é a ausência de verdade... essa é a grande verdade!
Entendemos, muitas vezes como verdade, aquilo que nos faz bem, claro! Mas, lá no fundo, com nossa consciência e dentro de nossa "própria verdade" sabemos que muitas verdades (subjetivas) são engodos... Podemos sim, dizer verdades construtivas sem apelarmos para a verdade que destrói o outro... ou podemos nos abster do comentário se isso representar infringirmos a verdade de nossa ética! Ainda estamos falando da verdade subjetiva aqui e o que vai pesar é o meu ponto de vista, minhas experiências contra as visões de verdade dos outros.
Matematicamente falando, 2+2=4...exato e preciso, logo verdade sem questionamentos... Na verdade subjetiva, onde comem 4, comem mais 2...não há exatidão nessa matemática da vida. Entretanto, ainda assim, a verdade é uma só, mesmo se valendo da subjetividade ou não!
Aqui em casa dizemos que muito melhor uma verdade que doa na hora do que a "verdade subjetiva" ou até mesmo a mentira que cause danos graduais e que quando revelado em sua única verdade, nos destrói e causa danos irreversíveis. O caminho é um só e não há atalhos e nem desculpas. Quem nunca errou que atire a primeira pedra? Estamos falando de erros baseados em qual das verdades? A verdadeira ou a subjetiva? Na verdadeira, todos se calarão, mas na subjetiva muitas pedras serão lançadas, pois cada um defenderá a sua própria verdade... Existem princípios e eles nem sempre caminham conforme a verdade... Cada um interpreta como bem quiser! Mas existe ética...e ela é uniforme. Tudo aquilo que não fere aos outros e nem a mim mesma, posso dizer que é conforme a minha verdade... Subjetiva? Não se eu estiver dentro de uma ética!
Pessoas mentirosas sempre encontram subterfúgios para mascararem suas deficiências... Pessoas mentirosas se fazem valer da subjetividade para encontrarem em si mesmas a paz de suas "verdades"... Não sei, minha querida... Ainda é tudo muito complicado, não é? Cazuza disse bem: "Mentiras sinceras me interessam". E sabe por que? Porque ainda é muito melhor alguém assumir-se verdadeiro em sua mentira do que ficar afirmando sua verdade mentirosa... Mostre-se mentiroso e assuma-se! Não há mal nisso! Pelo menos aí combinamos que alguma verdade foi dita!
Brilhante é você! E em minha verdade, subjetiva ou não, te digo que podemos discordar de pontos diversos, mas sempre estaremos ligadas por uma "ética" maior: a da amizade...que respeita os VERDADEIROS sentimentos humanos. Essa é uma verdade que não pode ser disfarçada, encoberta ou tida como subjetiva. Amiga, existe, para mim, um dizer que vale muito: contra fatos não há argumentos! Se quer mostrar a verdade de seus fatos, mostre-se, não cale-se.
Estamos aqui, sim, todos para sermos felizes...é uma verdade idealizada... então que cada um encontre sua felicidade em paz com suas verdades... Não é?
Grande beijo,
Jackie

Mary Miranda disse...

Oi, Cacau, doce feito o chocolate!

Amiga querida, eu fiquei pensando se eu estaria certa em postar algo que fosse conceitual, aquele que é do ponto-de-vista de cada um...
Existem verdades verdadeiras, aquelas do âmbito físico, e essas são inegáveis.
Mas, como você falou, prezar a integridade do amigo pelo lado afetivo, ainda faz de mim uma mentirosa, e assumo isso!
JAMAIS teria coragem de magoar alguém com as verdades verdadeiras se aquele alguém não está preparado para ouvir aquilo naquela momento.
Eu te compreendo perfeitamente!
Não sou dona de verdade alguma e preferi 'calar a minha boca mentirosa'.
Concedo a qualquer pessoa o chamado 'benefício da dúvida', ficando satisfeita quando eu consigo chegar à alguma conclusão.
Nas horas de dor, nossos íntimos são colocados à prova, dali percebemos o quanto de 'verdade' existente podemos suportar...
Creio que tentarmos ser sinceros ao menos conosco mesmos ainda é o melhor caminho para sermos mais verdadeiros com o semelhante, trazendo-lhe o conforto, no momento propício.


Beijos, querida!
Espero tê-la ajudado seja lá como for!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Oi, querida Fênix Jackie!

Desde já agradeço sua participação aqui, que é sempre bem-vinda, objetiva e de alto teor de conteúdo intelectual, acrescentando algo a mais ao post!
Pois é, amiga, verdades são inegáveis; a droga é descobrir onde elas estão...
As verdades são divididas em dois parâmetros: as do campo físico e as do campo afetivo.
Foquei minha visão para esse post em particular tão-somente para a verdade chinesa desses antigos asiáticos, que traziam uma nova luz para a filosofia em tempos idos, tratando da verdade afetiva.
Minha amiga, a ciência exata, no trato com a verdade, é louvável, aceita, inquestionável:
Se em uma hora percorro 1km, em duas horas percorrerei 2km.
Verdade, concorda?
Mas a ciência humana fica lá gritando em alguma parte do nosso cérebro, questionando:
- Mas se eu não tomei café-da-manhã, estou preocupado porque meu time perdeu, e não gosto de andar naquela rua?
A pessoa percorreu 1Km em uma hora porque estava ainda descansada, mas a outra hora seu rendimento caiu por aspectos afetivos, e em duas horas, seu rendimento foi de 1km e alguns 'quebrados'...
Cadê a verdade da ciência exata aí?
Eu sou uma amante da verdade, e detesto mentira!
Só que, sendo sincera, tenho dificuldade em separar verdades de mentiras quando se trata de sentimento!
Minto descaradamente se for para poupar alguém de uma dor; detesto magoar porque detesto ser magoada (estou sendo verdadeiríssima!).
Tudo bem, um dia a verdade aparece e torçamos para que a pessoa esteja preparada para essa realidade tão insatisfatória!
Mas na hora de uma fragilidade emocional, não podemos vir com certas verdades (É pena que não posso contar um fato real de uma amiga minha dos tempos do Ensino Médio...Te garanto, Jackie, que para aquele momento dela, a última coisa que ela queria ouvir era a verdade, confie no que digo, por favor!...), e posso aguardar mais um tempo para dizer a realidade dos fatos; verdade não tempo certo para aparecer...
Sim, linda, até mesmo no campo afetivo certas verdades são indubitáveis, como o amor, o carinho, a amizade, o respeito, isso ninguém pode negar que são PRIMORDIAIS na vida de qualquer um!
Tenho você como uma grande amiga e não me contrarie nessa verdade! rsrs

Beijos, minha querida!
Adoro seus comentário e você sabe disso!

Mary :)

Principe Encantado disse...

"Por mais incrível que pareça a minha verdade é a que quero que prevaleça."
É assim que a maioria pensa, e creio que deixá-los em paz com as suas verdades é mais saudável para todos, assim evitamos constrangimento e deixamos a agua passar e vivemos melhor.
Abraços forte

Valéria Braz disse...

Maru minha linda... eu adoro seu jeito de escrever... e sua irreverência subjetiva!
Eu acredito na verdade, embora a única verdade universal que vejo as pessoas viverem é o amor... em todas as suas formas. Portanto, verdade pra mim é aquela que me faz feliz, desde que não afete ninguém negativamente. Se de alguma forma a minha verdade ferir alguém, então é hora de repensar e avaliar!
Na minha profissão e na vida conheci algumas pessoas que mentiam e acreditavam em sua mentira.... alguns viviam esta loucura velada e nada prejudicavam a vida de outros... a estes que vivam a sua vida e sejam felizes dentro da sua mentira (que diga-se de passagem, sempre é percebida). No entanto a outros que com suas mentiras, afetam vidas... a estes é o momento de reavaliar a si mesmo.
Sabe lindinha, nunca condenei e nem vou condenar ninguém por seus erros, mesmo porque também erramos. Mas jamais me calo, mesmo que minha voz seja doce!

Eu amoooooooooo esta música, é meu hino. Aliás adoro a voz do Emilio, tenho a coleção completa dele! hehehehehehhe

Beijo no coração

Mary Miranda disse...

Ai, que lindinho, o Sapinho com o bandolim ( ou banjo? rsrs)!

Isso de vez em quando acontece comigo também, de meu comentário ficar incompleto...
Mas como eu gosto muito de você, trouxe o seu comentário pra cá.
Veja:

Por mais incrível que pareça a minha verdade é a que quero que prevaleça.
É assim que a maioria pensa, e creio que deixá-los em paz com as suas verdades é mais saudável para todos, assim evitamos constrangimento e deixamos a agua passar e vivemos melhor.
Abraços forte

E a minha resposta:

Verdades arbitrárias tendem a causar constrangimento mesmo...
Cada caso é um caso e devemos avaliar o momento ao falarmos com alguém uma verdade que dói.
Fechar a boca omitindo certos fatos, é uma saída desesperada para não ferir sentimentos.
E a verdade sempre aparece, embora às vezes leve algum tempo para isso acontecer...
Não suporto esse sistema maniqueísta que alguns fazem com a verdade!
Acredito que aprender a me colocar no lugar do outro é uma grande saída para saber se é hora de falar a verdade ou não naquele momento...

Um abração, Príncipe, meu amigo!

Mary :)

Mary Miranda disse...

Oi, Valéria, querida amiga!

Fico contente por agradar com o meu jeito de escrever...
Obrigada!
Mas, quanto ao tema, acredito que a verdade seja para trazer felicidade, alegria...
Se ela não atinge a esse objetivo, pra mim, perde o valor porque alguém aí vai estar sofrendo!
Adorei o que você falou sobre a mentira que não afeta a ninguém, não prejudica e cada um vive a fantasia dentro de si sem atrapalhar!
Mais uma vez concordando, penso como você que se a mentira afeta os outros, aí já é hora de avaliar o que anda ocorrendo mesmo...
A passagem do refrão de VERDADE CHINESA mostra bem que a verdaqde é, de fato, subjetiva. Veja bem:
Mas o que é vida, afinal?/
Será que é seguir o que o Mestre mandou/
Ou comer o pão que o diabo amassou/
Perdendo da vida o que ela tem de melhor?
Para alguns, a verdade da vida é se acabar em preocupações e amarguras, para outros é seguir o caminho pleno que Jesus deixou, mas seja o que vier, o importante é sermos felizes!
Engraçado, Valéria, falando sobre Emílio Santiago, é que não conheço tão bem assim o seu repertório, mas sua voz primorosa me ganha em qualquer lugar!
Ele traz uma emoção, um calor inexplicável a mim...
E VERDADE CHINESA, na minha opinião, é a verdade verdadeiríssima de Emílio!
Sublime canção!!!!

Beijos, querida amiga!
Obrigada sempre por tão excelentes comentários!

Mary :)

vidarealdasam disse...

Olá minha querida Musa da Escrita !!

Lendo seu texto em peguei pensando, e se minha verdade é diferente da verdade de alguém ? Isso acontece né ? Nesta diversidade que vivemos, muitas coisas são sim pau ou pedra, mas algumas dependem muito da visão pessoal de cada um e talvez seja nesta questão que surjam as dúvidas.
Mas quem sou eu para saber isso de forma perfeita, então sigo assim, procurando agir com ética e respeito, se tem algo que pode magoar muito uma pessoa, prefiro não dizer, caso eu tenha escolha, mas se tiver que me manifestar, procuro usar o máximo de tato e bom senso para me expressar.
Já as verdades boas que fazem bem ao próximo, estas não economizo, digo sempre e quantas vezes for preciso, sem medo de ser feliz !!
Mas pessoalmente gostaria que me dissessem a verdade mesmo que eu fique uma semana deprimida e traumatizada, porque minhas piores experiências foram quando descobri que fui enganada com meias verdades que no fim foram muito mais dolorosas...
Em alguns meios, como o profissional, existem momentos em que é inevitável enfeitar o pavão morto, mas acredito que entre amigos e no lar, é possível sempre ser verdadeiro, todos ficaram felizes e seguros com isso :)
Adorei o embalo escolhido para complementar o texto !!! Arrasou !!
Um super beijo da sua fã !

BLOG DO PROFEX disse...

Verdades e mentiras. Tema que inspira. Diante da mentira nos abrimos em leque. Haja página, em branco e tempo. Diz-se que uma mentira exige mais sete para sustentá-la. Que de mentira este mundo é feito...e vai por aí a fora.
(....)

Mas diante da verdade, nos calamos!
Grande Abraço, Mary!

blogdacomentarista disse...

Oi Mary, que tema difícil você trouxe para a nossa reflexão através desse teu lindo dom de escrever..

Vejo isso da mesma forma que você.

Que mais posso acrescentar depois de tudo que li?

Do que tenho observado sobre esta questão, posso dizer que me parece que a verdade tem o hábito de acabar aparecendo...

E acredito também que quanto mais verdadeiros pudermos ser (e isso não é sinônimo de ser cruel), com a gente e com os outros, melhor para todo mundo.

Penso que a vida trabalha para desfazer as ilusões que criamos, visando a nossa própria felicidade. Mas tem a sabedoria de esperar o momento certo para fazer isso.

De que adianta explicar uma coisa por mais verdadeira que seja para quem ainda não tem compreensão suficiente para entendê-la?

Existem momentos tão difíceis que precisamos de uma certa dose de ilusão para mantermos um mínimo de "sanidade". Quem já passou por isso, sabe do que estou falando.

Quebrar isso na hora errada a pretexto do exercício de uma sinceridade que muitas vezes ninguém pediu, pode resultar apenas numa crueldade desnecessária com consequências imprevisíveis.

Verdades Cruéis ou Mentiras Piedosas? Não vacilo um segundo na escolha da última, pelo menos em certas situações extremas.

Talvez algum dia eu pague um preço pelas minhas mentiras bem-intencionadas. Mas positivamente não sei impor verdades e destruir esperanças...

Também adoro esta música!!!

Teu blog tá lindo!!!

Bjinhos

Mary Miranda disse...

Oi, minha querida Menina Sorriso!

Sabe, Sam, tenho mudado tanto de conceitos, pré-conceitos, ideias, tudo o que você imaginar, de alguns anos até os dias de hoje...
Conhecendo tantas pessoas como eu conheço, com mentalidades tão diferentes e vendo que todo mundo só quer ser feliz, com seus sonhos, dúvidas, anseios, percebo que não há limite para as pessoas quando se trata dessa sensação!...
E tenho percebido também, amiga, que em certos casos, a verdade atrapalha, por mais incrível que possa parecer!
Há dores em certas pessoas e em certos momentos que pedem uma mentira, que exigem que não entreguemos a verdade, ainda que seja por alguns dias, mas NAQUELE INSTANTE, não podemos ser sinceros... (Falo isso porque conheço VÁRIAS pessoas assim, sendo que o caso mais grave é de uma amiga do Ensino Médio, que não cabe aqui falar...)
Também sou fã da verdade, mas aprendi a avaliar as situações e pessoas, tentando saber se ela é adequada para essa ou aquela situação.
E o que é vida, afinal, como diz a música, senão buscarmos ser felizes e fazer feliz o semelhante, do jeito que entendemos o que é felicidade?
Verdade verdadeira, minha amiga, te garanto mesmo é que te considero uma amiga especial, uma amizade que espero preservar sempre!

Um beijo, lindinha, e adorei seu comentário, saiba disso!
Sobre a música, sr. Emílio Santiago é imbatível no quesito cantar bem, não?
E que letra é aquela, gente, de a VERDADE CHINESA??!! rsrs

Mary:)

Mary Miranda disse...

Olá, Expedito!

Achei interessante o que você escreveu sobre a mentira atrair mais sete...
Mas num momento drástico, a mentira serve para tentar amenizar uma dor!
A verdade aparece sempre, só não sabemos quando!

Abraços,
Mary:)

Mary Miranda disse...

Olá, Denize, minha tão querida amiga!

Primeiramente, minha alegria imensa por te ver aqui, após um tempo tão grande que não nos esbarrávamos na blogosfera!
Após essa minha doce surpresa, devo te dizer, minha amiga, que levei momentos e momentos refletindo, com grande dúvida, se seria bom postar algo polêmico e ao mesmo tempo, importante...
Pois adorei tudo o que você comentou não por ter concordado comigo, mas pelo fato de você ter colocado os dois lados, o da verdade que fere e o da mentira que salva.
Estamos aqui para evoluirmos espiritualmente e cabe a nós avaliarmos quando podemos mentir, vamos dizer assim, para sermos verdadeiros!
A mentira caridosa não pode ser errada porque surgiu por você ter se colocado no lugar do outro e percebido que não era hora de uma verdade dolorosa...
Como você falou, não titubeio um segundo sequer se tenho que mentir para guardar num conforto emocional um ser humano, e igualmente lindo o que você disse sobre explicitar verdades apenas por um exercício de sinceridade, que nem sempre cabe ali, naquele momento.
Acredito que a verdade venha, só que tem que ser ali, naquele instante, para destroçar mais, jogar mais sal sobre um ferimento que já tanto dói?
De repente sentar, respirar fundo, ouvir uma meia dúzia de palavras agradáveis, possa ser um bálsamo bem maior em nossas vidas árduas pelo trabalho e desespero cotidianos, do que um caminhão de palavras verdadeiras, manejadas feito arma, atirando nos ouvidos e rosto, conceitos que seriam bem melhores absorvidos quando estamos calmos, mais apaziguados, mais inteiros para aceitarmos essas novas realidades de dor...
Quase escrevi um outro post! rsrs
Mas você me empolgou, ahn?
A música é fantástica mesmo; pra mim, a melhor de Emílio Santiago!
Ah, meu blog ficou uma gracinha, não ficou?
Agradeço a Rê Requeri pela bela arrumação que ela deu aqui!
Presente de blog ano passado! (Já tenho dois aninhos, viu, que chique? rsrs)

Beijos, minha lindinha!
Obrigada pelo elogio, pelo comentário-cabeça e pela sua amizade que é deveras importante pra mim!!!!
Espero que nos vejamos mais vezes a partir de agora!

Mary:)

Marcos Airosa disse...

Oi, passei aqui para te cumprimentar, pela postagem e para te dizer alo, a muito ja deveria ter feito, mas nunca é tarde, vc é uma excelente escritora e eu te admiro muito parabéns. Estou escrevendo uma poesia para vc.aguarde.bjo

Mary Miranda disse...

Olá, Marcos, tudo bom?

Muito obrigada, amigo, por tão belas palavras!
Vindo de um cara tão inteligente como você, isso só me faz ficar muito envaidecida!
Uma poesia pra mim? Que máximo!!!!
Será que mereço tanto????
Mas, desde já, muito obrigada, viu?

Um forte abraço,
Mary:)