PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Segunda-feira Sem Carne


Não gosto de sacrificar meu sono mas, às vezes, sei que tem sua importância olhos acordados/olhos sonolentos tentando se fixar em assunto de um interesse para o cotidiano.
Assisto com tamanha frequência ao programa "De frente com Gabi", com a Marília Gabriela (pra mim, a melhor entrevistadora da atualidade!) e, meio que por acaso, detecto a presença de Lúcia Veríssimo, uma atriz que foi global nas décadas de 80/90, num desses meus domingos esticados.
Pra quê iria eu assistir entrevista de uma artista da qual nunca fui fã?
Aí que eu pergunto, se seres humanos são ou não são surpreendentes?
Passo a saber, em fragmentados minutos, que Lúcia é uma militante de causas nobres!
Desde proteção ambiental e dos animais, de manter Ong's para castração de animais de rua, de fazer teatro libertador, à participação em processo político nos tempos em que eu era apenas uma menina de colégio, com a saia azul e blusa branca das nuvens do céu, que me cobriam de sonhos...
Sempre considerei Lúcia muito presa à fórmula mulher-bonita-que-sempre-se-dá-bem-em-tudo-e-não-precisa-ter-talento, e em todos esses anos (me desculpe, Lúcia!) nunca reparei nos supostos dons artísticos que a moça poderia ter!
Porém, Marília Gabriela é um diferencial de entrevistadora por trazer à tona talentos não pensados: percebo que Lúcia Veríssimo é uma grande artista na vida!!!!
Ela é vegetariana, e como tal, se comporta de maneira consciente na alimentação.
Foi com ela que me detive na campanha do meu fofo, talentoso, magnífico, indescritível , ou seja, meu TDB, Paul McCartney, que começou algo na Inglaterra em 2009 que muito me interessa: a Segunda-feira Sem Carne ('Meat Free Monday').
Famoso pela consciência crítica de proteção ambiental, Paul não come carne e fomentou a ideia de que a população do mundo poderia não necessariamente se tornar vegetariana, no entanto, pode colaborar com, no mínimo, um dia sem esse alimento no organismo...
É custoso acreditar que apenas UM DIA sem carne possa ajudar tanto para a saúde do Planeta!
Os animais de corte, pobrezinhos, são os principais liberadores de gases- estufa.
Se a população mundial parar de comer qualquer produto incluindo carne, fará com que o gado bovino, caprino, etc, diminua a quantidade de cabeças, por conseguinte, irá diminuir o rombo na camada de ozônio.
Sem contar que há muitos fazendeiros, segundo a atriz Lúcia Veríssimo, que derrubam matas inteiras praticamente, para extenderem sua cultura pecuária...
Não sou ainda vegetariana, apenas evito comer carne em demasia, então a campanha do Paul é bem propícia a todos nós que temos um pouco que seja de consciência ambiental.
Já separei mentalmente o que comerei (comecei na semana passada): feijão, arroz, ovos, milho e cenoura.
Vegetariano não é o mesmo que vegan!
Vegan é todo aquele que é radicalmente contra comer qualquer procedência alimentar animal (ovos, leite, etc.), portanto, continuarei bebendo leite e comendo ovos, sem problema, às segundas-feiras.
Isso significa que continuarei mantendo o meu padrão de carne normal nos outros dias da semana.
Não vou triplicar o meu consumo de alcatra, lombinho, salsicha, linguiça, frango, etc. porque aí não haveria vantagem alguma!
Querida atriz Lúcia Veríssimo: obrigada pela informação tão preciosa!
Eu estou contigo nessa campanha!
Agora você tem em mim, uma fã do ser humano maravilhoso que você é!
E quem esteja lendo esse meu singelo post, adira também, porque é de utilidade pública; não se trata de marketing fashionista!
E é fácil, simples, bom, conveniente...
Apenas UM DIA sem carne!!!!
Vamos, gente, garanto que é POSSÍVEL!
Para todos, então, desejo uma boa:
SEGUNDA-FEIRA SEM CARNE!

(Imagem:

http://planetalaranja.blogspot.com

Edição de imagem:

http://marymiranda-fatosdefato.blogspot.com)

16 comentários:

Jackie Freitas disse...

Olá minha amiga e admirável escritora Mary!
Excelente texto, minha linda! Consegue colocar numa leitura muito gostosa o seu ponto de vista e nos faz, sim refletir com ele.
Eu não sou adepta ao vegetarianismo, mas tenho consciência de que ele pode promover mudanças saudáveis nos hábitos pessoais e até mesmo no do planeta...
Sou casada com gaúcho...rsrs...nem preciso te dizer o quanto apreciamos carne aqui em casa, né? Porém, procuro sempre variar nos acompanhamentos, não ficando presa em carnes em meu cardápio. Até mesmo porque, acho interessante que as pessoas desenvolvam o paladar para a riqueza alimentícia que temos à nossa disposição.
Não decreto as minhas "segundas" sem carne, mas pode ter certeza que pelo menos uns dois dias da semana deixo de incluí-la no cardápio.
Eu já conhecia um pouco desse histórico da Lúcia e você tem razão: ela é mesmo um ser humano consciente de suas responsabilidades para com o planeta e os seres que nele habitam. A Gaby...dispensa comentários...rsrs...ela é tudo de bom!
Grande beijo, amiga! Mandou mega bem!
Jackie

Mary Miranda disse...

Oi, Jackie, doce Fênix amiga e querida!

Deve ser um problemão não comer carne em casa onde tem gaúcho!
Sei porque namorei um e adivinha o prato preferido dele?
Churrasco! rsrs
Você e seus familiares estão fazendo o certo!
O máximo que pudermos evitar carnes, melhor...
Acho que o Paul escolheu segunda-feira porque ele sabia que em outros dias seria difícil alguém seguir essa campanha (imagine isso em pleno fim-de-semana? rsrs)
Adorei a entrevista com a Lúcia Veríssimo porque descobri um ser humano consciente, generoso, coisa que não sabia sobre ela...
Sobre Gabi, você acertou em cheio: ela é fantástica, dispensa comentários adicionais!
E o Paul eu o acompanho desde criança! (É como se fosse o primeiro namorado; conheço sua arte e humanidade com muito afinco!)
Que tenhamos mais consciência seja alimentar, ambiental, etc para a nossa caminhada seja justificada aqui na Terra!

Obrigada por estar aqui, minha amiga, comentando com sua inteligência e edificação do post!
E obrigada, naturalmente, pelo seu carinho e amizade, você que é sempre tão digna em tudo que faz!

Beijos,
Mary:)

vidarealdasam disse...

Olá minha queridíssima Musa da Escrita !!

Como sempre nos apresentando textos relevantes e envolventes, e olha que quase me convenceu ;)
Mas apesar de saber que seria de grande ajuda ao Mundo e à minha saúde, não comer carne, simplesmente não dá pra mim... Minha família é do Sul e eu cresci acostumada à fartura de carnes, mas isso não justifica não é mesmo... O que me mantém carnívora é mesmo um hábito de que não consigo imaginar meu prato sem ela... Mas creio que posso tentar usando a mesma "tática" que você e comendo ovos, já é um começo né :)
Parabéns pela postagem, minha flor e assino embaixo seus elogios à Lúcia e a Gaby, maravilhosas !!!
Mega beijo e que sua semana seja ótima !!!

Mary Miranda disse...

Menina Sorriso, Samzíssima querida!

Mas é só UM DIA na semana, amiga! rsrs
Também me amarro em carne e o Paul, com essa campanha dele, me libertou, sabe?
Agora posso amenizar um pouco a culpa de ingerir esse alimento...
Estou começando com as segundas-feiras, depois aumentarei, com o tempo, meus dias sem carne, até chegar ao meu objetivo: ser vegetariana!
Às segundas-feiras não como NADA que tenha que ter-se matado algum animal para chegar o alimento às mesas. (Continuo bebendo leite e comendo ovos porque não houve sacrifício do bichinho; salsicha, linguiça, a carne propriamente dita, etc., nem pensar!)
Isso mesmo, lindinha, começamos aos pouquinhos (você disse aí sobre comer ovos; ótimo isso!) e até já conversei com a Regina Bolico, que é uma grande defensora dos animais e vegetariana convicta por amor a eles, que estou bem devagar, mas sempre!

Beijos, minha querida!
Obrigadaço pela participação sempre tão gentil, inteligente e coerente!
O mesmo desejo a você!!!!

Mary :)

Professora Ismaelita disse...

legal ,acredito que da para comer menos carne não so a segunda ,mas terça e quarta..fará bem a saúde Ótimo post,bjooo

rebloggando-requeri disse...

estou, faz tempo, arredia à carne vermelha. às vezes por força do convívio com o zé, um carnívoro compulsivo, escapo um pouquinho dessa determinação de não comer carne vermelha. mas ando trocando por pera, maçã, pepino, alface, beringela ...

adoro seus escritos. e o seu blogg tá lindo ... heheh .... ce tá cuidando muito bem dele.

bj.

Mary Miranda disse...

Olá, Isma!

Também penso assim!
Aos pouquinhos eu pararei de comer carne...
Essa historia de ser segunda-feira, foi só um dia simbólico que o Paul criou para dar uma maneirada no consumo exacerbado que ocorre pelo mundo!
Bem, ontem foi terça-feira e eu não comi nada que tivesse que sacrificar o animal...
Viu? Já aguentei dois dias seguidos! rsrs

Beijos, amiga!
Mary:)

Mary Miranda disse...

Olá, amiga Rê!

Conviver com degustadores de carne é dose mesmo porque, às vezes, nem estamos pensando naquele alimento, mas vendo ele bem temperado, quentinho sobre a mesa, dá uma vontade... rsrs
Obrigada por gostar do que escrevo!
Acho que estou fazendo a 'lição de casa' direitinho, levando em consideração o que você andou me ensinando sobre blogs!
Obrigadão mesmo por tudo!!!!

Beijos, querida!

Mary:)

Valdeir Almeida disse...

Mary,

Eu assisti a essa entrevista sem perder muito do meu sono (aqui é uma hora a menos que aí, pois a Bahia não aderi ao horário de verão).

Eu já conhecia o engajamento de Lúcia Veríssimo nessa causa. Ela milita em várias questões, como a da proteção aos animais e, consequentemetne, à redução do efeito estufa.

Beijão, Mary

Valdeir Almeida disse...

Como eu havia prometido (porque você consentiu), publiquei no www.paineldoeducador.com.br o belíssimo comentário que você deixou no blog a respeito do texto "Professor Sacerdote, a desconstrução de um mito".

Obrigado, Mary.

Ótima noite para você.

Alexandre disse...

Olá boa noite tudo bem, deixa eu me apresentar, meu nome é Alexandre eu estou passando por aqui para conhecer e fazer uma visita em seu blog, alias parabéns muito legal e de bom gosto seu blog, aproveito para convidá-la a conhecer e visitar meu blog, se quiser seguir também será bem vinda por lá, novamente para bens pelo blog, espero sua visitinha ta uma ótima semana beiju.
Meu blog: friendlegal.blogspot.com

Mary Miranda disse...

Legal, Valdeir, você também ter assistido!

Mas mais legal mesmo é você estar por aqui.
Que honra pra mim sua nobre presença, amigo!
Saudades de você!...


Beijos,
Mary :)

Mary Miranda disse...

Poxa, Valdeir, muito bom isso!

Adorei que você o tenha colocado por lá, o meu comentário!
Nem preciso dizer que estou toda orgulhosa, né? rsrsrs
Eu quem tenho que dizer "Obrigada"!

Beijos, querido!
Te adoro!!!!

Mary :)

Mary Miranda disse...

Oi, Alexandre!

Bom demais que você tenha gostado meu blog!
Sim, quando puder, farei uma visita ao seu blog, o Friend Legal!!!!

Forte abraço,
Mary:)

Histórias & Estórias disse...

Minha praia não é carne vermelha. Aliás, costumo dizer "não como bicho morto". Mas, não faço parte de rótulos. Ou seja, não sou vega ou vegetariana, ou naturalista... nada disto. Optei, deliberadamente, em não fazer parte da matança generalizada, da futilidade humana, da omissão diante da crueldade. Isto eu sou. E não sei o nome. Como muito peixe,pescado ali, pertinho de mim, no rio. Às vezes em uma fazenda, por um processo normal, sem confinamento, alimento-me de carne vermelha. Mas de forma moderada, bem moderada, como já falei.
O jeito que as pessoas tratam os animais que levam à mesa, é literalmente, cuspir no prato que come!

Mary Miranda disse...

Olá, Valéria!

Também detesto essa coisa de rótulos e algo que o valha!
Pretendo ser vegetariana, mas não quero que as pessoas fiquem me olhando como se eu estivesse cometendo um crime...
Lembro de uma vez uma conhecida minha ter me batido, em sentido figurado, porque deixei uns pedaços de carne no final do prato.
Ela me perguntou, indignada:
- O que que é? Virou vegetariana agora?
Então expliquei que era porque iria repetir a sopa e sabia que não tinha mais carne.
Ela disse:
Ah, bem!... - com um alívio facilmente detectado na voz e olhar.
Quero ter o direito de deixar de comer carne sem cobranças, de gente separando pratinhos porque sou aquela anormal que optou em fazer o certo!
A matança dos animais, de maneira indiscriminada, também me ajuda a querer abandonar meu status de carnívora.
Estou indo aos poucos, sabe?
Um dia vou conseguir não estar mais nessa de necessidade de animais mortos sobre a mesa para saciar uma fome que pode ser muito bem servida através de alimentos muito mais saudáveis...

Um abraço e saiba que seu comentário foi bem produtivo ao post!
Obrigada!!!!

Mary:)