PARA QUEM AMA GATOS

PARA QUEM AMA GATOS
(Clique na imagem para conhecer)

domingo, 8 de janeiro de 2012

Todo mundo é... pervertido!


Só pode, ah, só pode ser a queda para a perversão, que nos leva a eleger certos ídolos para nos representar!
Ídolos que cantam bobagens repetitivas e boçais, qual um certo Bonde do Tigrão e suas "cachorras", que levavam "muita pressão", em um tempo não tão ido assim, como eu bem gostaria...
O "buraco da fechadura", o voyerismo da modernidade, a saia que levanta e "paga calcinha" (se for homem, a cueca também vem ao "estilo"...), o palavrão que torna frase de filme inesquecível ("Dadinho é o cara..., meu nome agora é Zé Pequeno!"), reality shows e corpos dourados à mostra, MC's de funks questionáveis (letras que deterioram até a mãe!), quem namora quem, e fulano que "assumiu" ( O quê? Não me pergunte...).
A ordem do dia me leva a um pensamento recorrente que perversão, sobretudo sexual, está na mente geral, até nos mais "calminhos"...
Não estou tirando o meu da reta (veja a conotação que todo mundo recorda...) e admito minhas banalidades de fundo X-rated.
Já me peguei cantarolando refrões deploráveis, só parando porque o bom-senso me mandava calar!...
Só dá sexo na cabeça, e não o ameno, o voltado para a procriação ou adendo importante para o aperfeiçoamento do amor. Nada! Todo mundo é pervertido, mas disfarça...
Claro que a temática do Todo mundo... não é para "fechar" assunto, e calo minha boca agora se alguém na "cara-dura" virar e disser que JAMAIS pensou em bobagens ou nutriu certa atração pelo "pecado"!
Um MC Serginho e Créu ( o nome já diz tudo...) estão folgados com seus repertórios - ahn...- travessos. Ninguém pode sobreviver, musicalmente falando, por causa de uma minoria: é a maioria que compactua com suas canções depravadas!
Acredito que, por mais que me custe a assinar isso como o lógico, quem compra CD's, DVD's, outras mídias em déficit de moralidade, são, ao menos, pessoas que assumem seu lado espúrio, enquanto nós, os "certinhos", fingimos não gostar da "put...ria" que rola por aí, como num todo! (Oras! Mesmo dentro do tema, eu tinha que me conter com a "sem-vergonhice" dos termos...)
Se o mundo compartilhasse desse puritanismo todo como insistimos em afirmar, as indústrias pornográficas não seriam tão rentosas como sabemos que são!
Apesar da ciência aludir perversão sexual a tudo que fuja da normalidade entre os sexualmente ativos, , credito o termo a qualquer coisa que corra do que é dito, ao que se é feito. ( Se alguém vira para mim e diz que é errado sexo antes do casamento, mas se casou não- virgem, vou dizer que essa pessoa é uma pervertida!) Assimilo perversão à demagogia...
Nem vou travar méritos bíblicos de Adão e Eva tentados pela serpente para caírem dentro da maçã ( a depravação já vem de longe: é proibido, é mais gostoso...). O fato vai arrochado na alma, sem genética diferencial alusiva apenas de família para família...
De James Brown, aquele que era um Sex machine ( Máquina de fazer sexo? Tenho minhas dúvidas...) à É o Tchan bem "abundante", que não se fala de tesão sem uns risinhos apimentados, uns olhos picantes ( Opa! Sem duplo sentido!) , a vontade de se entregar ao devaneio da lascívia legalizada!
Desde Elvis Presley (estaria aniversariando hoje, 8 de janeiro) que o sexo libidinoso saltou ao público; olha o remelexo do homem, rebolado que originou o famoso Elvis, The Pelvis! (Mocinhas comportadas, pois sim! Vendo aquele Deus da Beleza se requebrando, qual menina naquela época continuava casta? Bem, pelo menos os pensamentos ficavam "desvirginados", garanto!...)
Sorte da sociedade que se tratavam de ídolos intensamente talentosos, e seus convites à liberação, se tornavam primores pela contextualização e época.
A sexualidade trazida ao público, provocava delírios não só momentâneos, mas o desejo de levar o prazer para a cama: foi através de Elvis que muitas mulheres começaram a querer ter orgasmos!...
Elvis foi o precursor de que uma mulher não era só a mocinha obediente ou a dona-de-casa sem graça. Conseguiu democratizar o appeal feminino, clareando que nós poderíamos ser sexuais, altamente eróticas! (Até então existiam as pin-ups, que agradavam somente aos homens).
Resumindo: O Rei do Rock era incentivo às fantasias femininas!
Agradecimentos que se deve transmitir, aqui no Brasil, é para a representante também do rock, a eterna diva Rita Lee, que forneceu à mulher um conceito que poderíamos ter "água na boca" ao ver um homem, e que o chamamento "chega mais", tinha lógica de vir de um ser feminino...
Até aí, tudo bem, sexualidade é bom e todo mundo gosta!
Grandes representantes de nossa música sabem falar de "gozos e sussurros" (Lulu Santos que o diga, em sua Casa ), sem deteriorar o foco, diferentemente daqueles que estão focando apenas o fim... financeiro!
Banalização do erotismo, do amor e como não falar da essência humana, ultrapassa a segurança que os valores, embora muitas vezes arcaicos, consolidam no processo de identidade social.
Assumamos nossos papéis de "subversivos", e que adoramos uma sacanagem bem libertina, sem, portanto, fazermos de nossas alcovas, um trampolim para o "sexo grupal" já que músicas cretinas são promiscuidade-chiclete, grudentas nos ouvidos. Elas nos chegam em "massa", não possuindo qualquer teor que aluda à utilidade.
Fico estarrecida com a "chulice" dos "pegos", "vou pegar", "já peguei" , e "se eu te pego"... Se eu pego um FDP desses, descarrego minha arma de palavreado baixo: meu pegar é para valer, correspondente a uma boa noite na cama... de um hospital público, com hematomas visíveis e sem previsão de alta! (Presta atenção, cara! Meu ouvido não é penico! Nem a latrina da Central anda tão fedorenta...)
Vamos falar de sexo? Vamos ser pervertidos? Vamos dar vazão a nossa sensualidade?
Estou aqui, tranquila e ronronante.
Mas vá lá que não estou para exposição de intimidades, a safadeza dos pensamentos não devem sair desse campo...
Quando fazem do gracejo sexual "água morro abaixo" e "fogo morro acima", desmoronando em público o que o limite da ocultação implora, revejo meu conceito lá do alto de que a perversão fincou forte seu suporte mais profundo.
Estamos fadados a "endeusar" tipos descartáveis, que surjam repentinamente com hits que tragam o "fogo acima", já que passamos o tempo inteiro tentando jogar "água abaixo"...
Triste constatação que prevejo, ao me situar nessa verdade: enquanto procurarmos a obscuridade do sexo, estaremos sendo devassos o bastante para não determos essas metáforas musicais de qualidade pífia. A bandalheira começa num modesto sibilar de sons dúbios...
Eu me remeto a um "tratado" fuleiro da infância, algo que me contaram entre o verdadeiro e o falso, o que a lembrança já distante, transforma em conto, onde supostamente uma senhora se fez hipócrita, uma dessas dos coques e religiões...
Ao avistar um homem gostoso, aqueles estilo "tanquinho", inteiramente despido na rua (não se sabe se por protesto, para aparecer ou por simples deleite para as "incautas" dos logradouros públicos), eis um gritinho de "pavor" e um "medinho" incontrolável:
- Que coisa horrível! Um homem nu!!!!
E o dez dedos, da esquerda e da direita, entreabertos, para "cobrir" a visão "funesta" de um "despudorado", que se fazia tão atingível....
Assim, nota-se no sentido mais insensato que a razão repudia, que todo mundo é pervertido porque não faz questão nenhuma de travar seus instintos mais selvagens!...

Se você ainda tem alguma esperança de que não faz parte do clube pervertido e que é limpa a sua mente poluída, um teste abaixo que, de novidade, não tem nada, mas fiz uma vez e gostei bastante!... Resultado? Faça o seu e me conte depois...


QUE PALAVRAS ESTÃO ESCRITAS? PARA SABER, BASTA COMPLETÁ-LAS COM LETRAS QUE FAÇAM SENTIDO.




Para conferir as respostas, clique na figura abaixo para ampliá-la. E então? Sua mente é ou não é poluída?...

Vamos agora "deitar na cama e fazer fama" ? Transmito a sensualidade de Rita Lee, nossa deusa, nossa gloriosa, vanguardista do som nacional! Que tal Mania de Você? Um convite ao delírio, um "pecado", que só as quatro paredes confessam...






(Imagem:
http://wwwerickfrases.blogspot.com

Teste:
http://vailasaber.blogspot.com

17 comentários:

Cecilia sfalsin disse...

Mary minha amiga,

Até pra julgar o ser humano é pervertido e sarcástico ao mesmo tempo, a mente ela sempre tem pressa, sempre age primeiro que os olhos e os intuitos carnais. Infelizmente uma poluição adotada por nós mesmo.Não temos como dizer que nossos pensamentos são controlados, que nunca proferimos palavras de infâmia ou deturpadoras, quem dirá os absurdos cantados e condecorado por muitos, que ao meu ver se tornou o sexo, e as palavras vulgares os maiores temas a serem explorados pela música, filmes e outras publicações que infelizmente fazem sucessos e existem porque são alimentados por todos que se dizem contra a tais banalidades. Portanto não tem este nem aquele que possa se dizer não ser um pervertido mediante a tantas divulgações, embora eu discorde e não gosto já me peguei por varias vezes repetindo letras de músicas que são totalmente maliciosas e chulas, mas que parecem nos manipular , Se tornando convidativas ao pecado , ou a perversão ,e como você mesma disse , nos calamos pelo valor do bom senso. Eva foi avisada sobre o fruto proibido, no entanto, olhou, desejou , comeu e ainda levou a Adão saborear do fruto....::), portando dizer que não pensamos bobagens é difícil mediante ao teste que teu texto nos submete...rsrs
Amei a liberdade que ele nos da de nos analisar , embora insistimos em dizer que não somos pervertidos rsrs
Amiga beijos em seu coração e tenha uma deliciosa semana

Cecilia sfalsin disse...

E sem me esquecer da chave de ouro que é o vídeo de Rita Lee que nos faz imaginar loucuras..rsr , uma música que enobrece a alma e relaxa o corpo para um caminho pecador...rsrs

Beijos

Larissa Bohnenberger disse...

dMaryyyy!!!!

Óbvio que eu preenchi todas as lacunas com seus correspondentes sexuais. Com exceção de Bo_e_a, que eu completei como sendo Bochecha. Sério, juro. Depois me dei conta que os espaços eram para uma só letra, e não duas. Mas acho que foi porque enquanto lia suas discorrências sobre as músicas de conotação sexual e erótica, eu lembrei de uma do Claudinho e Buchecha em que o cara tem 24 e tá apaixonado por uma menina de 12 anos. Enfim...

Sobre a perversão, só tenho uma coisa a dizer: Eu, Larissa Bohnenberger, sou assumidamente pervertida e não tenho vergonha disso. Pensar em sexo é muito bom, falar de sexo é muito bom, fazer sexo é melhor ainda. Ainda bem vivemos hoje em um mundo em à mulher é permitido a busca pelo prazer tanto quanto ao homem.

Porque pecado é bom e eu gosto! "...molhada de suor de tanto a gente se beijar, de tanto imaginar loucuuuuraaaaa..." rsrsrsrsrsrsrs.

O sexo já está banalizado em diversos lugares do mundo, inclusive no Brasil. As músicas chulas não são a causa disso, e sim uma consequência da mudança cultural no mundo moderno. O grande problema que eu realmente vejo nesse tipo de música fazer tanto sucesso, está na banalização da arte.

Tá, deixa eu parar por aqui senão daqui a pouco o comentário já está maior que a postagem, rsrsrsrsrsrsrs!

Bjs, querida!

Dú Pirollo disse...

Olá minha querida amiga Mary, boa noite!!!
Minha amiga, somos todos normais e pecadores, eu diria que entre gregos e troianos não se salvaria ninguém... se bem que o sexo anda muito banalizado, perdeu bastante do seu encanto, digamos que ficou pervertido ao extremo, na mídia em geral, música, novela, programas de TV... e assim vai... Para os jovens isso tudo é muito normal, mas o que seria anormal? Não seria o contrário? Não seria os puritanos da boca pra fora??? Acho que os maiores pervertidos e pecadores são aqueles que ostentam o que não são... Valeu minha querida amiga, adorei o texto, maravilhoso!!!
Tenha uma ótima noite e uma maravilhosa e abençoada semana!!!
Abração e muita paz!!!

Mary Miranda disse...

Ceci, minha querida!

Gostei do que disse, que os pensamentos pervertidos são do instinto carnal, é como se fosse uma assimilação da mente, que só pensa bobagens, como o corpo, que também deseja...
Quem nunca se pegou cantando certas sacanangens musicais, que em nada nos acrescentam? Só mesmo nos policiando para não cometermos "pecados"... rsrs
Aquele teste é terrível!!!!
Quando eu o fiz, sabia da "pegadinha", ou seja, que a formação iria me arremeter a palavras indecentes, mas mesmo assim, foram elas que vieram primeiro em meu cérebro!... kkkkkkkkkkk

Beijos, adorei sua presença!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

P.S.: Temos, nós, mulheres, que agradecer muito à Rita Lee por ter sido a primeira a falar de tesão feminino, desejo, algo que até então era visto como exclusividade do homem.
E você vê que ela fala de sexo da maneira mais agradável e sensual possível, sem desfocar, sem levar para o lado menor da coisa (ela não usou de depravação em momento algum...)

Beijos, amiga!

Sua presença valiosa; adoro quando vem aqui!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Lari, ri muito quando você disse que completou com "Bochecha"! rsrsrs

Aliás, que música é essa de cara de 24 anos apaixonado por menina de 12?! (Xi, já está me cheirando à pedofilia... Mais uma para eu pesquisar!...)
Querida, concordo com você que a arte está em decadência, o que corrobora com essa sociedade um tanto "largada" dos valores e conceitos mais apurados, mas na minha visão, vejo que é o sexo que está na cabeça o tempo todo, que nos leva a catapultar certas "obras" para seu sucesso imediato!
Andei reparando que mais de 90% das músicas, bordões televisivos, personagens, frases de filme, etc. têm alusão a sexo!...
Na minha ideia, vejo que é porque sexo está 24 horas por dia em nossos pensamentos, mas que devemos refrear nossas fantasias, os que ainda têm certo recato, porque o "fogo está aqui em cima", mas não devemos deixá-lo se esparramar "aqui para baixo" (já viu, né, se isso acontece! rs)... Dá-lhe "água" para apagar o "fogo"!kkkkkkkkkk
Então, quando surgem esses trocadilhinhos safados, rimas sem-vergonha, damos vazão à sacanagem, com a desculpa de que "está na moda" e é "arte"...
Por isso que digo que todo mundo é pervertido, mesmo os que se dizem "santinhos"! (Não vê a senhora mal tapando o rosto apra ver o saradão na rua? rsrsrs)
Adoro os artistas dignos de nossa arte porque até para serem sacanas, são clássicos!
Rita Lee é uma dessas que ouço o dia inteiro...
Deliro com seu conteúdo lascivo, imagino coisas e nem por isso faço bandalheiras por aí porque o limite da sacanagem é a intimidade de nossos quartos, algo que os deturpadores da arte ainda não aprenderam...
E é bom demais mesmo, "vestir fantasias, tirando a roupa"... hehehe Rita não poderia ser mais sapeca!!!!

Beijos, amiga!
Seu comentário foi bem pertinente, o que só acrescentou ao post!!!!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Penso assim também, caríssimo Du!

Os que estão ainda em formação da personalidade encaram com naturalidade a perversão sexual que está nas artes em geral, e nem todos levam a ferro e fogo o que ouvem, apenas repetem o que os outros dizem.
Mas o falso puritanismo é que me chama mais a atenção...
Não consigo acreditar que uma minoria de pervertidos oficiais esteja conseguindo colocar na mídia obras de teor infame, tendo esse sucesso todo!
Acredito que sejam os "certinhos", hipócritas que estão dizendo que "Coisa horrível!", mas bem que "no sapatinho" vão às lojas comprar conteúdo questionável, fazendo coreografias e tudo em suas casas...
Como disse no post, eu me policio, mas algumas vezes já cantei e repeti frases indecentes, que em nada agregam valor a minha existência!...
A conclusão que cheguei é todo mundo é pervertido, e que apenas disfarça seus instintos bem selvagens... rs

Abração, amigo!

Excelente participação sua, sempre coerente, somando ao post, de alguma forma!

Mary:)

Felipe disse...

Moça Bonita

Desde Sodoma e Gomorra o sexo é banalizado.
Nos nossos dias há mães que não sabem sequer quem é o pai da criança e um número enorme de "garotões foge da responsabilidade da paternida após uma ... mal dada porque faltou a camisinha.
Amanhã começa outra apelação, "Big brother" que prende meio mundo na telinha para ver um bando de cretinos "sodomizando-se", comandados por um Pedro boçal.
Se isso é ser país de primeiro mundo ou em evolução como seria no tempo das cavernas?
Beijão minha doce amiga.

Djair Souza disse...

Mary, parabéns pelo excelente texto. Mas ainda defendo o palavrão a boca de Zé pequeno, ele está no contexto da narrativa e formação da personagem. O que não ocorre por exemplo com relacionamentos sexuais, conjugais e afetivos de uma novela exibida em horário nobre. Quanto às letras de música?, absurdamente conduzem ao sexo, sem sensualidade, sem emotividade, e nem risivel, como eram os forrós de duplo sentido que não chegavam, no fogacho da narrativa a explicitar termos chulos, (Lembram de Clemilda com seu: Seu delegado prenda o Tadeu, ele pegou minha irmã e... Huummm". Com o objetivo de fazer rir, maior que o de sexualizar. Hoje tudo fácil e o "Pegar", "catar", "comer" são os verbos do momento. Meu medo é... O que se seguirá aos bondes e aos MCs?

§ilêncio disse...

Querida Mary.. Boa Tarde.

Só lamento tanto barulho (latidos)
para poucas mordidas.Ops!(para pouca ação) tem muita maçã apodrecendo nos celeiros.
Nos anos 80 faziamos mais sexo e menos propaganda.rsrs. Ou não?
Não creio que sejamos pervertidos, e sim. que estamos liberando certos conceitos que nos foram impostos.É o homem vivo em sua essência.
Antes, banhos de espumas eram coisas pros Deuses. Mas, se eu posso pensar que Deus sou euuu... pq ficar na borda da banheira. rs

Beijos
§elê.

Mary Miranda disse...

Meu Canceriano Favorito, que prazer revê-lo!!!!

É bíblico, não, a queda para as perversões?!
Lamentável o que mencionou aqui, de gente que não sabe o pai de seu filho e que não quer assumir ser o pai do filho de ninguém...
É mundial, meu amigo, a permissividade para os instintos básicos envolvendo sexo, e como constatamos sempre, onde tiver um "bacanal", um gracejo, piadinha de duplo sentido, etc., estamos nós dando ibope, porque a conclusão é que todo mundo se amarra numa bandalheira. A diferença é apenas a intensidade...
Dentre os "certinhos", alguém deve estar mentindo, dizendo que não curte uma safadeza porque, como insisto a todo momento, a minoria da população não conseguiria catapultar ao sucesso a banalidade das muitas obras que têm surgido...
Primeiro Mundo, nós? Nem os que por tradição assim são chamados, o são!...
Acho que ainda estamos lá nas cavernas, meu amigo...

Magnífica reflexão nos deixou aqui, em forma de comentário!

Obrigada por ter vindo!!!!

(E a curiosidade que mata o gato: você fez o teste? rsrs)

Beijos,
Mary:)

Mary Miranda disse...

Boa tarde, Djair!

Antes de mais nada, obrigada pelos elogios e comentário!Estou adorando a sua presença!...
Sim, é mesmo pertinente o palavreado chulo do filme "Cidade de Deus"; personagens como o Zé Pequeno, não poderiam usar termos educados...
O que me intriga é que a bandalheira salta do campo da ficção e vem para o "mundo real", e gente "decente", cheia de valores morais, fica repetindo esse ou aquele refrão ou bordão deplorável!
Honestamente, não vejo diferença entre os "Tadeus" da década de 80, para os "Tigrões" dos anos 2000!
Antes ninguém falava abertamente (esses forrós de duplo sentido estão incluídos) porque a censura não deixava, apenas isso!
Mas é claro que o seu temor é o mesmo que o meu, do que a "criatividade" indecente irá trazer à baila, após escutarmos "pérolas" como "te dar muita pressão", "se eu te pego", e outros bichos...
A perversão já vem de longe, essa é a grande verdade!
Creio que todos tenhamos uma porção bem requintada de libertinagem dentro de nós, tendo como diferença que uns mostram mais e outros nem tanto...
Falo a todo instante o seguinte: não só os imorais que empurram as obras de baixo calão. Os "certinhos" também ajudam... e muito!

Abração, e saiba que gostei mesmo de seu comentário!
Uma ótima reflexão nos mostrou, com argumentos coerentes!

Mary:)

Mary Miranda disse...

Selê, tudo bem?

Acho que o mundo continua o que sempre foi: pervertido! rs
Antigamente as pessoas não tinham direito a nada, mal-e-mal à vida, por isso os instintos serem guardados a sete chaves.
A perversão a qual me refiro, não é a maldade do ato, mas a inclinação que todos nós temos de apreciar uma sexualidade mais aflorada, umas rimas sapecas, uns bordões de duplo sentido...
Sobre a década de 80, pouco posso falar dela nesse sentido porque eu era apenas uma menininha que ouvia Menudo e pensava nos "Doces beijos" do grupo, e nem sabia o que seriam "doces" ou "amargos" beijos na prática... rsrsrs
Acho que todo mundo tem direito de ter momentos de prazer, mas que isso se resuma às quatro paredes.
Não gosto nem um pouco desse "sexo grupal" que fizeram com a arte!
E o pior: que leva a galera toda para a "orgia"!... rs

Beijos, querida!
Adorei de verdade seu comentário oportuno!!!!

Mary:)

Valéria Braz disse...

Oi minha Flor... texto muito bom!
Eu diria que o ser humano é um ser malicioso por natureza e pervertido por condição....
Explico. O sexo é da natureza do ser humano, uma energia necessária e importante para manter o equilíbrio do corpo e da mente, e ainda garantir a continuidade da espécie. Pensar em sexo e desejar sexo é como sermos capazes de nos energizarmos e garantir que nunca estaremos sozinhos no mundo (lembrando que isto ocorre inconscientemente). A partir disto a malícia é uma forma de mostrar ao outro a nossa capacidade de ver e entender as necessidades que vem do apelo sexual. Vejo a música da Rita Lee como uma obra que mostra claramente como sexo está ligado a desejo e sensações e por isso é bom! Todos ao olharmos alguém atraente temos sensações e desejos, alguns traduzidos em extenso relato malicioso.
Quanto a sermos pervertidos por condição, é o que fazemos hoje. Aceitamos ser rebaixados e desrespeitados trocando o apelo da sensações pelo apelo das condições... Pra ser gostosa, você precisa ser uma cachorra... Pra ser desejada é necessário se tornar algo pra alguém pegar....e assim vai!
Por isso eu afirmo que sou sim amante do sexo e das deliciosas malícias que podemos compor com as sensações que ele traz. Mas não aceito a condição de pervertida porque não vou acatar condições pra vivenciar esta experiência deliciosa que é tocar o que não se vê e refletir na pele o que apenas se sente!
Aha! Achei ótimo o teste, e prova que nossa mente é facilmente manipulada por nossa natureza maliciosa.... depois de ler o texto é difícil completar as palavras de outra forma se não olhar o resultado!
Beijo no coração... adorei!

Mary Miranda disse...

Grandioso comentário seu, Florzinha, que bem poderia ser um post!

Val, minha querida, te incentivo a escrevê-lo em seu blog, adaptando-o do jeito que quiser ou levando-o como está mesmo, porque está FABULOSO!
Olhando pela sua visão, amiga, sexo é inerente ao ser humano e traz a inconsciente noção de pluralidade, de que não estamos sós e precisamos do outro; a perversão consiste no modo como vemos o sexo, quando damos vazão a algo que o escandaliza, foge da ideia inicial de prazer entre pessoas que se amam e procriação.
Esse texto escrevi mais para ironizar nossos conceitos de moralismo porque não acredito, sinceramente, que obras chulas possam sobreviver na mídia, com sucesso arrebatador, se fossem catapultadas apenas pelos "imorais"!
Há interferência dos chamados "certinhos" também, pode acreditar! (Sabemos que há muitos hipócritas em véu de santidade que, em público são uma coisa, sozinhos, outra...)
Quando lanço os meus "Todo mundo é...", amiga (você já leu vários deles! rs), já sabe que faço para generalizar a propósito, para pôr o dedo na ferida, abalando conceituações arraigadas, tipo: "Mas eu sou pervertida? Não, eu não sou..."
Antes de comentarem o artigo com essa temática, as pessoas geralmente analisam o seu próprio comportamento e argumentam dentro de si mesmas se são ou não aquilo que a proposta do texto expõe!
A começar por mim mesma, que sou a autora deles.
Eu me auto convidei para o debate e cheguei à conclusão de que não sou uma pervertida no sentido mais deplorável do termo, mas que tenho meus lampejos de perversão ao entoar refrões de baixo calão ou repetir bordões nada recomendáveis de personagens midiáticos. O que tenho como boa prerrogativa é que faço isso muito aleatoriamente, o que nem chega a burlar minha personalidade que busca os assuntos que me embasem enquanto ser.

Já disse e repito: MARAVILHOSO comentário o seu!
Merece um post (promete que ao menos vai pensar no assunto!), porque está completo!!!!

Beijos, minha Flor!

Mary:)

Anônimo disse...

Pensava que a primeira a falar de tesão feminino foi Leila Diniz!